X

Saiba como a nuvem e as novas tecnologias habilitam a transformação nos negócios e na sociedade.

Recent Posts

Histórias de Sucesso

dr.consulta aumenta ROI em seis vezes com Oracle Responsys

Com ajuda do Oracle Responsys Campaign Management, dr.consulta melhorou a comunicação com os pacientes e aumentou a receita em 20%, multiplicando seu ROI. O dr.consulta é uma healthtech brasileira que existe desde 2011 e atua em uma faixa de mercado de pacientes que não podem pagar plano de saúde, mas não querem esperar atendimento na fila do SUS, o sistema público de saúde do país. Graças à tecnologia, a empresa leva saúde de qualidade e acessível a esse público em mais de 60 especialidades e mais de três mil serviços, como exames, vacinas, procedimentos e cirurgias. “Só não atendemos emergência, mas fazemos até cirurgia. Catarata é o nosso principal procedimento”, diz Manoela  Brienza, Head de Consumer Marketing no dr.consulta. Segundo Manoela , a companhia é uma one stop shop: o indivíduo consegue resolver todas as necessidades de saúde em um só lugar. “Usamos inteligência artificial, temos uma equipe de engenheiros e médicos que, em conjunto, desenvolveram um prontuário eletrônico pensando na centralização de dados, usabilidade médica e do paciente. Usamos estes dados organizados para oferecermos ao paciente toda a informação que ele precisa para cuidar da saúde dele, e fazemos isso via CRM. Isso é algo que nos faz ser únicos”, conta. “O dr.consulta é uma healthech e para oferecer excelência em atendimento precisa de muita informação. Não existe tomada de decisão se não for a partir de dados. E, para ter esses dados, precisamos da tecnologia. A tecnologia aliada à abrangência de serviços é nosso diferencial.” Leia mais: Grupo NotreDame Intermédica mantém pioneirismo e moderniza área financeira com Oracle A executiva lembra que, hoje em dia, se o paciente desejar, ele não precisa falar com ninguém para agendar uma consulta médica. “Rompemos barreiras e quebramos paradigmas ao oferecer diversos caminhos para agendamento, mas principalmente via site e aplicativo, e é fundamental que todos os detalhes da consulta dele seja comunicado ao paciente, assim ele sabe aonde vai e como é que chega a esse lugar, data e horário, preparo médico quando necessário”, diz. O principal desafio do dr.consulta em relacionamento  era falar com o cliente no momento e no canal certos. “Não tínhamos CRM: apenas olhávamos para a jornada e se fazíamos campanha de awareness.” Nesse cenário, o dr.consulta  buscava um suporte de comunicação adequado para interagir com o cliente de forma estruturada. O produto adequado para superar esse desafio foi o Oracle Responsys Campaign Management. “Eu precisava de uma plataforma que provesse todo esse serviço e toda essa estrutura.” A decisão de manter a Oracle como fornecedora de solução de tecnologia levou em consideração o roadmap de produtos da empresa, a forma como a segurança da plataforma é desenvolvida e o atendimento próximo e cuidadoso da equipe. Como empresa médica, o dr.consulta  se preocupa muito com os dados dos pacientes, que são ultrassensíveis. A exposição dessas informações pode causar danos graves. Por isso, a segurança da informação é essencial e a tecnologia da Oracle garante que esses dados sejam tratados corretamente. Além disso, a capacidade de inovar foi mais um ponto de desaque. “A Oracle foi pioneira em integrar web push no CRM e permitir fazer isso de forma inteligente e com informação. E o melhor é que tudo funciona e dificilmente há problemas técnicos. Tudo vai muito suave.” Manoela Brienza, Head de Consumer Marketing, dr.consulta Antes de instalar o Oracle Responsys, a comunicação do dr.consulta  era limitada a e-mails relacionados à agendamentos. Agora, a empresa tem um programa de ativação, que trouxe incremento de 20% na receita do canal. “Saímos de um email de boas-vindas para sete emails e três ou quatro touchs de SMS. Isso depois de descobrirmos quais pilares precisavam ser comunicados”, conta Manoela . Até aquele momento, a área de CRM não tinha estratégia nem planejamento, apenas complementava as ações de marketing. “A ferramenta ajudou a transformar a experiência do paciente.” À época, a empresa tinha dois ou três programas de Marketing em execução. Hoje, são 17 programas diferentes. Isso significa quase 100 touchpoints de email, 12 touchpoints de SMS e push e web push na esteira para implantação. Com isso, o ROI aumentou. “Hoje, ele é seis vezes o que a gente investe e ainda dá para melhorar. É um número muito louvável para quem não fazia absolutamente nada. Com isso, o CRM virou uma área muito importante.” A partir dos dados obtidos com o sistema, a empresa percebeu que pacientes que pagam pela consulta antecipadamente faltam menos ao agendamento. Então, passou a oferecer desconto para eles fazerem o pagamento antecipado. “Faz muito sentido dar esse incentivo para eles. A decisão foi tomada a partir de dados. Desejamos que as pessoas terminem o tratamento, que cuidem delas mesmas. Pensamos na jornada de uma forma não financeira porque sabemos que se ela tiver uma boa experiência, ela vai continuar.” Leia mais: Santander melhora jornada do cliente com Oracle Cloud CX A companhia mapeou toda a jornada do paciente e procura atuar em todos os momentos: quando a consulta é agendada, quando um exame fica pronto, quando o retorno deve ser marcado e assim por diante. “Essa comunicação é imprescindível para orientarmos o paciente.” Um bom exemplo foi o uso da comunicação para controlar as aglomerações, porque muitos pacientes estavam levando vários acompanhantes para as consultas. “Diminuímos as faltas depois que colocamos essa mensagem, porque passamos a prestar um serviço” conta Manoela. Para que tudo isso fosse implementado, o dr.consulta  se juntou à Pmweb. “A Pmweb já entendia do negócio, o que fez a gente ganhar muito tempo. Grande parte do sucesso, eu atribuo à Pmweb. A Pmweb tem um know how grande de Oracle e nos deixa muito tranquilos.” Há cerca de dois meses, o Send Time Optimization (STO) foi ativado. Com ele, campanhas que já iam muito bem, melhoraram com a otimização do horário. Toda a estruturação de automação de dados e criação de gatilhos de comunicação foi feita em conjunto com a Pmweb – isso levou a uma evolução muito grande principalmente na mensuração de resultados. Em vez de trazer receita apenas a partir de cliques, tudo foi otimizado para melhorar o desempenho em situações em que a receita não viria normalmente. Para o futuro, a intenção é ter uma comunicação mais dinâmica. Para cada paciente, há uma forma mais adequada de interagir de forma a trazer mais relevância. “Se falo para todos de forma genérica sobre diabetes, por exemplo, para aqueles que de fato são diabéticos, a comunicação pode ser mais voltada para o momento de tratamento em que eles estão.” Em outras palavras, a ideia é melhorar ainda mais a experiência do paciente, com mais inteligência e mais tecnologia. “Quero que a ferramenta traga audiência para o telemarketing poder trabalhar bases, para a equipe de digital performance poder adquirir clientes mais relevantes.”

Com ajuda do Oracle Responsys Campaign Management, dr.consulta melhorou a comunicação com os pacientes e aumentou a receita em 20%, multiplicando seu ROI. O dr.consulta é uma healthtech brasileira que...

Histórias de Sucesso

Vendas do Grupo R Carvalho crescem 30% com nuvem da Oracle

Empresa brasileira alcançou maior agilidade operacional e aumentou performance em 30% após migrar para a Oracle Cloud Infrastructure. Natural de Teresina (PI), o Grupo R Carvalho possui uma das maiores redes de supermercados da região. A sua formação se deu em 2019, a partir da divisão do Grupo Carvalho, que possuía 32 anos de existência no ramo alimentício. A partir daí, uma nova fase da empresa começou. O objetivo passou a ser desenvolver todo um trabalho para crescimento e retomada do negócio, focado no atendimento ao público final nas áreas de alimentos e de vendas de material de revestimento e acabamento para residências. Atualmente, o grupo conta com 29 estabelecimentos no Piauí e no Maranhão. O principal desafio na época foi a necessidade de modernizar o data center antigo e defasado. A missão era difícil, mas necessária, destaca o gerente de TI Julio Pires, que possui quase três décadas de experiência no setor de varejo. “Eu tinha dois servidores de grande porte para rodar duas ferramentas extremamente iguais, só que uma me ocupava 30% e a outra me ocupava 90%. Eu não tinha como alocar esse recurso de uma para a outra. Eu mantinha uma estrutura com 30% com o mesmo custo de uma estrutura que rodava 90%. O sistema estava se degradando cada vez mais, ficando mais lento”, explica. -Leia mais: Rumo migra operação do físico para digital com Oracle Cloud Determinado a encontrar respostas para o problema, Pires começou a listar o que seria preciso. Foi então que mais alguns pontos de atenção surgiram: “Eu tinha tempo, eu tinha que ter dinheiro, eu tinha que ter gente. E nenhum dos três pilares se encaixava no que eu tinha na hora e no momento.” Para vencer esses três desafios, o Grupo R Carvalho encontrou na infraestrutura de nuvem da Oracle uma plataforma ideal. “Tivemos de pegar toda uma história de 32 anos, onde tinha servidores ultrapassados, e conseguimos passar isso tudo para cloud. Foi o nosso grande salto de tecnologia. A parceria com a Oracle foi perfeita.” (Julio Pires, Gerente de TI do Grupo R Carvalho) A confiança adquirida em uma parceria anterior, com a implementação de dois bancos de dados Oracle, facilitou a escolha pela solução em nuvem da companhia, conhecida no mercado pela estabilidade e escalabilidade oferecidas. “Foi o primeiro ponto de decisão”, afirma o gerente de TI do Grupo R Carvalho, que também aponta a agilidade do projeto. “Junto com a equipe da Oracle nós conseguimos fazer um projeto. Consegui aprovação junto à presidência e, em três meses, consegui fazer os testes, montar e colocar em produção”, diz. Após a migração para o serviço de computação em nuvem escalonável Oracle Cloud, as vendas cresceram 30% e a performance melhorou, também, 30%. Essa atualização resultou em mais agilidade, melhor desempenho dos processos empresariais e melhora no atendimento.  Hoje, 100% dos sistemas do Grupo R Carvalho estão rodando na nuvem, inclusive ambientes críticos como vendas, ERP, notas fiscais e faturamento. “Eu tinha um relatório que rodava em torno de 42 minutos. Ele passou a rodar em torno de 6 a 7 minutos. O ganho foi extraordinário”, exemplifica Pires. Só no primeiro dia de vendas da companhia após a migração para a nuvem da Oracle, a empresa conseguiu contabilizar R$ 3.200.000,00 sem nenhum problema de tecnologia que afetasse a relação com o cliente. Ao longo dos primeiros quatro meses, a empresa teve um crescimento de 22%. De 2019 para cá, o grupo responsável por várias redes de supermercados saiu de 22 lojas para 29 unidades. “A mudança para cloud nos permitiu fazer com que a tecnologia fosse um ponto de apoio para todas as decisões da empresa. Conseguimos fazer com que a nossa empresa crescesse virtualmente, e não tivemos nenhum problema de tecnologia que nos afetasse”, afirma o gerente. Pires ressalta ainda que a montagem de um servidor que poderia levar de 30 a 60 dias, caiu para um período entre 3 e 5 dias. “Agora tenho agilidade para poder dar resultados sem ter que esperar grandes momentos ou grandes movimentações como, por exemplo, uma montagem de um servidor.” Com essa nova dinâmica permitida pelo avanço tecnológico, o Grupo R Carvalho ganhou mais um fator essencial para qualquer empresa: tempo. A equipe de TI passou a poder focar mais no negócio do que na própria operação da tecnologia. As horas extras trabalhadas para manutenção dos servidores foram reduzidas em torno de 70% a 80%, e os profissionais passaram a trabalhar com mais prazer, sem a necessidade de plantões aos finais de semana, completa o gerente de TI. O estresse com a rotina de manutenção necessária para que tudo funcionasse era diário e exaustivo, mas foi resolvido após a implementação da infraestrutura de  nuvem. “A nova tecnologia passou a ser um plus, ela já não é mais um problema da empresa”, acrescenta. A empresa está rodando os seus sistemas há quase dois anos na Oracle Cloud, e não teve nenhum problema tecnológico posterior que parasse a produção ou que comprometesse o seu resultado. Outra vantagem apontada pelo executivo é a segurança de seu data center com infraestrutura na nuvem. Pires destaca que consegue ter maior controle sobre o que acontece em seus sistemas hoje do que antes da migração. “Eu tenho tudo na minha mão. Em um clique no meu mouse, consigo fazer tudo, transformar.”

Empresa brasileira alcançou maior agilidade operacional e aumentou performance em 30% após migrar para a Oracle Cloud Infrastructure. Natural de Teresina (PI), o Grupo R Carvalho possui uma das maiores...

Histórias de Sucesso

Rumo migra operação do físico para digital com Oracle Cloud

Com objetivo de migrar data centers para nuvem, companhia ferroviária brasileira escolheu Oracle Cloud e conseguiu executar o projeto em três meses. Uma das principais companhias ferroviárias da América Latina, a Rumo Logística detém hoje quase 14 mil quilômetros de linhas no Brasil, ligando as três principais regiões produtoras com os três principais portos do país. Atualmente, a empresa é responsável pelo transporte de 26% do volume de grãos exportados pelo país e também por transportar cerca de 30% do açúcar produzido no mundo. Com toda essa responsabilidade em mãos, a Rumo decidiu que era o momento de mover seus dados para a nuvem. Isso porque a empresa centralizava suas informações em dois data centers: um em Piracicaba com operação terceirizada e outro localizado na sua sede, em Curitiba. -Leia mais: Com Oracle Cloud, Korp tem redução de custos estimada em 40% “Nosso centro de controle de operação ferroviária funcionava nesse data center de Curitiba, e a Rumo perdia a chance de ter uma redundância caso acontecesse algum problema, alguma situação de perda de links ou algum desastre que ocorresse na nossa sede de Curitiba”, explica Yugo Nomura, head de Tecnologia da Informação da Rumo Logística. Contudo, essa decisão trouxe um segundo desafio, já que a companhia opera em 24/7, ou seja, não tem espaço para paradas de operação – ainda que fosse para a migração do data center. Por isso, era necessário que a migração fosse realizada em um prazo muito curto. Foi neste cenário que a Rumo Logística optou pela Oracle Clous Infrastructure (OCI). A decisão se deu porque a Oracle aceitou o desafio de entender os processos e realizar a migração em um curto prazo, além de ainda prover toda a tecnologia que a companhia precisava naquele momento para fazer tal migração. “Estamos com a nossa operação de data centers toda operando na Oracle Cloud. Então, provavelmente a gente está falando da primeira ferrovia no Brasil inteiro que opera 100% em cloud. Passa pela operação inteira, desde a parte administrativa até a parte operacional de verdade.” (Yugo Nomura, head de Tecnologia da Informação da Rumo Logística) Outro elemento importante que levou à escolha da OCI para o projeto de migração foi que a Rumo tinha uma estrutura com VMware. Isso acabou facilitando a migração para a plataforma da Oracle, já que foi possível realizar todo o processo de uma vez só para a cloud, que já estava devidamente preparada dentro da Oracle. Além disso, a Oracle apresentou à Rumo uma solução para que fosse possível manter toda estrutura de IPs, mesmo após a migração, o que auxiliou para que a empresa não tivesse que resolver problemas relacionados à rede e roteamento durante o período de migração. Assim, a necessidade de migração em um curto prazo foi suprida, com toda execução do processo sendo feita em um período de três meses, inclusive de sistemas que a Rumo já tinha tentado migrar para outros data centers on-premises, mas sem sucesso. “Foi a primeira vez que a gente conseguiu levar, por exemplo, o nosso sistema de licenciamento de trens para operar fora da sede de Curitiba e diretamente para cloud”, diz Yugo Nomura. O processo foi considerado pela Rumo como um sucesso, com toda a operação de data centers funcionando na Oracle Cloud Infrastructure. Isso significa que a Rumo se torou a primeira ferrovia no Brasil inteiro a operar 100% em cloud, desde a parte administrativa até a parte operacional. Por conta da parceria com a Oracle, a companhia conseguiu que todo o controle de circulação de trens, além do controle de restrição de circulação nas ferrovias, fossem operados por meio da OCI. “A parceria com a Oracle foi importante principalmente para o nosso sistema de controle e circulação de trens. É nesse sistema que eu digo que tenho 400 trens rodando simultaneamente na nossa malha todo dia, toda hora, onde cada um precisa circular sem ter nenhum tipo de interferência ou risco de colisão com outros trens que estejam circulando naquela região", diz Yugo Nomura. Dentro da plataforma foram incluídos sistemas importantes da companhia, incluindo as soluções para gestão de ferrovias, suprimentos, faturamento, recursos humanos (RH), controle de restrições de velocidade. Com isso, a operação deixou de ser centralizada em um espaço físico para ficar no espaço digital. A Rumo também destaca um importante ganho em termos financeiros com a migração, já que a plataforma da Oracle possibilitou maior flexibilidade para operar os sistemas. Isso fez com que a empresa parasse de se preocupar com as soluções para o servidor e passasse a olhar mais para os serviços.

Com objetivo de migrar data centers para nuvem, companhia ferroviária brasileira escolheu Oracle Cloud e conseguiu executar o projeto em três meses. Uma das principais companhias ferroviárias da...

Histórias de Sucesso

Com Oracle Cloud, Korp tem redução de custos estimada em 40%

Desenvolvedora de softwares ERP para manufatura, a empresa do grupo Viasoft encontrou na Oracle uma parceira presente para acompanhar jornada na nuvem. Especialistas no desenvolvimento de softwares ERP para diferentes segmentos. É assim que se define a Viasoft, uma empresa com mais de 30 anos de história. A mais jovem de suas unidades de negócios é a Korp, que tem 20 anos e é especializada em atender as demandas da indústria de produção e distribuição, desde a área de vendas, consultoria de implementação ao desenvolvimento e suporte. Com sede em Curitiba, a Korp fornece um serviço essencial aos seus clientes, do tipo que qualquer instabilidade pode resultar em grandes prejuízos. Assim é a rotina de quem entrega sistemas de missão crítica para a indústria de manufatura: caso o sistema fique minutos fora do ar, por exemplo, um caminhão pode chegar à fábrica para retirar produtos que não ficaram prontos, entre outras consequências. -Leia mais: Marriott migra RH para a nuvem, à medida que funcionários e hóspedes retornam aos seus hotéis No passado, a empresa sempre levava suas soluções de ERP aos servidores dos clientes, porém o mercado evoluiu e a mudança para a nuvem se mostrou necessária. Para fazer essa transição, a empresa precisava de um parceiro confiável, de forma a atender às necessidades de empresas de médio e grande porte que não queriam manter uma estrutura interna de TI. A prioridade da Viasoft Korp era encontrar um parceiro que fornecesse uma arquitetura sólida e bom suporte no Brasil. A transição para nuvem começou há três anos com uma empresa terceira que trouxe desafios no momento do faturamento, que trazia variáveis no custo do serviço. A organização encontrou na Oracle a solução para este problema, levando o atendimento de seus clientes à Oracle Cloud. “O grande diferencial da Oracle é essa interação que a gente tem e essa simplicidade no ambiente. A simplicidade na gestão de custo também é diferencial.” (Alexandre Henzen, diretor de tecnologia, Viasoft Korp) Entre as principais razões que fizeram a Viasoft Korp escolhar a nuvem da Oracle estão a simplificação no processo de faturamento, que reduziu custos que são invariavelmente transferidos aos clientes, a simplicidade de arquitetura e a performance. “Essa arquitetura que a Oracle nos trouxe é mais simples, saiu mais barato e nós tivemos excelente desempenho também”, destaca Alexandre Henzen, diretor de tecnologia da empresa. Um ano depois da mudança para a Oracle Cloud, Henzen aponta que já foram registrados diferentes benefícios com a migração, incluindo redução de custos estimada em 40% e uma maior eficiência de sistema. Um dado que ilustra bem essa melhoria em termos de eficiência é o número de usuários do ERP desktop na nuvem da Korp. Antes da mudança para a Oracle, cada máquina tinha entre 35 e 40 usuários, após a troca este número subiu para 60. Henzen afirma que, para atingir tal número de usuários por equipamento no antigo fornecedor, seria necessária uma nova máquina mais cara e mais rápida. “Para a nossa aplicação, a gente teve essa diferença em poder aumentar a quantidade de usuários, e o ambiente ainda ter essa diferença dos 30% de desempenho para o usuário, que é a velocidade de abrir uma tela, executar uma rotina no sistema”, conta o diretor de tecnologia. Além disso, a simplicidade de operação oferecida pela solução da Oracle resultou em ganhos de produtividade para a Korp. Enquanto anteriormente eram necessários de dois a três especialistas cuidando do ambiente de nuvem, tal tarefa agora pode ser realizada por funcionários com nível mais intermediário, não tão sênior. Isso significa que funcionários mais experientes passaram a ter mais tempo de trabalho disponível para atuar no desenvolvimento de produtos e outras funções que agregam mais valor ao negócio da empresa. “O feedback que tive da minha equipe de desenvolvimento é que é muito simples trabalhar com as APIs de desenvolvimento da Oracle”, diz Henzen. Com a operação estabelecida na Oracle, a Viasoft Korp vive uma curva de crescimento dentro da OCI. Cada vez mais, a empresa busca levar seus clientes para a nuvem, por ter segurança de que a infraestrutura dará estabilidade aos sistemas de missão crítica.

Desenvolvedora de softwares ERP para manufatura, a empresa do grupo Viasoft encontrou na Oracle uma parceira presente para acompanhar jornada na nuvem. Especialistas no desenvolvimento de softwares ERP...

Transformação na TI

A expansão latino-americana da interconexão entre Oracle Cloud e Azure aumenta as oportunidades de multicloud

Com este serviço de interconexão, os clientes na região agora podem migrar e executar cargas de trabalho empresariais de missão crítica em seus ambientes Microsoft Azure e OCI com uma conexão dedicada de baixa latência e federação de identidade. Por Michael Mersch* Temos o prazer de anunciar a disponibilidade geral da nossa oitava região de interconexão entre a Oracle Cloud Infrastructure (OCI) e o Microsoft Azure em Vinhedo, Brasil. Vinhedo é a nossa 30ª região no mundo, a segunda região no Brasil e a terceira na América Latina. Com este serviço de interconexão, os clientes na região agora podem migrar e executar cargas de trabalho empresariais de missão crítica em seus ambientes Microsoft Azure e OCI com uma conexão dedicada de baixa latência e federação de identidade. A parceria também oferece um modelo de suporte colaborativo. Com três regiões de nuvem na América do Sul e este novo serviço de interconexão, os clientes podem aproveitar arquiteturas multirregionais e multinuvem para recuperação de desastres e prestação de serviços em toda a região. Estratégias multinuvem estão se tornando cada vez mais importantes para as empresas porque permitem que elas usem a força de vários provedores de nuvem, reduzam os riscos de fornecedor de fonte única e garantam resiliência e capacidade. Configuração simples, alto desempenho A configuração da interconexão é um processo simples e fornecemos serviços de infraestrutura como código como o Terraform para agilizar a configuração. Usando logon único para gerenciar recursos tanto na OCI como no Azure, as empresas podem unificar as políticas de Identidade e Gerenciamento de Acesso, reutilizar arquiteturas de implementação testadas e validadas em conjunto e explorar suas relações de suporte ao cliente Oracle e Microsoft existentes em qualquer ambiente. Foram realizados testes de latência e processamento de ICMP usando um tamanho de porta de 1 Gbps de uma interconexão privada entre a região da OCI de Vinhedo e a região do Azure de Campinas. Os resultados mostraram uma latência de ida e volta de 2 ms entre uma máquina virtual da OCI (VM) e uma VM do Azure e uma taxa de processamento de 957 Mbps usando uma interconexão de tamanho de porta de 1 Gbps. Também validamos uma carga de trabalho de banco de dados usando um banco de dados dos Oracle VM Real Application Clusters (RAC) de dois nós em execução no OCI e uma carga de trabalho SwingBench em execução em uma VM do Azure para garantir que as transações de banco de dados bem-sucedidas fossem concluídas sem falhas de transação. Arquitetura multinuvem da TIM Brasil A Telecom Italia Mobile Brasil (TIM Brasil) está aproveitando este serviço de interconexão da região da OCI em Vinhedo. A empresa de telecomunicações usa a interconexão Oracle-Microsoft Azure para executar uma arquitetura multinuvem, rodando em aplicativos e serviços da OCI, como Oracle Customer Relationship Management, aplicativos de faturamento de terceiros, serviços de integração, serviço da Oracle Exadata Cloud, serviço da Oracle Database Cloud e Oracle Cloud VMware Solution na OCI. Conectadas a estes aplicativos e sendo executadas no Azure estão as cargas de trabalho de SAP HANA e Oracle Virtual Desktop Infrastructure. Usando uma conexão de 40 Gbps e identidade federada entre as duas nuvens, a TIM Brasil está migrando uma combinação de 7 mil servidores, 35 mil núcleos, 1.200 bancos de dados e 15 petabytes de armazenamento, com uma latência de dados estimada em 2 milissegundos. Através desta parceria com a Oracle e a Microsoft, a TIM Brasil espera melhorar os processos de atendimento ao cliente, operações internas, faturamento, cobrança e gerenciamento de plataformas digitais. “Nossa proposta é levar a experiência do cliente a um novo patamar, com mais eficiência e agilidade, sempre com os mais altos níveis de segurança”, diz Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil. Labriola afirma ainda que os investimentos da TIM Brasil em áreas como a analítica e a digital são “fundamentais para a expansão dos negócios da empresa”. Próximas etapas Esta região se junta às seguintes regiões de interconexão disponíveis: •    Oracle Cloud Sul do Reino Unido (Londres) para Azure Sul do Reino Unido •    Oracle Cloud Europa Noroeste da Holanda (Amsterdã) para Azure Europa Ocidental •    Oracle Cloud Frankfurt (FRA) para Azure Centro-Oeste da Alemanha •    Oracle Cloud Ashburn (América do Norte) para Azure Leste dos EUA •    Oracle Cloud Sudeste do Canadá (Toronto) para Azure Centro do Canadá •    Oracle Cloud Leste do Japão (Tóquio) para Azure Leste do Japão •    Oracle Cloud Oeste (San Jose) para Azure Oeste dos EUA Planejamos continuar a investir nesta parceria única e estamos adicionando mais regiões interconectadas para nossos clientes. Retorne no futuro para mais atualizações sobre a nossa expansão crescente. *Michael Mersch é Gerente de Produto Sênior da Oracle

Com este serviço de interconexão, os clientes na região agora podem migrar e executar cargas de trabalho empresariais de missão crítica em seus ambientes Microsoft Azure e OCI com uma conexão dedicada...

Desenvolvedores

Simplifique suas implementações de software com Oracle Cloud Infrastructure DevOps

Lançamento inclui pipelines de implementação para que os desenvolvedores automatizem as implementações de software em plataformas OCI: instâncias de computação, clusters Kubernetes e funções. Por Jonathan Schreiber* Temos o prazer de anunciar o lançamento do serviço DevOps da Oracle Cloud Infrastructure (OCI)! O DevOps permite que os desenvolvedores criem, testem e implementem seus softwares e aplicativos na Oracle Cloud, automatizando cada fase do ciclo de vida de desenvolvimento do software. Este lançamento do serviço DevOps inclui pipelines de implementação para que os desenvolvedores automatizem as implementações de software em plataformas OCI: instâncias de computação, clusters Kubernetes e funções. Os pipelines de implementação são de uso gratuito para clientes OCI. Simplificando as implementações A implementação de software pode ser uma série de etapas complexas. Todos têm uma história terrível de uma implementação que deu errado e "aquela vez que interrompemos a produção". Quando surge um problema com uma implementação, é necessário o empenho de todos. A equipe é informada e se esforça para que a produção continue para os clientes. O que queremos, como engenheiros, é liberar recursos para os clientes e fazer com que a implementação seja um evento rotineiro, talvez tão rotineiro a ponto de a implementação ser chata (tomando emprestada uma expressão de Camille Fournier e de seu artigo Make Boring Plans). Na implementação contínua, queremos criar um processo que pode ser repetido para implementar um novo software e descobrir qualquer problema antes que o lançamento alcance a produção. -Leia mais: O novo Oracle Support Rewards torna ainda mais fácil usar a Oracle Cloud Se estiver executando etapas manualmente em seu processo de implementação, você manipula um fluxo de trabalho complexo, e é fácil introduzir erros que podem levar a falhas na implementação. Automatizar as implementações com ferramentas e processos simplifica seu fluxo de trabalho de implementação e oferece um processo que pode ser repetido e testado para liberar com segurança sua última alteração aos clientes. Como engenheiros, ganhamos quando os clientes usam os recursos que construímos. Em um ambiente competitivo, queremos aumentar a velocidade de entrega dos nossos recursos e implementá-los com segurança, sem introduzir erros ou bugs. A automação baseada em integração e implementação contínuas (CI/CD) fornece estrutura às equipes de engenharia para criar, testar e implementar recursos com mais rapidez. As equipes de maior desempenho (na mais recente pesquisa DevOps Research Assessment 2019) estão ganhando vantagem ao adotar implementações automatizadas para promover lançamentos de recursos mais frequentes para seus clientes. Com o DevOps, os desenvolvedores agora têm todos os recursos necessários para automatizar a última etapa do ciclo de vida de desenvolvimento para liberar recursos com mais frequência, menos intervenção manual e menos erros. Implementações automatizadas Os desenvolvedores podem realizar implementações contínuas com o serviço DevOps. No futuro, poderemos adicionar integração contínua para uma plataforma completa de CI/CD. Hoje, você pode configurar seu fluxo de trabalho de implementação com um pipeline de implementação para configurar as etapas que o software executa para a produção. Para iniciar a implementação, você pode executar automaticamente uma implementação na plataforma de integração contínua existente com uma etapa para acionar o início do pipeline de implementação, ou executar a implementação sob demanda. No pipeline de implementação, você pode automatizar totalmente sua implementação para incluir teste e entrega para cada um dos alvos do seu ambiente, como desenvolvimento, preparação e produção em todas as regiões, e promover automaticamente o lançamento até a produção. Você também pode configurar implementações que incluam estágios de aprovação manual para automação com verificações manuais. Utilizamos mais práticas recomendadas do nosso ciclo de vida de desenvolvimento de software interno da OCI e as incluímos em nossos pipelines de implementação. Se houver falha em um estágio de entrega, é possível reverter automaticamente a implementação para a última versão bem-sucedida ou executar uma ação manual para reverter o estágio com falha. Os pipelines de implementação podem automatizar seu lançamento global em todas as plataformas OCI. Os alvos de uma implementação podem estar em qualquer uma das regiões da sua locação. Você pode criar um pipeline de implementação que inclua cargas de trabalho nativas de contêiner e de máquinas virtuais. Gerencie seus artefatos de software Estamos lançando o serviço DevOps em conjunto com um novo tipo de repositório OCI: o Registro de Artefatos. O serviço Registro de Artefatos é um local único para armazenar, compartilhar e gerenciar pacotes de software usados para desenvolvimento e implementação de aplicativos. Esse serviço totalmente gerenciado elimina a necessidade de configurar e operar a infraestrutura necessária para os repositórios. Os pipelines de implementação funcionam com o registro de artefatos e os repositórios de registro de imagens de contêiner para fornecer artefatos para as implementações repetíveis do seu software. Comece hoje mesmo! As equipes querem se concentrar no desenvolvimento de recursos, e não no processo de implementação de software. A criação de um processo repetível para implementar software permite que sua equipe libere recursos com mais frequência para os clientes. A automação das etapas de uma implementação significa que sua equipe gasta menos tempo executando uma implementação. O uso de um pipeline de implementação para entregar e testar nos ambientes antes da produção permite que você encontre erros antes que eles alcancem a produção, além de fornecer as ferramentas para tornar suas implementações rotineiras. O DevOps está incluído em todas as locações da OCI e seu uso é gratuito para automatizar as implementações. Comece com o serviço OCI DevOps usando nossos exemplos de arquitetura de referência para implementar um serviço Hello World em hosts de computação, clusters Kubernetes ou funções. Saiba mais para começar hoje e inscreva-se no Modo Gratuito da Oracle Cloud para experimentar o Oracle Cloud Infrastructure DevOps. Estamos ansiosos para receber seu feedback sobre o DevOps. Que todas as suas implementações sejam bem-sucedidas! *Jonathan Schreiber é Gerente Principal de Produtos da Oracle

Lançamento inclui pipelines de implementação para que os desenvolvedores automatizem as implementações de software em plataformas OCI: instâncias de computação, clusters Kubernetes e funções. Por...

Inovação

Fique por dentro de tudo o que aconteceu no Oracle Fest

Festival contou com a participação de grandes vozes do mercado que trouxeram as últimas tendências e soluções que estão transformando as organizações neste novo normal. O Oracle Fest contou com mais de 90 palestrantes entre os dias 29 de junho e 1° de julho. Ao longo de três dias, o festival digital multiplataforma da Oracle abordou uma variedade de assuntos relacionados às indústrias de varejo, serviços financeiros e manufatura. Quem acompanhou o evento de tecnologia, inovação e transformação dos negócios pôde conferir mais sobre algumas das principais transformações que vêm acontecendo nas áreas de Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas, TI, entre outras. -Leia mais: O novo Oracle Support Rewards torna ainda mais fácil usar a Oracle Cloud Dia 1 Em seu primeiro dia, focado em Varejo, o Oracle Fest trouxe apresentações de nomes como Sérgio Serapião, CEO da Labora, Sebástian Barrios, vice-presidente de tecnologia do Mercado Livre, Christian Seidl, Digital Commerce Manager da Grendene, Diego Miguel Ramón, Gerente de Cadeia de Suprimentos da OXXO Chile, Davi Strazza, Presidente da Adyen, e Alejandra Mustakis, Empreendedora e ex-presidente da ASECH. A sessão de encerramento contou com Gabriela Prioli, advogada e apresentadora da CNN Brasil. Dia 2 Dedicado ao setor de Serviços Financeiros, o segundo dia do evento reuniu nomes como Thiago Alvarez, fundador e CEO do Guiabolso, Cesar Nottaro, CIO da Reale Seguros Chile, e Juliana Sandano, Superintendente Executiva do Ciclo de vida do cliente, no Banco Original. A programação de 30 de junho teve ainda Gustavo Torres, Chief Innovation and Experience do C6 Bank, com a palestra “Entender antes de inovar”, e Carolina Serra, General Manager & CHRO do BID, falando sobre ESG na prática. A última sessão do dia apresentou Juan David Aristizábal, cofundador da ProTalento, falando sobre perspectivas e facilitadores para a transformação da América Latina. Dia 3 O terceiro e último dia do Fest, com enfoque na indústria de Manufatura, trouxe apresentações de nomes como Luiza Trajano, Presidente do Conselho do Magazine Luiza, Alexandre Ullman, Diretor de RH do LinkedIn, Gustavo Hernando, Senior Corporate Manager de TI da Arcos Dorados, e Edu Lyra, CEO da ONG Gerando Falcões. O encerramento do Oracle Fest trouxe a aguardada palestra de Simon Sinek, autor de livros de sucesso como “Comece pelo Porquê” e “O Jogo Infinito” e reconhecido mundialmente por suas visões inovadoras sobre liderança e negócios. Confira abaixo alguns dos principais momentos de destaque do Oracle Fest em um vídeo especial!

