X

Saiba como a nuvem e as novas tecnologias habilitam a transformação nos negócios e na sociedade.

Quatro grandes mudanças que você deve fazer agora para retomar o crescimento

This is a syndicated post, view the original post here

Mesmo com uma possível vacina surgindo, é provável que as consequências econômicas da COVID-19 durem mais um ano ou até mais. O que sua empresa deve fazer a fim de preparar-se para a recuperação?

Por Dee Houchen e Jennifer Toomey *

Pode parecer contraintuitivo, mas este não é o momento de recuar nos investimentos em inovação, M&A, melhorias de produtividade ou gerenciamento de riscos. A McKinsey & Company analisou as organizações que tiveram o melhor desempenho durante e após a última recessão global em 2008. Descobriu-se que as empresas que investiram em M&A e em inovação saíram muito melhor da recessão do que seus concorrentes.

"Em resumo, seu contexto de negócios é e continuará incerto", declarou a McKinsey & Co. "Mas, se você fizer mudanças agora, poderá navegar pelas ondas da incerteza, em vez de ser dominado por elas."

Grandes mudanças para seguir em frente

À medida que as empresas se preparam para retomar o crescimento, elas passam a considerar processos de M&A, alienações, novos modelos de negócios e muito mais. Grandes mudanças como essas exigem precisão. Você deseja encontrar as melhores oportunidades de M&A pelo melhor preço, modelar o impacto das alienações e avaliar a possibilidade de sucesso de novos modelos de negócios.

Leia mais: Oracle ajuda equipes financeiras a desenvolver resiliência e retomar o crescimento

Grandes mudanças também exigem sucesso no controle delas. É necessário integrar novas empresas, novos sistemas e novos funcionários rapidamente, criar divisões e aproveitar novos modelos de negócios antes que seus concorrentes façam isso, tudo sem comprometer a segurança de seus dados ou a conformidade. Aqui estão quatro "grandes mudanças" que podem posicioná-lo para aproveitar a recuperação e o crescimento.

1. Adote a inovação do modelo de negócios

Em uma pesquisa realizada com mais de 1.000 entrevistados durante uma recente série de webcasts do AICPA e do CIMA, 46% afirmaram que estavam concentrados em novos modelos de negócios a fim de preparar suas empresas e garantir vantagem competitiva. As rápidas mudanças no comportamento dos clientes durante a pandemia da COVID-19 deixaram claro que as organizações devem inovar para sobreviver, competir e voltar a estimular o crescimento. Vimos empresas lançarem novos produtos e serviços praticamente de um dia para o outro: as farmácias estão oferecendo vacinas, as universidades estão mudando para a educação on-line e os restaurantes migraram do serviço de atendimento no local para o serviço de entrega em casa.

Sandra Clarke, CFO da Blue Shield California, recomenda que os líderes da área financeira não adiem inovações durante uma crise. "As necessidades são urgentes", afirmou Clarke. "As soluções tecnológicas servirão como um catalisador para impulsionar inovações que podem mudar drasticamente a situação para resultados mais positivos para as organizações e seus clientes."

Quando a Broadcom adquiriu a Brocade Communications para diversificar e ir além de seu segmento principal de semicondutores, ela adicionou uma categoria de produtos totalmente nova a seu portfólio e aumentou a complexidade desse portfólio. Isso também envolveu o controle de novos modelos de receita, como os serviços de assinatura que a Brocade oferecia aos clientes. Para lidar com os novos desafios, a Broadcom moveu seus sistemas de gerenciamento de ciclo de vida de produto (PLM) e de gerenciamento de receita para a Oracle Cloud. Há muitos desafios quando o assunto é liderar com inovação, mas a disponibilidade simplificada de aplicativos em nuvem certamente poderá ajudar.

2. Use processos de M&A e alienações para apoiar sua base  

Uma crise econômica é uma oportunidade de adquirir empresas por valores abaixo do mercado ou alienar divisões com desempenho abaixo do esperado. Portanto, não é nenhuma surpresa que o segundo semestre de 2020 tenha sido o mais movimentado em décadas no que se refere a fusões e aquisições. De acordo com a Reuters, só no terceiro trimestre, foi realizado mais de US$ 1 trilhão em transações de M&A em todo o mundo.

No entanto, na correria de comprar e vender, a área financeira deve agir com precisão. É necessário identificar as melhores oportunidades de M&A, criar novas divisões, modelar o impacto das alienações e integrar novas empresas, novos sistemas e novos funcionários. Uma pergunta importantíssima (e muitas vezes negligenciada) que você precisa fazer é: "Como podemos assimilar novos dados e processos para ter uma única fonte confiável de verdade financeira?".  

A Western Digital enfrentou esse desafio quando fundiu três empresas listadas na Fortune 500, a West Digital, a SanDisk e a HGST, juntamente com seus três sistemas de ERP on-premises. Ao analisar as três empresas, foram encontrados centros de custo duplicados, três departamentos de TI, três departamentos de RH e mais de 2.000 aplicativos de software. Oitenta sistemas eram usados somente para processar a folha de pagamento.

Em vez de tentar mover todos esses dados e processos para um único sistema de ERP on-premises, a Western Digital decidiu reformular seus negócios, implementando o Oracle Fusion Cloud ERP após a fusão.

"Conseguimos unificar em um plano de contas padrão que passou de algumas milhares de contas para cerca de mil", afirmou Bill Roy, diretor sênior da empresa. "Conseguimos reduzir de mais de 15.000 centros de custo para 3.000." Agora que a Western Digital está ativa na nuvem com um único CoA, será mais fácil concluir quaisquer aquisições futuras.

