X

Saiba como a nuvem e as novas tecnologias habilitam a transformação nos negócios e na sociedade.

Larry Ellison explica os benefícios de executar Oracle Cloud Services atrás do seu firewall

This is a syndicated post, view the original post here

O CTO e Diretor Executivo da Oracle Larry Ellison anunciou os novos serviços Cloud@Customer durante um evento via Zoom.

Por Chris Murphy*

Quando o CTO e Diretor Executivo da Oracle Larry Ellison anunciou dois novos serviços de nuvem durante um evento ao vivo no Zoom no dia 8 de julho, ele explicou por que as empresas e os governos devem considerar esta próxima geração de serviços "Cloud@Customer” "algo muito importante".

1. Muitas organizações de TI de grande porte, como bancos, agências governamentais e empresas farmacêuticas, ainda executam a maioria de suas cargas de trabalho on-premise, em vez de na infraestrutura de nuvem pública, porque precisam manter os dados em seus próprios data centers por questões regulatórias, de latência, soberania de dados e outras razões.

2. Essas empresas estão perdendo uma enorme oportunidade de explorar inovações baseadas na nuvem, especialmente a tecnologia autônoma. A tecnologia Oracle Autonomous Database reduz custos ao diminuir a necessidade de trabalho humano, e reduz riscos de segurança ao eliminar erros humanos que podem levar a violações de segurança, disse Ellison.

3. Os novos serviços Cloud@Customer de segunda geração da Oracle oferecem a essas organizações os benefícios da nuvem – como pagamento por uso, capacidade elástica e as mais recentes atualizações de tecnologia – em um serviço cuja execução e manutenção fica a cargo da Oracle, mas que fica fisicamente nos próprios data centers dos clientes.

-Leia mais: Uma verdadeira experiência de nuvem dentro do seu data center: entrevista com Clay Magouyrk, da Oracle

Cloud@Customer Estendida
No evento de 8 de julho, Ellison anunciou dois novos serviços Oracle Cloud@Customer:

O primeiro, o Oracle Autonomous Database on Exadata Cloud@Customer, dá às organizações de TI acesso ao inovador banco de dados autônomo baseado em nuvem da Oracle, numa máquina Exadata executada dentro do próprio data center do cliente. Centenas de organizações já usam o Exadata Cloud@Customer; este novo serviço adiciona a opção do Autonomous Database, liberando administradores e desenvolvedores de banco de dados das tarefas rotineiras de manutenção para que possam se concentrar em inovação.

As organizações pagam apenas por aquilo que utilizam, com uma taxa mínima de US$ 10.800 por mês. “Esta é a primeira vez que nossos clientes têm acesso ao Autonomous Database em seus data centers, atrás de seus firewalls", disse Ellison.

O segundo serviço novo, a Oracle Dedicated Region Cloud@Customer, permite que as organizações executem qualquer serviço Oracle Cloud dentro de seus próprios data centers. A Oracle basicamente constrói uma versão menor de suas regiões de nuvem pública dentro de um data center corporativo. Os clientes devem gastar um mínimo de US$ 500.000 por mês, com um compromisso de três anos.

Com a Dedicated Region Cloud@Customer, os clientes agora podem executar uma ampla gama de serviços de nuvem em seus próprios data centers, incluindo aplicativos como Oracle Cloud ERP e HCM; Internet das Coisas, blockchain e serviços Oracle Digital Assistant; além da infraestrutura de nuvem bruta, como servidores bare metal e servidores alimentados por GPU para machine learning.

“Colocamos tudo que está na nuvem pública Gen 2  dentro do seu data center, atrás do seu firewall. Tudo mesmo.”, diz Ellison.
Ele também explica que as organizações podem combinar esses serviços Cloud@Customer com os serviços de nuvem pública da Oracle e gerenciar todos eles num único console.

O melhor dos dois mundos da nuvem
O hardware e os dados ficam no próprio data center da organização do cliente com todos os serviços do Oracle Cloud@Customer. Porém, é a Oracle que gerencia a infraestrutura e cuida dos patches, da segurança e das atualizações de tecnologia através de uma conexão remota.

Os dados nunca saem do ambiente da organização e as equipes da Oracle não têm acesso aos dados do cliente. Os clientes pagam a mesma taxa que pagariam pelos serviços de nuvem pública da Oracle (com uma taxa mínima), com os mesmos contratos de nível de serviço para confiabilidade e desempenho, e podem acessar todos os mesmos serviços disponíveis na nuvem pública da Oracle.

Nuvens de segunda geração são autônomas
Ao estabelecer a importância das novas ofertas Oracle Cloud@Customer, Ellison explicou detalhadamente como a tecnologia autônoma é o principal diferencial da infraestrutura de nuvem Oracle de 2a geração, ou Gen 2.

“Chamamos nossa nuvem de nuvem de 2a geração por uma razão – por causa dos serviços autônomos”, disse Ellison. “A diferença entre uma nuvem de 1a geração e uma nuvem de 2a geração são esses serviços autônomos.”

A Oracle lançou o Autonomous Database em 2018, seguido pelo Autonomous Linux em 2019, que permite à Oracle aplicar patches automaticamente em cada servidor em sua nuvem, sem tempo de inatividade para as cargas de trabalho dos clientes. No dia 8 de julho, Ellison também anunciou a disponibilidade do Oracle Autonomous Data Guard, que provisiona automaticamente uma cópia em stand-by do sistema de produção do cliente em um data center diferente, para fins de recuperação de desastres.

“Todos os nossos serviços autônomos são baseados numa nova tecnologia revolucionária chamada machine learning", disse Ellison. “Machine learning é provavelmente a tecnologia de computação mais importante da última década.”

Além de enfatizar os benefícios de segurança, economia de mão de obra e confiabilidade dos serviços autônomos da Oracle, Ellison também destacou os benefícios de velocidade e desempenho da execução do Autonomous Database no Exadata. Ele descreve a Oracle como “obcecada” em fazer o banco de dados executar rapidamente – e por uma simples razão:

“Porque tempo é dinheiro dentro da nuvem pública", disse Ellison. “Se você paga por minuto, e a Oracle executa duas vezes mais rápido, reduzimos sua conta pela metade.”

O conteúdo acima descreve uma direção geral para o nosso produto. Esta apresentação destina-se apenas a fins informativos e não pode ser incorporada em um contrato. Não se trata de um compromisso para fornecimento de qualquer material, código ou funcionalidade e não deve ser usada como base para a tomada de decisões de compra. O desenvolvimento, lançamento, cronograma e preço de quaisquer funcionalidades ou recursos descritos para os produtos Oracle podem sofrer alterações a critério exclusivo da Oracle Corporation.

*Chris Murphy é Diretor Editorial da Oracle

Be the first to comment

Comentários ( 0 )
Please enter your name.Please provide a valid email address.Please enter a comment.CAPTCHA challenge response provided was incorrect. Please try again.