Festival contou com a participação de grandes vozes do mercado que trouxeram as últimas tendências e soluções que estão transformando as organizações neste novo normal. O Oracle Fest contou com mais de...

Inovação

5 dicas para usar storytelling no seu dia a dia a partir de agora

Colocar todas as fichas apenas em números, planilhas e metas pode não ser a melhor estratégia na hora de vender a sua solução. Por Isadora Mattos e Marcelo Facchinato* Nós do time de inovação da Oracle trazemos o recurso do Storytelling na maior parte das nossas interações, seja com o nosso cliente interno ou externo. Acreditamos na frase de Antônio Damasio, que em tradução livre, nos conta que: “Emoções, sentimentos e biologia influenciam no que acreditamos ser a razão humana. Não somos máquinas de pensar. Somos máquinas de sentir que pensam.” -Leia mais: Inovação não é um termo, é todo um idioma Sentimentos comem “racionalidade” no café da manhã. Colocar todas as fichas apenas em números, planilhas e metas pode não ser a melhor estratégia na hora de vender a sua solução. Quando se deparar com uma apresentação de trabalho que é um tanto complexa, pergunte-se: como isso pode se tornar uma história envolvente? Às vezes surge aquela pulga atrás da orelha: como eu transformo temas que são naturalmente cheios de números, dados e conceitos abstratos em uma narrativa fluida e linear? Bom, sugerimos que comecem por estes 5 passos que são parte de um workshop que fazemos para os nossos clientes, para desbloquear meios mais criativos de engajar suas audiências por meio da emoção. 1- Tenha clareza no seu ponto principal Não existe história sobre nada. Sempre começamos de uma opinião, uma ideia ou um fato. Não é à toa que todo o filme tem uma “moral da história”. Esse é o ponto de vista que o autor apresenta por meio da sua obra. Portanto, logo no início se pergunte: qual é o grande objetivo de contar essa história? Assim podemos escolher os melhores argumentos que guiarão o interlocutor ao entendimento desse ponto de vista. Se não prestarmos atenção, essa é a hora em que colocamos aquela montanha de informações desnecessárias que mais atrapalham do que ajudam – em especial nas apresentações executivas. Segundo um estudo da Millward Brown, quanto mais mensagens têm uma peça criativa (comercial, anúncios etc.), menos a audiência entende qualquer uma delas. A velha expressão é verdadeira: menos é mais. Entenda o seu ponto de vista para trazê-lo da forma mais clara e simples possível. 2 – Encontre seu inimigo Toda boa história tem um mocinho e um vilão. Um embate entre o bem e o mal, mesmo que seja representado de formas abstratas ou sobrepostas. Isso se deve ao fato de que boas histórias são aquelas que nos fazem experimentar várias emoções. Escolha o seu vilão, defina o problema que você quer atacar. No mundo executivo pode ser um processo complexo, um concorrente ou até o tempo no qual as tarefas são executadas. 3 - Crie uma narrativa, não uma lista de afazeres Uma história só nos prende quando a narrativa, além de interessante, é construída para nos deixar fisgados durante horas na frente da televisão. Essa é a dinâmica das séries e filmes de hoje em dia: se a história esfria, o telespectador vai direto para as redes sociais no celular. Por isso, entender a estrutura em que essas narrativas são arquitetadas é uma boa sacada para melhorar a sua habilidade em storytelling. A moral da história é o que está pode trás de uma estrutura que foi cuidadosamente construída para te envolver e convencer de que o ponto de vista do autor é pertinente. Vale lembrar que nada deve acontecer de forma aleatória dentro de uma história. Ele acontece por um motivo e para dar lugar ao ponto seguinte. Um ótimo exemplo de como fazer isso é o vídeo do publicitário mais famoso do universo das séries, Don Draper, na cena clássica do carrossel de fotos. Clique aqui para assistir 4 - Seja simples O título já diz tudo. Ideias complexas, esquemas complicados, siglas que ninguém conhece. Se a sua audiência não te entende, pouco ela se importa com a sua ideia. Estudos recentes trazem evidências sobre o uso desnecessário da complexidade. Segundo artigo disponibilizado na plataforma Coglode, por meio de uma experiência com alimentos com nomes complexos, as pessoas confiam menos em termos que parecem “técnicos demais” do que aqueles que parecem mais simples e direto ao ponto. Você pode ver a pesquisa completa aqui. 5 - Tudo tem uma história, você só precisa encontrar a sua “Fique de olho no homem, e não no cachorro”. É a frase de impacto que vemos nesse vídeo do cientista Neil deGrasse Tyson. Quem lê essa frase antes de assistir ao vídeo acha que o tema se trata de um estudo sobre cães ou alguma ciência relacionada aos mamíferos. Mas ela é impactante porque explica de maneira simples e objetiva a diferença entre temperatura e clima, relacionando esses dois temas ao combate do aquecimento global. Neil poderia passar horas tentando nos provar por meio de dados, gráficos, cartografias o seu ponto de vista. O resultado provavelmente seria um monte de gente sabendo que o tema é importante, mas bocejando ao mesmo tempo. Ao invés disso, ele escolhe usar uma metáfora linguística e visual, retratando um homem e um cachorro andando lado a lado. Similares, mas ao mesmo tempo absolutamente diferentes. O reforço visual das linhas coloridas que os acompanham graficamente na areia ajuda a complementar o entendimento de que aquilo é um gráfico, mesmo que de maneira lúdica e que todo mundo consegue se conectar. Da próxima vez que precisar contar uma história a alguém, lembre-se desses 5 passos, e faça o checklist. *Isadora Mattos e Marcelo Facchinato são Consultores de Inovação da Oracle na América Latina

Colocar todas as fichas apenas em números, planilhas e metas pode não ser a melhor estratégia na hora de vender a sua solução. Por Isadora Mattos e Marcelo Facchinato* Nós do time de inovação da Oracle...

Inovação

Podcast: Melhores práticas, próximas práticas

Último episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, fala sobre o estado da nuvem e o futuro da tecnologia. O estado da nuvem no Brasil, os potenciais desafios de sua implementação nas empresas e o futuro da tecnologia. Esses são alguns dos principais tópicos abordados no terceiro e último episódio da série de podcasts “Cloudly: a história da nuvem e a sua força transformadora nos negócios”, produzida em parceria com o MIT Sloan Review Brasil e com apoio da Intel. Intitulado “Melhores Práticas, Próximas Práticas”, o programa final traz entrevistas com Marcos Pupo, Vice-Presidente Sênior de Cloud da Oracle; Guilherme Godoy, Diretor Sênior de Cloud na Oracle; e Marcelo Christianini, Diretor Sênior de Cloud Engineering da Oracle, além de contar com a participação de outros especialistas do mercado quando o assunto é tecnologia e computação em nuvem. -Leia mais: Podcast: Evolução da Nuvem, a Segunda Geração “Talvez no passado ainda poderia ter discussão, mas hoje em dia vejo que as empresas possuem um entedimento pleno de que se elas nâo estiverem emabrcadas na tecnologia, se a tecnologia não fizer parte do modelo de negócios delas de alguma maneira, dificilmente elas vão ter alguma longevidade”, explica Pupo. O executivo ainda destaca que vê o processo de transformação digital mais como um processo de mudança de cultura do que de tecnologia. “A tecnologia está acessível para todo mundo, e a capacidade da empresa mudar o seu mindset, o pensamento ágil, estar sempre aprendendo, mudar modelos de negócios, falhar. Ou seja, incentivar a falha, o fracasso. Acho que muitos dos modelos de medição das empresas ainda ainda não incentiva isso. Então acho que ainda tem um aspecto cultural que é uma jornada.” Ficou curioso? Então clique no player abaixo para escutar o programa inteiro.

Último episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, fala sobre o estado da nuvem e o futuro da tecnologia. O estado da nuvem no Brasil, os potenciais...

Inovação

Saiba mais sobre as inovações da manufatura no Oracle Fest

Indústria terá destaque no terceiro e último dia do evento digital, 1º de julho. Especialistas falarão sobre Indústria 4.0 e como o machine learning, robotização, e outras ferramentas de inovação estão impactando o setor. Entre 29 de junho e 1º de julho, o Oracle Fest vai tratar das transformações pelas quais vêm passando áreas como Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas e TI, entre outras. No total, o evento digital multiplataforma receberá mais de 90 grandes nomes do mercado ao longo dos seus trê sidas, que serão dedicados cada um a uma indústria: varejo (29 de junho), serviços financeiros (30 de junho) e manufatura (1º de julho). As palestras dedicadas à indústria de manufatura acontecerão no terceiro e último dia do Oracle Fest, 1º de julho. Nesta data, Alexandre Ullman, do LinkedIn, vai falar sobre como a área de RH das empresas passou a lidar com o aumento exponencial do formato home office desde o início da pandemia. No mesmo dia, Gustavo Hernando, da Arcos Dourados da Argentina, apresentará todas as vantagens da transformação digital na nuvem, enquanto que Alexandre Quinze da Vedacit, vai trazer as últimas inovações no setor da construção civil, e Alexanre Carvalho, da Bom Futuro, falará sobre Agricultura 4.0 e o papel da tecnologia na cadeia produtiva. Além disso, o terceiro dia do evento também terá apresentações aguardadas de nomes como Luiza Trajano, Presidente do Conselho do Magazine Luiza, e de Edu Lyra, fundador e CEO da ONG Gerando Falcões. Simon Sinek Um dos palestrantes de maior destaque do festival, Simon Sinek fará sua apresentação com exclusividade no último dia do evento, 1 de julho. Autor de “Comece pelo Porquê” e “O Jogo Infinito” e criador do Golden Circle, Simon mostrará suas visões inovadoras sobre liderança e negócios, além de debater sobre as lutas enfrentadas por muitas organizações que jogam com uma mentalidade finita em um jogo infinito. Clique aqui para se inscrever na palestra de Simon Sinek! Programação Confira abaixo alguns dos palestrantes que estarão no Oracle Fest em 1º de julho e confira a agenda completa do evento clicando neste link. Inscreva-se e garanta a sua vaga! Oracle Fest – Dia 3 (1º de julho)  - Manufatura -Simon Sinek (EUA) – Autor -Luiza Trajano (Brasil) – Presidente do Conselho do Magazine Luiza   -Edu Lyra (Brasil) – ONG Gerando Falcões -Alexandre Ullman (Brasil) – Diretor de RH do LinkedIn -Gustavo Hernando (Argentina) – Sr Corporate IT Manage da Arcos Dourados -Alexandre Quinze (Brasil) – CEO Vedacit -Wladimir Pazmiño (Ecuador) – Consumer and Customer Service Manager da Pronaca -Patricia Fumagalli (Brasil) – VP of Digital Transformation da Ânima Educação

Indústria terá destaque no terceiro e último dia do evento digital, 1º de julho. Especialistas falarão sobre Indústria 4.0 e como o machine learning, robotização, e outras ferramentas de inovação...

Inovação

Descubra o futuro dos serviços financeiros no Oracle Fest

Em constante evolução, o setor de serviços financeiros será o tema do segundo dia do Oracle Fest, quando serão abordados temas como Open Banking, meios de pagamento e a importância da nuvem híbrida e da multicloud para o segmento. Entre 29 de junho e 1º de julho, o Oracle Fest vai tratar das transformações pelas quais vêm passando áreas como Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas e TI, entre outras. No total, o evento digital multiplataforma receberá mais de 90 grandes nomes do mercado ao longo dos seus trê sidas, que serão dedicados cada um a uma indústria: varejo (29 de junho), serviços financeiros (30 de junho) e manufatura (1º de julho). As palestras dedicadas ao setor de serviços finaneiros acontecerão no segundo dia do Oracle Fest, 30 de junho. Nesta data, Juan David Aristizábal, cofundador da ProTalento, vai falar sobre como o empreendedorismo, a educação e a tecnologia, aliados a uma visão clara para a região, podem levar à maior transformação econômica e social da América Latina. No mesmo dia, Thiago Alvarez, fundador e CEO do Guia Bolso, mostrará como podemos ser bem sucedidos com o Open Banking, enquanto Cesar Nottaro, CIO da Reale Seguros Chile, vai revelar como foi possível abrir uma seguradora tradicional em apenas 8 meses. E Juliana Sandano, do Banco Original, vai mostrar o que está por trás do Costumer Centric e como a mudança de cultura das organizações é percebida pelo cliente. Além disso, Gustavo Torres, Chief Innovation and Experience do C6 Bank, vai apresentar uma palestra intitulada “Entender antes de inovar”, em que falará sobre como inovar vai além de transformar o modelo de negócio apoiado em tecnologia e processos melhores. Simon Sinek Um dos palestrantes de maior destaque do festival, Simon Sinek fará sua apresentação com exclusividade no último dia do evento, 1 de julho. Autor de “Comece pelo Porquê” e “O Jogo Infinito” e criador do Golden Circle, Simon mostrará suas visões inovadoras sobre liderança e negócios, além de debater sobre as lutas enfrentadas por muitas organizações que jogam com uma mentalidade finita em um jogo infinito. Clique aqui para se inscrever na palestra de Simon Sinek! Programação Confira abaixo alguns dos palestrantes que estarão no Oracle Fest em 30 de junho e confira a agenda completa do evento clicando neste link. Inscreva-se e garanta a sua vaga! Oracle Fest – Dia 1 (30 de junho)  - Serviços Financeiros -Juan David Aristizábal (Colômbia) - Cofundador da ProTalento -Ricardo Rocha (Brasil) – Professor do Insper   -Guillermo Calabrese (Argentina) – Technology Principal Manager da Red Link -Thiago Alvarez (Brasil) – Fundador e CEO do Guia Bolso -Nelson Rojas (Chile) – Commercial Engineer and Auditor Accountant de Caja Los Andes  -Juliana Sandano (Brasil) – Executive Superintendent of Customer Life Cycle do Banco Original -Cesar Alonso Nottaro (Chile) – CIO da Reale Seguros -Gustavo Torres (Brasil) – Chief of Innovation and Experience do C6 Bank -Rodrigo Furiato (Brasil) – Wallet Country Head do Mercado Pago

Em constante evolução, o setor de serviços financeiros será o tema do segundo dia do Oracle Fest, quando serão abordados temas como Open Banking, meios de pagamento e a importância da nuvem híbrida e...

Inovação

Conheça as novas tendências do varejo no Oracle Fest

O setor de comércio varejista vive transformações profundas e os palestrantes do evento trarão à tona pautas relevantes como e-commerce, fidelização e reinvenção na pandemia. Entre 29 de junho e 1º de julho, o Oracle Fest vai tratar das transformações pelas quais vêm passando áreas como Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas e TI, entre outras. No total, o evento digital multiplataforma receberá mais de 90 grandes nomes do mercado ao longo dos seus trê sidas, que serão dedicados cada um a uma indústria: varejo (29 de junho), serviços financeiros (30 de junho) e manufatura (1º de julho). As palestras dedicadas ao setor de varejo acontecerão todas no primeiro dia do Oracle Fest, 29 de junho. Nesta data, Gabriela Prioli, apresentadora da CNN Brasil, fará uma profunda reflexão sobre como as transformações dos fatos, nos últimos anos, impactaram o mundo em que vivemos, apresentando suas ideias, visōes e conceitos diferentes, para que você forme os seus. No mesmo dia, Sérgio Serapião, CEO da Labora, vai tratar do tema “Como a tecnologia pode revolucionar a reinserção dos 50+ no mercado” enquanto que Sebástian Barrios, CIO do Mercado Libre, vai palestrar sobre o tema “Como as empresas se reinventaram rapidamente na pandemia”. Christian Silva, da Grendene, trará ao palco do festival, as últimas tendências do e-commerce. Já Carlos Gonzalez, Líder em inovação da Oracle para o México e a América Latina, vai revelar como os assistentes digitais estão melhorando o relacionamento com colaboradores e clientes. Simon Sinek Um dos palestrantes de maior destaque do festival, Simon Sinek fará sua apresentação com exclusividade no último dia do evento, 1 de julho. Autor de “Comece pelo Porquê” e “O Jogo Infinito” e criador do Golden Circle, Simon mostrará suas visões inovadoras sobre liderança e negócios, além de debater sobre as lutas enfrentadas por muitas organizações que jogam com uma mentalidade finita em um jogo infinito. Clique aqui para se inscrever na keynote de Simon Sinek! Programação Confira abaixo alguns dos palestrantes que estarão no Oracle Fest em 29 de junho e confira a agenda completa do evento clicando neste link. Inscreva-se já e garanta a sua vaga! Oracle Fest – Dia 1 (29 de junho)  - Varejo -Gabriela Prioli (Brasil)  – Apresentadora da CNN Brasil   -Sebástian Barrios (Argentina) – CIO do Mercado Libre   -Márcia Monteiro (Brasil) – Editora-Chefe do Globo Reporter e Fundadora da Geração Ilimitada Estudos e Palestras   -Marta Villalobos (México) – Subdirectora de CRM&BI da Fesa   -Ramón González (México) – Sub-director Fármacos Nacionales   -Christian Silva (Brasil) – Digital Commerce Manager da Grendene   -Davi Strazza (Brasil) – Presidente para América Latina da Adyen   -Jorge Alberto França Proença (Brasil) - Head IT Digital, Grupo Pão de Açúcar   -Laura Saldarriaga Cano (Colômbia) - Jefe de Planeación Financiera, Almacenes Flamingo

O setor de comércio varejista vive transformações profundas e os palestrantes do evento trarão à tona pautas relevantes como e-commerce, fidelização e reinvenção na pandemia. Entre 29 de junho e 1º de...

Transformação na TI

O novo Oracle Support Rewards torna ainda mais fácil usar a Oracle Cloud

O Oracle Support Rewards torna mais fácil para as empresas reduzirem a conta de suporte de tecnologia, podendo chegar até zero. É simples: para cada dólar que você usar na OCI, ganhará US$ 0,25 em Support Rewards. Por Clay Magouyrk* Muitos de vocês usam os produtos da Oracle há muitos anos no centro das suas operações de TI. Agradecemos a sua confiança em nós e a levamos muito a sério. Embora normalmente falemos muito sobre nossos investimentos no lado da tecnologia, reconhecemos que o lado dos negócios é igualmente importante. Nos últimos cinco anos, temos reconstruído continuamente a forma como fazemos negócios. Estreamos a Oracle Cloud Infrastructure (OCI) com preços baixos que são fáceis de entender. Estamos apoiando seu uso da OCI com SLAs de ponta a ponta e suporte ao cliente totalmente integrados à equipe de engenharia da OCI. -Leia mais: Oracle amplia portfólio de serviços Always Free da Oracle Cloud Também introduzimos programas como o Universal Credits que oferece descontos flexíveis em todos os serviços da OCI e Oracle Cloud Lift, que oferece suporte de engenheiros de nuvem sem custos para te ajudar a planejar, migrar e entrar em operação na OCI. A resposta a estes programas foi positiva, e eu encorajo você a conversar com seu representante da Oracle para saber mais sobre eles. Tenho o prazer de anunciar o nosso mais recente programa para clientes: Oracle Support Rewards. O Oracle Support Rewards torna mais fácil para os clientes reduzir a conta de suporte de tecnologia, podendo chegar até zero. É simples. Para cada dólar que você usar na OCI, ganhará US$ 0,25 em Support Rewards. Os clientes com Contrato de Licença Ilimitado ganham ainda mais: US$ 0,33 para cada dólar de consumo da OCI. As Support Rewards que você ganha podem ser usadas para reduzir sua conta de suporte de tecnologia - isto inclui produtos como Oracle Database, WebLogic e muito mais. Vejamos alguns exemplos: •    Digamos que tenha uma conta de suporte de tecnologia de US$ 1 milhão por ano. Se você migrar algumas novas cargas de trabalho para a OCI (gastando US$ 2 milhões em consumo da OCI), ganhará US$ 500.000 em recompensas. Depois de usar essas recompensas, sua conta de suporte cairia pela metade para US$ 500 mil por ano. •    Com a mesma conta de suporte de tecnologia (US$ 1 milhão por ano), se você migrar mais algumas novas cargas de trabalho para a OCI e gastar US$ 4 milhões em consumo da OCI, ganhará US$ 1 milhão em Support Rewards. A sua conta de suporte seria reduzida para US$ 0. •    Tem havido muito interesse em nossa Região Dedicada porque é uma ótima maneira de obter uma pilha completa de serviços em nuvem em seus próprios data centers. Digamos que você tenha uma conta de suporte de tecnologia de US$ 1,5 milhão por ano. Se você identificar algumas cargas de trabalho essenciais para mover a uma Região Dedicada e gastar US$ 6 milhões em consumo da OCI, você ganharia US$ 1,5 milhão em recompensas e sua conta de suporte de tecnologia voltaria a cair para US$ 0. É um prazer compartilhar que houve um forte interesse no programa Support Rewards: “Como líder em dados e análises, fornecer a melhor experiência ao cliente é extremamente importante para a Experian. Trabalhamos com a Oracle para muitos dos nossos principais sistemas on-premises, desde análise de dados de call center até relatórios financeiros”, disse Mervyn Lally, Diretor de Arquitetura Empresarial Global da Experian. “À medida que continuamos a adotar soluções em nuvem, o Oracle Support Rewards torna muito mais fácil para nós escolher a Oracle Cloud para o futuro destes sistemas. Acreditamos que trabalhar com a Oracle nos permitirá aprimorar ainda mais nossos recursos de processamento e análise de dados em nuvem e ajudar os milhões de consumidores e empresas que atendemos com nossas soluções inovadoras”. “Há mais de 20 anos, a Cognizant é parceira da Oracle para ajudar nossos clientes conjuntos a modernizar seus negócios e plataformas tecnológicas. Não somos apenas um parceiro da Oracle, mas também um cliente”, disse Anil Cheriyan, Vice-Presidente Executivo de Estratégia e Tecnologia. “O novo programa Oracle Support Rewards oferece a nós e aos nossos clientes fortes incentivos adicionais para mover cargas de trabalho para a Oracle Cloud Infrastructure”. - Cognizant “O Allegis Group é líder global em soluções de talentos. A Oracle nos ajudou a projetar uma estratégia robusta de adoção em nuvem que equilibra os benefícios para nossos usuários e nossos negócios, com a modernização imediata de aplicativos essenciais como o PeopleSoft e a adoção do SaaS ao longo do tempo. O programa Oracle Support Rewards nos permite continuar a usar investimentos em tecnologia existentes, reduzir drasticamente os custos e investir no futuro”. - Brian Lindner, Chief Information Officer, Allegis Group. Visualizar as suas Support Rewards é fácil. Basta acessar o seu console da OCI, clicar em “Gerenciamento de Contas” e “Support Rewards” para ver o dashboard. As recompensas são atualizadas automaticamente todo mês. A Oracle está profundamente empenhada em fazer com que você tenha sucesso na nuvem. Aguardamos o seu feedback sobre o programa Support Rewards. Todos os detalhes estão disponíveis na página da web de Support Rewards e os representantes da Oracle estão prontos para responder a quaisquer dúvidas que você tiver. *Clay Magouyrk é Vice-Presidente Executivo de Oracle Cloud Infrastructure Engineering

O Oracle Support Rewards torna mais fácil para as empresas reduzirem a conta de suporte de tecnologia, podendo chegar até zero. É simples: para cada dólar que você usar na OCI, ganhará US$ 0,25 em...

Transformação na TI

Oracle amplia portfólio de serviços Always Free da Oracle Cloud

Agora temos mais de 20 serviços/recursos Always Free (Uso Livre), o que coloca o portfólio Always Free da Oracle entre os mais generosos do mercado. Por Joby Menon* Estamos animados para anunciar a adição de mais 13 serviços Always Free (Uso Livre) ao Oracle Cloud – Free Tier (Modo Gratuito), permitindo que desenvolvedores e operadores aprendam e implementem cargas de trabalho na Oracle Cloud Infrastructure (OCI). O Oracle Cloud – Free Tier foi lançado em setembro de 2019, fornecendo serviços Always Free, como Computação, Armazenamento e Autonomous Database. Agora temos mais de 20 serviços/recursos Always Free nas seguintes categorias: Infraestrutura, Rede, Banco de Dados, Observabilidade e Gerenciamento e Segurança, o que coloca o portfólio Always Free da Oracle entre os mais generosos do mercado. Nossos 13 novos serviços Always Free complementam outros serviços Always Free já existentes, como VM de Computação,  Object Storage, Block Storage, Balanceador de Carga, Autonomous Data Warehouse (ADW) e Autonomous Transaction Processing (ATP). -Leia mais: 4 usos para aproveitar o Modo Gratuito da Oracle Cloud Por exemplo, agora você pode implementar um aplicativo APEX de baixo código (low-code), criar um site WordPress ou implementar um servidor Minecraft na OCI – tudo gratuitamente por um período ilimitado. Nossos serviços Always Free também podem ajudá-lo a aprender sobre os recursos da OCI que você pode escalar com uma conta da OCI paga no futuro. Todos os serviços e recursos do OCI Always Free estarão disponíveis para você desde que você tenha uma conta ativa da Oracle Cloud. Novos Recursos de Computação Always Free -Ampere A1 Compute: Para suportar a arquitetura Arm que vem aos servidores, a Oracle Cloud Infrastructure lançou instâncias Ampere A1 Compute na nuvem. A Oracle criou um ecossistema de desenvolvedores Arm para permitir que os desenvolvedores façam a transição, a criação e a execução de aplicativos nas instâncias da OCI Arm. Os processadores Ampere mais recentes usados na OCI executam a maioria das cargas de trabalho do servidor de forma mais eficiente do que os processadores legados. A única maneira de saber se as formas Ampere A1 Compute são certas para você é experimentá-las. A Oracle oferece os recursos Always Free Arm mais significativos (4 OCPUs, 24GB de Memória) no setor para permitir que os desenvolvedores criem e testem aplicativos significativos (não apenas demonstrações do tipo "Olá, mundo”). Novos Recursos e Serviços de Bancos de Dados Always Free Com o lançamento dos novos recursos do Always Free Autonomous JSON Database na Oracle Cloud, agora você pode executar até dois bancos de dados com sua escolha de tipos de carga de trabalho que variam de Autonomous Transaction Processing, Autonomous Data Warehouse e Autonomous JSON Database (novo). Ainda mais, agora você pode usar um serviço de nuvem de banco de dados NoSQL totalmente gerenciado projetado para operações de banco de dados que exijam respostas de latência de um único dígito milissegundo para consultas simples. -Autonomous JSON Database: O Oracle Autonomous JSON Database Always Free oferece os benefícios do Autonomous JSON Database pago da Oracle gratuitamente pelo tempo necessário. Autonomous JSON Database é um serviço de banco de dados de documentos na nuvem que facilita o desenvolvimento de aplicativos centrados no JSON e o tratamento de cargas de trabalho do JSON. Possui APIs de documento JSON simples, acesso SQL completo, dimensionamento sem servidor, transações ACID de alto desempenho e segurança abrangente. Como o serviço faz parte da família Oracle Autonomous Database, ele automatiza o provisionamento, a configuração, o ajuste, o dimensionamento, a aplicação de patches, a criptografia e o reparo do banco de dados, eliminando assim a maioria das tarefas de gerenciamento do banco de dados e, ao mesmo tempo, oferecendo disponibilidade extremamente alta e tempos de resposta de milissegundos de um único dígito. O Autonomous JSON Database Always Free fornece até 1 OCPU (compartilhado) e 20 GB de armazenamento, tornando-o adequado para uma ampla gama de aplicativos centrados em JSON de pequeno e médio porte. -NoSQL:  O Oracle NoSQL Database Cloud Service facilita para os desenvolvedores a criação de aplicativos usando modelos de banco de dados de documentos, colunas e valor-chave, oferecendo tempos de resposta previsíveis de milissegundos de um único dígito com replicação de dados para alta disponibilidade. O serviço oferece transações ACID, dimensionamento sem servidor, segurança abrangente e preços baixos de pagamento por uso, incluindo compatibilidade de 100% com o Oracle NoSQL Database local. Os recursos do NoSQL Always Free incluem até 133 milhão de leituras por mês, 133 milhão de gravações por mês e três tabelas com armazenamento de 25 GB por tabela. Clientes da Oracle Cloud, como a Airbus, usam o NoSQL Cloud Service por seu valor e promessa contínua de confiabilidade comprovada, flexibilidade e alto desempenho. Novos Serviços de Desenvolvimento de Aplicativos Always Free -Desenvolvimento de Aplicativos APEX: Com o novo Oracle APEX Application Development Always Free, os desenvolvedores novos e profissionais podem criar e implementar rapidamente aplicativos de baixo código na Oracle Cloud gratuitamente pelo tempo que precisarem. O Oracle APEX permite que os desenvolvedores criem aplicativos modernos orientados por dados de modo até 38x mais rápido do que a codificação. Os desenvolvedores podem obter o máximo dos ativos de dados criando aplicativos convergentes que integram dados relacionais, JSON, espaciais e gráficos. Eles podem extrair dados do Oracle Autonomous Database incluído ou de praticamente qualquer ponto final REST. Além disso, os desenvolvedores podem, opcionalmente, estender aplicativos incorporando plug-ins APEX Oracle e de terceiros ou adicionando lógica JavaScript, SQL e PL/SQL personalizada. O APEX Service Always Free oferece o Oracle APEX em execução na Oracle Cloud como um serviço com tudo incluído e totalmente gerenciado com até 1 OCPU (compartilhado) e 20 GB de armazenamento. Ele pode suportar aproximadamente 3-6 usuários acessando o serviço simultaneamente, além de um número ilimitado de aplicativos, contas de desenvolvedor e contas de usuário final. Novos Recursos e Serviços de Observabilidade e Gerenciamento Always Free -Log: O serviço de Log da OCI é um painel de vidro único altamente escalável e totalmente gerenciado para todos os logs em sua locação, fornecendo um recurso generoso de 10 GB por mês, desde que seja necessário. Ingestão de log e pesquisa também são gratuitos. O log fornece acesso a logs de Auditoria, Serviço e Personalizados de recursos da OCI. Esses logs incluem informações de diagnóstico críticas que descrevem como os recursos estão sendo executados e acessados. Você pode usar o poderoso mecanismo de pesquisa de logs para explorar logs. Você também pode tornar cada linha de log acionável em tempo quase real para agir, exportar ou arquivar seus logs para retenção indefinida com o suporte ao OCI Service Connector Hub. Os logs da OCI são criptografados “em voo”, ou seja, enquanto estão no processo de serem ingeridos no Log da OCI. Depois que os logs estão no sistema, eles são criptografados com criptografia em nível de disco para ambientes comerciais. Logs também são criptografados quando eles são arquivados, e enquanto estão em armazenamento, proporcionando assim um som sólido, a segurança do registro de relógio ao seu alcance. Para interoperabilidade, o OCI Logging usa o agente fluente Cloud Native Computing Foundation (CNCF) para ingestão de log e o padrão CNCF CloudEvents para eventos de log. -Service Connector Hub: O Service Connector Hub é um serviço gratuito que move dados entre seus serviços, tanto dentro da OCI quanto da OCI para ferramentas de terceiros. Ele move dados, como logs de Log, para serviços como Object Storage, Streaming e Monitoramento, para necessidades extras de processamento e armazenamento de conformidade. Ele aciona Funções para processamento de dados personalizados e envio de Notificações sobre alterações nos recursos da nuvem. O Service Connector Hub elimina a sobrecarga associada à criação e manutenção de aplicativos complexos para mover dados entre serviços. É totalmente gerenciado, durável e dimensionado para lidar com cenários de contrapressão do mundo real. Você pode usar o Service Connector Hub para integrar-se perfeitamente com ferramentas de terceiros para mais processamento e análise, armazenar dados no Object Storage para fins de conformidade, emitir métricas de logs com base em determinados critérios (Alarmes), processar dados em trânsito com Funções, Receber notificações sobre alterações nos recursos da nuvem e obter visibilidade total sobre a movimentação de dados. -Application Performance Monitoring (APM): O Application Performance Monitoring oferece quatro recursos distintos que permitem que administradores de aplicativos e engenheiros DevOps obtenham uma imagem verdadeira da experiência de cada usuário. O APM implementa um sistema de rastreamento distribuído robusto como um serviço, rastreando cada etapa de cada transação sem amostragem e sem agregação em aplicativos baseados em microsserviços e arquiteturas legadas de várias camadas. O APM fornece monitoramento do usuário final para rastrear as experiências reais de cada usuário final, o tempo todo, não importa onde e como eles acessam o aplicativo por meio de instrumentação do navegador, diagnóstico de sessão e combinação com rastreamento do lado do servidor. O monitoramento sintético ajuda desenvolvedores e operadores a se tornarem proativos, evitando problemas antes que os usuários sejam afetados. Você pode programar e executar scripts de monitores sintéticos para atender aos requisitos de disponibilidade do aplicativo e muito mais. O monitoramento do servidor permite que o APM colete métricas de qualquer componente envolvido na entrega de um serviço. A coleta de dados do APM é compatível com os padrões abertos nativos da nuvem, incluindo OpenMetrics e OpenTelemetry. A versão Always Free inclui 1,000 eventos por hora, permitindo que os usuários experimentem o serviço ou monitorem aplicativos de baixo volume, aproveitando os recursos de Rastreamento Distribuído, monitoramento do usuário final e monitoramento do servidor (atualmente, o Monitoramento Sintético não está incluído na opção Always Free. Novos Serviços de Rede e Infraestrutura Always Free -Balanceador de Carga Flexível: Com o Flexible Load Balancer da OCI, você não está mais restrito a formas ou escalas fixas do balanceador de carga de largura de banda com base apenas em padrões gerais de tráfego. Você pode escolher uma largura de banda mínima personalizada e uma largura de banda máxima opcional, em qualquer lugar entre 10 Mbps e 8,000 Mbps. A largura de banda mínima está sempre disponível e fornece prontidão instantânea para suas cargas de trabalho. A configuração opcional de largura de banda máxima pode limitar a largura de banda, mesmo durante picos inesperados, se você precisar controlar os custos. Com base nos padrões de tráfego de entrada, a largura de banda disponível aumentará do mínimo à medida que o tráfego aumentar. Nossas contas Always Free obtêm um balanceador de carga flexível com uma largura de banda mínima e máxima de 10 Mbps. -Balanceador de Carga de Rede Flexível: O Flexibe Networkd Load Balancer da OCI é uma solução de balanceamento de carga não roxa que executa balanceamento de carga de passagem das cargas de trabalho de camada 3 e camada 4 (TCP/UDP/ICMP). Ele oferece um endereço VIP regional escalável elasticamente que pode ser ampliado ou reduzido com base no tráfego do cliente sem necessidade de configuração de largura de banda mínima ou máxima. Ele também fornece os benefícios de alta disponibilidade de fluxo, endereço IP de origem e destino e preservação de portas. Ele foi projetado para lidar com padrões de tráfego voláteis e milhões de fluxos, oferecendo alto throughput, mantendo latência ultrabaixa. O Balanceador de Carga de Rede é otimizado para conexões de longa execução na ordem de dias ou meses, o que o torna mais adequado para seus aplicativos do tipo banco de dados ou WebSocket. -VPN Connect V2: As conexões VPN OCI usam protocolos IPSec padrão do setor por meio do serviço VPN Connect, também conhecido como IPSec VPN. O VPN Connect fornece uma VPN IPSec local a local entre sua rede local e sua rede virtual na nuvem (VCN). O conjunto de protocolos IPSec criptografa o tráfego IP antes que os pacotes sejam transferidos da origem para o destino e decriptografa o tráfego quando ele chega. Nossa nova oferta, VPN Connect V2, melhora a disponibilidade e a confiabilidade das conexões IPSec. Agora você pode usar duas conexões IPSEC gratuitamente para executar cargas de trabalho leves por um tempo indefinido. Novos recursos de segurança Always Free -Oracle Security Zones e Oracle Security Advisor: Você pode configurar e impor políticas de segurança automaticamente para compartimentos na Oracle Cloud Infrastructure usando o Oracle Security Zones e o Oracle Security Advisor. As Zonas de Segurança da Oracle incluem uma rica biblioteca de políticas para permitir o gerenciamento da postura de segurança na nuvem, para que os administradores possam garantir imediatamente que seus compartimentos estejam seguros. As Zonas de Segurança e o Supervisor de Segurança são gratuitos e, juntamente com outros recursos de segurança integrados da OCI, facilitam a criação de infraestrutura de nuvem de forma segura e automatizada. Com esses recursos, você pode se concentrar na construção de uma excelente experiência do cliente em seu software sem ter que se preocupar com os aspectos de segurança de suas ofertas. Ambos são classificados como serviços Always Free da OCI, fornecendo segurança de última geração para seus casos de uso, desde que você tenha uma conta ativa do Oracle Cloud. -OCI Bastion: O OCI Bastion é um serviço totalmente gerenciado que fornece acesso SSH seguro e efêmero aos recursos privados no OCI, eliminando a necessidade de implantar redes complexas ou saltar hosts para obter acesso a recursos privados. A autenticação e a autorização do usuário são integradas aos serviços do IAM, permitindo que os usuários autorizados se conectem de endereços IP específicos aos recursos de destino usando qualquer software ou protocolo suportado pelo SSH. O OCI Bastion é classificado como serviço Always Free da OCI e suporta 20 sessões por Bastion e 5 Bastions em cada locação. *Joby Menon é Diretor Sênior de Gerenciamento de Produto de Oracle Cloud Infrastructure - Free Tier e OCI Development User Experience

Agora temos mais de 20 serviços/recursos Always Free (Uso Livre), o que coloca o portfólio Always Free da Oracle entre os mais generosos do mercado. Por Joby Menon* Estamos animados para anunciar a...