3. Acelere um fechamento automatizado

Se grandes mudanças exigem precisão, então, é melhor que você consiga obter números precisos e confiáveis o mais rápido possível. Um fechamento automatizado pode ajudá-lo a disponibilizar rapidamente as informações para os tomadores de decisões e a obter progressos para que a empresa seja mais orientada a dados. Aplicativos em nuvem com machine learning e automação inteligente de processos podem ajudá-lo a fazer o fechamento contábil mais rapidamente e são flexíveis o suficiente para acomodar facilmente as mudanças.

Aqui na Oracle, um dos nossos objetivos mais audaciosos é fazer o fechamento contábil em um dia. Graças às atualizações regulares que nossa equipe de desenvolvimento implementa no Oracle Cloud ERP e no EPM, estamos nos aproximando dessa meta a cada trimestre. Mais recentemente, nossa equipe da área financeira reduziu 20% do tempo necessário para o fechamento trimestral, tudo no meio da pandemia, com todos trabalhando em casa. Atualmente, conseguimos:

  • Conciliar automaticamente 92% das transações bancárias globais
  • Conciliar saldos entre as empresas para, aproximadamente, 400 entidades globalmente em 1,5 hora por mês
  • Reduzir as alocações de despesas em 98%
  • Concluir a contabilidade de pedidos de compra em aberto, acumulados globalmente em 3 horas
  • Reduzir a contabilidade manual em 35% com diários de vários livros-razão e em várias moedas

Nosso objetivo final: um processo automatizado em que há um equilíbrio contínuo dos livros contábeis. "Queremos alcançar atualizações instantâneas nas contas e nos dados financeiros para garantir relatórios imediatos", declararam Paul Doyle e Anna Clare, executivos seniores da área financeira na Oracle, em um artigo recente. "Trimestralmente, aceleramos significativamente o processo de fechamento, ajudando nossos líderes a reagir rapidamente às mudanças das condições econômicas e dos negócios e dando à nossa equipe da área financeira mais tempo para concentrar-se em atividades estratégicas."

4. Crie uma cultura inteligente quanto aos riscos

Adicionar novas empresas, novas subsidiárias e novos modelos de negócios pode ser uma oportunidade para centralizar e automatizar a segurança e a auditoria. Os líderes da área financeira precisam ter uma cultura consciente dos riscos desde o primeiro dia para proteger o ERP essencial e outros dados confidenciais. Isso significa gerenciar os riscos no início de uma implementação de ERP em nuvem, e não depois, e incorporar a redução de riscos ao software financeiro. Ao fazer grandes mudanças, os CFOs devem fazer três perguntas para si mesmos:

  1. Como gerenciarei meus usuários e o acesso deles a informações confidenciais?
  2. Como farei o monitoramento das transações desses usuários?
  3. Como farei a auditoria de meu sistema de ERP?

Cada vez mais, o machine learning e a AI estão sendo usados para automatizar o gerenciamento de riscos dentro dos sistemas de ERP, ajudando as empresas a:

  • Eliminar a separação de tarefas (SoD) manual e baseada em regras – o meio pelo qual nenhuma pessoa tem controle exclusivo sobre uma transação
  • Substituir as ferramentas de segurança, risco e auditoria desconectadas e engessadas
  • Automatizar o monitoramento avançado de segurança e transações para fortalecer os controles financeiros
  • Simplificar os fluxos de trabalho de auditoria

A Skechers conseguiu transformar a auditoria interna e a conformidade na nuvem, apoiando o rápido crescimento da empresa de calçados. Apesar da expansão global e de mais de 60 unidades de negócios, a Skechers aumentou a receita de US$ 810 milhões para US$ 4,5 bilhões e adicionou somente duas pessoas à equipe de auditoria.

Ashwat Panchal, vice-presidente de auditoria interna da Skechers, disse que a automação e o machine learning disponíveis no Oracle Cloud Risk Management ajudaram a equipe a escalar sua capacidade exponencialmente. "Podemos fazer muito mais com menos pessoas", disse Panchal. " nossa abordagem padronizada e a solução de gestão de riscos em nuvem, precisaríamos ter entre 40 e 50 pessoas viajando pelo mundo o tempo todo."

O papel da área financeira em uma economia pós-COVID

Os CFOs e suas equipes já estavam sob pressão para criar organizações financeiras digitais que pudessem reagir ao ritmo da mudança e liderar diante das incertezas. Agora, à medida que ocorrem avanços em direção a uma economia pós-COVID, eles trabalham em parceria com os líderes em toda a empresa para reformular suas organizações, manter a resiliência e criar um caminho a seguir. Mudanças grandes e inovadoras irão ajudá-los a sair na frente da concorrência. Em um webcast recente, a McKinsey & Company disse ao público: "Este é um momento para arquivar qualquer tipo de pensamento incremental e buscar planos de transformação que possam aumentar a receita ou reduzir os custos, não em 5 a 10%, mas em 30 a 40%."

"Este é o momento de realmente acelerar", acrescentou a CEO da Oracle, Safra Catz. "As pessoas sempre acham que acelerar é algo muito arriscado. Arriscado é ir devagar."

Está considerando fazer uma grande mudança? Veja aqui por onde começar.

* Dee Houchen é diretora de Marketing para Finanças e Jennifer Toomey é head de EPM Product Marketing na Oracle.

Be the first to comment

Comentários ( 0 )
Please enter your name.Please provide a valid email address.Please enter a comment.CAPTCHA challenge response provided was incorrect. Please try again.