Histórias de Sucesso

Marriott migra RH para a nuvem, à medida que funcionários e hóspedes retornam aos seus hotéis

A maior fornecedora mundial de quartos de hotel enviou seus funcionários para casa a 100 dias do lançamento do Oracle Fusion Cloud HCM. Hoje, a Marriott conta com todos os módulos disponíveis em 15 idiomas. Por Linda Currey * Karen Nelson jamais imaginou que iria liderar um projeto global de TI para a área de recursos humanos a partir da sua mesa de jantar. "Acho que nunca tinha passado tanto tempo na minha sala de jantar", relembra Nelson, vice-presidente sênior de Sistemas de Recursos Humanos e Remuneração da Marriott International. A Marriott estava usando sistemas de RH legados próximos do fim da vida útil, com contratos de serviço prestes a expirar. O status quo não era uma opção: as plataformas da rede hoteleira que estavam em vigor não iriam atender às demandas de longo prazo da força de trabalho global. Como resultado, quando a Marriott — a maior fornecedora mundial de quartos de hotel, operando 7.600 hotéis em 130 países — enviou seus funcionários para casa devido à pandemia, a equipe de Nelson estava a 100 dias do lançamento de um novo sistema Oracle Fusion Cloud Human Capital Management (HCM). Nelson compartilhou sua história com Steve Miranda, vice-presidente executivo de Desenvolvimento de Produtos Oracle Applications, em uma conferência virtual Oracle Live chamada "Construa o futuro dos negócios" no final de março. Gestão de crise A pandemia causou "uma parada brusca" nos planos de lançamento de Nelson durante quatro meses, enquanto os gerentes da Marriott ajudavam os funcionários a se ajustar ao trabalho em casa e elaboravam novas políticas de segurança para funcionários e hóspedes da rede hoteleira. A rede ativou seu "Marriot Global Cleanliness Council", um grupo de especialistas internos e externos que aplicaram as melhores práticas vigentes e os mais recentes dados científicos sobre como gerenciar os negócios da cadeia com segurança durante a pandemia. "Tivemos que passar a nos preocupar em como adquirir rapidamente suprimentos de limpeza em um curto período de tempo", diz Nelson, cuja equipe trabalhou em estreita colaboração com donos de propriedades e franqueados da rede Marriott. Leia mais: Braskem conta com Oracle Cloud HCM para humanizar processo e jornada do colaborador A equipe finalmente anunciou que a nova data de lançamento do Oracle Cloud HCM seria 26 de dezembro de 2020, reafirmando o plano de implementação "big bang", em que todos os módulos do HCM precisam entrar em produção ao mesmo tempo em todos os locais. Nelson lembra como o grande dia foi intenso. "Tínhamos mais de 700 pessoas ao redor do mundo sentadas em suas casas, com seus filhos e seus cachorros, nos dando apoio", diz ela. Desde o lançamento, os gerentes e funcionários da Marriott nos EUA têm usado uma gama completa de módulos de HCM para automatizar a organização: processos básicos de RH, recrutamento, folha de pagamento, controle de ausências, avaliação de desempenho, remuneração e aprendizagem. Todos os módulos estão disponíveis em 15 idiomas. "Até agora, recebemos feedbacks incríveis de nossos colaboradores", relata Nelson, com muitos funcionários usando as funcionalidades de autoatendimento do software. Ela diz que a equipe de RH está ansiosa para expandir o acesso ao novo sistema Oracle HCM, para que funcionários fora dos EUA possam aprender novas habilidades e expandir suas oportunidades de carreira na Marriott. Saiba mais sobre como a Marriott está lidando com a pandemia de COVID-19. * Linda Currey é redatora sênior na Oracle.

A maior fornecedora mundial de quartos de hotel enviou seus funcionários para casa a 100 dias do lançamento do Oracle Fusion Cloud HCM. Hoje, a Marriott conta com todos os módulos disponíveis em 15...

Transformação nos Negócios

Como melhorar os processos financeiros após 2020?

Os departamentos financeiros precisam lidar com questões que vão desde processos manuais sujeitos a erros à incerteza do tempo necessário para a recuperação da crise causada pela COVID-19. Um ERP em nuvem pode ser transformador, ajudando a automatizar e modernizar processos de negócios em todas as áreas. Por Navneet Goel * O ano de 2020 gerou desafios sem precedentes para todos, incluindo equipes de finanças que tiveram que, pela primeira vez, realizar grande parte do seu trabalho remotamente. Esse grande ajuste instantâneo ao trabalho remoto agravou problemas antigos em processos financeiros. Segundo uma pesquisa realizada pela Forrester Consulting com 336 executivos de TI e finanças do mundo todo, 90% dos entrevistados relataram problemas com seus processos de fechamento em 2020. Os obstáculos mais comuns relatados foram: Processos manuais propensos a erros: sinalizado por 44% dos entrevistados, esse tipo de atividade, muitas vezes envolvendo planilhas e combinações complexas de outros softwares, retarda as operações financeiras e costuma causar retrabalho. Sistemas de ERP excessivamente complexos: o uso de vários ERPs de fornecedores diferentes pode facilmente levar a confusão, processos em silos e dificuldade de colaboração entre as equipes. Largura de banda insuficiente para projetos estratégicos: muitos CFOs gastaram mais tempo rastreando informações financeiras em ambientes de ERP complicados (17% de suas semanas de trabalho, de acordo com a pesquisa da Forrester) do que na estratégia de negócios (apenas 12%). Esses desafios não se limitam ao fechamento financeiro. Para muitas empresas, os processos financeiros ainda não são automatizados ou padronizados, levando a demora na entrada (e reentrada) de dados para reconciliações, reclassificações e ajustes. Leia mais: Quer um planejamento de cenário eficaz? Veja o que é preciso Lidar com dados corrompidos e/ou desatualizados é outro obstáculo, uma vez que os vários sistemas envolvidos podem não ser atualizados em tempo real. As equipes de finanças podem não saber o que está sendo gasto até o momento de analisar documentos durante o fechamento — quando podem ainda estar à espera de informações de outros departamentos e precisar verificá-las novamente quanto à precisão. Os departamentos financeiros precisam lidar não apenas com essas questões profundas, mas também com a incerteza que persiste quanto ao tempo que levará para se recuperarem da crise causada pela pandemia do coronavírus. Felizmente, existem ferramentas confiáveis para ajudar as empresas a superar esses desafios. Construindo processos financeiros melhores para a década de 2020 Processos financeiros melhores exigem automação e funcionalidades novas e avançadas. Um ERP em nuvem pode ser transformador. Ele pode ajudar você a automatizar e modernizar processos de negócios em todas as áreas, reduzindo a complexidade e os seus custos. Se você estiver em busca de um novo ERP, procure estas características principais: Uma solução completa desde o início Começar a usar o Oracle Fusion Cloud é mais fácil do que em configurações mais complexas envolvendo vários fornecedores, que geralmente exigem ampla consultoria antes que os usuários finais possam fazer qualquer coisa além de usar um kit ou modelo inicial. Ter uma plataforma abrangente desde o início capacita os usuários e economiza dinheiro. Automação inteligente As funcionalidades de automação dos aplicativos da Oracle Cloud ajudam você a simplificar processos para soluções de ERP na nuvem e locais. Regras configuráveis e lógica de contabilidade aplicada automaticamente reduzem o risco de erro humano, ao mesmo tempo que aceleram o trabalho da equipe financeira no dia a dia. Flexibilidade para acomodar mudanças Os processos financeiros estão sempre evoluindo em resposta a mudanças no ambiente de negócios. Eventos como a pandemia de COVID-19 ressaltam a importância de ter uma solução financeira ágil, capaz de suportar rapidamente novos modelos, conforme necessário. De modo geral, o Oracle Fusion Cloud Enterprise Resource Planning (ERP) oferece relatórios e análises melhores, processos mais eficientes e mais automação. Ele oferece também uma visão mais completa do negócio, graças a recursos como o hub de contabilidade e a gestão de dados corporativos. Se o seu novo ERP em nuvem estiver sendo executado em conjunto com sistemas de ERP mais antigos, ele é capaz de harmonizar todos esses dados em um único livro-razão geral — e pode ser facilmente dimensionado para suportar mais pessoas jurídicas, subsidiárias e novas aquisições. Saiba mais sobre o Oracle Cloud ERP. * Navneet Goel é sócio-gerente e vice-presidente executivo da Inspirage. Ele é responsável pela gestão e crescimento da área de cadeia de valor. Navneet é um dos maiores especialistas no campo da gestão da cadeia de suprimentos, com experiência em projeto, desenvolvimento, implementação e suporte de soluções globais de cadeia de suprimentos de grande escala para empresas da Global Fortune 500 em várias áreas de SCM.

Os departamentos financeiros precisam lidar com questões que vão desde processos manuais sujeitos a erros à incerteza do tempo necessário para a recuperação da crise causada pela COVID-19. Um ERP em...

Setor Público

Mapeando o caminho para a segurança nacional com as tecnologias geoespaciais avançadas da Oracle

Com foco em inovação nos produtos para atender às necessidades cada vez mais complexas dos clientes, a Oracle recebeu o título de Empresa de Tecnologia Geoespacial do Ano em 2020, concedido pelo Fórum Mundial Geoespacial. Por Mark Tatum * Tecnologias geoespaciais são cruciais para a nossa compreensão do mundo ao nosso redor. Especialmente no espaço de segurança nacional, essas tecnologias são de missão crítica. Com mais de duas décadas de experiência em tecnologia geoespacial, a Oracle está focada em inovar proativamente nossos produtos para atender às necessidades cada vez mais complexas de nossos clientes. 2020 apenas acentuou nosso foco, ganhando à Oracle o título de Empresa de Tecnologia Geoespacial do Ano pelo Fórum Mundial Geoespacial, selecionado por um distinto painel de especialistas geoespaciais. Este reconhecimento reafirma a nossa liderança e visão. À medida que as necessidades de nossos clientes evoluem, as ofertas geoespaciais da Oracle continuarão a evoluir também, ajudando líderes em segurança nacional e outros espaços a prever, planejar e gerenciar mudanças. Inovações em tecnologias espaciais e gráficas Compreender a agitação social, a proliferação de armas e o terrorismo impulsionou inovações na análise gráfica e na análise de links. A disseminação do COVID-19, o rastreamento de contatos e a distribuição de recursos trouxeram a vinculação de espaço e gráfico a todos os setores do governo federal, incluindo a segurança nacional. A tecnologia geoespacial permite medir o mundo de forma detalhada, precisa e econômica, permitindo que as autoridades governamentais e de saúde planejem e prevejam apropriadamente para locais específicos. Por exemplo, a Oracle introduziu recentemente APIs de rastreamento de contatos para ajudar os funcionários a comparar as faixas e o histórico de contatos das comunidades, permitindo que as autoridades de saúde pública identifiquem pessoas que podem ter sido expostas umas às outras. A distribuição de vacinas é apoiada por tecnologias espaciais que ajudarão agências governamentais e instituições de saúde a localizar grupos prioritários, como profissionais de saúde e lares de idosos. Estas ferramentas também serão cruciais para alcançar comunidades rurais mais remotas. Leia mais: Os clientes da Oracle tornam o mundo um lugar melhor Tecnologias espaciais e a nuvem Há muito que temos a visão de que o processamento e a análise espacial seriam gravados em todas as ofertas do Oracle, disponíveis em serviços de nuvem, aplicativos e ferramentas analíticas, para clientes de todos os setores. O Oracle Database inclui recursos analíticos e de vários modelos líderes do setor. A arquitetura de banco de dados convergente suporta vários modelos de dados, algoritmos e tipos de carga de trabalho. O Oracle incorpora recursos espaciais essenciais no Oracle Autonomous Database e no Autonomous Transaction Processing, serviços em nuvem autônomos, autosseguros e autorreparáveis que podem eliminar os erros humanos e de custos indiretos associados à administração tradicional do banco de dados. Isso, juntamente com a introdução do Oracle Spatial Studio, simplifica o desenvolvimento de aplicações espaciais e o uso da análise espacial para nossos clientes em todos os setores. Mapear o caminho a seguir As missões de segurança nacional dependem da tecnologia espacial para libertar o potencial dos mapas, imagens, análises espaciais, gráficos e informações demográficas associadas. Hoje, analistas e cientistas de dados estão incorporando IA e tecnologias espaciais baseadas em aprendizado de máquina que permitem previsões de localização e detecção de objetos ainda mais precisos em imagens de satélite e dados de sensores. As aplicações da tecnologia geoespacial são ilimitadas. A orientação espacial é fundamental para a nossa compreensão de pessoas e eventos. Não é apenas fundamental para aplicações de segurança nacional, mas o governo também conta com soluções geoespaciais para também aplicações de saúde, ambientais e agrícolas, entre outras. À medida que traçamos o caminho a seguir, a Oracle aguarda com expectativa a continuação da liderança em tecnologias geoespaciais para ajudar a explicar nosso mundo sempre conectado e ajudar os líderes governamentais a gerenciar as mudanças futuras. Para saber mais sobre tecnologia e soluções para missões de defesa e segurança nacional, acesse oracle.com/nationalsecurity. * Mark Tatum é vice-presidente de Cloud and Mission Technology na Oracle.

Com foco em inovação nos produtos para atender às necessidades cada vez mais complexas dos clientes, a Oracle recebeu o título de Empresa de Tecnologia Geoespacial do Ano em 2020, concedido pelo Fórum...

Inovação

Prepare-se para o futuro com o Oracle Fest

Nos dias 29 e 30 de junho e 1 de julho, venha ouvir o que Simon Sinek e mais de 90 palestrantes têm a compartilhar em um festival de inovação, tecnologia e transformação dos negócios. A COVID-19 acelerou a velocidade das mudanças, de forma que a transformação digital ganhou ainda mais importância para a resiliência e para o sucesso. Líderes com maturidade digital apresentam desempenho superior, com lucros até 5x maiores do que os líderes tradicionais. Agora, não basta viver só o presente. Você precisa estar habilitado também para o futuro. Pensando nisso, criamos o Oracle Fest, seu novo festival digital multiplataforma e gratuito, que vai deixá-lo pronto para encarar o próximo passo. Serão três dias de evento, com muitas horas de conteúdo debatidos por mais de 90 palestrantes de vários países do mundo, dos setores de Varejo, Manufatura e Serviços Financeiros. Eles irão discutir tendências e mudanças no Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas e TI. Conheça abaixo os destaques do line-up!   Presença de Simon Sinek! Um dos grandes nomes do séc XXI, pensador visionário e criador do Golden Circle, conceito mundialmente famoso. Conheça com exclusividade as visões inovadoras de Simon Sinek sobre liderança e negócios. E descubra como superar as lutas atuais enfrentadas por muitas organizações, na maioria das vezes, porque os líderes jogam com uma mentalidade finita em um jogo infinito. Gabriela Prioli (Brasil) – Apresentadora da CNN Brasil Mestre em direito penal pela USP, professora da pós-graduação em direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, especialista em política de drogas, foi sócia por 10 anos do escritório de direito criminal Toron, Torihara & Szafir, jornalista e apresentadora da CNN Brasil. Patricia Fumagalli (Brasil) – VP de Transformação Digital da Ânima Educação Executiva de desenvolvimento de negócios em tecnologia, trabalha há 20 anos com digital e serviços online. É formada em Administração pela Fundação Getúlio Vargas e possui um MBA pelo Insper. Trabalhou em multinacionais como Shell, GM e Telefônica Vivo, foi cofundadora da Digipix e atuou em startups nas áreas de educação e serviços. Juan David Aristizábal (Colômbia) – Cofundador da Pro Talento Reconhecido pela revista Forbes como um dos 30 nomes com menos de 30 anos que está mudando o mundo, possui 10 anos de experiência em mídia e tecnologia voltadas para a transformação de empresas. É professor da Escola de Estudos Superior de Administração (Cesa), onde trabalha com os temas de liderança e como se preparar para os empregos do futuro, e cofundador da Pro Talento. E ainda outras grandes vozes que irão discutir as tendências do mercado, liderança, educação, comportamento, empreendedorismo, diversidade e soluções que habilitam a transformação. -José Adolfo Quisocala (Peru) – CEO do Banco del Estudiante Bartselana -Otto Nogami (Brasil) – Economista e Consultor do Insper -Cesar Alonso Nottaro (Chile) – Diretor de TI na Reale Seguros -Carolina Serra (Brasil)– Gerente Geral de RH do BID - CHRO -Thiago Alvarez (Brasil) - CEO do Guia Bolso -Alexandre Quinze (Brasil) - CEO da Trutec/Vedacit Para se inscrever e acessar mais informações sobre o evento, acesse oracle.com/br/events/oracle-fest/

Nos dias 29 e 30 de junho e 1 de julho, venha ouvir o que Simon Sinek e mais de 90 palestrantes têm a compartilhar em um festival de inovação, tecnologia e transformação dos negócios. A COVID-19...

Transformação nos Negócios

Sistemas de gerenciamento de transporte têm papel central na luta contra as interrupções na cadeia de suprimentos

Pela 14a vez, Oracle é nomeada Líder pelo Gartner no Quadrante Mágico 2021 para Transportation Management Systems. Por Derek Gittoes * A pandemia de COVID-19 empurra as cadeias de suprimentos para o centro da atenção no ano passado, e as empresas estão buscando tecnologias para ajudar a criar processos de logística robustos e resilientes que apoiem o crescimento e o sucesso sustentáveis. A imensa ruptura dos últimos 12 meses enfatizou a importância crítica da reestruturação, transformação e evolução dos sistemas de cadeia de suprimentos, como as operações de transporte. Com as operações de logística e transporte continuando a desempenhar um papel cada vez mais importante na resiliência da cadeia de suprimentos e no crescimento dos negócios, estamos honrados que a Gartner reconheceu novamente a Oracle como líder em seu relatório do Quadrante Mágico 2021 para Transportation Management Systems1. Esta é a 14a vez que a Oracle é nomeada Líder em sistemas de gerenciamento de transporte (TMS, do inglês Transportation Management Systems) e, de 15 empresas avaliadas, fomos posicionados como Líderes com base na nossa visão e capacidade de execução do Oracle Fusion Cloud Transportation Management — parte do Oracle Fusion Cloud Supply Chain & Manufacturing (SCM). Uma cópia complementar do relatório está disponível aqui e uma cópia complementar do Gartner 2021 Critical Capabilities for Transportation Management Systems2 está disponível aqui. No relatório, a Gartner observou, "a tecnologia TMS está em alta. A última previsão da Gartner em TMS, em todo o mundo, estima que o mercado cresça de $1,32 bilhões para $2,11 bilhões (de 2019 a 2024). Esse é um crescimento de 60% em um período de cinco anos. Fatores como a necessidade de reduzir custos, melhorar a produtividade interna, a eficiência e o atendimento ao cliente, aumentar a visibilidade e fazer melhor uso da capacidade, estão impulsionando o crescimento do mercado até 2024.” Leia mais: Obtenha previsões precisas de tempo de trânsito com machine learning no Oracle Transportation Management O Oracle Transportation Management baseia-se em informações úteis e em tempo real fornecidas por tecnologias avançadas, como Internet das Coisas e inteligência artificial, para oferecer aos nossos clientes os recursos necessários para executar operações de logística e de transporte altamente eficientes. Com uma ampla gama de recursos abrangendo abastecimento, planejamento, definição de rotas, visibilidade do inventário, modelagem e gerenciamento de frota, o Oracle Transportation Management ajuda os clientes a reduzir os custos com frete, otimizar os níveis de serviço e automatizar os processos para aumentar a eficiência operacional. À medida que as interrupções relacionadas à logística continuam afetando as cadeias de suprimentos em todo o mundo, é mais importante do que nunca que as organizações tenham total visibilidade de suas operações de transporte, de modo que elas possam alterar rapidamente o curso para manter o fluxo de mercadorias em movimento. Esperamos continuar fornecendo aos nossos clientes as mais recentes capacidades de gerenciamento de transporte, para que eles possam estar preparados para os desafios e oportunidades que estão à frente. Baixe sua cópia complementar do Quadrante Mágico 2021 para Sistemas Transportation Management. 1 Gartner, Magic Quadrant for Transportation Management Systems, Bart A. De Muynck, Brock Johns, Oscar Sanchez Duran, Carly West, 30 March 2021 2 Gartner, Critical Capabilities for Transportation Management Systems, Bart A. De Muynck, Brock Johns, Oscar Sanchez Duran, Carly West, 30 March 2021 Este gráfico foi publicado pelo Gartner, Inc. como parte de um documento de pesquisa maior e deve ser avaliado dentro do contexto do documento como um todo. O documento do Gartner está disponível mediante solicitação à Oracle. O Gartner não endossa nenhum fornecedor, produto ou serviço descrito em suas publicações de pesquisa e não aconselha os usuários de tecnologia a selecionar apenas os fornecedores com as classificações mais altas ou outra designação. As publicações de pesquisa do Gartner consistem nas opiniões da organização e não devem ser interpretadas como afirmações de fato. O Gartner se isenta de todas as garantias, expressas ou implícitas, com relação a esta pesquisa, incluindo quaisquer garantias de comercialização ou adequação a uma finalidade específica. * Derek Gittoes é vice-presidente de Estratégia de Produtos para Supply Chain Management na Oracle.

Pela 14a vez, Oracle é nomeada Líder pelo Gartner no Quadrante Mágico 2021 para Transportation Management Systems. Por Derek Gittoes * A pandemia de COVID-19 empurra as cadeias de suprimentos para...

Histórias de Sucesso

Fundação Elos amplia foco nos negócios com apoio da Oracle

Com a Oracle Cloud Infrastructure, a entidade brasileira liberou recursos para focar mais nos negócios em vez de manutenção da infraestrutura. Com uma trajetória de quase 50 anos, a Fundação Elos é uma entidade de previdência complementar fechada constituída para oferecer segurança previdenciária para empregados da CGT Eletrosul. Localizado em Santa Catarina, na região Sul do Brasil, o fundo de pensão tem como missão principal ajudar os funcionários das patrocinadoras a constituírem uma reserva financeira para ter segurança no futuro. Atualmente, a pensão plana da instituição conta com pouco mais de 4.500 participantes. No total, cerca de 10 mil pessoas são vinculadas ao sistema da entidade – o número inclui o núcleo familiar dos segurados, que dependem dos benefícios que vão receber ou já recebem. Os ativos investidos da Fundação Elos totalizam quase R$4 bilhões. A excelência na gestão desses benefícios é possível por meio do trabalho da equipe de aproximadamente 30 colaboradores na estrutura da instituição, que inclui profissionais das áreas de Comunicação, Investimentos, Seguridade, Procuradoria, Riscos, Governança, TI e outras. -Leia mais: Banco Original melhora performance em 70% com Oracle Exadata Para superar o desafio de manter a administração desses ativos, a Fundação Elos optou pela Oracle Cloud Infrastructure (OCI) e contratou a camada de infraestrutura (IaaS) e de plataforma (PaaS). Com isso, conseguiu levar boa parte dos servidores físicos locais (on-premises) para a nuvem. Na camada de PaaS, foi feito um upgrade, já que a instituição usava a versão mais simples do banco de dados da Oracle (a Standard Edition) e passou a adotar a versão Enterprise Edition, que tem vários recursos habilitados (como o de segurança, por exemplo) e permite maior desempenho e melhor gerenciabilidade.

Com a Oracle Cloud Infrastructure, a entidade brasileira liberou recursos para focar mais nos negócios em vez de manutenção da infraestrutura. Com uma trajetória de quase 50 anos, a Fundação Elos é...

Transformação nos Negócios

Empresas confiam mais em robôs do que nos humanos para gerenciar dinheiro

Incerteza gerada pela pandemia da COVID-19 impulsiona mudanças no comportamento de executivos e consumidores. Por Emma Hitzke * Sua relação com o dinheiro mudou desde o início da pandemia global? De acordo com uma nova pesquisa global, a resposta para a maioria das pessoas é “Sim”. 67% das pessoas confiam mais nos robôs do que nos humanos para gerenciar suas finanças em âmbito pessoal e profissional. Money and Machines, o novo relatório elaborado pela Oracle e a especialista em finanças pessoais Farnoosh Torabi, pesquisou 9.000 executivos e consumidores em 14 países. Os resultados apontam para um futuro com menos transações em dinheiro vivo e novas áreas de foco para os profissionais de finanças. Leia mais: Estudo global: a adoção da IA mudará fundamentalmente a próxima geração de líderes financeiros Para CFOs e outros executivos, as implicações podem ser profundas, afetando suas funções, equipes e os modelos de negócios de suas organizações. A incerteza gerada pela pandemia estimula mudanças no comportamento O medo e a ansiedade que vieram na esteira da incerteza associada à pandemia estão mudando a forma como as pessoas interagem com o dinheiro. 90% dos executivos se preocupam com o impacto da COVID-19 em seus negócios, e 87% dos consumidores temem enfrentar problemas financeiros. As preocupações mais comuns dos executivos são: Recuperação lenta ou recessão (51%) Cortes orçamentários (38%) Falência (27%) Entre os consumidores, os principais receios são: Perda de emprego (39%) Perda da poupança (38%) Nunca sair da dívida (26%) Os consumidores também desenvolveram uma aversão ao dinheiro vivo. Quase três quartos (72%) dos consumidores afirmam que a pandemia mudou a forma como se sentem ao lidar com dinheiro vivo, e muitos enxergam o dinheiro como algo sujo, que gera estresse. Mais de um quarto (29%) dos consumidores dizem se recusar fazer transações em dinheiro vivo agora, o que está forçando executivos e empresários a repensar como comercializam bens e serviços. Executivos confiam mais em robôs do que nas suas próprias equipes Enquanto dois terços dos entrevistados disseram que confiam mais em robôs do que nos humanos, a porcentagem foi ainda maior entre executivos. 73% deles confiam mais num robô do que em si mesmos para gerenciar finanças e 77% confiam mais em robôs do que nas suas próprias equipes financeiras. Os profissionais de finanças devem ficar preocupados com um dado específico: metade (56%) dos executivos acredita que dentro de cinco anos os robôs terão substituído esses profissionais. Os entrevistados querem que os robôs lidem com tarefas como aprovações financeiras (43%), orçamento e previsão (39%), relatórios (38%) e gestão de conformidade e risco (38%). Em vez de trabalho transacional, os executivos querem que suas equipes de finanças se concentrem na comunicação com os clientes e na negociação de descontos. “Os robôs são ótimos com números e não têm uma conexão emocional com o dinheiro", disse Farnoosh Torabi, apresentadora do podcast So Money. “Isso não significa que os profissionais de finanças irão desaparecer ou serão totalmente substituídos, mas a pesquisa sugere que eles devem se concentrar no desenvolvimento de habilidades sociais para acompanhar a evolução na sua função.” Como as equipes de finanças podem se adaptar? O que isso significa para os profissionais de finanças? Há vários anos a Oracle vem colaborando com organizações profissionais entorno do tema de talentos na área financeira. Ash Noah, que comanda o programa CGMA na AICPA-CIMA, oferece este conselho: “As equipes de finanças precisam começar a usar suas habilidades para oferecer insights mais profundos que possam estimular ações, influenciar decisões e gerar valor para toda a empresa. Esse tipo de trabalho requer colaboração com equipes multifuncionais, profissionais de outras e, às vezes, liderança.” “Ano após ano os processos financeiros na esfera pessoal e profissional estão cada vez mais digitais, e os eventos de 2020 aceleraram essa tendência”, disse Juergen Lindner, vice-presidente sênior de Marketing para Cloud ERP na Oracle. “As organizações que não abraçarem essas mudanças correm o risco de ficar atrás de seus colegas e concorrentes, prejudicando a produtividade, a moral e o bem-estar dos funcionários. Elas terão dificuldade de atrair a próxima geração de talentos financeiros, que serão potencializados com IA.” Tanto os consumidores como as empresas reconhecem que a pandemia exacerbou os receios sobre o dinheiro e mudou profundamente a nossa relação com a gestão financeira. Não resta dúvidas de que o futuro das finanças será uma combinação de robôs e humanos trabalhando em conjunto para gerar resultados mais rápidos e eficientes do que jamais imaginamos ser possível. Para mais insights, leia o relatório completo, "Money and Machines". * Emma Hitzke é diretora sênior de Product Marketing para Tecnologias Emergentes na Oracle.

Incerteza gerada pela pandemia da COVID-19 impulsiona mudanças no comportamento de executivos e consumidores. Por Emma Hitzke * Sua relação com o dinheiro mudou desde o início da pandemia global? De...

Transformação nos Negócios

Estudo global: a adoção da IA mudará fundamentalmente a próxima geração de líderes financeiros

Pesquisa com consumidores e líderes financeiros indica que os funcionários mais jovens estão enfrentando ansiedade e estresse financeiro intenso em decorrência da COVID-19 e estão recorrendo aos robôs em busca de ajuda. A maior adoção de robôs e inteligência artificial também mudará as habilidades e competências necessárias para uma carreira bem-sucedida em Finanças. Por Juergen Lindner * Durante todo o ano passado, os funcionários sofreram enorme pressão para ajudar suas organizações a lidar com a crise e agora eles estão se aliando aos robôs para gerenciar melhor as finanças das empresas. Para explorar o impacto da tecnologia no futuro da profissão financeira, fizemos uma parceria com a especialista em finanças Farnoosh Torabi para pesquisar mais de 9.000 consumidores e líderes empresariais em 14 países. A pesquisa revelou que os funcionários mais jovens estão enfrentando intenso estresse financeiro e ansiedade causados pela COVID-19. Por exemplo, 97% dos funcionários da Geração Z alegam que gerenciar as finanças da organização os assusta, e mais da metade dos funcionários mais jovens (52% da Geração Z e 53% da Geração Y) estão perdendo o sono à noite pensando no orçamento de seus negócios. Leia mais: Empresas confiam mais em robôs do que nos humanos para gerenciar dinheiro Para lidar com o aumento da ansiedade financeira e da pressão para trabalhar, a Geração Z e a Geração Y estão recorrendo aos robôs em busca de ajuda: 91% dos funcionários da Geração Z afirmam que confiariam mais em um robô do que em um humano para gerenciar as finanças de sua organização. E a maioria dos líderes da Geração Z (79%) e da Geração Y (83%) dizem até que confiariam em um robô em vez da própria equipe financeira de sua empresa. À medida que a IA e os robôs se tornam mais comuns nos processos empresariais, as habilidades e as competências necessárias para uma carreira financeira bem-sucedida mudarão inevitavelmente. Veja como os futuros líderes financeiros podem se posicionar para uma carreira de sucesso: Foco em novas habilidades Com a IA preparada para lidar com a maioria das tarefas contábeis manuais, o desenvolvimento e a proficiência de habilidades de nível superior serão imperativos para o sucesso da próxima geração de líderes financeiros. Profissionais de finanças ainda precisarão ser proficientes nos conceitos básicos de finanças e em contabilidade para supervisionar os algoritmos e conseguir detectar anomalias. No entanto, seu trabalho cotidiano se concentrará cada vez menos no desdobramento dos números e mais na interpretação de dados, análise de negócios e comunicação com as principais partes interessadas. Habilidades como estratégia de negócios, liderança, gestão de riscos, negociação e comunicação baseada em dados e narrativa ajudarão a complementar as habilidades dos robôs em finanças. Investimento em educação contínua O índice de mudanças tecnológicas só tende a acelerar. À medida que a função financeira continua a evoluir, um diploma universitário não será relevante por toda uma carreira, e os programas básicos de treinamento atuais - muitos dos quais usam o mesmo currículo há anos - rapidamente se tornarão desatualizados. Em vez disso, os profissionais de finanças precisarão complementar os diplomas tradicionais e o treinamento anual exigido com certificações adicionais e oportunidades de aprimoramento que acompanhem a velocidade com que a tecnologia e a profissão de finanças estão progredindo. Treinamento prático de associações do setor, fornecedores de tecnologia e integradores de sistemas, e cursos online ajudarão a manter os profissionais de finanças na vanguarda. Um compromisso com a aprendizagem contínua e uma sólida compreensão da interseção entre tecnologia e finanças se tornarão um critério importante de contratação para a próxima geração de líderes financeiros. Ênfase em ativos não tangíveis O aumento do uso da IA nas finanças criará oportunidades para que profissionais de outras áreas, não só contábeis, ingressem no campo, colocando uma ênfase adicional nas características intangíveis. Os conceitos básicos das finanças podem ser aprendidos, enquanto as características que impulsionam a aprendizagem contínua são, muitas vezes, captadas fora das instituições formais, por meio de experiências de vida, algo muito mais difícil de adquirir. Como as máquinas estão realizando cada vez mais a maior parte das tarefas financeiras do dia a dia, os líderes financeiros e suas equipes de recrutamento devem treinar seu pessoal para o sucesso contínuo, buscando características como agilidade e coragem, colaboração, adaptabilidade, criatividade e curiosidade intelectual e tecnológica em um grupo mais amplo de candidatos. Abraçar a diversidade A confluência de novas habilidades, educação continuada e ênfase adicional em características intangíveis também criará caminhos de carreira adicionais para os profissionais mais diversos. Muitos grupos étnicos sub-representados nem sempre tiveram o mesmo acesso a pontos de entrada tradicionais para a carreira de finanças. A era da IA vai democratizar o acesso à carreira financeira e priorizar ainda mais a diversidade e inclusão para gerar organizações financeiras de alto desempenho. Organizações que não adotarem a IA nas finanças deixarão de ter talentos de última geração Funcionários das gerações Y e Z esperam que as empresas aproveitem as mesmas tecnologias que já utilizam em suas vidas pessoais e devem dar prioridade às empresas que usam a IA em finanças em detrimento daquelas que não o fazem. Na verdade, funcionários da geração Y têm 4 vezes mais probabilidade do que os Baby Boomers de querer trabalhar para uma empresa que usa IA em finanças. E 95% dos funcionários da geração Z acreditam que as organizações que não adotam a tecnologia enfrentarão riscos, incluindo ficar atrás dos concorrentes (51%), tomar decisões inadequadas (45%) e ver funcionários mais estressados (41%). Para saber mais sobre os resultados da pesquisa Money & Machines e como sua organização pode se preparar para a próxima geração de profissionais financeiros, baixe o relatório completo aqui. * Juergen Lindner é vice-presidente sênior de Marketing SaaS Global na Oracle.

Pesquisa com consumidores e líderes financeiros indica que os funcionários mais jovens estão enfrentando ansiedade e estresse financeiro intenso em decorrência da COVID-19 e estão recorrendo aos robôs...

Histórias de Sucesso

Stix: o primeiro ecossistema de fidelidade nasce com Oracle

Com seis meses de mercado, programa de fidelidade cresceu rapidamente e sem problemas graças à escalabilidade das soluções Oracle Marketing. A Stix nasceu para revolucionar o mercado de fidelidade. Ela é o primeiro ecossistema de programas de fidelidade do varejo brasileiro. Criada pelo GPA e RaiaDrogasil (RD), fazem parte da Stix grandes marcas do dia a dia das pessoas: Pão de Açúcar, Drogasil, Extra e Droga Raia. Além dos varejistas, o Itaú é parceiro exclusivo do ecossistema e, com isso, clientes iupp podem transferir seus pontos para Stix de graça. A proposta de valor da Stix foi feita pensando no consumidor. Com apenas um cadastro, via app Stix ou via qualquer um dos aplicativos dos parceiros, o participante junta pontos stix comprando nas grandes marcas do dia a dia e pode enviar stix para amigos e família de graça. Os stix expiram uma vez por ano em data fixa e o valor do ponto stix na hora da troca é sempre o mesmo: 100 stix = 1 real ou mais, em produtos. Leia mais: Easynvest se aproxima de clientes com Oracle Marketing Para ter condições de atender aos 20 milhões de potenciais clientes dos programas de fidelidade do GPA e 40 milhões de potenciais clientes da RD, a Stix avaliou alternativas do mercado e tomou como prioridade a escolha de soluções 100% digitais, escaláveis e seguras. Decidindo por tornar a Oracle sua parceira, com a adoção das soluções Oracle Marketing. Eduardo Leonidas, CEO da empresa, destaca que houve um processo competitivo para a escolha do parceiro que forneceria as soluções necessárias para a Stix chegar ao mercado. “Precisávamos de uma solução que atendesse aos requisitos de não ser só um bom produto, mas um que nos permitisse também uma integração bastante facilitada”, lembra o executivo.

Com seis meses de mercado, programa de fidelidade cresceu rapidamente e sem problemas graças à escalabilidade das soluções Oracle Marketing. A Stix nasceu para revolucionar o mercado de fidelidade. Ela...

Setor Público

Os clientes da Oracle tornam o mundo um lugar melhor

Com apoio da tecnologia Oracle, nossos clientes estão construindo um futuro melhor em todo o mundo. Conheça alguns exemplos de organizações que têm como serviço, ciência e sustentabilidade sua missão principal. Por Evelyn Neumayr * Além de cumprir metas comerciais, os clientes da Oracle usam sua tecnologia para construir um futuro melhor em todo o mundo. A Oracle tem orgulho de apoiar os clientes que tornam o serviço, a ciência e a sustentabilidade parte de sua missão principal. A Oracle também tem compromisso com a responsabilidade social e o prazer de apoiar organizações com ideias semelhantes. “A tecnologia da Oracle desempenha um papel importante em ajudar muitos de nossos clientes a melhorar o mundo ao nosso redor", afirma Jon Chorley, diretor de sustentabilidade e vice-presidente do grupo de estratégia de produtos para gestão da cadeia de suprimentos da Oracle. “Agradecemos o trabalho inspirador que eles realizam e nos sentimos honrados em ajudar em seus esforços humanitários”. Leia mais: Equipes do Tony Blair Institute aliam-se à Oracle no combate a surtos de doenças na África A seguir, destacamos alguns clientes que usam soluções de TI e software corporativo da Oracle para contribuir para o bem público. Você pode encontrar mais exemplos no website de clientes da Oracle e nesse resumo de negócios. Meio Ambiente Muitos clientes da Oracle estão comprometidos em produzir um impacto positivo no meio ambiente e lidar com o grave problema das mudanças climáticas. A startup retraced usou o Oracle Blockchain e o Oracle Autonomous Database para desenvolver um aplicativo de transparência da cadeia de suprimentos para ajudar marcas de roupas, calçados, joias e outras marcas de moda a mostrar aos clientes que seus produtos são fornecidos de forma ética e sustentável. Os algoritmos de machine learning da AgroScout usam a Oracle Cloud para analisar imagens de campos agrícolas capturadas por drones. Sabendo quais pragas e doenças tratar, os produtores podem economizar, melhorar a produção e alimentar mais pessoas. O provedor de tecnologia de energia solar d.light está melhorando a vida de mais de 100 milhões de pessoas em 70 países, graças, em parte, aos insights obtidos com o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics. A Booster Fuels está mudando a forma de fornecer energia com o uso da tecnologia de Internet das Coisas executada na Oracle Cloud Infrastructure. A National Grid ESO, que executa na Oracle Cloud Infrastructure, usa machine learning para melhorar em 40% a análise de fontes de energia renováveis, reduzindo o tempo de consulta de horas para minutos. Educação A tecnologia da Oracle desempenha um papel cada vez maior na melhoria da educação, beneficiando milhares de alunos em todo o mundo. Em Delhi, a Sharda University combina excelência acadêmica com atendimento às comunidades locais e usa o Autonomous Data Warehouse e ferramentas de análise para medir o progresso em ambas as atividades. Com seus 10.000 alunos de graduação na Colômbia, a Universidad de la Sabana consegue fornecer aos alunos uma experiência educacional online personalizada usando a Oracle Cloud Infrastructure e o Oracle Fusion Cloud Enterprise Performance Management (EPM). Usando o Oracle Database Appliance e o Oracle Database, a English MouMou fornece ambientes de aprendizagem digital rápidos e confiáveis para seus alunos sul-coreanos. Pesquisa científica Os cientistas usam o poder de computação de alto desempenho da infraestrutura em nuvem da Oracle, bem como suas soluções de banco de dados e software corporativo, para expandir os limites da compreensão humana, abrindo novos caminhos de exploração e pesquisa. O Woolcock Institute of Medical Research, parceiro de pesquisa da Oracle, usa o Oracle Autonomous Data Warehouse e a Oracle Cloud Infrastructure para fazer avanços importantes em relação à pesquisa e ao tratamento da insônia. A organização sem fins lucrativos Movember realiza campanhas de marketing globais personalizadas com o Oracle Marketing, gerando milhões em doações para pesquisa de câncer masculino. A ELEM Biotech cria modelos do corpo humano usando o poder de computação da Oracle Cloud Infrastructure para criar populações virtuais que representam diversas patologias. As populações de polinizadores estão em declínio, ameaçando o suprimento global de alimentos e a biodiversidade. O World Bee Project usa a Oracle Cloud para estudar o comportamento das abelhas por meio da acústica para descobrir ameaças à saúde das colônias e ajudar a salvá-las. Assistência médica A Oracle Cloud ajuda os pagadores, provedores e pesquisadores de saúde a atender os pacientes, impulsionando a inovação, reduzindo custos e melhorando os resultados. A Oracle construiu o Health Management Cloud, que está sendo usado em testes clínicos de COVID-19 nos Estados Unidos. Gana está usando esse mesmo sistema em nuvem para distribuir a vacina contra febre amarela. A Sensa Analytics está usando o Oracle Autonomous Database para aumentar a eficiência de aquisição e análise de dados de pacientes sobre a COVID-19. O Oracle Autonomous Database também permite que organizações de saúde, como o Sejong Hospital, tomem decisões mais informadas para seus pacientes, incluindo crianças com doença cardíaca congênita. Comunidades Na Oracle, acreditamos que a tecnologia pode ter um papel importante no desenvolvimento da comunidade, e muitos de nossos clientes exemplificam isso. A Save the Children, Índia tem feito grandes esforços para apoiar comunidades indianas usando Oracle Fusion Cloud Applications, como o Human Capital Management (HCM) e o Enterprise Resource Planning (ERP). Usando o HCM, a Save the Children recruta força de trabalho humanitária para ajudar a gerenciar desastres naturais, como terremotos, inundações e ciclones. Quando os cidadãos de Memphis, no Tennessee, solicitaram melhoria nos serviços de proteção, a prefeitura escolheu o Oracle Cloud HCM para recrutar profissionais experientes em emergências. A cidade de Memphis reduziu em 25% o atrito entre os policiais por meio de uma combinação de melhor remuneração e benefícios, oportunidades de treinamento de gestão, bônus de retenção e eventos de valorização dos funcionários. A organização global sem fins lucrativos CARE usa os serviços de computação e armazenamento da Oracle Cloud Infrastructure para melhorar vidas em 100 países. Para cumprir sua missão, a Industries for the Blind and Visually Impaired substituiu as soluções de software desenvolvidas internamente pelo Oracle Cloud Applications, ajudando a criar novas oportunidades de carreira para sua força de trabalho. Uma boa cidadania corporativa significa ser intencional e atento ao valor que a Oracle gera como empresa — não apenas para nossos acionistas, mas também para as pessoas, o planeta e as gerações futuras. Significa aplicar o mesmo nível de comprometimento, rigor e sinceridade para mudar vidas, assim como fazemos para construir tecnologia de ponta para nossos clientes. * Evelyn Neumayr é diretora de Sustentabildade na Oracle.

Com apoio da tecnologia Oracle, nossos clientes estão construindo um futuro melhor em todo o mundo. Conheça alguns exemplos de organizações que têm como serviço, ciência e sustentabilidade sua missão...

Transformação na TI

Podcast: Evolução da Nuvem, a Segunda Geração

Segundo episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, fala sobre o avanço e a chegada da segunda geração da nuvem. A cloud computing evoluiu de forma significativa desde seu surgimento para oferecer cada vez mais opções e recursos para armazenamento de dados, softwares, gestão, escalabilidade e redução de custos. Essa evolução da nuvem e a sua segunda geração, com destaque para as possibilidades habilitadas para os negócios de hoje, são os assuntos principais do segundo episódio da série de podcasts “Cloudly: a história da nuvem e a sua força transformadora nos negócios”, produzida em parceria com o MIT Sloan Review Brasil e com apoio da Intel Intitulado “Evolução da Nuvem: A Segunda Geração”, o novo episódio do programa traz entrevistas com Marcos Pupo, Vice-Presidente Sênior de Cloud da Oracle, Guilherme Godoy, Diretor Sênior de Cloud na Oracle, além de contar com a participação de outros especialistas do mercado quando o assunto é tecnologia e computação em nuvem. -Leia mais: Podcast: cloud computing e a grande disrupção “O fato de a gente ter acompanhado o progresso das clouds de primeira geração ao longo dos anos, a gente aprendeu muito com os erros e os acertos. Então quando a gente montou a nossa arquitetura, a gente já fez ela pensando naquilo que era mais eficiente daqui para o futuro”, explica Pupo. Godoy destaca as possibilidades do multicloud. “O legal da nuvem é que você não fala ‘ou’, você pode falar ‘e’. Acho que o mundo da nuvem traz muito isso para o mercado, o cliente de fato no centro”, aponta o executivo. Ficou curioso? Então clique no player abaixo para escutar o programa inteiro.

Segundo episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, fala sobre o avanço e a chegada da segunda geração da nuvem. A cloud computing evoluiu de forma...

Transformação na TI

Apresentando Arm na Oracle Cloud Infrastructure

Computação em nuvem baseada em tecnologia Arm é a próxima grande novidade. Por Clay Magouyrk* O mercado está mudando, e os processadores Arm estão onipresentes hoje em smartphones e dispositivos de ponta, e são cada vez mais utilizados em computadores, notebooks e servidores, com uma média de 22 bilhões de chips baseados em Arm lançados em cada um dos últimos três anos.  Essa adoção foi originalmente motivada pelo menor custo e menor consumo de energia da Arm, mas atualmente a Arm também é capaz de competir de igual para igual em desempenho. Em breve, os servidores Arm serão líderes absolutos de desempenho, com benefícios adicionais, como consistência de desempenho e maior segurança. -Leia mais: Premier League fornecerá análises avançadas de futebol com a Oracle Cloud Essa transição arquitetônica traz implicações significativas para a forma como desenvolvemos e executamos aplicativos.  Em décadas anteriores, havia uma competição significativa entre as arquiteturas de CPU de servidor, como SPARC, MIPS, POWER e x86.  Nas duas últimas décadas, o X86 se tornou completamente dominante no servidor, eliminando a necessidade da maioria dos aplicativos e bibliotecas trabalharem em várias arquiteturas. Para tirar proveito das vantagens atuais e futuras da Arm, nós, como indústria, temos que investir no desenvolvimento e no ambiente operacional da Arm, redescobrindo nossas habilidades de multiplataforma do passado. A Oracle está aqui para capacitar essa transição. Para tornar isso possível, estamos abordando todos os aspectos do desafio – oferecendo a melhor plataforma de servidor baseada em Arm possível; fornecendo fácil acesso a todos os desenvolvedores e projetos de código aberto para desenvolver e testar em Arm; trabalhando com parceiros para capacitar a comunidade Arm; e contribuindo diretamente para o ecossistema Arm com investimentos em algumas das tecnologias mais importantes do setor. Plataforma de servidor baseada em Arm da Oracle A AWS foi o primeiro provedor de nuvem a oferecer instâncias Arm com Graviton e, mais recentemente, Graviton2.  A organização fez um trabalho excelente ao ser pioneira no uso de tecnologia Arm para provedores de nuvem.  Na Oracle, estamos adotando uma abordagem diferente.  Em vez de projetar nossa própria CPU de servidor Arm, estamos trabalhando com a Ampere. A Ampere é uma startup de design de CPU, liderada por uma incrível equipe de engenharia. A Ampere projetou um chip de servidor baseado em Arm, líder de mercado, com o Ampere Altra, que oferece desempenho previsível com o maior número de núcleos por soquete. Nossa estratégia é trabalhar com a Ampere para projetar o melhor chip Arm de servidor, habilitá-lo em nossa nuvem e permitir que os clientes o insiram em seus próprios data centers. Agora é a hora de os desenvolvedores construírem a última geração de aplicativos com Arm Tenho o prazer de anunciar nossa nova plataforma Oracle Cloud Infrastructure Ampere A1 Compute, baseada no processador Ampere® Altra®: •    Disponível em formato bare metal para o máximo desempenho, com 160 núcleos de thread único em até 3,0 Ghz e 1 TB de RAM. Cada núcleo possui thread único por projeto, com seu próprio cache-I L1 de 64 KB, cache-D L1 de 64 KB e um enorme cache-D L2 de 1 MB, que proporciona desempenho previsível 100% do tempo. •    Disponível em formato flexível de máquina virtual com nossa exclusiva arquitetura flexível para provisionamento preciso de 1-80 núcleos e 1-64 GB de memória por núcleo - para o dimensionamento correto de suas cargas de trabalho Arm •    Totalmente integrado com GitHub, GitLab e Jenkins para permitir desenvolvimento e implementação perfeitos em contêineres ou computação com suporte do Ampere A1. Com a Oracle, os aplicativos otimizados para Arm podem ser executados na nuvem pública ou em regiões dedicadas nas instalações do cliente. •    O OCI Ampere A1 é o primeiro servidor em nuvem "penny core”, com custo de apenas US$ 0,01 por núcleo por hora e US$ 0,0015 por GB de RAM por hora. •    E você pode começar a usar gratuitamente com o nosso Modo Gratuito (Free Tier), com disponibilidade adicional de recursos gratuitos para desenvolvedores qualificados, ISVs e universidades através do nosso novo programa Arm Accelerator. Ótima relação preço-desempenho para todas as suas cargas de trabalho A plataforma Ampere A1 da OCI é líder em preço e desempenho na nuvem. Com base nos padrões de referência SpecInt e SpecFP do setor, o Ampere A1 é 2,5 vezes superior em preço e desempenho em comparação com instâncias de servidor baseadas em Arm e 4 vezes ou mais superior em preço e desempenho quando comparado com instâncias Intel Skylake ou AMD Naples baseadas em x86. O processador Ampere Altra oferece desempenho consistente por núcleo e escala quase linear. Os aplicativos se beneficiarão da falta de contenção dentro do núcleo, de recursos dedicados para cada núcleo e de uma velocidade de clock consistente de alta frequência. O Altra também permite que os aplicativos escalem o desempenho de forma linear à medida que você usa mais threads em comparação com instâncias baseadas em x86. Isso significa que você obtém mais desempenho de cada núcleo do Ampere A1. Ao executar uma carga de trabalho de codificação, por exemplo, você pode observar que o desempenho é escalado de forma linear à medida que os núcleos são adicionados. O Ampere A1 é uma plataforma de uso geral e apresenta bom desempenho em muitos casos de uso. O NGINX é um bom exemplo de cargas de trabalho de alto rendimento, como servidores Web, microsserviços e gateways de API. Nos testes da Arm de solicitações de Proxy Reverso NGINX por segundo, o Ampere A1 teve preço-desempenho 32% melhor em comparação com a computação baseada em AMD Milan, e preço-desempenho 69% melhor em comparação com a computação baseada em Intel Ice Lake. “O NGINX Plus para implementações baseadas em Arm ficou muito mais fácil. Desenvolvedores que usam instâncias do OCI Ampere A1 Compute agora podem implementar rapidamente o NGINX Plus nas plataformas Arm e X86”, afirmou Stuart Shader, Gerente Sênior de Desenvolvimento de Negócios da NGINX. “Com esse recurso e usando o Always Free Tier na OCI, os clientes podem obter acesso a um ambiente de nuvem para implementar aplicativos baseados em Arm com NGINX Plus pelo tempo que quiserem”. A codificação de vídeo é um bom exemplo de uma carga de trabalho com uso intensivo de CPU. Nos testes da Arm do popular codec H.264, o Ampere A1 teve preço-desempenho 22% melhor em comparação com a computação AMD Milan, e preço-desempenho 98% melhor em comparação com a computação Intel Ice Lake. Cargas de trabalho com uso intensivo de CPU semelhantes incluem inferência de IA. A OnSpecta, um provedor de software de aprendizado profundo, constatou que o Ampere A1 oferece vantagem de 2 a 9 vezes em preço-desempenho em uma série de comparações de inferência de IA. “A OnSpecta acelera significativamente o desempenho das cargas de trabalho de inferência de IA em sua instância OCI quando implementada na plataforma de computação Ampere A1. Nosso Deep Learning Inference Engine (DLS) otimiza o desempenho de redes neurais treinadas, resultando em latência até 10 vezes menor, rendimento 10 vezes maior e notável economia de custos. Os clientes da OnSpecta podem usar o DLS para todos os tipos de cargas de trabalho de IA, incluindo Detecção de Objetos, Processamento de Vídeo, Aplicativos de Imagens Médicas e Mecanismos de Recomendação. Eles terão um ganho de custo e desempenho 3 vezes maior sobre as soluções alternativas ao usar formatos do OCI Ampere A1 Compute baseado em Arm”. — Indra Mohan, CEO da OnSpecta Ao combinar o Ampere A1 com a liderança geral em preço e desempenho da OCI em contêineres, armazenamento, bancos de dados e redes, os clientes têm a oportunidade de transformar completamente seus aplicativos e negócios. Permitindo que todos tenham acesso a Arm no servidor Nosso objetivo é oferecer recursos Arm suficientes para desenvolver seu primeiro aplicativo, testar Arm em escala real e até mesmo construir ou portar um aplicativo de produção. Existem três maneiras de obter acesso gratuito a instâncias Arm na OCI. Para começar, você pode acessar a oferta de modo gratuito mais generosa do setor, com 4 núcleos e 24 GB de RAM do Ampere A1 Compute como parte da nossa oferta Always Free. Basta se inscrever aqui, e você receberá isso e mais de 20 excelentes serviços Always Free, como 200 GB de armazenamento em bloco, 2 Autonomous Databases e muito mais. A inscrição também fornece acesso à nossa Avaliação Gratuita de 30 dias, que dá a você US$ 300 em créditos. Isso é o suficiente para executar instâncias Ampere A1 maiores com 16 núcleos, 96 GB de RAM e 500 GB de armazenamento em bloco de alto desempenho por um mês inteiro, ou conectar seu Ampere A1 Always Free a uma maior variedade de serviços de banco de dados, análise, ciência de dados, observabilidade e integração. Por fim, estamos apresentando o novo Arm Accelerator para escalar seus projetos de desenvolvimento Arm. Desenvolvedores de código aberto qualificados, pesquisadores e parceiros do setor podem obter até US$ 30.000 em créditos válidos por 12 meses para ajudar a expandir o ecossistema Arm ou resolver mais rápido o próximo problema científico. Trabalhando em conjunto para expandir o ecossistema Arm Investimos em uma variedade de parceiros incríveis e tecnologias Oracle populares para tornar mais fácil construir em Arm. Primeiro, trabalhamos em estreita colaboração com a Ampere por mais de um ano para desenvolver a plataforma e garantir suporte para as principais tecnologias. Tudo começou com um esforço compartilhado de design da plataforma, que progrediu para o trabalho de ajuste à medida que o projeto se desenvolvia. A última etapa foi fazer a plataforma passar pela nossa bateria de testes de conformidade, confiabilidade e estresse. Quando o hardware ficou pronto, equipes da Oracle trabalharam com a Ampere e outros parceiros do setor para garantir que as diferentes partes da pilha de tecnologia tivessem suporte no A1. A Arm também tem sido um parceiro fundamental, trabalhando com a Ampere e a OCI para testar o desempenho em várias cargas de trabalho. Testamos detalhadamente Oracle Java, GraalVM, Oracle Linux e nosso serviço Kubernetes (Container Engine for Kubernetes) para ajudar a garantir a estabilidade e o desempenho. Investimos mais de 80 anos de engenharia para otimizar o Oracle Linux for Arm e atualizamos nossa imagem do Oracle Linux Cloud Developer com tudo o que você precisa para construir aplicativos Arm, incluindo SDKs de linguagem, ferramentas de contêiner, clientes de banco de dados, cadeias de ferramentas de desenvolvedor, frameworks e utilitários. Isso inclui testes de Java SE, GraalVM EE, Instant Client, Maven, Eclipse, Terraform, Buildah e Ansible. Tanto o Java SE quanto o GraalVM EE são gratuitos na Oracle Cloud. Quando se trata de CI/CD, fizemos parceria com os principais provedores, como GitLab, GitHub e Jenkins, para fornecer soluções Arm testadas que podem ser implementadas com o clique de um botão, e com a Continuous Delivery Foundation, para ajudar a garantir uma abordagem aberta. “CI/CD para desenvolvimento baseado em Arm ficou muito mais fácil. As equipes que usam a Oracle Cloud agora podem implementar facilmente o GitLab usando o botão ‘Implementar na Oracle Cloud’, permitindo que os desenvolvedores criem e implementem aplicativos rapidamente nas plataformas Arm e X86”, afirmou Mayank Tahilramani, Diretor de Parcerias e Alianças da GitLab. “O GitHub Actions fornece aos desenvolvedores automação avançada, flexível e segura diretamente no GitHub. Estamos entusiasmados em trabalhar com a Oracle para oferecer opções aos desenvolvedores, garantindo que o GitHub Actions tenha suporte na plataforma Ampere A1 Compute baseada em Arm da Oracle Cloud.” — Joe Bourne, Diretor de Gestão de Produto da GitHub “Temos o prazer de anunciar a disponibilidade do software de automação Jenkins na plataforma Ampere A1 Compute para construir, implementar e automatizar projetos na Oracle Cloud Infrastructure", disse Olivier Vernin, Diretor de Infraestrutura da Jenkins. "Agora os desenvolvedores podem usar o Jenkins e começar a construir facilmente a última geração de aplicativos com os mais recentes processadores baseados em Arm na Oracle Cloud." “O suporte para Jenkins na Oracle Cloud Infrastructure é um ótimo exemplo do compromisso da Oracle com projetos de código aberto e com a comunidade de desenvolvedores. A Oracle fornece excelentes soluções de tecnologia para ajudar seus clientes a ter sucesso, e estamos entusiasmados em ver a Oracle se unindo à CDF”, disse Tracy Miranda, Diretora Executiva da Continuous Delivery Foundation. “A Jenkins e a Oracle Cloud Infrastructure serão uma combinação extremamente poderosa para organizações que precisam de integração contínua e suporte para automação de software em um ambiente Arm." Para simplificar a implementação e os testes em ambientes Kubernetes distribuídos ou Android, fizemos uma parceria com a Rancher e a Genymotion. “Nosso objetivo é estender ainda mais nosso suporte a Arm com a nova versão do SUSE Rancher, adicionando suporte para provisionamento de clusters OKE multiarquitetura. Quando se trata de Arm, queremos simplesmente dizer sim para a maioria dos casos de uso — incluindo a Oracle Cloud Infrastructure, on-premises ou na borda com opções de Oracle Cloud Hybrid”.  — Keith Basil, vice-presidente de infraestrutura nativa em nuvem e produtos da SUSE. “A plataforma Ampere A1 Compute na OCI com Genymotion oferece aos desenvolvedores a capacidade de construir, testar e implementar tudo de forma nativa na mesma infraestrutura. Ela fornece melhor precisão, desempenho, cobertura de código e densidade de dispositivos virtuais em servidores. Clientes da Genymotion que usam nossa plataforma para vendas, demonstrações, VMI, jogos e casos de uso de mídias sociais podem experimentar aumento de desempenho, de até 10 vezes em alguns casos, usando formatos do OCI Ampere A1 Compute baseado em Arm." —Tim Danford, CEO da Genymobile E para os clientes do Datadog, estendemos nossa parceria para fornecer suporte para o Ampere A1. “Com o Datadog Agent for Ampere A1 na OCI, os clientes da Oracle podem usar o Datadog para determinar os melhores formatos para suas cargas de trabalho, rastrear migrações de outras plataformas de computação e obter uma visão unificada da saúde e do desempenho de seu ambiente", disse Jimmy Caputo, Diretor de Gestão de Produto da Datadog. Comece a usar Arm hoje Estamos muito entusiasmados para ver o que você pode construir com Arm e OCI. É fácil começar a usar. Você pode se inscrever em uma conta OCI gratuita e ativar os recursos Arm clicando aqui. *Clay Magouyrk é Vice-Presidente Executivo de Engenharia da Oracle Cloud Infrastructure

Computação em nuvem baseada em tecnologia Arm é a próxima grande novidade. Por Clay Magouyrk* O mercado está mudando, e os processadores Arm estão onipresentes hoje em smartphones e dispositivos de...

Transformação nos Negócios

Oracle Cloud ERP marca meia década de liderança no Quadrante Mágico do Gartner

Oracle Fusion Cloud ERP foi nomeado líder no Quadrante Mágico 2021 para Soluções de Gerenciamento Financeiro em Nuvem para Empresas Globais, de Médio e Grande Porte pelo quinto ano consecutivo. Por Lynne Sampson * Pelo quinto ano consecutivo, o Gartner elegeu o Oracle Fusion Cloud ERP como líder em seu Quadrante Mágico 2021, Soluções de Gerenciamento Financeiro em Nuvem para Empresas Globais, de Médio e Grande Porte. Temos o prazer de disponibilizar este relatório aos leitores. Este gráfico foi publicado pela Gartner, Inc. como parte de um documento de pesquisa maior e deve ser avaliado dentro do contexto do documento como um todo. O documento da Gartner está disponível mediante solicitação à Oracle. A Gartner não endossa nenhum fornecedor, produto ou serviço descrito em suas publicações de pesquisa e não aconselha que os usuários de tecnologia selecionem apenas os fornecedores com as classificações mais altas ou outra designação. As publicações de pesquisa da Gartner refletem as opiniões da organização e não devem ser interpretadas como afirmações de fato. A Gartner se isenta de todas as garantias, expressas ou implícitas, relacionadas a esta pesquisa, incluindo quaisquer garantias de comercialização ou adequação a uma finalidade específica. Maior em "Capacidade de Execução", maior em "Amplitude de Visão" A Gartner reconhece a Oracle como tendo a mais alta "Capacidade de Execução", bem como a mais alta "Amplitude de Visão" Acreditamos que esse reconhecimento como líder é impulsionado por cinco princípios que usamos para orientar o desenvolvimento de todos os nossos aplicativos Oracle Cloud: Uma mentalidade de "Cliente em Primeiro Lugar", que molda tudo em nossa abordagem A inovação mais rápida, com novas capacidades que são lançadas para os nossos clientes a cada 90 dias A nuvem mais completa, conectada por um modelo de dados comum que serve para finanças, cadeia de suprimentos, RH, experiência do cliente, marketing e vendas Executado na melhor plataforma tecnológica, incluindo o Autonomous Database e a Oracle Cloud Infrastructure Gen2 Uma experiência de usuário moderna que inclui bate-papo, assistentes digitais e uma interface de interação com o usuário Nossa estratégia para o Oracle Cloud ERP é apoiar suas atividades empresariais mais críticas com processamento sem toque, análise preditiva, uma experiência imersiva de usuário e recomendações inteligentes baseadas em machine learning. Histórias de sucesso de nossos clientes Mas não acredite apenas na nossa palavra! Leia o que os clientes da Oracle têm a dizer sobre os benefícios que estão alcançando com o Oracle Cloud ERP. Leia mais: Fundação Dom Cabral tem ganho de produtividade após adotar Oracle Cloud HCM e ERP Mentalidade customer-first, ou cliente em primeiro lugar “É muito importante para nós termos uma única origem da verdade em toda a nossa empresa. E isso significa garantir que o nosso front-end e o nosso back-end estejam totalmente integrados. Quando pensamos numa grande aquisição – como a BevMo! – que é estratégica para nós, queremos garantir que estamos otimizando o valor nesta empresa. Para nós, a Oracle vai ser uma parceira-chave nisso." — Josh Burke, CFO, goPuff "Uma das coisas que percebemos no início foi que este é um tipo diferente de relacionamento com uma empresa de software. Para nós, não se trata apenas de vender o software, mas desenvolver uma relação de longo prazo.” — Debra Robinson, Vice-Presidente Sênior e CIO, Oracle Technology and Operations, Hearst Cloud mais completo “É um ambiente integrado, desde o desenvolvimento de produtos até o feedback do cliente. Se a Workday, a SAP e a Salesforce realmente quiserem continuar seguindo os passos do Oracle Cloud, eles terão que investir no desenvolvimento de soluções mais abrangentes e integradas.” — Craig Halterman, CIO, Cohu Inovação mais rápida “O mundo está a mil milhas por hora, por isso, para eu dizer: 'Espera, preciso de mais uma semana’ já não funciona mais. A Oracle está reimaginando a pegada dos sistemas financeiros. É uma verdadeira transformação na Lyft com os produtos que estamos implementando.” — Lisa Blackwood-Kapral, Chief Accounting Officer, Lyft “Temos investido fortemente na modernização das finanças na Square para criar um local de trabalho de classe mundial, onde o talento financeiro aprenda a apoiar a inovação do modelo de negócios – e ser o próximo CFO em um disruptor da indústria.” — Ajmere Dale, Chief Accounting Officer, Square “Trabalho com TI há 20 anos e nunca vi os produtos de uma empresa avançarem tão rapidamente em um ano como os produtos Oracle Cloud. Esse investimento é o que realmente nos entusiasmou.” — Jon Allen, CIO Interino e Chief Information Security Officer, Baylor University Melhor plataforma de tecnologia “Precisávamos de uma solução com machine learning integrado ao nosso ERP, que eliminasse a complexidade e simplificasse o desenvolvimento de aplicativos. Rodar no Oracle Cloud Infrastructure significa fecharmos quatro vezes mais rápido nosso processo de contas a receber.” — Vikram Singhvi, Head of Enterprise Applications, Dropbox UX Moderna “No primeiro mês após nossa entrada em operação, meus principais stakeholders me disseram que têm confiança absoluta nos números que estamos fornecendo. Eles não estão discutindo se os dados estão corretos ou não. Foi muito animador e gratificante receber esse tipo de feedback.” — Swaroop Khekale, Enterprise Planning Leader, Lion “Conseguimos executar toda a operação [back-office] sem ninguém no escritório. Nunca pensamos que seríamos capazes de administrar a empresa sem funcionários no local.” — Mohamed Absar, Chief of Staff for Logistics and Technology e Head of Projects and Solutions, DP World Trabalhando juntos para construir o Oracle Cloud ERP Por fim, a Oracle está comprometida em melhorar nossos próprios processos de negócios com o uso do Oracle Cloud ERP. De acordo com a CEO Safra Catz, "Com o Oracle Cloud ERP, estamos agora apresentando nossas demonstrações financeiras trimestrais e anuais mais rapidamente do que qualquer outra empresa no S&P 500.” Isso nos ajuda a gastar menos tempo olhando para trás e mais tempo trabalhando com nossos mais de 7.700 clientes para construir um Cloud ERP que impulsiona seus negócios. Baixe o Quadrante Mágico da Gartner 2021 para Soluções de Gerenciamento Financeiro em Nuvem, para Empresas de Porte Médio, Grande e Globais. * Lynne Sampson é estrategista sênior de conteúdo para Oracle ERP e EPM.

Oracle Fusion Cloud ERP foi nomeado líder no Quadrante Mágico 2021 para Soluções de Gerenciamento Financeiro em Nuvem para Empresas Globais, de Médio e Grande Porte pelo quinto ano consecutivo. Por...

Transformação na TI

Premier League fornecerá análises avançadas de futebol com a Oracle Cloud

Fique de olho nos "Match Insights - Powered by Oracle Cloud" durante as transmissões da Premier League na temporada 2021/22. Por Jeff Erickson* As proezas dos jogadores da Premier League - os gols que eles marcam, os passes que eles fazem, a resistência que eles mostram - parecem ser quase impossíveis às vezes. A liga de futebol fez uma parceria com a Oracle para trazer um novo nível de análises durante as transmissões ao vivo, dando aos fãs globais da Premier League mais maneiras de apreciar os principais momentos de cada jogo. Como a temporada 2021/22 da Premier League começa em agosto, seu grandioso público global verá “Match Insights—Powered by Oracle Cloud” em tempo real durante as transmissões de televisão. As transmissões incluirão insights como Probabilidade de Vitória com base em anos de dados de partidas, Momentum Tracking, que mede a probabilidade de pontuação com base em uma combinação de dados históricos e na partida atual e um rastreador de formação média que segue as táticas da equipe à medida que elas evoluem durante uma partida. -Leia mais: Oracle e Universidade de Oxford se unem para acelerar identificação de variantes da COVID-19 “Estamos sempre procurando novas maneiras de dar vida à Premier League e melhorar a análise da competição", diz Richard Masters, CEO da Premier League. Para a Oracle, a ideia de vincular movimentos e táticas em campo com terabytes de dados históricos para despertar novas incríveis maneiras de análise é exatamente o tipo de desafio que os especialistas em dados da Oracle Cloud prezam, diz Toby McAuliffe, Diretor Sênior de Análise de Esportes da Oracle. “A Premier League tem uma comunidade de fãs apaixonada em todo o mundo, e somos parte dessa comunidade", diz ele. McAuliffe está sediada em Seattle, Washington, onde os fãs da Premier League se reúnem em pubs nos dias de jogo (no início da manhã na Costa Oeste da América do Norte) nas cores de seus times azul do Leicester, ouro do Wolverhampton, listras em preto e branco do Newcastle, e muitas outras, para torcer por seus times. É um ritual que acontece em grandes cidades e pequenas vilas ao redor do mundo. “Estamos muito felizes que a Premier League nos pediu para fornecer análises e insights avançados para todas as suas transmissões”, diz McAuliffe. Usando nossa plataforma de nuvem, “traremos insights significativos, divertidos e inovadores para cada jogo." Tantos dados, tão pouco tempo Veja como irá funcionar. Oracle Cloud Infrastructure Parceiros da Premier League que usam visão computacional para acompanhar cada movimento dos jogadores no campo alimentarão a solução com dados em tempo real. Uma vez na Oracle Cloud, modelos de machine learning filtram esses dados e trazem à tona insights que, em seguida, são encaminhados para emissoras, aplicativos móveis e canais de mídia social. As equipes da Premier League e da Oracle estão trabalhando juntas para desenvolver esses modelos de machine learning e fornecer análises que os fãs vão adorar. “Temos gerentes de produtos da Oracle envolvidos, membros importantes da nossa equipe de infraestrutura em nuvem e alguns verdadeiros especialistas em futebol dentro da empresa", diz McAuliffe. Além disso, "estamos trabalhando de perto com a Premier League para encontrar os ângulos mais interessantes e úteis para explorar”. A Premier League teve uma visão para funções analíticas durante o jogo e precisava de um parceiro de tecnologia para ajudar a executá-la. “A Oracle é uma marca global com um ótimo histórico em impulsionar a inovação", diz Masters, “e estamos ansiosos em trabalhar juntos para envolver ainda mais os fãs em todo o mundo.” Como fãs da Premier League, os especialistas em dados da Oracle estão ansiosos para apresentar “Match Insights - Powered by Oracle Cloud” quando os jogos começarem em agosto de 2021. *Jeff Erickson é Diretor de Conteúdo sobre Tecnologia na Oracle

Fique de olho nos "Match Insights - Powered by Oracle Cloud" durante as transmissões da Premier League na temporada 2021/22. Por Jeff Erickson* As proezas dos jogadores da Premier League - os gols que...

Histórias de Sucesso

TJMG reduz custos em 60% com migração para Oracle Cloud

Em busca de atender demanda crescente, Tribunal encontrou a solução na Oracle Cloud at Customer, que fornece experiência de nuvem pública on-premises. Segundo maior Tribunal de Justiça do Brasil, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) conta com aproximadamente 25 mil servidores e 1.100 magistrados. O órgão é responsável por administrar e governar as 297 comarcas do estado – o segundo mais populoso do país, com cerca de 21,3 milhões de habitantes. Para cumprir sua missão de organizar e distribuir a justiça em Minas Gerais, chegando ao cidadão de forma mais eficaz, o TJMG tem apostado em investimentos em tecnologia. Isso inclui a adoção de plataformas para realização de videoconferências, com foco em audiências e sessões de julgamento online, e a aquisição de programas para desenvolvimento de processos eletrônicos. -Leia mais: Banco Original melhora performance em 70% com Oracle Exadata Entre esses esforços está o Programa Justiça Eficiente (Projef), criado pelo desembargador Gilson Soares Lemes. “A tecnologia é fundamental porque os dois eixos principais do projeto são o desenvolvimento do processo criminal eletrônico, que estamos desenvolvendo em Minas Gerais para todo país, e a implementação desse processo eletrônico em todo o estado”, afirma. Por atender milhões de cidadãos, a demanda pelos serviços do TJMG é naturalmente alta, porém vinha crescendo e pressionando a disponibilidade do Tribunal. Essa era uma tendência nos últimos anos, mas que foi acentuada por conta da pandemia. “O risco de uma parada de quase todos os sistemas do Tribunal era real”, relata Delvan Barcelos Júnior, juiz e diretor de informática do TJMG, que também conta que o órgão não possuía redundância em seu ambiente. Esse é apenas um dos desafios tecnológicos da instituição. Outro foi colocado internamente, com o objetivo de aprimorar os serviços entregues à população: reduzir o prazo de tramitação de processos, exigindo a adoção de uma solução de TI que oferecesse maior velocidade de processamento, capacidade de armazenamento e segurança de dados. Também faziam parte das preocupações do TJMG questões como obsolescência de hardware, redução de custos operacionais e o destino de equipamentos substituídos. Pensando nisso, o Tribunal decidiu pela adoção da Oracle Private Cloud at Customer e do Oracle Exadata Cloud at Customer, soluções flexíveis que permitem à instituição ter acesso aos benefícios da nuvem em seu próprio data center, de forma a manter o controle completo dos seus dados.

Em busca de atender demanda crescente, Tribunal encontrou a solução na Oracle Cloud at Customer, que fornece experiência de nuvem pública on-premises. Segundo maior Tribunal de Justiça do Brasil, o...

Desenvolvedores

Conheça o novo Oracle APEX 21.1

Nova versão do APEX introduz um novo componente do Mapas, Carregamento de Dados do Aplicativo, suporte para Calendários e Mapas com Pesquisa Facetada e vários aprimoramentos importantes. Por Monica Godoy* O Oracle Application Express (APEX) 21.1 já está disponível para todo o mercado! O Oracle APEX é a plataforma low-code mais popular do mundo para aplicativos empresariais e permite que você crie aplicativos escaláveis e seguros, com recursos de classe mundial, que podem ser implementados em qualquer lugar.  Esta versão do APEX introduz um novo componente do Mapas, Carregamento de Dados do Aplicativo, suporte para Calendários e Mapas com Pesquisa Facetada e vários aprimoramentos importantes para Origens de Dados REST, Relatórios, Segurança, Tema Universal, Seletor de Tema e uma experiência de desenvolvedor muito superior. Além disso, também estamos anunciando o Repositório no APEX GitHub onde você encontrará aplicativos de inicialização, aplicativos de amostra e plug-ins com os quais você pode experimentar, aprender, usar e testar no Oracle APEX! -Leia mais: Oracle adiciona APEX aos serviços Always Free da Oracle Cloud Algumas das principais melhorias no Oracle APEX 21.1 incluem: Mapas Nunca foi tão fácil visualizar dados espaciais nos seus aplicativos APE. O novo componente de Mapa nativo permite adicionar mapas poderosos, ricos em funcionalidades e interativos aos seus aplicativos APEX em poucos minutos. Eles são alimentados pelo Oracle eLocation Service para que esteja pronto para usar, sem a necessidade de chave de API! •    Oracle Spatial Support GeoJSON, colunas numéricas simples ou colunas do tipo SDO_GEOMETRY podem ser mapeadas com facilidade. Aproveite também os recursos do Oracle Spatial, como funções SQL espaciais, indexação, transformações de coordenadas e muito mais.   •    Totalmente personalizável Você pode facilmente personalizar a aparência de seus mapas, usar os esquemas de cores embutidos para visualizações temáticas e mapas de calor e selecionar entre uma variedade de formas SVG embutidas e ícones de marcadores para que seus mapas possam brilhar.   •    Poderoso Crie mapas com camadas para pontos, linhas, polígonos, polígonos 3D e mapas de calor; configure-os com pesquisa facetada; ou aprofunde-se com ações dinâmicas e a API JavaScript. Carregamento de dados do aplicativo Você pode facilmente adicionar recursos de importação de dados para permitir que os usuários façam upload de formatos de dados CSV, XLSX, XML e JSON para seus aplicativos com o novo processo de Carregamento de Dados. •    Fácil de usar O carregamento de dados é tão simples quanto selecionar um arquivo para fazer o upload, olhar uma pré-visualização dos dados para então carregá-los.   •    Capacidades poderosas O carregamento de dados pode ser configurado para anexar, substituir ou mesclar dados, realizar conversões de dados usando regras de transformação e consultas de pesquisa e até mesmo carregar dados em tabelas ou coleções.   •    Mapeamento avançado de colunas Consideravelmente aprimorada, a experiência de carregamento de dados do usuário final usa nomes simples ou expressões comuns para pré-atribuir mapeamentos de colunas.   •    API de Carregamento de Dados A nova API de carregamento de dados do Apex fornece todos os ganchos necessários para lidar com o processamento de Carga de Dados personalizada. Melhorias na Pesquisa Facetada A pesquisa Facetada agora suporta tipos de região do Mapas e do Calendário e oferece flexibilidade adicional ao usuário final para mostrar ou ocultar facetas, permitindo que você oculte facetas avançadas ou raramente usadas que podem ser disponibilizadas sob demanda. •    Mostre ou Oculte Facetas As Facetas agora suportam a Alternância de Display, permitindo que os usuários mostrem ou ocultem facetas facilmente. As Facetas ocultas não serão contadas e não terão impacto no desempenho.   •    Suporte para Mapas e Calendário Sua pesquisa facetada agora suporta regiões de Calendário e Mapa. Atualizações da UI e do Seletor de Tema Assuma maior controle sobre a interface de usuário do seu aplicativo com os novos ícones no Font APEX, CSS modernizado no Tema Universal, melhorias de desempenho e muito mais. •    Font APEX 2.2 Existem 95 novos ícones para escolher, incluindo vários ícones para aplicativos médicos, vários marcadores de mapa e novos tipos de arquivos.   •    Modernização de CSS do Tema Universal As folhas de estilo foram completamente refatoradas e agora usam variáveis CSS, layout de grade, flexbox, entre outras coisas, para fornecer uma interface de usuário mais moderna e robusta.   •    Desempenho aprimorado Atualizamos o Tema Universal para depender menos do JS para layout e também reduzimos os tamanhos de arquivos CSS para o Tema Universal em 15%, para ajudar com o carregamento de página e o desempenho de renderização.   •    Estilo de Tema Redwood Light O Redwood Light foi atualizado para se alinhar ainda mais com o Redwood Design System da Oracle e agora suporta opções de personalização usando o Seletor de Tema.   •    Classes CSS de Estilo de Linha e Tema Agora você pode definir classes CSS para Linhas de Grade e Estilos de Tema para fornecer flexibilidade adicional para a criação de layouts de página complexos. Melhorias para Origens de Dados REST •    Suporte de Dados CSV Agora você pode definir as Origens de Dados Rest com base em dados CSV, permitindo que você trate qualquer arquivo CSV na web como se fosse uma tabela. Crie relatórios ou gráficos diretamente nas Origens de Dados Rest ou use o recurso de Sincronização para agendar o carregamento de dados para uma tabela local.   •    Conversões de Origens de Dados REST Semelhante ao Carregamento de Dados, as Origens de Dados Rest agora suportam várias conversões de dados integrados, incluindo conversão em maiúsculo ou minúsculo, remoção de um espaço em branco ou extração de um valor de pesquisa de outra tabela. Isto permite que você prepare as suas Origens de Dados Rest para um consumo fácil no seu aplicativo APEX. Suporte a Markdown Nativo O suporte a Markdown foi amplamente melhorado nesta versão, que inclui um novo parser de Markdown PL/SQL e aprimoramentos para exibir conteúdo formatado em markdown em itens e colunas. •    API de Markdown PL/SQL A nova API Apex markdown permite converter facilmente a abreviatura Markdown para HTML.   •    Itens Formatados de Markdown O tipo de item Exibir Apenas agora suporta uma nova configuração de Formato para exibir conteúdo formatado de Markdown.   •    Colunas Formatadas de Markdown O tipo de coluna Markdown foi renomeado para Rich Text e agora está disponível em Relatórios Interativos e Clássicos.   Novo Tipo de Item Seletor de Data O item Seletor de Data foi totalmente reformulado e agora suporta modos de exibição adicionais, seleção de tempo, faixas dinâmicas mínima e máxima de datas e diversas melhorias na experiência do usuário e na acessibilidade. •    Diferentes modos de exibição Os modos de exibição suportados são pop-up baseado em JET, Inline e HTML Nativo. Todos os modos de exibição suportam Data e Data e Hora.   •    Atributo de Mostrar Tempo O Tempo é ativado através de um novo atributo dedicado 'Mostrar Tempo'.   •    Datas Dinâmicas Mínimas e Máximas O novo item Seletor de Data é capaz de definir intervalos de datas entre itens (por exemplo, 'de' e 'até').   •    UX melhorada UX melhorada na seleção de ano e mês, opções de aparência adicionais (por exemplo, 'Mostrar Semana' e 'Dias Fora do Mês') e alguns outros novos atributos.   Melhorias na Segurança •    Caracteres de Escape Especiais em Itens do Aplicativo Agora existe um atributo para Itens de Aplicativo que lhe permite escapar por caracteres especiais. Esta definição é aplicada ao acessar os itens do aplicativo através da sintaxe de substituição.   •    CABEÇALHO HTTP Referrer-Policy O APEX agora envia um cabeçalho HTTP Referrer-Policy padrão para que os IDs de sessão não sejam mais enviados com o cabeçalho Referrer em links externos.   •    Formato de Markdown Padrão para Editor de Rich Text O Editor de Rich Text agora usa como padrão a saída no formato Markdown para fornecer a melhor segurança pronta para uso.   •    Tempo máximo do Timeout por inatividade da sessão O tempo máximo do Timeout por inatividade da sessão teve um aumento de 12 horas para 24 horas.   Experiência do Desenvolvedor •    Importe Exportações de Aplicativos como ZIP Agora você pode importar arquivos zip de exportações de aplicativos, inclusive zips de aplicativos divididos usando o utilitário APEXExport.   •    Melhorias do SQL Workshop O SQL Workshop agora inclui um novo assistente de Criação de Índice Espacial.   •    Soma de verificação de aplicativo e página Agora você encontra somas de verificação de aplicativos e páginas para comparações fáceis entre diferentes ambientes.   •    Melhorias no Editor de Código Há inúmeras melhorias no editor de código do App Builder, entre elas a alternância entre maiúsculas e minúsculas usando Ctrl-Alt-C, a marcação de itens de página não existentes e diversas opções adicionais do editor para Minimapa, Mostrar Sugestões, Mostrar Números de Linha, Mostrar Espaço em Branco, Modo de Acessibilidade e muito mais. Melhorias nos relatórios •    Carregamento Lento Os Relatórios Clássico e Interativo agora suportam Carregamento Lento, em que os dados do relatório só serão carregados depois que a página tiver sido renderizada ou a guia atual tiver sido ativada. A ativação da alternância de Carregamento Lento aumenta a velocidade do carregamento inicial principalmente das páginas que contêm relatórios com consultas de execução longa.   •    Impressão de relatórios em Árabe e Hebraico A impressão de relatório suporta idiomas complexos de layout de texto, como hebraico e árabe, ao exportar para PDF.   •    Linhas de altura variável em grades interativas As Grades Interativas agora suportam linhas de altura variável definindo a propriedade 'Aparência: Altura de Linha Fixa' como Desativado. Características adicionais •    Aprimoramentos de Ações Dinâmicas Agora você pode definir Condições do Cliente e do Servidor, Autorizações, além de Opções de Criação para Ações Dinâmicas.   •    Melhorado o Tipo de Item da Página Campo de Número O tipo de item de página Campo de Número agora faz formatação automática de acordo com a máscara de formato e a validação no cliente.   •    Atualizado o Tipo de Item da Página Seletor de Cor O tipo de item de página Seletor de Cor foi atualizado para utilizar o componente Oracle JET Color Spectrum e contém uma nova funcionalidade para diferentes modos de exibição, predefinições de cores, verificação de contraste e vários formatos de retorno de valor (HEX, RGB/RGBA, HSL/HSLA, ou qualquer valor de cor CSS).   •    Melhorias na validação do cliente A mensagem de validação no cliente é mais consistente com a do servidor e não exibe mais a pop-up de erro.   •    Aprimoramentos de API do APEX Agora há suporte para GeoJSON e SDO_GEOMETRY nos pacotes APEX_JSON e APEX_EXEC.   Como em qualquer release do APEX, inúmeros bugs foram corrigidos no APEX 21.1, resultando em ainda mais qualidade e estabilidade para ambientes APEX. Para obter mais informações sobre muitos dos outros novos recursos interessantes no APEX 21.1, consulte Notas de lançamento ou visite a página O que há de novo. *Monica Godoy é Gerente Principal de Produtos na Oracle

Nova versão do APEX introduz um novo componente do Mapas, Carregamento de Dados do Aplicativo, suporte para Calendários e Mapas com Pesquisa Facetada e vários aprimoramentos importantes. Por Monica...

Transformação nos Negócios

Easynvest se aproxima de clientes com Oracle Marketing

Easynvest viu no Oracle Marketing, parte da suíte de aplicações de experiência do cliente da Oracle, um portfólio de soluções para conectar dados e entender seu público. Fundada em 1968, a Easynvest é uma corretora de valores que criou na década de 1990 o home broker, a primeira plataforma digital que permitia à pessoa física investir em ações de dentro de casa. Seguindo o DNA de acompanhar a evolução da tecnologia, Easynvest aproveitou o surgimento dos aplicativos de celular para colocar no mercado soluções desenhadas justamente para os aparelhos móveis. Leia mais: Santander melhora jornada do cliente com Oracle Cloud CX Com essa capacidade de inovar, a empresa queria conhecer ainda mais os clientes e, para isso, decidiu que seria importante conseguir olhar mais para os dados para se conectar ainda mais com o público e poder oferecer todos os produtos possíveis e que atendenssem as necessidades dos clientes. Para conseguir atingir seu objetivo a empresa optou por investir no Oracle BlueKai Data Management Plataform e o Oracle Infinity Behavioral Intelligence, para conhecer seus clientes em profundidade e poder voltar a negociar com clientes que abandonaram uma transação.

Easynvest viu no Oracle Marketing, parte da suíte de aplicações de experiência do cliente da Oracle, um portfólio de soluções para conectar dados e entender seu público. Fundada em 1968, a Easynvest é...

Inovação

Oracle e Universidade de Oxford se unem para acelerar identificação de variantes da COVID-19

A parceria permitirá o sequenciamento genômico global e o exame através de uma plataforma especializada desenvolvida na Oracle Cloud Infrastructure para ajudar a mitigar o impacto de variantes potencialmente perigosas da COVID-19. O surgimento de mais variantes infecciosas do vírus da COVID-19 ameaça retardar a recuperação global e potencialmente frustrar a imunidade pela vacina atual. Para ajudar os governos e as comunidades médicas a identificar e agir mais rapidamente sobre essas variantes, a Universidade de Oxford e a Oracle criaram um Sistema Global de Análise de Patógenos (GPAS) que combina a Plataforma Escalável de Pipeline de Patógenos (SP3) da Oxford com o poder da Oracle Cloud Infrastructure (OCI). Esta iniciativa baseia-se no trabalho de um consórcio financiado pelo Wellcome Trust, incluindo a Public Health Wales, a Universidade de Cardiff e a Public Health England. “Esta nova ferramenta poderosa permitirá que os cientistas de saúde pública em estabelecimentos de pesquisa, agências de saúde pública, serviços de saúde e empresas de diagnóstico em todo o mundo ajudem a entender melhor as doenças infecciosas, começando com o coronavírus", disse Derrick Crook, Professor de Microbiologia no Departamento de Medicina de Nuffield na Universidade de Oxford. “O Sistema Global de Análise de Patógenos ajudará a estabelecer um padrão comum global para montar e analisar este novo vírus, bem como outras ameaças microbianas à saúde pública. O que adiciona uma nova dimensão na nossa capacidade de processar dados de patógenos. Estamos entusiasmados com a parceria com a Oracle para aprofundar nossa pesquisa usando esta plataforma de tecnologia de ponta.” -Leia mais: Tecnologia da Oracle no centro da distribuição de vacinas e tratamentos para COVID-19 Usado pela primeira vez para tuberculose, o SP3 foi reaproveitado para unificar, padronizar, analisar e comparar dados de sequência do SARS-CoV-2, produzindo sequências genômicas anotadas e identificando novas variantes juntamente com as que causam preocupação. A capacidade de processamento do SP3 foi aprimorada com um extenso trabalho de desenvolvimento da Oracle, permitindo alto desempenho e segurança, além da disponibilidade mundial de 24 horas 7 dias por semana do sistema SP3 na Oracle Cloud.  O sistema SP3 fornecerá resultados abrangentes e padronizados das análises da COVID-19 dentro de minutos após a submissão em escala internacional. Os resultados serão compartilhados com países de todo o mundo num ambiente seguro. “A oportunidade de aplicar o exame sistemático para variantes genéticas em uma variedade de patógenos terá grandes benefícios para a saúde pública global. Este programa, com a Oracle como parceira, nos leva um passo mais perto desse objetivo ", disse Sir John Bell, professor de Medicina da Universidade de Oxford. Juntamente com os amplos recursos de machine learning na Oracle Cloud, cientistas, pesquisadores e governos em todo o mundo podem processar, analisar, visualizar e agir sobre uma ampla coleção de dados de patógenos da COVID-19 pela primeira vez. Isso inclui a identificação de variantes de interesse e seu impacto potencial na eficácia da vacina e do tratamento. Por exemplo, dashboards de análise no sistema mostrarão quais cepas específicas estão se espalhando mais rapidamente do que outras e se as características genéticas contribuem para aumentar a transmissibilidade e o escape vacinal. A Oxford já processou metade das sequências do SARS-CoV-2 no mundo, mais de 500.000 no total. “Há uma necessidade crítica de cooperação global no sequenciamento genômico e no exame da COVID-19 e de outros patógenos", disse o chairman e CTO da Oracle, Larry Ellison. “O sistema SP3 aprimorado estabelecerá um padrão global para coleta e análise de dados de patógenos, permitindo que os pesquisadores médicos entendam melhor o vírus da COVID-19 e outras ameaças microbianas à saúde pública.” O próximo passo será estender este serviço a todos os patógenos, colaborando simultaneamente com cientistas de estabelecimentos de pesquisa, agências de saúde pública e empresas privadas para garantir que este trabalho possa informar a tomada de decisão sobre estratégias de resposta a pandemias em todo o mundo. A plataforma será gratuita para pesquisadores e organizações sem fins lucrativos e poderá ser usada em todo o mundo. O que a comunidade de saúde diz “A plataforma SP3 resultou de atividades de envolvimento, design e teste que têm sido executadas nos últimos anos através de uma estreita colaboração entre pesquisadores da Universidade de Cardiff e da Universidade de Oxford, da Public Health England e do Instituto Europeu de Bioinformática, juntamente com outras partes interessadas da saúde pública no Reino Unido. Este novo Sistema Global de Análise de Patógenos permitirá que os cientistas colaboradores analisem um conjunto de dados mundiais de novas maneiras, fornecendo melhor inteligência sobre as variantes virais de preocupação e seu potencial de disseminação ", disse o Professor Thomas R Connor, Faculdade de Biociência da Universidade de Cardiff. A Dra. Isabel Oliver, Diretora do Serviço Nacional de Infecção da Public Health England, observou: “Esta doação é um estímulo bem-vindo para a capacidade de compartilhar dados de sequenciamento genômico com colegas em todo o mundo. Não só um forte exame genômico e dados amplamente disponíveis são cruciais para os nossos esforços coletivos para combater a pandemia atual, mas também terão benefícios contínuos para a resposta a outros patógenos no futuro. Isso poderia potencialmente ter um impacto positivo de longo alcance na saúde pública internacional e na segurança da saúde global. À medida que novas variantes do SARS-CoV-2 emergem em todo o mundo, é necessário um esforço global cooperativo para responder de forma eficaz. Parcerias como esta são absolutamente vitais para garantir que possamos mitigar o impacto da COVID-19 na população mundial e que possamos continuar a fortalecer nossa capacidade de enfrentar ameaças emergentes nos próximos anos.”

A parceria permitirá o sequenciamento genômico global e o exame através de uma plataforma especializada desenvolvida na Oracle Cloud Infrastructure para ajudar a mitigar o impacto de variantes...

Desenvolvedores

Java é reconhecido como a linguagem favorita de programação

 Com 84% dos votos de mais de 5.000 membros, a DZone anunciou que o Java foi selecionado como a linguagem de programação de desenvolvedores favorita pelo público. Por Sharat Chander* 2020 foi um ano muito especial para o Java. Em 23 de maio de 2020, a comunidade mundial de desenvolvedores celebrou 25 anos de Java. Este marco memorável foi uma celebração de 25 anos de constante inovação e participação da comunidade. Ele serve como um lembrete de que o mundo é realmente Movido a Java, bem como uma indicação de que o Java continua sendo a linguagem de programação mais popular do mundo entre os desenvolvedores. De acordo com o último relatório da IDC "Java completa 25 anos", mais de nove milhões de desenvolvedores que representam 69% dos desenvolvedores em tempo integral em todo o mundo usam Java – mais do que qualquer outra linguagem de programação. -Leia mais: A chegada do Java 16 Também em 2020, a DZone (uma das maiores editoras de recursos de conhecimento para desenvolvedores de software do mundo) realizou o seu programa anual Audience Awards. Com 84% dos votos de mais de 5.000 membros, a DZone anunciou que o Java foi selecionado como a linguagem de programação de desenvolvedores favorita pelo público da DZone. O apresentador dos prêmios deste ano, Justin Albano(Engenheiro de Software da Catalogic Software, Inc. e programador Java de longa data) disse: "Com a inovação e entusiasmo que a equipe Java da Oracle introduziu na linguagem, fica claro por que o Java continua sendo o líder!" A popularidade do Java no ecossistema do desenvolvedor decorre de seus atributos característicos de independência da plataforma, estabilidade previsível, desempenho, um ecossistema global, massivo e vibrante; e a liderança técnica contínua e a administração da comunidade pela Oracle. Georges Saab (O VP do Java Platform Group na Oracle e presidente da diretoria do OpenJDK ) disse: "A abertura e a transparência do desenvolvimento são os pilares que mantêm o Java vibrante. Sob a comunidade OpenJDK, a Oracle continua a impulsionar a inovação da linguagem e plataforma Java para abordar um amplo espectro de desenvolvimento de aplicativos." Juntamente com sua liderança em engenharia, impulsionada pela Comunidade OpenJDK, a Oracle também faz investimentos substanciais para promover a vivacidade da comunidade Java. Por meio de uma vasta coleção de recursos como a Java Magazine (artigos técnicos para desenvolvedores por desenvolvedores), Oracle Academy (conteúdo para expandir o conhecimento Java), Oracle University (aulas e certificações em Java) e inside.java (notícias e opiniões técnicas da equipe de desenvolvimento Java da Oracle), a Oracle busca apoiar e incentivar ainda mais os milhões de desenvolvedores Java globalmente. Chad Arimura (O VP do Java Developer Relations) disse: “A comunidade de desenvolvedores é a vida do Java e aqui na Oracle continuamos a engajar cuidadosamente os desenvolvedores para encontrá-los onde estiverem para ajudar a promover mais comunicação e cooperação que resultem em manter o Java vibrante." Os próximos 25 anos – e muitos mais – têm tudo para serem brilhantes, se considerarmos os valores do passado, juntamente com a contínua inovação técnica e cooperação da comunidade de desenvolvedores Java. Agradecemos à DZone e aos seus membros por honrarem o Java! *Sharat Chander é Diretor de Gestão de Produtos do JAVA SE

 Com 84% dos votos de mais de 5.000 membros, a DZone anunciou que o Java foi selecionado como a linguagem de programação de desenvolvedores favorita pelo público. Por Sharat Chander* 2020 foi um ano...

Transformação na TI

Anunciando as inovações do Oracle Analytics Cloud

Automatize o fluxo de trabalho analítico para ajudar os usuários a prever resultados através de interações mais ricas com dados. Por T. K. Anand* Estou muito feliz em anunciar um conjunto de recursos novos do Oracle Analytics Cloud de análises de autoatendimento fáceis de usar - para todos os funcionários, e não apenas especialistas em dados. Os clientes agora podem experimentar interações com seus dados através de mapas, análise visual da cesta de compras e dispositivos móveis para identificar mais rapidamente padrões e relacionamentos, e assim prever resultados e tomar decisões mais rápidas. Os aprimoramentos do Oracle Analytics Cloud incluem machine learning explicável, preparação de dados para transformar dados específicos do cliente em informações de qualidade, análise de texto integrada, análise de afinidade, conhecimento de referência personalizado, análise de gráficos, análise de mapas personalizada, consultas de linguagem natural e narrativas, bem como um novo aplicativo móvel. -Leia mais: Oracle anuncia segunda região de nuvem no Brasil “A inovação da Oracle em automação baseada em IA em todas as fases da análise e business intelligence continuum oferece insights, recomendações e ações no contexto de atividades de negócio em toda a empresa, que aceleram os resultados desejados," explica Dan Vesset, Vice-Presidente de Grupo, Analytics e Information Management do IDC. Inovações no Oracle Analytics Cloud As principais novas capacidades incluem: •    Machine Learning Explicável: Agora qualquer usuário pode ver explicações simples dos fatores que influenciaram um modelo de machine learning para prever determinado resultado. Além disso, o usuário pode interagir com um modelo, ajustando fatores para sintonia fina dos resultados. Por exemplo, de todos os fatores que influenciaram a negação de um pedido de empréstimo bancário, o usuário pode ver rapidamente quais fatores foram mais determinantes e por quê. •    Preparação Automatizada de Dados: Um mecanismo de criação de perfis analisa uma amostra de dados para identificar e alertar proativamente o usuário sobre possíveis problemas de qualidade de dados, como sugerir automaticamente a ocultação de informações confidenciais do cartão de crédito ou o número da previdência social. Ele pode enriquecer códigos postais com dados sobre cidade, população, renda, etnia e pagamento, para fornecer uma análise de localização mais detalhada. Os usuários podem enriquecer ainda mais os dados adicionando mais informações específicas do negócio, como regiões de vendas, zonas de entrega ou categorias de produtos. •    Análise de Texto: A análise de texto permite extrair palavras de dados não estruturados, contá-las, visualizar os resultados e, em seguida, unir essa análise aos seus dados originais, para que se possa pesquisar qualquer nível de detalhe. Por exemplo, a análise de sentimentos usa a análise de texto para determinar se os comentários são negativos, positivos ou neutros, permitindo que os usuários entendam como sua marca é percebida ou como o lançamento de um produto está funcionando com base em texto de pesquisas ou mídias sociais. •    Análise de Afinidade: Descubra relacionamentos nos seus dados identificando conjuntos de itens que muitas vezes aparecem juntos. Esta técnica de mineração de dados também é conhecida como aprendizagem de regras por associação. Uma aplicação comum e útil é a análise da cesta de compras em bens de consumo ou dados de varejo, onde os usuários podem obter a probabilidade de diferentes produtos serem comprados em conjunto para tomar decisões de marketing. Ao desenvolver promoções, os varejistas muitas vezes olham para combinações populares para desenvolver suas estratégias para aumentar as vendas de produtos. Por exemplo, os compradores que compram cereais muitas vezes também compram leite. Compreender essa co-ocorrência de itens em um conjunto ajuda os varejistas a gerenciar melhor o layout da loja, as ofertas de cupons e as vendas cruzadas, e é valioso para marketing direto, promoções de vendas e para a descoberta de tendências de negócios. •    Análise de Grafos: As análises de grafos mostram relacionamentos de dados visualmente: como as pessoas e transações estão conectadas ou a menor distância entre dois hubs em uma rede.  Usando o Oracle Analytics Cloud, qualquer pessoa pode facilmente analisar dados grafos no Autonomous Data Warehouse. Isso tem aplicações poderosas em uma variedade de vários domínios, desde marketing e mídias sociais até segurança e conformidade. Por exemplo, a pesquisa de rotas permite que o usuário encontre o caminho mais curto entre dois pontos; outro uso comum de análise de grafos é para classificar e medir a importância das páginas de sites.   •    Análise de Mapa Personalizada: A análise de mapas oferece aos usuários a capacidade de aplicar imagens personalizadas como fundos de mapas e criar camadas de mapas para aprimorar as visualizações de dados. Por exemplo, os médicos podem visualizar dados sobre uma imagem do corpo humano para identificar áreas que exigem atenção e rastrear visualmente o impacto da medicação ou de outros tratamentos. Os mapas podem ser carregados no OAC ou hospedados em um servidor web como um fundo dinâmico, usando o protocolo Web Map Service (WMS) e camadas de blocos XYZ. Isso permite que os clientes usem informações de mapas às quais talvez não tenham acesso em sua empresa, como mapas meteorológicos e plantas de edificação, e as apresentem facilmente com seus dados corporativos. •    Novo aplicativo Oracle Analytics Mobile: Com o novo aplicativo Oracle Analytics Mobile, é possível encontrar dados de forma rápida e fácil, com uma experiência de usuário consistente – tanto no Oracle Analytics Cloud quanto no aplicativo. Ele permite que os usuários interajam com visualizações de dados, explorem painéis e compartilhem informações entre as equipes para obter mais colaboração. Os usuários também podem ouvir narrativas de áudio geradas em linguagem natural, dos pontos mais importantes de relatórios, painéis e visualizações. •    Processamento de Linguagem Natural: A Oracle Analytics Cloud permite que os usuários consultem seus dados em linguagem natural, utilizando uma experiência de pesquisa simples – usando texto ou voz – e obtenham narrativas faladas dos resultados. Ele suporta 28 idiomas diferentes e várias construções linguísticas como sinônimos, abreviaturas, filtros dinâmicos e cálculos. Os usuários podem digitar, enviar mensagens de texto ou falar em voz alta para fazer perguntas empresariais, como "qual a rotatividade de funcionários neste mês?" e obter em troca um painel de desgaste de um funcionário. O Oracle Analytics Cloud não só aceita a linguagem natural como entrada, como também produz narrativas em linguagem natural que explicam os resultados da consulta. Ele tem um mecanismo de geração de linguagem natural incorporado que compreende o contexto dos dados que um usuário está procurando e atualiza automaticamente a narrativa à medida que o usuário adiciona dados, altera filtros ou, de outra forma, altera o contexto como em um processo típico de descoberta e análise de dados. Em resumo, agora oferecemos um conjunto mais rico de recursos que alimentam todo o fluxo de trabalho analítico, desde conectar-se a uma fonte de dados, transformar e preparar os dados, modelá-los, explorá-los e compartilhar resultados com outros, tudo dentro de uma experiência de usuário rica e envolvente.   Estas últimas atualizações refletem o nosso foco na inovação e na resposta às necessidades dos nossos clientes. É por isso que estamos particularmente empolgados em nos ramificar em novas maneiras pelas quais nossos clientes podem compartilhar dados e análises na forma de “histórias de dados". Tudo através de uma plataforma única e extensível de análise de nuvem, que permite que todos criem experiências visuais personalizadas com pouco ou nenhum código. *T. K. Anand é Vice-Presidente Sênior de Analytics na Oracle

Automatize o fluxo de trabalho analítico para ajudar os usuários a prever resultados através de interações mais ricas com dados. Por T. K. Anand* Estou muito feliz em anunciar um conjunto de recursos...

Transformação nos Negócios

Oracle é nomeada líder no The Forrester Wave™ para soluções de automação da força de vendas no 2º trimestre de 2021

A Oracle Sales foi nomeada líder no The Forrester Wave™: Sales Force Automation Solutions, Q2, 2021 e obteve a mais alta pontuação na categoria de ofertas atuais. Por Katrina Gosek * Se você é Diretor Executivo de Receita, imagino que seu trabalho tem sido desafiador ultimamente, para dizer o mínimo. Não importa se você trabalha em uma empresa que está se recuperando ou que inesperadamente tem tido sucesso — a pressão é enorme. É por isso que a equipe da Oracle Sales tem trabalhado incessantemente para ajudar a tornar o seu trabalho diário um pouco mais fácil. As organizações de vendas desempenham um papel muito importante nas iniciativas de geração de receita de uma empresa. Mas é possível que um inimigo à espreita nas sombras — ou talvez à vista de todos — esteja prejudicando o potencial dos seus melhores vendedores. Esse inimigo é a adoção tardia de sistemas de Gestão do Relacionamento com Clientes (CRM). E esse atraso continua a ser uma das maiores barreiras ao crescimento da receita. No entanto, isso não é tão surpreendente, uma vez que os sistemas tradicionais de CRM não foram, na verdade, projetados para ajudar os vendedores a vender ou interagir melhor com os clientes. Em vez disso, eles foram projetados para ajudar os gerentes de vendas a fazer previsões melhores e capturar dados do pipeline. Essa é uma desconexão bastante significativa. Leia mais: Inovação da Oracle em uma nova geração de aplicativos em nuvem Vendedores odeiam tanto o seu sistema de CRM que 66% deles disseram que preferem limpar banheiros a atualizar o sistema, e 85% disseram que já cometeram erros potencialmente embaraçosos devido a dados de CRM defeituosos. Nesse caso, é muito possível que seus vendedores sequer estejam fazendo login no sistema de CRM, muito menos atualizando. E quem poderia culpá-los? A inteligência do seu CRM não tem valor quando a IA é "aparafusada" nele, em vez de ser parte nativa do sistema. E se os vendedores não estão fornecendo feedback a essa IA, ela não consegue melhorar. Ou seja, eles confiam em sua intuição em vez de confiar em uma máquina, o que provavelmente os permite avançar, mas não é uma solução escalonável para empresas em 2021. A abordagem da Oracle Na Oracle, adotamos uma abordagem diferente da de outros fornecedores — nós situamos a experiência do vendedor no núcleo do nosso produto. Construímos um sistema que ajuda os vendedores a terem interações mais significativas com os clientes fornecendo-lhes direcionamentos prescritivos baseados em recursos de IA e ML integrados e orientados a dados — e não apenas dados sobre a experiência do cliente. A Oracle é única na medida que somos capazes de conectar perfeitamente os dados do front-office e do back-office para fornecer aos vendedores uma visão completa dos seus clientes, abrangendo o passado e o presente. Quando um sistema funciona como uma fonte de recomendação confiável, os vendedores o adotam, atualizam e usam. Essa visão que estamos fornecendo continuamente é chamada de Responsive Selling (Venda Responsiva), e nosso objetivo é ajudar os CROs a gerenciar um funil de vendas multiexperiência que toca o comprador, o vendedor, o revendedor e o departamento financeiro. E acreditamos que nossa visão está aprovada. A Forrester classificou a Oracle como Líder e nos concedeu a mais alta pontuação na categoria de ofertas atuais do relatório The Forrester Wave™: Sales Force Automation Solutions do 2o trimestre de 2021. A Forrester reconheceu que temos “uma sólida visão fundamentada em dados e IA e um roteiro alinhado, projetado para automatizar a gestão de dados e os processos de vendas e fornecer experiências altamente personalizadas e baseadas em funções”. Para saber mais, faça download do relatório completo. Mais inovações a caminho Estamos no caminho certo, mas nosso trabalho não acaba nunca — e não vamos desacelerar tão cedo. Como uma organização centrada no cliente, prosperamos quando ajudamos nossos clientes a resolver problemas e nos sentimos honrados em ser uma pequena parte do sucesso deles. A Oracle Sales continuará inovando e fornecendo um sistema que combina nossa abordagem de plataforma unificada e diferenciada com uma inteligência de vendas completa e experiências prescritivas para os vendedores. * Katrina Gosek é vice-presidente de desenvolvimento de produtos para Oracle CX.

A Oracle Sales foi nomeada líder no The Forrester Wave™: Sales Force Automation Solutions, Q2, 2021 e obteve a mais alta pontuação na categoria de ofertas atuais. Por Katrina Gosek * Se você é Diretor...

Transformação na TI

Podcast: cloud computing e a grande disrupção

Primeiro episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, traz entrevista com Marcos Pupo, Vice-Presidente Sênior de Cloud da Oracle. A história da computação em nuvem, seus principais conceitos e como essa tecnologia pode habilitar possibilidades quase infinitas para as empresas. Esses são alguns dos temas abordados na nova série de podcasts “Cloudly: a história da nuvem e a sua força transformadora nos negócios", produzida pelo MIT Sloan Review Brasil com apoio da Oracle e da Intel. Intitulado “Cloud Computing, A Grande Disrupção”, o primeiro dos três episódios da série fala sobre o surgimento da nuvem e seu poder transformacional. O programa traz uma entrevista especial com Marcos Pupo, Vice-Presidente Sênior de Cloud da Oracle, além de outros especialistas quando o assunto é tecnologia e computação em nuvem. -Leia mais: Oracle anuncia segunda região de nuvem no Brasil “A gente já vem tendo um crescimento forte da demanda por nuvem, pensando no Brasil, há pelo menos uns quatro, cinco anos. Depois da COVID-19, nós percebemos uma aceleração muito grande, talvez de empresas que anteriormente ainda estavam se questionando sobre o que levar para fora, o que manter dentro de casa. Acho que esse paradigma se quebrou de alguma maneira”, explica Pupo. Para ouvir o episódio na íntegra, clique no player abaixo!

Primeiro episódio da série “Cloudly”, feita em parceria com o MIT Technology Review e com apoio da Intel, traz entrevista com Marcos Pupo, Vice-Presidente Sênior de Cloud da Oracle. A história da comput...

Transformação na TI

Oracle anuncia segunda região de nuvem no Brasil

Nova região fica localizada em Vinhedo, interior de São Paulo. Estratégia de duas regiões apoia as empresas com recuperação de desastres e requerimentos de conformidade. Para apoiar a crescente demanda das empresas por serviços em nuvem no Brasil, a Oracle anuncia hoje, 12/5, a segunda região de nuvem, em Vinhedo (São Paulo). Essa iniciativa segue a abertura de São Paulo, em 2019, fazendo com que o Brasil seja o mais novo país a oferecer duas regiões. A abertura marca a 30ª região de nuvem da Oracle no mundo e é parte do plano global da empresa de operar 38 regiões até o final de 2021. Os esforços de transformação digital no país foram acelerados pela pandemia global e a Oracle está trabalhando com organizações para ajudá-las a migrarem para a nuvem com segurança e em conformidade com os regulamentos de soberania de dados. -Leia mais: Premier League seleciona nuvem da Oracle para impulsionar novo Advanced Football Analytics “Temos a certeza de que, com o nosso plano de expansão de infraestrutura na nuvem, continuamos a apoiar o crescimento das empresas, bem como democratizar o uso da tecnologia em todo o País. Incentivar os negócios dos diversos setores com inovação e, por consequência, gerar impacto positivo na sociedade. Isso faz parte da nossa visão”, afirma Rodrigo Galvão, presidente da Oracle Brasil. A Oracle continua fazendo investimentos significativos no Brasil a fim de apoiar o rápido crescimento dos clientes e parceiros.  O anúncio de hoje vem na sequência da recente expansão da parceria de interoperabilidade de nuvem entre Oracle e Microsoft para ajudar os clientes em comum mundialmente, como a TIM Brasil, que está migrando seus dados de missão crítica para Oracle Cloud e Microsoft Azure. Essa interconectividade significa que as empresas podem agora levar suas cargas de trabalho para as regiões de nuvem da Oracle e Microsoft no país. A Oracle tem uma estratégia exclusiva de duas regiões de nuvem que permite aos clientes implantarem aplicativos resilientes em diversos locais separados geograficamente para recuperação de desastres e com requisitos de conformidade - sem que dados confidenciais saiam do país. A Oracle é o único grande provedor de nuvem com regiões de nuvem dupla no Brasil, permitindo que as empresas executem suas cargas de trabalho de missão crítica na Oracle Cloud. A nova região de nuvem fornecerá serviços Oracle Cloud Infrastructure, incluindo Oracle Autonomous Database, Kubernetes, solução Oracle Cloud VMware, Oracle Cloud Infrastructure e Oracle Cloud Applications. Também proporcionará diversos benefícios aos clientes, especialmente os de setores altamente regulamentados com restrições de acesso a servidores fora do território nacional. A Oracle tem trabalhado para promover a adoção de energia renovável, melhorar a eficiência hídrica e obter certificações ambientais. A Oracle Cloud leva aos clientes a oportunidade de agregar valor aos negócios e reduzir seu impacto ambiental, desde o fornecimento de materiais e energia renovável até recursos de nuvem, como computação flexível, que combina com precisão esses recursos às necessidades de carga de trabalho de forma granular, o que reduz o consumo e os custos. Benefícios da região de nuvem de Vinhedo para os clientes e parceiros A Oracle está ajudando empresas de todos os tamanhos e setores a acelerarem a jornada para a nuvem, como TIM Brasil, SKY, Rumo e Sky.One, proporcionando máximo controle e alto nível de segurança de dados. A região de nuvem de Vinhedo terá disponibilidade contínua de até 99,995%, garantindo que não haja interrupções. Além disso, a migração para a região da nuvem de Vinhedo levará às empresas segurança e nos exigentes requisitos de residência de dados, bem como na redução de custos operacionais e modernização de aplicações legadas. Líder na cobertura 4G e uma das maiores operadoras do País, a TIM Brasil decidiu recentemente fazer a migração de 100% dos seus datacenters em linha com plano estratégico da empresa, que envolve digitalizar todos os processos, inclusive nas plataformas de atendimento e relacionamento. A empresa firmou contrato com Oracle e Microsoft, que permitirá à empresa aprimorar processos de atendimento ao cliente, operações internas, faturamento, arrecadação e gestão de plataformas digitais com rapidez, escalabilidade e segurança, em um projeto que combina inovação, sustentabilidade e eficiência. “Nossa proposta é levar a experiência do cliente a um novo patamar, com mais eficiência e agilidade, sempre com os mais altos níveis de segurança. Somos a primeira operadora a promover uma mudança com essa dimensão, antecipando também iniciativas ligadas a governança e sustentabilidade, dentro de um projeto maior, relacionadas a uma agenda ESG que permeia toda a atuação da TIM. Estamos acompanhando o movimento de mercado e investindo em áreas como Analytics e Digital, fundamentais para a expansão dos negócios da empresa, e contamos com parceiros que atendem aos mais altos níveis de qualidade para destacar nosso pioneirismo e referência para o setor de Telecomunicações”, declara Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil. A SKY iniciou seu plano para jornada de transformação digital em 2018, quando a operadora de TV por satélite optou por usar Oracle Autonomous Database para executar análises automatizadas em tempo real com agilidade e segurança, levando mais valor aos seus clientes. O sistema opera na infraestrutura Oracle Cloud Infrastructure (OCI). A experiência gerou resultados importantes e, por isso, a SKY decidiu migrar, ainda este ano, 80% de seus datacenters para a infraestrutura na nuvem da Oracle. Segundo André Nazaré, diretor de Infraestrutura e TI da SKY, o momento do mercado demanda agilidade da empresa que encontrou na OCI uma forma de atingir um time to market melhor. “Precisamos ter uma praticidade de fazer experimentações de produtos para desenvolver novas soluções. Com a OCI, teremos oportunidade de inovar, testar e criar novas ofertas”, destacou. Rumo é uma empresa do Grupo Cosan e maior operadora de logística ferroviária do Brasil, inova em suas operações para garantir que suas soluções logísticas sejam entregues da melhor forma. Responsável pelo transporte de 26% do volume de grãos exportados pelo Brasil e 30% do transporte de açúcar no mundo. A solução escolhida foi a Oracle Cloud Infrastructure (OCI) que, ao longo de três meses e no meio da pandemia, recebeu todas as áreas da Rumo, tais como sistemas administrativos, suprimentos, faturamento e sistemas do centro de controle de operação ferroviária, o equivalente a 150 terabytes de informações. De acordo com Yugo Nomura, líder de Tecnologia da Informação da Rumo, a migração para nuvem foi um sucesso. “Anteriormente, tentamos migrar nossos sistemas de Centro de Controle para outras soluções on-premises e não deu certo. Essa foi a primeira vez que conseguimos fazer a migração e rodar todas as operações normalmente em nuvem, sem gerar qualquer indisponibilidade”, conta. Sky.One surgiu em um pequeno espaço de co-working e hoje consolidou-se como uma das principais companhias especializadas no desenvolvimento de plataformas que transformam a maneira como as empresas consomem tecnologia, agregando inteligência e agilidade, permitindo a reinvenção dos modelos de negócios de seus clientes e parceiros.  Em 2020, a Sky.One cresceu 80% e iniciou 2021 com a expansão acelerada dos novos produtos e mais fortemente no mercado internacional, o qual já alcançou uma maturidade suficiente para oferecer também os outros produtos já testados no Brasil. De acordo com o CEO da Sky.One, Ricardo Brandão, a empresa atende clientes que utilizam a modalidade on premise e há um longo caminho a percorrer no que diz respeito à transformação digital. “Muitas empresas ainda não conhecem o potencial da nuvem, como segurança, custo reduzido e agilidade e a companhia entende esse cenário como uma oportunidade e, por isso, optou por contar com a Oracle como mais uma provedora de nuvem usufruindo das vantagens da Oracle Cloud Infrastructure, afirma Brandão. Oracle Cloud Infrastructure FastConnect oferece conectividade para as regiões de Oracle Cloud Infrastructure e outros serviços da Oracle Cloud. O FastConnect conta com uma maneira fácil, flexível, elástica e econômica de criar uma conexão dedicada e privada com opções de largura de banda mais alta e uma experiência de rede mais confiável e consistente em comparação com conexões públicas baseadas na Internet. O FastConnect está disponível via parceiros FastConnect ou conexão direta. Está disponível por meio dos parceiros Equinix, Ascenty e Lumen. Compromisso com o Brasil A Oracle está presente no Brasil há 33 anos com compromisso de longo prazo para apoiar o desenvolvimento local, empoderando as pessoas e organizações por meio da inovação, bem como ajudando as empresas de todos os tamanhos dos setores público e privado, a crescerem de forma sustentável na nova economia digital. A inovação está no DNA da empresa. A Oracle inaugurou a Casa Oracle, em São Paulo, em 2019, para promover a transformação digital, inovação, conhecimento e experiências. Atualmente o espaço é virtual devido a pandemia e continua estreitando as conexões com clientes, parceiros, estudantes, educadores, startups, desenvolvedores e comunidade. O principal propósito é incentivar a inovação em todos os níveis da sociedade, incluindo a co-criação de soluções baseadas nas últimas tecnologias, como Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Blockchain, entre outros. O tema Educação é um dos pilares da empresa e, com o programa filantrópico Oracle Academy, promove a capacitação de professores em tecnologia com acesso ao conteúdo e conhcimento, além de disponibilizar infraestrutura de software e nuvem Oracle. Com isso, os estudantes passam a aprimorar suas habilidades e podem se preparar para as profissões do futuro, gerando oportunidades de empregabilidade em TI. Atualmente, o programa atua em em todos os estados brasileiros com a participação de mais de 1.000 instituições de ensino, treinando mais de 5.000 professores e impactando milhares de alunos em todo o País. Expansão Global das regiões de Oracle Cloud A Oracle abriu 12 regiões de nuvem, em 2020, e atualmente opera 30 regiões globalmente - 23 comerciais e sete governamentais e diversas regiões dedicadas aos serviços de inteligência dos Estados Unidos - a expansão mais rápida feita por qualquer grande provedor de nuvem. Para ajudar os clientes a manterem a continuidade dos negócios e proteção contra desastres, atendendo aos requisitos de residência de dados de seu país, a Oracle planeja estabelecer pelo menos duas regiões em quase todos os países onde atua. Os Estados Unidos, Canadá, União Européia, Reino Unido, Coreia do Sul, Japão, Brasil, Índia e Austrália já têm duas regiões de nuvem. As próximas regiões que incluem segundas regiões nos Estados Unidos, Arábia Saudita e União Europeia são Itália, Suécia e França; bem como novas regiões em Cingapura, África do Sul e Israel. As regiões de Oracle Cloud atualmente disponíveis incluem: •    Ásia Pacifico: Toquio, Osaka, Seoul, Chuncheon, Mumbai, Hyderabad, Sydney, Melbourne; •    Américas: San Jose, Phoenix, Ashburn, Toronto, Montreal, São Paulo, Vinhedo, Chile; •    Europa: Frankfurt, Londres, Zurique, Amsterdam, Wales; •    Oriente Médio: Jeddah, Dubai; •    Governo: duas regiões para governo dos Estados Unidos e para US National Security; três para Departamento de Defesa dos Estados Unidos e duas no Reino Unido.

Nova região fica localizada em Vinhedo, interior de São Paulo. Estratégia de duas regiões apoia as empresas com recuperação de desastres e requerimentos de conformidade. Para apoiar a crescente demanda...

Histórias de Sucesso

Smiles melhora performance de sua aplicação em 300% com a Oracle

Empresa do mercado de fidelidade e recompensas buscava mais escalabilidade e disponibilidade para sua infraestrutura. A resposta foi migrar para a Oracle Cloud Infrastructure. As raízes da Smiles, empresa ligada a Gol Linhas Aéreas, são mais antigas do que se imagina. Com mais de 25 anos de história, a marca tem como origem o antigo programa de fidelidade da Varig, empresa de aviação brasileira que foi adquirida pela Gol em 2007. Como parte da nova companhia, o programa de fidelidade cresceu e foi transformado em uma área de negócios separada entre o final de 2012 e início de 2013, status que foi consolidado com um IPO (Oferta Pública Inicial) bilionário realizado em abril de 2013. Jovem, a Smiles independente surgiu para facilitar ainda mais a vida dos clientes da Gol para usar os benefícios gerados pelo programa de milhas. Dessa forma, além de continuar sendo uma importante ferramenta de relacionamento com os clientes GOL, o programa Smiles cresceu e passou a contar com novos parceiros nos mais variados segmentos, possibilitando ao participante acumular e resgatar milhas em passagens ou produtos e também disponibilizando serviços. -Leia mais: DMA aumenta performance em mais de 100% com Oracle Cloud Mesmo com menos de 10 anos de mercado como uma entidade independente, a Smiles conta com 140 funcionários e, em 2020, teve faturamento de R$ 1,9, bilhão com seus produtos da área do turismo, que incluem mais de 170 países como destinos de viagens proporcionadas pela Gol e mais de 50 parceiros aéreos, e do marketplace, o Shopping Smiles, que conta com uma extensa e diversificada rede de empresas ligados aos setores de turismo, entretenimento, varejo – que vão desde companhias aéreas, bancos, administradoras de cartões de crédito, aos principais varejistas do Brasil, hotéis, aluguel de carros e postos de combustíveis. Desde que se tornou independente, a empresa convive com o desafio mais tradicional do ambiente digital: estar disponível 24h por dia, todos os dias da semana – como uma loja que nunca fecha. Com mais de 4 milhões de sessões e 2 milhões de buscas diárias em seu site, 2,5 milhões de transações processadas por mês para uma base de 18 milhões de clientes, é preciso contar com uma infraestrutura que suporte todo esse volume de tráfego de informações. Nei Henckes, gerente de Operações, Infraestrutura, Cyber Security e Sustentação da Smiles, define essa situação como ser “100% cloud” – característica proporcionada também pelas soluções da Oracle.

Empresa do mercado de fidelidade e recompensas buscava mais escalabilidade e disponibilidade para sua infraestrutura. A resposta foi migrar para a Oracle Cloud Infrastructure. As raízes da Smiles,...

Histórias de Sucesso

Armazém Paraíba fortalece ecommerce com Oracle Cloud CX

Empresa brasileira aumentou valores de venda em 10% e chegou a 99,999% de uptime na Black Friday com a ajuda das soluções de CX e da infraestrutura em nuvem da Oracle. O Armazém Paraíba é uma empresa de varejo que comercializa de smartphones e eletrodomésticos a móveis. Com mais de 60 anos de atividade, ela soma atualmente 55 lojas espalhadas em quatro estados do Nordeste: Paraíba, Bahia, Pernambuco e Ceará. Além das lojas físicas, a empresa passou a investir nos últimos anos em fortalecer a sua operação online. E as mudanças nos aspectos econômicos e sociais causadas pelo coronavírus acabaram impactando a forma de a empresa traçar as suas estratégias de negócio. Leia mais: Santander melhora jornada do cliente com Oracle Cloud CX A plataforma de ecommerce do Armazém Paraíba foi lançada em novembro de 2019. Poucos meses depois, a pandemia tomava conta do cenário mundial. De março a maio de 2020, a estratégia adotada foi trabalhar com foco em fazer a solidificação dos canais de venda e entender melhor o comportamento do consumidor. Na sequência, a missão se tornou encontrar formas de fortalecer a jornada do cliente no site do ecommerce. Para atender todas essas demandas e expectativas, o Armazém Paraíba adotou o Oracle Fusion Cloud Customer Experience (CX), uma gama de soluções voltadas para melhorar, gerenciar e otimizar a relação da empresa com o consumidor.

Empresa brasileira aumentou valores de venda em 10% e chegou a 99,999% de uptime na Black Friday com a ajuda das soluções de CX e da infraestrutura em nuvem da Oracle. O Armazém Paraíba é uma empresa...

Histórias de Sucesso

DMA aumenta performance em mais de 100% com Oracle Cloud

Grupo brasileiro de varejo alimentício ganhou segurança e estabilidade para investir em expansão após migrar para nuvem da Oracle. A DMA Distribuidora é um grupo com atuação no mercado brasileiro de varejo e atacarejo (que reúne atacado e varejo) de alimentos. A organização foi formada em Minas Gerais em 2000, a partir de um investimento na empresa EPA, que tem 61 anos de existência e se tornou uma de suas bandeiras. Nos últimos quatro anos, o grupo observou um boom de expansão com inaugurações espalhadas pelo Brasil. Atualmente, a DMA conta com um total de 168 unidades distribuídas em 10 estados do país, divididas em 134 supermercados e 34 atacarejos. -Leia mais: Premier League seleciona nuvem da Oracle para impulsionar novo Advanced Football Analytics Para Marco Túlio Cabral, Diretor de TI da DMA, um dos principais diferenciais do grupo é o dinamismo. Até 2019, a distribuidora tinha operação em três estados: Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia, cuja operação começou no final de 2020, em Porto Seguro. Ao longo de 2020, em meio à pandemia do coronavírus e de todas as restrições provocadas pelas medidas de distanciamento social, a DMA continuou crescendo. O grupo passou a ter ramificações nos estados do Paraná, Rondônia, Acre, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e em mais algumas outras regiões na Bahia. No total, foram 30 inaugurações em 2020, quando o grupo registrou um aumento de 50% no seu faturamento em comparação com 2019, destaca Marco. Segundo o executivo, para sustentar todo esse crescimento e otimizar as metas de expansão, a empresa precisava modernizar a sua infraestrutura para ter a estabilidade que o grupo não tinha até então. A migração de seus sistemas para a Oracle Cloud Infrastructure foi então a primeira grande decisão estratégica adotada para tal objetivo.

Grupo brasileiro de varejo alimentício ganhou segurança e estabilidade para investir em expansão após migrar para nuvem da Oracle. A DMA Distribuidora é um grupo com atuação no mercado brasileiro de...

Desenvolvedores

10 razões pelas quais o Oracle APEX é ideal para desenvolvedores no Oracle Forms

O Oracle APEX tem uma série de semelhanças com o Oraccle Forms, tanto no conceito quanto na finalidade. É por isso que muitos desenvolvedores em Oracle Forms aprenderam APEX e estão prosperando como desenvolvedores em APEX! Por Monica Godoy* O Oracle Forms é a tecnologia de longa data da Oracle para projetar e criar aplicativos empresariais de forma rápida e eficiente. O Oracle APEX é a plataforma low-code mais popular do mundo para aplicativos empresariais e permite que você crie aplicativos escaláveis e seguros, com recursos de classe internacional e que podem ser implementados em qualquer lugar. O Oracle APEX é uma plataforma completa – ele fornece tudo de que você precisa para criar e implementar aplicativos: carregamento e descarregamento de dados, criação de objetos de banco de dados, desenvolvimento e implementação de aplicativos, criação de API REST e muito mais! O Oracle APEX tem uma série de semelhanças com o Oraccle Forms, tanto no conceito quanto na finalidade. É por isso que muitos desenvolvedores em Oracle Forms aprenderam APEX e estão prosperando como desenvolvedores em APEX! -Leia mais: Oracle adiciona APEX aos serviços Always Free da Oracle Cloud Você é um desenvolvedor em Oracle Forms e está se perguntando como pode progredir na carreira para o desenvolvimento de aplicativos Web modernos?  Estas são as 10 principais razões pelas quais o Oracle APEX é uma plataforma de desenvolvimento ideal para desenvolvedores em Oracle Forms!   1-Framework de desenvolvimento declarativo Ambos os ambientes de desenvolvimento fornecem recursos declarativos poderosos para criar aplicativos totalmente funcionais com código mínimo. Com o APEX, você pode adicionar páginas a seu aplicativo a partir do zero ou utilizar o assistente de uma forma semelhante a como fazia usando o Forms. Com o APEX, você pode modificar as propriedades e atributos de um componente de forma declarativa usando o Page Designer. O Page Designer permite que você revise, arraste e solte e edite componentes em sua página. Em suma, a transição de um desenvolvedor em Forms para o framework do APEX é simples e sem esforço. 2-Produtividade Para desenvolvedores em Forms, o APEX é uma adaptação natural. Mas, mesmo que não seja um desenvolvedor em Forms, você descobrirá que o APEX é mais fácil de aprender, tornando-o produtivo em dias e não meses. Ao longo dos anos, a Equipe de Desenvolvimento do APEX adicionou recursos excepcionais a fim de simplificar e melhorar a experiência do desenvolvedor. Estas características incluem: o    O Assistente Create Page permite adicionar componentes ou recursos a seu aplicativo seguindo passos com facilidade. As páginas de componentes disponíveis incluem Página em Branco, Relatório, Formulário, Detalhe-Mestre, Plug-ins, Gráfico, Calendário, Árvore, Assistente,Carregamento de Dados e Página de Painel. E algumas páginas de recursos disponíveis incluem Sobre a Página, Controle de Acesso, Relatórios de Atividades, Opções de Configuração, Relatórios de Email, Feedback, Página de Login e Seleção de Estilo de Tema. o    Quick SQL para gerar SQL usando abreviações, salvar e carregar modelos de dados, realce de sintaxe e preenchimento automático. o    Editor Monaco para melhorar a experiência de codificação em todo o ambiente de desenvolvimento. o    Utilitário de código incorporado para inspecionar o SQL, PL/SQL e JavaScript contidos em um aplicativo do APEX. o    O Tema Universal é uma interface de usuário responsiva que permite criar aplicativos Web modernos e bonitos sem a necessidade de um vasto conhecimento de HTML, CSS ou JavaScript. o    O Seletor de Temas permite estilizar o aplicativo exatamente como você precisa, definindo um número de configurações a serem usadas. o    As Opções de Modelo permitem personalizar facilmente a aparência de qualquer componente baseado em modelo. Em geral, as características e funcionalidades do APEX têm um grande impacto em sua produtividade diária, permitindo criar aplicativos 38 vezes mais rapidamente em comparação com os métodos tradicionais de desenvolvimento.   3-Desenvolvimento centrado em banco de dados   A maioria dos aplicativos empresariais de back-office é baseada em dados, e é por isso que o Forms e o APEXS são tão usados nessas áreas. Com o APEX, é possível criar aplicativos rapidamente com base em definições de tabela - exatamente como no Forms. Você pode criar formulários, relatórios, gráficos, grades e muito mais em tabelas, visualizações ou consultas SQL. Como um bônus, o APEX permite combinar e sincronizar dados remotos com os dados em seu banco de dados, tudo feito facilmente e de forma declarativa via fontes de dados REST. Fontes de Dados REST permitem que os desenvolvedores acessem serviços REST ou feeds de dados JSON genéricos em aplicativos e usem os dados em componentes do APEX, como relatórios, relatórios interativos e grades interativas.   4-Lógica de Negócios Se já tem um investimento em lógica de negócios em PL/SQL no lado do servidor, você pode usá-lo facilmente no APEX. Por exemplo, você já tem todos os procedimentos projetados para suas necessidades testados e funcionando corretamente hoje. Pode integrar facilmente essa lógica do lado do servidor diretamente no APEX, incluindo pacotes, funções e procedimentos PL/SQL. Pode usar sua lógica de negócios já existente em todo um aplicativo do APEX.  Pode invocar um procedimento PL/SQL quando um botão é clicado e a página é enviada.  Pode empregar uma função PL/SQL já existente para validar dados antes que um formulário seja enviado.  Pode até chamar PL/SQL à medida que um usuário navega dentro de um formulário, via ações dinâmicas, para realizar interatividade avançada com o cliente. O APEX também oferece um conjunto de ferramentas chamado SQL Workshop, que você pode usar para criar e manter objetos de banco de dados, executar comandos SQL arbitrários e carregar e descarregar dados.   5-Sem software cliente O APEX não requer nenhum software cliente para desenvolver e implementar aplicativos Web de banco de dados. Os desenvolvedores só precisam de um navegador moderno para poderem: o    Modelar objetos de banco de dados o    Carregar/descarregar dados o    Criar interfaces REST em dados locais o    Criar aplicativos baseados em bancos de dados locais, externos ou remotos o    Executar e implementar aplicativos E seus aplicativos são absolutamente responsivos, portanto funcionam em qualquer tablet ou dispositivo móvel, imediatamente!   6-Aproveite suas habilidades A linguagem do APEX hoje é SQL e PL/SQL.  Desenvolvedores com essas habilidades podem criar aplicativos sofisticados e seguros. Se você é um desenvolvedor em Forms, não precisa aprender uma nova linguagem para criar seus aplicativos. Você pode aproveitar seu conhecimento e sua experiência existentes para criar aplicativos bonitos, responsivos e seguros. E, a partir do Oracle Database 21c, a linguagem do lado do servidor também pode ser JavaScript, que é suportado nativamente no APEX, além de PL/SQL. 7-O APEX é "pronto para a nuvem"   O APEX está disponível em toda parte: em um laptop, on-premises, na Oracle Cloud ou em outras nuvens. O local onde desenvolve seus aplicativos não limita você a onde pode implementá-los. Todos os aplicativos que você desenvolver no APEX hoje podem ser implementados e executados na nuvem, efetivamente inalterados.  Com o APEX na Oracle Cloud, você pode criar um Autonomous Database ou um Serviço APEX facilmente e, em poucos minutos, estará pronto para começar a criar e implementar seus aplicativos - evitando completamente a complexidade de instalação, configuração e aplicação de patches. 8-Oracle Database O Forms e o APEX são criados em cima do Oracle Database e você pode aproveitar recursos de banco de dados nativos como RAC, HA, segurança de ponta a ponta e muito mais. Além disso, o  Oracle Database é uma plataforma de desenvolvimento de aplicativos refinada. Você pode criar aplicativos para uma grande variedade de tipos de dados (relacionais, JSON, gráfico, espacial, texto, blockchain, XML) - tudo usando SQL.  E você já sabe SQL!   9-Produtividade com escolha! No Oracle Database 21C, os desenvolvedores podem executar o código JavaScript dentro do banco de dados e o suporte nativo para ele já está disponível no APEX. Então, hoje você pode criar lógica procedimental em PL/SQL, mas amanhã pode ser em JavaScript. Esse recurso é chamado Multilingual Engine (MLE) e permite que você use o JavaScript como uma primeira linguagem em seus aplicativos do APEX. E esse é apenas o começo, já que o MLE dará suporte a mais idiomas no futuro. Você é livre para usar a linguagem que melhor lhe convier, dependendo de suas necessidades e habilidades.   10-Comunidade E a melhor razão de tudo é a extraordinária Comunidade do APEX: o    Existem dezenas de milhares de clientes do Oracle APEX e centenas de milhares de desenvolvedores. E esse número aumenta a cada dia. o    O site, apex.world, foi lançado em 2015 e é um projeto da comunidade, para a comunidade. Ele é um ponto de entrada para desenvolvedores iniciantes, experientes e nerds de tecnologia, bem como para gerentes e agências de recrutamento. o    Existem centenas de empresas de consultoria no APEX nos cinco continentes. o    Você descobrirá que os desenvolvedores em APEX são apaixonados pelo que podem fornecer com o APEX. o    Existem mais de 10 conferências com roteiros do APEX ou dedicadas ao APEX. o    Em 2019, a Oracle foi reconhecida como uma Escolha do Cliente da Gartner Peer Insights para o Mercado de Plataformas de Aplicativos de Low-Code pelo Oracle APEX. E temos o orgulho de anunciar que, em 2021, graças à maravilhosa comunidade do APEX, o Oracle APEX é novamente uma Escolha do Cliente para Plataformas de Aplicativos de Low-Code Empresariais. Como posso modernizar meu aplicativo do Forms já existente? Há algum tempo, escrevi uma série de postagens de blog intitulada Modernizar um Aplicativo Oracle Forms para um Aplicativo Oracle APEX, que permite que você veja como criar, personalizar e melhorar seu aplicativo do APEX com base nos requisitos do aplicativo já existente. Você pode executar o aplicativo APEX para comparar os aplicativos e explorar os diferentes componentes que pode criar com o APEX. Devo modernizar todo o meu aplicativo Oracle Forms imediatamente? A resposta curta é não. Seus aplicativos do APEX podem coexistir facilmente com os do Forms, ambos sendo executados no mesmo Oracle Database e usando os mesmos objetos de banco de dados.  Você pode executar este teste Devo modernizar? para determinar o que funciona melhor para você, mantendo aplicativos do Forms e criando novos aplicativos usando o APEX, ou considerar a modernização de todo seu conjunto de aplicativos do Forms. Agora, a única pergunta restante é: o que você está esperando para começar a usar o APEX? *Monica Godoy é Gerente Principal de Produtos da Oracle

O Oracle APEX tem uma série de semelhanças com o Oraccle Forms, tanto no conceito quanto na finalidade. É por isso que muitos desenvolvedores em Oracle Forms aprenderam APEX e estão prosperando como...

Histórias de Sucesso

Premier League seleciona nuvem da Oracle para impulsionar novo Advanced Football Analytics

“Match Insights - Powered by Oracle Cloud” vai fornecer estatísticas inovadoras de partidas de futebol durante as transmissões ao vivo da Premier League a partir da temporada 2021/22. A Premier League, a liga de futebol mais assistida do mundo, escolheu a Oracle como seu provedor oficial de nuvem. Em parceria com a Oracle, a Premier League aumentará a emoção em torno de cada jogo por meio de novas estatísticas durante a partida que fornecem um entendimento mais profundo da ação ao vivo em campo. Os dados e análises da Oracle e as tecnologias de machine learning fornecerão esses dados inovadores em tempo real para um público global de bilhões a cada temporada. A solução “Match Insights - Powered by Oracle Cloud” apresentará dados avançados de desempenho do jogador e estatísticas durante a cobertura da transmissão global e em todas as redes sociais da Premier League, começando com a temporada de 2021/22. Modelos de machine learning serão desenvolvidos para gerar resultados imediatos com base em fluxos de dados ao vivo, dados de rastreamento em tempo real e fatos coletados sobre cada um dos jogadores da Liga e de milhares de partidas anteriores. -Leia também: Red Bull Racing Honda e Oracle se tornam parceiros e levam análise de dados à F1 A pesquisa mostra que os torcedores estão interessados na integração de dados e análises das partidas, e esses insights ajudarão a contar mais histórias sobre os jogos da Premier League, proporcionando aos torcedores uma experiência rica em dados. Os fãs poderão acessar uma variedade de informações da partida instantaneamente, estejam eles assistindo de casa ou conferindo os resultados em seus dispositivos móveis. O Chief Executive da Premier League, Richard Masters, disse: “Estamos sempre procurando novas maneiras de dar vida à Premier League e melhorar a análise da competição. A Oracle é uma marca global com um grande histórico de incentivo à inovação e estamos ansiosos para trabalhar juntos e trazer novos níveis de engajamento para fãs em todo o mundo. ” O “Match Insights - Powered by Oracle Cloud” incluirá: • Formação média - rastreia as posições de todos os jogadores quando seu time está com e sem posse de bola. O modelo destaca as diferenças em como as equipes se organizam ao atacar e defender. Durante a partida, os torcedores verão como as equipes reagem às táticas do adversário, ajudando os espectadores a entender as estratégias por trás dos diferentes estilos de jogo. • Probabilidade de vitória ao vivo - Esta estatística conta a história do desempenho de uma equipe, calculando a chance dela garantir uma vitória ou empate, simulando o restante da partida 100.000 vezes. O modelo é baseado em quatro anos de dados de jogo e leva em consideração se uma equipe está em casa ou fora, o placar atual, pênaltis concedidos, jogadores em campo, cartões vermelhos e tempo restante de jogo. • Momentum Tracker - mede a probabilidade de o time com a posse de bola marcar um gol nos próximos 10 segundos. Os resultados são baseados em dados de milhares de jogos históricos e os últimos cinco eventos na posse atual. O modelo incorpora os resultados dos passes, dribles com posse de bola, ataques e os locais do campo onde eles ocorrem. “Combinar a experiência de machine learning da Oracle com a riqueza de dados de futebol da Premier League é uma fusão significativa de tecnologia e esporte”, disse Ariel Kelman, vice-presidente executivo e diretor de marketing da Oracle. “As margens de erro na Premier League são muito pequenas, por isso os dados são cruciais para descobrir os momentos e as histórias significativas de cada jogo. São essas histórias que unem os fãs e acendem suas paixões pelo jogo. ” Informações adicionais sobre a partida serão apresentadas ao longo da temporada da Premier League de 2021/22, que está programada para começar em 14 de agosto.

“Match Insights - Powered by Oracle Cloud” vai fornecer estatísticas inovadoras de partidas de futebol durante as transmissões ao vivo da Premier League a partir da temporada 2021/22. A Premier League,...

Inovação

Inovação não é um termo, é todo um idioma

A inovação é a soma de termos e conceitos que visam a simplificação. Simplificação em aspectos de comportamento, interação, processos e até da comunicação entre seus pares. É como um outro idioma. Por Hálef Alves e Marcelo Facchinato Você já se sentiu desconfortável em falar um idioma que você não está tão acostumado com alguém que é fluente naquela língua? Se a resposta é sim, então você provavelmente sabe como é desesperador se sentir vulnerável durante uma conversa. Mãos suadas, boca seca, suor, tremedeira e constante ansiedade só deixam mais claro o óbvio: o nosso medo em não conseguir mostrar todo o nosso potencial. E se eu te contasse que falar sobre inovação não é tão diferente? Às vezes o tema pode até dar a impressão de ser um conjunto de buzzwords que mais confundem do que ajudam. Mas a realidade é que a inovação é a soma de termos e conceitos que visam a simplificação. Simplificação em aspectos de comportamento, interação, processos e até da comunicação entre seus pares. É como um outro idioma. Com palavras e regras específicas que te levam a compartilhar todo o potencial das suas ideias. -Leia mais: Inovação da Oracle em uma nova geração de aplicativos em nuvem E por falar em idioma, te convidamos para comentar aqui embaixo o que o verbo Inovar significa para você. Enquanto isso, veja como conjugamos: Dizem que aprender um novo idioma é reaprender a forma como você olha para o mundo. Para se tornar fluente nesse idioma, portanto, é necessário reaprender a olhar para o que existe e, a partir daí, readequar e transformar as suas ideias em falas e atitudes concretas. Fluentes e eficazes. O time de Inovação da Oracle está aqui para isso. Para ser seu tradutor de inovação e te direcionar a ser mais um inovador nativo. Topa? *Hálef Alves e Marcelo Facchinato são Integrantes do Time de Inovação da Oracle Brasil

A inovação é a soma de termos e conceitos que visam a simplificação. Simplificação em aspectos de comportamento, interação, processos e até da comunicação entre seus pares. É como um outro idioma. Por...

Desenvolvedores

Oracle adiciona APEX aos serviços Always Free da Oracle Cloud

Autonomous JSON Database também foi incluído na crescente lista de serviços disponíveis no modo gratuito da nuvem da Oracle. Por Todd Bottger* A Oracle demonstra ainda mais seu compromisso com os desenvolvedores, expandindo o Modo Gratuito (Free Tier) da Oracle Cloud com dois novos serviços de Uso Livre (Always Free) que permitem criar rapidamente aplicativos low-code no Oracle APEX e gerenciar dados de documentos JSON. Ambos os serviços são totalmente gratuitos para os usuários da Oracle Cloud por tempo ilimitado. Esses dois novos serviços se somam à crescente lista de serviços Always Free lançados na Oracle Cloud desde 2019. -Leia mais: 4 usos para aproveitar o Modo Gratuito da Oracle Cloud Novo Oracle APEX Application Development Always Free Com o novo Oracle APEX Application Development Always Free (também conhecido como Free APEX Service), os desenvolvedores amadores e profissionais podem rapidamente criar e implementar aplicativos low-code na Oracle Cloud gratuitamente pelo tempo que precisarem. O Oracle APEX capacita os desenvolvedores a criar aplicativos modernos orientados por dados até 38x mais rápido do que a codificação. Os desenvolvedores podem aproveitar ao máximo os ativos de dados criando aplicativos convergentes que integram dados relacionais, JSON, espaciais e grafos. Eles podem extrair dados do Oracle Autonomous Database incluso ou praticamente qualquer ponto de extremidade REST. Além disso, os desenvolvedores opcionalmente podem estender aplicativos incorporando plugins Oracle e APEX de terceiros ou adicionando JavaScript, SQL e lógica PL/SQL personalizados. O Free APEX Service fornece a execução do Oracle APEX na Oracle Cloud como um serviço totalmente incluso e gerenciado com até 1 OCPU (compartilhada) e 20 GB de armazenamento. Ele é adequado para diversos aplicativos low-code, incluindo aplicativos personalizados, relatórios interativos, painéis, substituições de planilhas e muito mais. O Free APEX Service pode suportar aproximadamente 3-6 usuários que acessam ao serviço simultaneamente, além de um número ilimitado de aplicativos, contas de desenvolvedor e contas de usuário final. Se os aplicativos ultrapassarem essas restrições, é fácil atualizar para Paid APEX Service com um único clique e, em seguida, obter OCPUs e armazenamento adicionais. Novo Oracle Autonomous JSON Database Always Free O Oracle Autonomous JSON Database Always Free (também conhecido como Free JSON Database) oferece os benefícios do Paid Autonomous JSON Database da Oracle gratuitamente pelo tempo que for necessário. O Autonomous JSON Database é um serviço de banco de dados de documentos em nuvem que simplifica o desenvolvimento de aplicativos centrados em JSON e o manuseio de cargas de trabalho JSON. Possui APIs de documentos JSON simples, acesso SQL completo, dimensionamento sem servidor, transações ACID de alto desempenho e segurança abrangente. Como o serviço é um membro da família Oracle Autonomous Database, ele automatiza o provisionamento, configuração, ajuste, escalonamento, patching, criptografia e reparo do banco de dados, eliminando assim a maioria das tarefas de gerenciamento de banco de dados enquanto ainda oferece disponibilidade extremamente alta. O Free JSON Database oferece até 1 OCPU (compartilhada) e 20 GB de armazenamento, tornando-o adequado para uma ampla gama de aplicativos centrados em JSON de pequeno a médio porte. Se os aplicativos criados usando o Free JSON Database ultrapassarem essas restrições, um único clique poderá fazer upgrade do Always Free para um serviço pago, o qual é fácil obter recursos adicionais de computação e armazenamento. A crescente lista de serviços Always Free na Oracle Cloud Estes novos serviços gratuitos são apenas as adições mais recentes ao Oracle Cloud - Modo Gratuito (Free Tier). Eles complementam os serviços existentes Always Free: Compute VM, Object Storage, Block Storage, Load Balancer, Autonomous Data Warehouse, Autonomous Transaction Processing e NoSQL Database. Os novos serviços Always Free ressaltam o compromisso contínuo da Oracle em fornecer recursos gratuitos da Oracle Cloud para desenvolvedores de todos os tipos, sejam eles empregados por uma empresa, trabalhando de forma independente ou voluntários. Com a Oracle Cloud, os desenvolvedores em todos os lugares têm acesso a uma lista crescente de recursos gratuitos por tempo ilimitado. *Todd Bottger é Diretor de Gerenciamento de Produtos na equipe de Oracle Database Observações: As versões pagas do Oracle APEX Application Development e do Oracle Autonomous JSON Database começam em US $ 360 por mês para 1 OCPU e 1 TB de armazenamento (funcionando continuamente por um mês de 31 dias). As versões pagas são escaláveis até 128 OCPUs e 500 TB de armazenamento. Cada OCPU de Paid APEX Service suporta mais usuários simultâneos do que a OCPU do Free APEX Service suporta. Em todos os serviços Always Free que são baseados no Oracle Autonomous Database (incluindo o Free APEX Service e o Free JSON Database), os desenvolvedores podem executar um total de duas instâncias Always Free por locação da Oracle Cloud. Outros serviços Always Free que não são baseados no Oracle Autonomous Database têm limitações específicas de serviço, mas geralmente fornecem uma quantidade generosa de recursos de nuvem gratuitos. Por exemplo, o Always Free Block Storage fornece 100 GB de armazenamento em bloco na Oracle Cloud gratuitamente por tempo ilimitado.

Autonomous JSON Database também foi incluído na crescente lista de serviços disponíveis no modo gratuito da nuvem da Oracle. Por Todd Bottger* A Oracle demonstra ainda mais seu compromisso com...

Histórias de Sucesso

Ânima Educação acelera transformação digital com Oracle

Além dos alunos no centro, a Ânima Educação dá ainda mais foco à inovação e moderniza processos com solução de gestão na nuvem. A pandemia impactou a maioria dos setores da economia, incluindo o de educação. Para a Ânima Educação, uma das principais organizações de ensino superior privado do país, que nasceu com um modelo inédito, o cenário foi diferente. Por ter uma estratégia sólida baseada em um formato híbrido, presencial e virtual, para compartilhar conhecimento, a instituição se adaptou rapidamente ao momento. E um dos aliados primordiais foi contar com a tecnologia. Migrar tudo que acontecia em sala de aula para o mundo digital foi transparente e a pandemia comprovou que o caminho estava sendo bem-sucedido. Em uma semana, a integração estava completa, mantendo a qualidade dos serviços a partir de plataformas inovadoras para aproximadamente 140 mil alunos de 15 escolas de marcas integrantes do Ecossistema de Aprendizagem da instituição em todo o País. -Leia mais: Oracle amplia portfólio de serviços Always Free da Oracle Cloud E para manter o ritmo e sempre ter o aluno no centro, a Ânima Educação voltou sua atenção à inovação dos processos internos, bem como unir as áreas de negócios em um objetivo comum: aceleração digital com base em dados. O resultado foi adotar a solução de gestão na nuvem da Oracle ERP Cloud para que os usuários do Financeiro, Compras, Compliance e Vendas acelerem e aprimorem o fluxo de informações entre as áreas com alta segurança e flexibilidade. Antes mesmo do início da pandemia, em 2019, a Ânima Educação havia decidido investir nessa mudança tecnológica acompanhando o crescimento da operação e empoderando ainda mais a equipe de TI. “Com a adoção da tecnologia da Oracle, a transformação não passa apenas pelos sistemas, mas também por uma nova mentalidade de cultura organizacional. Conseguimos engajar nosso time com um olhar voltado para inovação, pensando de forma digital”, explica Patricia Fumagalli, vice-presidente de Transformação Digital da Ânima Educação. Os pilares da empresa que norteiam a estratégia de negócios são baseados em dados, informações fundamentais na tomada de decisões, principalmente em um momento de incertezas. A aceleração da Ânima Educação passa pela cultura interna, experiências diferenciadas e arquitetura tecnológica. São esperados resultados de impacto na operação com a implantação e padronização dos dados para o Oracle ERP Cloud, como a otimização de processos nas áreas Contábil, Fiscal, Recebimento, Suprimentos, Jurídico, Contas a Pagar, Contas a Receber, Faturamento e Planejamento Financeiro, que trará mais agilidade para toda gestão e operação financeira, gestão fiscal e do processo de consolidação. Além disso, os controles passarão a ser feitos com mais assertividade, como por exemplo, fechamento de resultados financeiros, gerenciamento de cobranças e faturamento. O caminho de inovação da Ânima Educação continua. Com os investimentos para aprimorar a operação em todos os níveis, bem como os serviços de qualidade para os alunos, a instituição passa a dedicar, ainda mais tempo, a trazer novidades ao mercado e transformar o País por meio da Educação.

Além dos alunos no centro, a Ânima Educação dá ainda mais foco à inovação e moderniza processos com solução de gestão na nuvem. A pandemia impactou a maioria dos setores da economia, incluindo o de...

Transformação nos Negócios

Inovação da Oracle em uma nova geração de aplicativos em nuvem

Segundo novo relatório da IDC, as soluções Oracle Fusion Cloud Aplications caracterizam a nova geração de aplicativos em nuvem fundamentais para ajudar as empresas a lidar com as transformações, que após a COVID-19 passaram a ter uma velocidade sem precedentes. Por Joyce Boland * A transformação digital não é nenhuma novidade, e as empresas mais voltadas para o futuro já vêm fazendo isso há anos. No entanto, em 2020, a chegada da pandemia de COVID-19 acelerou o ritmo de transformação com uma velocidade sem precedentes. Quase que de um dia para o outro, países e setores inteiros tiveram que mudar sua forma de operar. As organizações que já estavam em uma jornada de nuvem e de Software como um Serviço (SaaS) antes da pandemia tiveram uma vantagem inicial — e, em muitos casos, se saíram melhor do que aquelas que adiaram a transformação até que a pandemia as obrigou a fazer a mudança. As organizações agora sabem que uma nova geração de aplicativos empresariais modernos é fundamental para ajudá-las a construir uma organização resiliente, que seja capaz de responder e se adaptar a choques repentinos com mais rapidez e facilidade.   A importância dos aplicativos modernos em nuvem A empresa de pesquisa IDC fez uma análise mais profunda dos aplicativos de nuvem modernos no recente relatório Oracle Innovation Manifests in a New Generation of Cloud Applications (Inovação da Oracle se manifesta em uma nova geração de aplicativos em nuvem). O autor, Frank Della Rosa, diretor de pesquisa para SaaS e software em nuvem da IDC, escreve: “Os Oracle Fusion Cloud Applications caracterizam essa nova geração de aplicativos empresariais e serviços em nuvem que são fundamentais para lidar com as transformações a partir de uma posição de força.” Leia mais: Quatro grandes mudanças que você deve fazer agora para garantir o crescimento A força a que a IDC se refere provém do modelo de dados comum das soluções da suíte Oracle Fusion Cloud Applications, que fornece suporte para integração nativa em nossos aplicativos de linha de negócios Fusion Cloud, abrangendo: Planejamento de Recursos Empresariais (ERP), Gestão da Cadeia de Suprimentos e Manufatura (SCM), Experiência do Cliente (CX) e Gestão do Capital Humano (HCM). De acordo com a IDC, “A nova geração de aplicativos em nuvem é inteligente, fácil de usar e está mais bem posicionada para atender à rápida mudança de necessidades do comprador empresarial e de TI, que hoje espera uma experiência de compra e integração sem atrito; uma interface responsiva, semelhante à de consumidor, que incentiva a adoção do usuário; e tempo de retorno mais rápido.” Eles são “mais inteligentes, estão totalmente integrados, oferecem tempo de retorno mais rápido e são fáceis de integrar e usar”. Com esses recursos, nossos clientes estão acelerando a inovação digital em tempos difíceis. Dados confiáveis são críticos para a tomada de decisões Em 2020, o mundo descobriu que dados e processos confiáveis são essenciais para a sobrevivência —literalmente, no caso das vacinas e do rastreamento do vírus, mas também para a sobrevivência econômica, à medida que começamos a lidar com o mundo do trabalho remoto e do atendimento omnichannel. Processos de negócios antigos que não suportavam mudanças rápidas foram substituídos por novos processos digitais, ajudando os funcionários a ter acesso aos dados certos no momento certo, para tomar decisões informadas e responder aos clientes. Além da integração e dos dados confiáveis, quais são os outros benefícios de uma suíte completa e interoperável de aplicativos SaaS? Por um lado, você não precisa absorver toda a suíte de uma vez. Você pode integrar os novos recursos em algumas semanas e migrar seus aplicativos de linha de negócios em seu próprio ritmo. Uma suíte completa e interoperável Com frequência vemos cenários em que nossos clientes possuem sistemas herdados da concorrência e querem modernizar e digitalizar os principais processos de forma imediata. Por exemplo, clientes de ERP de outras companhias muitas vezes adotam o Oracle Cloud Enterprise Performance Management (EPM) para melhorar seu planejamento financeiro, relatórios e processo de fechamento, ou aprimoram seus recursos da cadeia de suprimentos com o Oracle Cloud Transportation Management, que faz parte da nossa solução SCM. Essa abordagem de transformação ajuda você a atender às necessidades mais imediatas da organização, enquanto migra seus sistemas básicos herdados e frágeis em um ritmo mais lento para minimizar as rupturas. Em última análise, à medida que você faz cada vez mais a transição da sua empresa para a suíte, você começa a "eliminar o custo e a complexidade associados a uma infinidade de soluções pontuais, investindo em uma plataforma que simplifica a integração, apresenta uma arquitetura de dados comum e oferece suporte a várias opções de implementação”. Esse é um argumento muito convincente para adotar a última geração de software de aplicativos — e estar pronto para o que vier. Leia o relatório completo da IDC e saiba mais sobre a nova geração de aplicativos em nuvem da Oracle. * Joyce Boland é vice-presidente global de Marketing para Oracle Fusion Cloud Applications.

Segundo novo relatório da IDC, as soluções Oracle Fusion Cloud Aplications caracterizam a nova geração de aplicativos em nuvem fundamentais para ajudar as empresas a lidar com as transformações, que...

Transformação na TI

Bancos de dados de grafos: o que eles podem fazer?

Os grafos são projetados para ajudá-lo a modelar relacionamentos em seus aplicativos. Eles são desenvolvidos para lidar com dados altamente conectados. Por Sherry Tiao* Digamos que você tenha que analisar o comportamento de compra do cliente, descobrir crimes fraudulentos em transações financeiras, fornecer recomendações de produtos ou descobrir informações sobre redes sociais. Descobrir a resposta para cada uma dessas perguntas pode ser complicado com sistemas típicos. Como funcionam os grafos? A remoção de dados das restrições do banco de dados relacional facilita a travessia de seus dados para encontrar conexões - ou seja, se você mapear os dados na forma de um grafo com entidades representadas como vértices e relações representadas como bordas. Ao fazer isso, você pode descobrir relacionamentos que não eram óbvios antes, e esse é o motivo da tecnologia de grafos  ter se tornado cada vez mais popular e importante no mundo de dados conectados de hoje. Nos últimos três anos consecutivos, o Gartner selecionou a tecnologia de grafos como um das suas dez principais tendências de dados e análise. -Saiba mais: Ebook "17 Casos de uso para bancos de dados de grafos e análises de grafos" Por que os grafos ganharam popularidade? A teoria dos grafos existe há séculos, e a tecnologia dos grafos existe há algumas décadas. Mas recentemente cresceu em popularidade por alguns motivos principais: •    Os grafos permitem novos tipos de análise que são mais necessárias do que nunca no mundo conectado de hoje. Eles complementam a tecnologia relacional e podem se tornar a base para machine learning, especialmente com redes neurais. •    Os grafos são muito visuais, muitas vezes com resultados facilmente observáveis e fornecem modelagem de dados simples. •    Os grafos têm um modelo de dados muito flexível sem esquema predefinido, tornando-os extensíveis e também úteis em casos com dados esparsos. O Que Os Grafos Fazem? Os grafos são projetados para ajudá-lo a modelar relacionamentos em seus aplicativos. Eles são desenvolvidos para lidar com dados altamente conectados. Devido ao aumento no volume e conectividade dos dados de hoje e porque muitos dos dados de hoje estão conectados através de relacionamentos, há uma tremenda oportunidade para grafos fornecerem um valor extraordinário para sua organização. Os usos incluem: •    Use a análise de grafos para descobrir bots de redes sociais •    Encontre pagamentos fraudulentos rapidamente •    Acompanhe o uso de dados confidenciais para fins de conformidade •    Descubra sonegação fiscal •    Melhore o gerenciamento de data center •    Forneça recomendações de produto •    Detecte anomalias nas redes sociais, no sistema de saúde e muito mais •    Descubra interrupções em redes de serviços públicos •    Identifique vulnerabilidades em redes IP •    Realize análise de rotatividade para manter funcionários valiosos •    Crie portais para os cidadãos acessarem os dados de várias fontes, inclusive dados estatísticos, de gênero ou demográficos •    Rastreie nomes de produtos químicos e medicamentos para empresas farmacêuticas •    Rastreie proteínas para o desenvolvimento de vacinas As possibilidades são praticamente ilimitadas. Se os seus dados estiverem conectados através de relacionamentos de alguma forma, os bancos de dados de grafos poderão seguramente ajudar. As perguntas que os grafos podem responder incluem: •    De qual fornecedor sou mais dependente? •    Quem é o cliente mais influente? •    Os meus produtos atraem certas comunidades? •    Quais padrões anômalos existem que podem indicar comportamento fraudulento? O melhor de tudo é que você pode responder a essas perguntas com consultas que são executadas muitas vezes mais rápido. Para mais casos de uso, faça o download do nosso ebook Casos de uso de tecnologia de grafos, mas lembre-se de que as nossas sugestões são apenas o início. Análise de Grafos no Oracle Database e no Oracle Autonomous Database A Oracle fornece um mecanismo de análise de grafos com o Oracle Database e o Oracle Autonomous Database para que os usuários possam descobrir mais insights em seus dados usando o poder dos algoritmos de grafos, consultas de correspondência de padrões e visualização. Ter tecnologias de grafos no Oracle Database e no Oracle Autonomous Database fornece escalabilidade, desempenho e segurança. Os usuários podem executar análises de grafos com mais de 60 algoritmos de grafos, utilizar uma linguagem de consulta e visualizações. Interfaces padrão simplificam esse processo e a integração com ferramentas de machine learning simplifica a aplicação de grafos ao machine learning. Como Funciona A Tecnologia De Grafos? A Oracle é construída sobre a ideia de um banco de dados multi-modelo, o que significa que há um banco de dados que suporta vários idiomas e protocolos. Obviamente, há o banco de dados relacional. Mas a Oracle também suporta modelos de dados adicionais, incluindo JSON, XML, dados espaciais e, claro, estruturas de grafos. O banco de dados de grafos da Oracle tem um servidor in-memory que armazena dados em um formato de grafo, fornecendo acesso fácil e análises de alta velocidade, juntamente com o poder do banco de dados. Isso combina o melhor dos dois mundos-dados de grafos mantidos em estruturas de grafos e o poder do Oracle Database. Armazenar dados como um grafo e carregá-los in-memory requer apenas algumas etapas fáceis. Você pode carregar diretamente os dados das tabelas relacionais padrão no servidor in-memory como um grafo. Alternativamente, carregue os dados em um esquema de grafo de propriedades, para uma cópia persistente do grafo e carregue do esquema de grafo de propriedades no servidor de grafo in-memory. Em breve, a Oracle lançará o Graph Studio, que se baseia nos recursos de grafos existentes para tornar a análise de grafos e o gerenciamento de banco de dados de grafos mais fáceis para todos. Ele inclui modelagem automatizada, visualização integrada e fluxos de trabalho pré-construídos para diferentes casos de uso. Com as tecnologias de grafos, você pode desdobrar o panorama de dados de uma maneira completamente nova. Descubra Insights. Resolva problemas complexos. Alcance infinitas possibilidades. Comece hoje com os nossos guias passo a passo e veja o que você pode começar a fazer com grafos hoje mesmo. *Sherry Tiao é Gerente Sênior de Marketing de Produtos - Big Data na Oracle

Os grafos são projetados para ajudá-lo a modelar relacionamentos em seus aplicativos. Eles são desenvolvidos para lidar com dados altamente conectados. Por Sherry Tiao* Digamos que você tenha que...

Transformação nos Negócios

Obtenha previsões precisas de tempo de trânsito com machine learning no Oracle Transportation Management

Atualização recente do Oracle Fusion Cloud Transportation Management inclui previsões precisas de tempo de trânsito de remessas baseadas em machine learning. Por Evelyn Mei * Em um mundo onde as cadeias de suprimentos são complexas, dinâmicas e propensas a interrupções, fornecer previsões precisas de Tempo Estimado de Chegada (ETA) é desafiador, mas fundamental. Com centenas de possíveis fatores influenciando o resultado, um modelo simples e estático não pode mais ser suficiente no mundo de hoje. Alguns expedidores e provedores de serviços de logística são atraídos a experimentar métodos de previsão de ETA baseados em machine learning, mas contratar talentos em ciência de dados e construir um pipeline completo de machine learning pode ter um custo proibitivo. Leia mais: Transforme a sua cadeia de suprimentos em uma vantagem competitiva: insights de 6 líderes do setor O Oracle Fusion Cloud Transportation Management (OTM) pode ajudar. Com a recente atualização 21A, o OTM tem agora a capacidade de fornecer previsões de tempo de trânsito de remessa baseadas em machine learning. Aproveitando os valiosos históricos de remessas no OTM, esse recurso identifica remessas verdadeiramente em risco e fornece previsões precisas de ETA aos clientes. Por meio de pesquisas rigorosas que usam dados de remessas reais, o recurso de machine learning da Oracle demonstrou uma redução de mais de 65% nos erros de previsão. Além disso, o pipeline de dados da Oracle é pré-construído, o processo de construção do modelo é automatizado e os resultados são acionáveis. Veja o machine learning em ação nesse tour pelo produto e, para obter mais documentação técnica, visite a página Resumo dos Novos Recursos. Benefícios da abordagem de machine learning da Oracle na gestão de transporte: Identifique remessas verdadeiramente em risco e forneça previsões precisas de ETA aos clientes Configure modelos de machine learning específicos para seus cenários de negócios Configuração única e simples, sem a necessidade de um cientista de dados Pipeline e fluxo de trabalho automatizados de ciência de dados com a tecnologia AutoML proprietária da Oracle Execute imediatamente sobre os resultados de previsão acionáveis Para entender a estratégia e a visão da Oracle sobre Machine Learning em Logística, leia o artigo recente no site Logistics Viewpoints de Derek Gittoes, vice-presidente de estratégia de produtos para SCM da Oracle. * Evelyn Mei é gerente sênior de estratégia de produto para Oracle Fusion Cloud SCM.

Atualização recente do Oracle Fusion Cloud Transportation Management inclui previsões precisas de tempo de trânsito de remessas baseadas em machine learning. Por Evelyn Mei * Em um mundo onde as cadeias...

Transformação na TI

Apresentando o Graph Studio com Oracle Autonomous Database

O Graph Studio no ADB facilita a criação de modelos de grafos a partir de dados em seu banco de dados ou data warehouse, promove a análise de grafos, o desenvolvimento de aplicativos de grafos e a visualização e compartilhamento de resultados. Por James Steiner* Os Grafos são incríveis. Você pode modelar dados de uma nova maneira que lhe permite entender relacionamentos, descobrir padrões e anomalias além de classificar e analisar dados conectados. Isso permite que você responda a perguntas como quem são os clientes e fornecedores mais importantes, onde estão os pontos críticos de uma cadeia de suprimentos ou quais transações financeiras podem ser fraudulentas. Os bancos de dados de grafos facilitam a gestão, representação e interação com relacionamentos complexos em dados. Hoje, a Oracle anunciou a Disponibilidade Limitada de um novo recurso no Autonomous Database (ADB) criado para desenvolvedores, analistas e cientistas de dados. O Graph Studio no ADB facilita a criação de modelos de grafos a partir de dados em seu banco de dados ou data warehouse, promove a análise de grafos, o desenvolvimento de aplicativos de grafos e a visualização e compartilhamento de resultados. -Leia mais: O que é um Banco de Dados Convergente? Veja como o Oracle Autonomous Database simplifica a análise de grafos ou saiba mais sobre o Graph Studio. Torne os Bancos de Dados de Grafos fáceis com o Autonomous Database Com o Oracle Autonomous Database, você obtém uma plataforma de banco de dados de grafo completa que pode ser implementada em minutos com provisionamento de um clique, ferramentas integradas e segurança. Isso significa que você não precisa ser especialista em banco de dados ou especialista em grafos para começar e ser produtivo. As novas ferramentas abrangentes incluem: •    Modelagem automatizada de grafos •    Ampla análise de grafos e suporte a consultas de grafos •    Notebooks avançados e visualização integrada •    Instalação, atualização e provisionamento automatizados •    Recursos de salvamento automático, backup e restauração de dados de pontos de verificação •    Capacidade de agendar análise de grafos •    Exemplos de notebooks além de modelos e fluxos de trabalho predefinido para diferentes casos de uso de grafos Análise de Grafos, Recursos de Recursos de Banco de Dados e Desempenho líderes do setor Os recursos de análise e visualização de banco de dados de grafos no Autonomous Database oferecem funcionalidades líderes de mercado. O Graph Studio com uma interface de usuário apontar e clicar e low-code automatiza o gerenciamento de dados de grafos, modelagem e simplifica a análise, visualização e implementação. O Autonomous Database com Graph Studio fornece banco de dados de grafo, consultas de grafos e análises de grafos para analistas, desenvolvedores e cientistas de dados em todo o ciclo de vida das análises de grafos. Um dos maiores desafios ao trabalhar com grafos é criar o modelo de grafo a partir de seus dados. O Modeler no graph studio cria automaticamente grafos a partir de tabelas de banco de dados usando as relações existentes nos dados.  Você pode usar esses grafos como estão ou modificá-los, se preferir. Consultar o grafo, usar algoritmos de grafos predefinidos ou criar o seu próprio O que torna os grafos tão poderosos é o quão mais fácil eles tornam a exploração e análise relacionamentos. A linguagem de consulta de grafos de propriedades – PGQL – combina criações SQL familiares como SELECT, FROM, WHERE, GROUP BY e ORDER BY com capacidades de correspondência de padrões de grafos para procurar nós circundantes, percorrer caminhos de propriedades, realizar correspondência de padrões e extrair sub-grafos. Além de consultar e percorrer relacionamentos em seus dados, os grafos simplificam a análise desses dados, suportando algoritmos para descobrir e identificar anomalias, clusters, comunidades e influenciadores. O Oracle Autonomous Database inclui quase 60 algoritmos de grafos predefinidos e também permite que você escreva seus próprios algoritmos usando Java. Poderosas visualizações de grafos e notebooks Os dados só são valiosos se forem usados. Os notebooks do Graph Studio permitem a visualização interativa de grafos por meio de tabelas, gráficos e muito mais. Estes permitem que você trabalhe de forma colaborativa com os outros e compartilhe resultados através de um notebook multiuso para colaboração, com guias para documentação, visualização e análise interativa. Banco de dados de grafo de qualidade empresarial: mais fácil de começar, mais simples de usar "Depois de enfrentar problemas de desempenho com um banco de dados de grafo de software livre devido a um número colossal de novos usuários, recorremos ao recurso de grafo do Oracle Database. O banco de dados de grafos da Oracle alcançou facilmente escalabilidade ao gerenciar enormes quantidades de informações de entidade de usuário e suas chaves. E com o Oracle Autonomous Database, estamos ganhando recursos de grafos seguros e em larga escala – apesar de sermos uma startup sem um administrador de bancos de dados." (Tatsuro Kamoshida, CTO e Diretor da AMENIDY)   "Com o Graph Studio no Oracle Autonomous Database, você não precisa ser um especialista em grafos para explorar o poder dos grafos. A nova interface simples e os fluxos de trabalho predefinidos da Oracle possibilitam que quase qualquer pessoa construa grafos, aplique análises e crie visualizações para detecção de fraudes, recomendações de clientes, fabricação inteligente e outros casos inovadores do uso de grafos. ” (Gianni Ceresa, Diretor Administrativo da DATAlysis e Diretor do programa Oracle ACE) "A interface de usuário apontar e clicar e low-code do Graph Studio nos permite lançar tabelas relacionais tradicionais como um grafo, permitindo-nos capitalizar o conjunto abrangente de algoritmos de grafos da Oracle. É perfeito para analisar relacionamentos complexos de dados em nível empresarial." (Dan Vlamis, Presidente da Vlamis Software Solutions) *James Steiner é Vice-Presidente de Gerenciamento de Produtos da Oracle

O Graph Studio no ADB facilita a criação de modelos de grafos a partir de dados em seu banco de dados ou data warehouse, promove a análise de grafos, o desenvolvimento de aplicativos de grafos e a...

Transformação na TI

Multicloud com Oracle Cloud, Azure e AWS

A OCI facilita o uso de várias nuvens, incluindo Azure e AWS. Os clientes podem trazer toda a sua pilha de aplicativos para a Oracle Cloud Infrastructure ou implementar uma parte de seus aplicativos. Por Sanjay Narvekar e Leo Leung* Muito semelhante aos ambientes heterogêneos nos data centers, os clientes estão cada vez mais optando por várias nuvens, pois reconhecem que diferentes fornecedores têm diferentes áreas de força. Nos primeiros anos, muitos dos nossos clientes em nuvem eram clientes existentes de software e aplicativos Oracle on-premises, mas isso está mudando. Muitos dos nossos novos clientes em nuvem são clientes novos que não tinham nenhum relacionamento anterior com a Oracle ou clientes existentes que perceberam que precisam de uma estratégia multicloud. Esses clientes escolhem a Oracle Cloud por suas ofertas de serviço do Autonomous Database e do Exadata Cloud, pela infraestrutura de computação de alto desempenho, pelos custos mais baixos ou por muitas outras razões. -Leia mais: Comparando soluções VMware na nuvem: Oracle é "a experiência mais consistente" Há muitos casos de clientes que precisam mover dados e fluxos de trabalho entre nuvens. Casos comuns incluem aplicativos críticos, gerenciamento de dados e processamento de dados em fluxos de trabalho de ponta a ponta, como cadeias de suprimentos. Eles precisam de conectividade de rede confiável entre seus provedores de nuvem pública. A parceria da Oracle com a Microsoft virou manchete, mas é apenas uma das várias maneiras de integrar a Oracle e outras nuvens. A Oracle Cloud Infrastructure (OCI) e o Microsoft Azure têm conectividade direta entre seis regiões de nuvem OCI e Azure. Os clientes do Azure podem implementar aplicativos full-stack que se comunicam em baixa latência com aplicativos na OCI ou dividir seus aplicativos para usar a Computação no Azure e a infraestrutura de dados com o Oracle Autonomous Database, o Oracle Database com o Real Application Clusters (RAC) ou o Exadata na OCI. Oferecemos também o Oracle FastConnect, que permite que os clientes se conectem diretamente à rede de nuvem virtual da OCI por meio de conexões dedicadas, privadas e de alta largura de banda. Essas conexões com a OCI podem se originar de locais do cliente on-premises ou outras nuvens públicas. Parceiros do FastConnect, como Equinix e Megaport, ajudam os clientes a estabelecer essa conectividade de outras nuvens públicas e locais on-premises com a OCI. Conectando OCI e AWS com Equinix A Equinix é uma provedora de infraestrutura digital global com mais de 220 localizações que fornece interconexão privada com todos os principais provedores de nuvem. A Equinix possui cobertura para conectividade entre nuvens em mais regiões da OCI do que outros provedores. Os clientes podem usar a Conexão Virtual do Equinix Fabric e o Roteador Virtual do Network Edge, como mostrado na arquitetura a seguir, para conectar seu servidor de aplicativos executado na AWS a um Autonomous Database executado na OCI. Você pode ler mais sobre a arquitetura de referência OCI-AWS com Equinix no Centro de Arquitetura da Oracle. O uso do Oracle Autonomous nesse caso de uso mantém a arquitetura simples. Os clientes multicloud também podem se beneficiar da consolidação de todos os seus bancos de dados em um banco de dados convergente, usando a opção multi-tenant do Oracle Database Enterprise Edition, executado em uma das ofertas de serviço de banco de dados em nuvem da Oracle. Assim como a Interconexão OCI-Azure, os clientes também podem abordar uma série de outros casos de uso em todo o portfólio de serviços OCI e AWS. Conectar a OCI ao seu data center on-premises usando Equinix é simples. Para obter instruções passo a passo, consulte Configurar um link direto do FastConnect com o Equinix Cloud Exchange Fabric. A U.S. Silica é um ótimo exemplo de cliente. A organização usou OCI e Equinix para migrar e executar um sistema de planejamento de recursos empresariais na Oracle Cloud. A U.S. Silica usou Equinix e FastConnect para migrar o aplicativo Oracle JD Edwards on-premises para a OCI. Eles também implementaram um ambiente de recuperação de desastres na região de Phoenix da OCI. Parceria com Megaport para conectividade de OCI e AWS Você pode obter o mesmo tipo de conectividade de nuvem pública usando Megaport. A Megaport é uma provedora de rede como um serviço global que fornece interconexão privada aos principais provedores de nuvem. Os clientes podem usar o Megaport Cloud Router, o Virtual Cross Connect e a rede global definida por software, como mostrado na arquitetura a seguir, para conectar seu servidor de aplicativos executado na AWS a um Autonomous Database executado na OCI. Você pode ler mais sobre a arquitetura de referência OCI-AWS com Megaport no Centro de Arquitetura da Oracle. Conectar a Oracle Cloud Infrastructure com seu ambiente AWS usando Megaport é fácil. Para obter instruções passo a passo, consulte Conectando a Oracle Cloud Infrastructure ao Amazon VPC com o Megaport Cloud Router. Uma empresa líder em combustíveis da Nova Zelândia transformou a experiência do cliente digital ao fazer parceria com a Megaport para conectar seus aplicativos executados no Azure com bancos de dados executados na OCI. As conexões de rede privada rápidas, seguras e de baixa latência entre seus ambientes Azure e Oracle Cloud fornecem a largura de banda necessária para aplicativos em tempo real e aplicativos de atendimento ao cliente. Para concluir, a OCI facilita o uso de várias nuvens, incluindo Azure e AWS. Os clientes podem trazer toda a sua pilha de aplicativos para a Oracle Cloud Infrastructure ou implementar uma parte de seus aplicativos. *Sanjay Narvekar é Gerente Principal de Produtos da Oracle e Leo Leung é Diretor Sênior de Gerenciamento de Produtos da Oracle

A OCI facilita o uso de várias nuvens, incluindo Azure e AWS. Os clientes podem trazer toda a sua pilha de aplicativos para a Oracle Cloud Infrastructure ou implementar uma parte de seus aplicativos. Po...

Transformação na TI

Comparando soluções VMware na nuvem: Oracle é "a experiência mais consistente"

A equipe do CTO Advisor testou a Oracle Cloud VMware Solution e outras opções disponíveis no mercado. A conclusão? A Oracle oferece uma abordagem bastante diferente das outras, mais próxima de “apenas o VMware que você já conhece” na nuvem. Por John Troyer* Organizações de todo o mundo dependem da plataforma de infraestrutura virtualizada da VMware. À medida que essas organizações recorrem à nuvem pública devido à sua elasticidade, economia e serviços avançados, muitas estão investigando como suas cargas de trabalho VMware podem fazer parte dessa transição. Todos os principais provedores de nuvem pública lançaram serviços verificados do VMware Cloud como parte de suas ofertas. Essas soluções partem do mesmo software, mas os provedores de nuvem adotaram diferentes abordagens de provisionamento, conectividade e gerenciamento para integrar o VMware em suas plataformas. -Leia mais: Oracle acelera migração da nuvem com novos serviços do Oracle Cloud Lift Quão semelhantes são os serviços verificados do VMware Cloud nas nuvens públicas e quais são suas diferenças operacionais? Se uma organização executa o VMware on-premises e deseja expandir ou substituir um data center, ela pode usar as mesmas habilidades, processos e ferramentas quando seus Data Centers Definidos por Software (SDDCs) fazem parte de uma nuvem pública? CTO Advisor investiga Para responder a essas perguntas, o analista e consultor Keith Townsend, também conhecido como "The CTO Advisor", montou uma equipe para realizar testes práticos em três serviços de nuvem pública baseados na plataforma VMware Cloud —vSphere, vSAN e NSX — e para documentar a experiência. A equipe do CTO Advisor testou a Oracle Cloud VMware Solution e outras opções disponíveis no mercado. A conclusão? A Oracle oferece uma abordagem bastante diferente das outras, mais próxima de “apenas o VMware que você já conhece” na nuvem. Quando a equipe da Oracle Cloud projetou e construiu a solução Oracle VMware, uma prioridade clara era a capacidade de uma equipe de VMware usar suas habilidades e ferramentas existentes. Para obter mais contexto sobre a solução e nossos princípios de projeto, consulte a publicação no blog Anunciando a disponibilidade global da Oracle Cloud VMware Solution. O relatório do CTO Advisor discute como as organizações querem usar nuvens públicas para suas cargas de trabalho VMware. Em particular, o relatório examina usos corporativos comuns, como recuperação de desastres, expansão e migração de data centers e arquiteturas de nuvem híbrida que dependem de serviços on-premises e baseados em nuvem. O cenário usado no relatório para esse teste se baseia em preocupações reais: uma resposta à pandemia que requer uma rápida mudança de aplicativos e desktops existentes para a nuvem, o que, por sua vez, requer uma expansão da capacidade tanto dos recursos do data center quanto da conectividade de longa distância. O cenário de teste Os membros da equipe do CTO Advisor têm profunda experiência como administradores e arquitetos de infraestrutura VMware. O CTO Advisor construiu um data center real em Chicago, com servidores, matrizes de armazenamento e comutadores. Como resultado, os resultados do relatório são baseados em implementações e testes reais feitos pela equipe do CTO Advisor, e não em arquiteturas teóricas criadas no papel. A equipe projetou e implantou uma solução que conectou seu data center a cada uma das nuvens públicas que estavam testando. Em seguida, provisionaram um SDDC consistindo em VMware vSphere, vSAN e NSX instalado em um cluster de três servidores e o conectaram ao SDDC de VMware em seu data center on-premises. Nesse cenário, a equipe imediatamente precisou de mais capacidade para acomodar uma nova força de trabalho remota usando desktops virtuais. Usando a conexão com cada nuvem, eles migraram e redirecionaram rapidamente partes de sua infraestrutura de desktop virtual existente do data center de Chicago para o cluster VMware em cada nuvem. Testaram também a migração de aplicativos baseados em VMware on-premises para a nuvem. Ao longo do caminho, eles testaram os procedimentos operacionais e as ferramentas existentes nesse novo ambiente em áreas como rede, gerenciamento, conformidade e proteção de dados. Como a Oracle Cloud se saiu na comparação Quando a equipe testou o failover, desativando um servidor ESXi com cargas de trabalho em execução, esse cenário de failover destacou as diferenças entre as soluções de nuvem pública, já que funcionou apenas na Oracle Cloud, que é a única solução que oferece acesso total ao vSphere e ao vCenter para administradores do VMware. As outras nuvens públicas não fornecem esse tipo de acesso total ao software VMware principal e aos servidores bare metal em que ele é executado. Na Oracle Cloud, a equipe também pôde controlar as versões e os níveis de patch do software VMware que estavam usando e usar outras ferramentas, como o SRM do VMware, da mesma forma que on-premises. Outras diferenças apareceram nos testes das plataformas em nuvem, e o relatório explora como elas poderiam afetar as operações de equipes que executam VMware on-premises. Embora a plataforma VMware fosse semelhante em todos os casos, havia diferenças na forma como o cluster VMware interagia com o restante do ambiente de nuvem pública. Essas diferenças impactaram os operadores nos testes, que tiveram que se adaptar às capacidades de conectividade e gerenciamento de cada nuvem individualmente. O relatório do CTO Advisor observa: “Por exemplo, a Oracle Cloud Infrastructure se destaca pela sua capacidade de fornecer suporte para aplicativos e operações empresariais existentes. A Oracle Cloud VMware Solution envolve esse tema em toda a solução técnica, fornecendo acesso bare-metal ao usuário. Gostamos de chamá-la de 'Modo VMware Especializado’ na nuvem pública, porque permite que os especialistas acessem todos os recursos da plataforma”. O relatório conclui: “O valor dessa solução é que há uma curva de aprendizagem mínima. É uma implementação VMware do cliente sobre o hardware da Oracle — protegida, gerenciada e controlada pela sua equipe de VMware existente, mas alojada no hardware da OCI. A curva de aprendizagem achatada significa que o cliente pode entrar em operação assim que o canal de dados estiver instalado. Existem assistentes para construir a implementação do SDDC, a arquitetura Horizon View e muitos outros componentes da solução VMware necessária, praticamente prontos para uso”. A equipe do CTO Advisor destacou os fortes recursos de rede da Oracle Cloud Infrastructure (OCI), incluindo a capacidade de aumentar e diminuir a escala das conexões do data center dinamicamente. A OCI permite que topologias de rede muito mais simples se conectem a um data center externo e conectem o ambiente VMware a outros serviços em nuvem oferecidos pela OCI. Destaques de segurança O relatório também destacou as diferenças de segurança e conformidade. As organizações podem estender os requisitos de conformidade e certificação existentes para a nuvem com a Oracle Cloud VMware Solution. Isso é possível porque os processos operacionais existentes permanecem consistentes com os ambientes VMware na nuvem, e os administradores também podem controlar a versão exata do software e os níveis de patch do software VMware. A abordagem da Oracle permite que as organizações estendam sua governança existente para a nuvem e, em seguida, a alterem com uma taxa controlada pela organização, não pelo fornecedor de nuvem. Com a Oracle Cloud VMware Solution, o acesso ao ambiente VMware — incluindo o software VMware, seus dados e os servidores — está totalmente sob controle do administrador. Ao contrário de outros fornecedores, a Oracle Cloud oferece controle total ao cliente após as etapas de provisionamento automatizado e não tem mais acesso ao ambiente. Contribui também para a segurança a oferta combinada de software VMware e nuvem pública da Oracle em uma única conta de um único fornecedor, o que não ocorre com todas as nuvens públicas. Esse tipo de simplicidade é um exemplo de como a Oracle Cloud projeta em segurança desde o início, desde sua arquitetura básica até seu portfólio de soluções integradas. Conclusão A última área examinada pelo relatório do CTO Advisor é a facilidade geral de uso para equipes que já possuem experiência no uso de soluções VMware. Sobre a experiência geral, o relatório afirma: “A solução Oracle Cloud VMware é a experiência mais consistente com o vSphere on-premises." (CTO Advisor, Comparação de Opções de VMware Cloud) *John Troyer é Gerente de Principal de Produtos da Oracle

A equipe do CTO Advisor testou a Oracle Cloud VMware Solution e outras opções disponíveis no mercado. A conclusão? A Oracle oferece uma abordagem bastante diferente das outras, mais próxima de “apenas...

Transformação na TI

Oracle acelera migração da nuvem com novos serviços do Oracle Cloud Lift

Clientes novos e existentes recebem recursos gratuitos de engenharia em nuvem e suporte técnico para agilizar a migração de suas cargas de trabalho para a infraestrutura em nuvem da Oracle. Os pontos relevantes da adoção da nuvem são o custo e o esforço da migração. Para facilitar o processo, o lançamento dos Oracle Cloud Lift Services oferece aos clientes Oracle acesso expandido a ferramentas técnicas e recursos de engenharia em nuvem para migrarem rapidamente as cargas de trabalho para a Oracle Cloud Infrastructure (OCI). Agora a Oracle conta com esses recursos - sem custo adicional - para todos os clientes Oracle Cloud existentes e novos em todo o mundo. “Nossos clientes desejam um caminho perfeito para a nuvem com a orientação certa, arquitetura de solução e ajuda prática que podemos fornecer”, disse Vinay Kumar, vice-presidente sênior de infraestrutura em nuvem da Oracle. “O Oracle Cloud Lift Services é apenas uma das várias mudanças que estamos implementando para acelerar o sucesso do cliente na Oracle Cloud.” -Leia mais: Red Bull Racing Honda e Oracle se tornam parceiros e levam análise de dados à F1 O novo programa da Oracle traz um único ponto de contato para todas as entregas técnicas e elimina as barreiras críticas de expertise para a adoção de serviços OCI, agilizando o tempo de obtenção de valor e criando oportunidades mais rápidas para inovar. Com o Oracle Cloud Lift Services, os clientes obtêm acesso aos engenheiros de nuvem da Oracle e aos principais serviços técnicos que aceleraram as migrações para OCI para clientes corporativos, incluindo Seattle Sounders FC, Cargill e Rice University. Como parte do programa, os clientes terão acesso a recursos de engenharia em nuvem para atividades que vão desde análise de desempenho, arquitetura de aplicativo, migrações práticas e suporte go-live. A Oracle os ajudará em suas cargas de trabalho para que estejam em produção até o treinamento sua equipe nas práticas recomendadas para que tenham a experiência necessária para fazer o ambiente funcionar. Os clientes e parceiros já estão vendo valor no novo programa e estão passando por migrações mais rapidamente, com mais de seu orçamento de TI intacto para serviços operacionais mais valiosos e grandes projetos de transformação digital. “Os serviços Oracle Cloud Lift, juntamente com as ofertas de nuvem da Infosys Cobalt, ajudam nossos clientes conjuntos a acelerar o trabalho de migração para a nuvem e modernização de seu cenário para gerar resultados de negócios mais rápidos. Como parceiro, garantimos o sucesso do cliente por meio de programas de transformação orientados a resultados que criam recursos diferenciados para ajudar nossos clientes a se tornarem resilientes, ágeis e competitivos ”, disse Gopikrishnan Konnanath, vice-presidente sênior e chefe de oferta de serviços, Oracle Services, Infosys. O Seattle Sounders FC, clube americano de futebol profissional, também percebeu os benefícios do Oracle Cloud Lift Services. “Temos trabalhado em estreita colaboração com a Oracle Cloud Infrastructure para revisar nossos sistemas de dados para nos permitir construir soluções analíticas de última geração. Isso nos mantém à frente da concorrência dentro e fora do campo. Com o Oracle Cloud Lift Services, podemos acelerar nossa migração para a nuvem, proporcionando-nos valiosa experiência prática da equipe de engenharia em nuvem da Oracle ”, disse Ravi Ramineni, vice-presidente de Soccer Analytics and Research, Seattle Sounders FC. A Cargill é uma empresa líder global em alimentos que trabalha com agricultores, produtores, fabricantes, varejistas, governos e outras organizações para nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável. “Na Cargill, estamos constantemente procurando novas maneiras de melhorar e expandir nossos negócios. Os arquitetos de nuvem da Oracle nos levaram do zero à produção por meio do trabalho do Oracle Cloud Lift Services e fizeram uma transição tranquila para o lançamento de novos serviços da Cargill em sua nuvem, mantendo um forte foco na segurança. O Oracle Cloud Infrastructure nos ofereceu o desempenho e o suporte de que precisávamos para decolar e entrar na nuvem ”, disse Terence Schofield, diretor de Tecnologia de Negociação Quantitativa da Cargill. A Rice University usa o Oracle Cloud Lift Services para ajudar a implantar o Open Nebula no Oracle Cloud, o que envolve trabalho técnico, como a implantação de clusters Kubernetes em grande escala em GPUs. Este é um dos maiores projetos de código aberto em que a equipe de TI da universidade está envolvida. “Estamos muito satisfeitos que este projeto com a Oracle permitiu que a Oracle e Rice contribuíssem com este recurso de volta para a comunidade Open Nebula. A estreita colaboração entre os especialistas técnicos da Oracle e minha equipe forneceu oportunidades de aprendizado e nos permitiu explorar soluções técnicas novas e inovadoras ”, disse Klara Jelinkova, CIO da Rice University.

Clientes novos e existentes recebem recursos gratuitos de engenharia em nuvem e suporte técnico para agilizar a migração de suas cargas de trabalho para a infraestrutura em nuvem da Oracle. Os pontos...

Transformação na TI

O que é um Banco de Dados Convergente?

O Oracle Database é um excelente exemplo de banco de dados convergente, uma vez que fornece suporte a Machine Learning, Blockchain, Graph, Spatial, JSON, REST, Events, Editions e Streaming de IoT como parte do banco de dados principal, sem custo adicional. Por Maria Colgan* Como gerente ou administrador de banco de dados, você deve ter tido uma ou mais destas conversas com suas equipes de aplicativo? Precisamos criar um novo aplicativo para que os clientes possam enviar e recuperar documentos, então vamos precisar de um banco de dados especializado para armazenar os documentos, certo? Espera aí! Temos outro projeto na próxima semana que vai exigir um novo sistema de pagamento com proteção contra fraudes para atender aos requisitos de conformidade, o que significa que também vamos armazenar dados relacionais. Então precisamos um banco de dados Blockchain especializado e um banco de dados relacional, certo? -Leia mais: As novas ferramentas do Autonomous Data Warehouse Essas conversas podem deixá-los preocupados e frustrados, perguntando-se como vão alocar seus recursos com todos esses armazenamentos de dados especializados. Mas, provavelmente a solução para os seus problemas não seja mais recursos, mas um banco de dados convergente. Um banco de dados convergente é um banco de dados com suporte nativo a todos os tipos de dados modernos e os mais recentes paradigmas de desenvolvimento integrados num único produto. Bancos de dados convergentes suportam dados espaciais para reconhecimento de localização, JSON para armazenamento de documentos, IoT para integração de dispositivos, tecnologias in-memory para análises em tempo real e, claro, os dados relacionais tradicionais. Ao fornecer suporte a todos esses tipos dados, o Banco de Dados Convergente pode executar todas as espécies de cargas de trabalho, de IoT a Blockchain até a Analytics e a Machine Learning. Ela também consegue operar com qualquer paradigma de desenvolvimento, incluindo Microservices, Events, REST, SaaS e CI/CD, para citar alguns. -Saiba mais: Infográfico "Tudo o que você precisa saber sobre o Oracle Database" Tradicionalmente, quando novas tecnologias de gerenciamento de dados surgem pela primeira vez, elas são implementadas como produtos distintos.  Por exemplo, quando o Blockchain surgiu, ele era um sistema autônomo distinto que exigia que você usasse uma forma totalmente diferente e particular de armazenar e acessar dados. Ao integrar novos tipos de cargas de trabalho e paradigmas como funções dentro de um banco de dados convergente, é possível suportar cargas de trabalho mistas e tipos de dados de uma maneira muito mais simples. Você não precisa gerenciar e manter múltiplos sistemas ou se preocupar em ter que fornecer segurança unificada através deles. Você também terá sinergia entre esses recursos. Por exemplo, com o suporte a algoritmos de Machine Learning e dados especiais no mesmo banco de dados, é mais fácil e rápido fazer análises preditivas nos dados espaciais e desenvolver aplicativos orientados por dados. Uma boa analogia para o banco de dados convergente é o smartphone. No passado, se quisesse fazer telefonemas, você usaria o celular, e se quisesse tirar uma foto ou fazer um vídeo, você usaria a câmera. Se quisesse chegar até algum lugar, você precisaria de um mapa ou sistema de navegação. Se quisesse ouvir música, você precisaria de um iPod ou outro dispositivo semelhante.   Mas com um smartphone, todos esses produtos foram convertidos ou convergidos dentro de um só. Cada um desses produtos agora é uma funcionalidade do smartphone. Ter todas essas funcionalidades convergidas dentro de um único produto torna sua vida inerentemente mais fácil, já que você pode baixar música pelo plano de dados do telefone ou fazer upload de imagens ou vídeos diretamente para as plataformas de mídia sociais. A mesma facilidade de uso e comodidade que você obtém com um smartphone também pode ser oferecida num banco de dados convergente. O Oracle Database é um excelente exemplo de banco de dados convergente, uma vez que fornece suporte a Machine Learning, Blockchain, Graph, Spatial, JSON, REST, Events, Editions e Streaming de IoT como parte do banco de dados principal, sem custo adicional. Com isso você pode suportar diversos projetos usando somente uma única plataforma, o que reduz significativamente a sobrecarga e a complexidade de gerenciamento, além de minimizar o risco. *Maria Colgan é Gerente de Produtos na Oracle

O Oracle Database é um excelente exemplo de banco de dados convergente, uma vez que fornece suporte a Machine Learning, Blockchain, Graph, Spatial, JSON, REST, Events, Editions e Streaming de IoT como...

Transformação na TI

As novas ferramentas do Autonomous Data Warehouse

Publicação reúne uma breve visão geral sobre os novos recursos do banco de dados autônomo. Por Patrick Wheeler* Nesta publicação, apresentamos alguns novos recursos importantes que agora estão disponíveis com o Oracle Autonomous Data Warehouse, ou ADW. Muitos outros materiais abordarão este tema de forma muito mais detalhada, mas esta é uma breve visão geral desses novos recursos. Facilitamos a vida dos administradores de banco de dados com o Autonomous Data Warehouse, eliminando a parte árdua do trabalho e liberando tempo para realizar trabalhos de maior valor. No entanto, existem outros usuários do banco de dados – analistas de dados, desenvolvedores de aplicativos e também cientistas de dados. Não achamos justo deixá-los de fora, então criamos um conjunto de ferramentas diretamente no Autonomous Data Warehouse para estender os benefícios da autonomia também a esses usuários. Quer saber mais? Leia o blog Autonomous Data Warehouse: Novas inovações para analistas de dados, cientistas de dados cidadãos e desenvolvedores LOB. Como usuário do ADW, tudo está ali, ao seu alcance, sem nada mais para comprar ou instalar. Sabemos que você tem uma infinidade de fontes de dados para discutir – aplicativos, bancos de dados, arquivos e muito mais – e uma série de coisas que você deseja fazer com todos esses dados. Sabemos que você espera mais do que um prompt intermitente do SQL para fazer tudo isso – e nosso objetivo com as ferramentas do Autonomous Data Warehouse é incluir tudo o que você precisa e nada do que você não precisa. Há ferramentas para Carregamento e Transformação de Dados, Modelagem de Negócios (para dar sentido a todos esses dados), Insights de Dados (para que você não precise procurar uma agulha no palheiro). Há também um Catálogo e ferramentas para Machine Learning, Análise Espacial e Gráfica; além, é claro, do Desenvolvedor Web SQL e do APEX para desenvolvimento de aplicativos de low-code. Portanto, prepare-se, porque da próxima vez que acessar o Autonomous Data Warehouse, você verá uma paleta de ferramentas muito mais rica esperando por você depois de clicar no novo cartão Ações do Banco de Dados. Com o tempo, adicionaremos mais ferramentas a essa suíte. Quero falar sobre algumas delas agora, só para instigar sua curiosidade. Há uma ferramenta de Carregamento de Dados. Qualquer pessoa que tenha tentado carregar dados sabe que é mais fácil falar do que fazer – até agora, claro. Basta que você informe o que quer fazer – carregar dados em seu ADW, conectar-se a dados em um local remoto ou até mesmo configurar um feed ao vivo. Em seguida, informe onde estão seus dados – em um arquivo local, um banco de dados remoto ou em um armazenamento de objetos em alguma Nuvem – e pressione ir. Pronto. Publicações futuras irão explorar esse recurso com mais profundidade. Às vezes seus dados estão corretos, outras vezes você precisa limpá-los um pouco – às vezes, bastante. É aí que entra a ferramenta Transformação de Dados. Todo o poder do Oracle Data Integrator (ODI), com uma interface de usuário da web agradável, limpa e moderna, simples o suficiente até para eu usar. Exatamente o que você quer. Arraste e solte para informar o que você quer fazer. Não se preocupe em como fazer – a ferramenta faz todo o trabalho árduo para você. E depois? Você só consegue ir até certo ponto analisando dados brutos. Logo você também vai querer um modelo semântico. É aí que entra nossa ferramenta de Modelo de Negócios. Simplificamos a construção de modelos sofisticados para seus dados, identificando dimensões, hierarquias e medidas, com uma maneira limpa e agradável de dizer como agregar – por soma, média ou qualquer outra coisa. Mas ainda tem mais. Ele também é rápido! O SQL simples escrito no modelo de negócios é reescrito para garantir o acesso ideal aos dados e, como conhecemos a estrutura hierárquica dos dados, podemos agregar antecipadamente os totais e subtotais que você deseja, antes mesmo de você nos dizer isso! Em seguida, vem um recurso que eu queria chamar de eletroímã, mas não me deixaram. Muitas vezes o trabalho de um analista é como procurar uma agulha no palheiro. Então, você aperta o botão, e tudo que for de metal vai ser atraído pelo eletroímã. Com certeza aparecerão pregos, porcas e parafusos velhos e enferrujados, mas também algumas agulhas. É muito mais fácil separar as agulhas desses outros metais do que remexer numa pilha de feno – especialmente se você tiver alergia! É mais ou menos assim que a nossa ferramenta Insights funciona. Carregue seus dados, inicie uma consulta e vá pegar um café. O Autonomous Data Warehouse faz todo o trabalho árduo, vasculhando esses dados em busca de padrões ocultos, anomalias e exceções. Executamos algumas consultas analíticas que preveem os valores esperados e, quando os valores reais diferem significativamente da expectativa, a ferramenta os apresenta aqui. Alguns deles podem ser desinteressantes ou óbvios, mas outros merecem uma investigação mais aprofundada. Você obtém este dashboard com vários padrões de exceção de dados. Faça uma busca detalhada em um gráfico de barras específico neste painel, e os desvios significativos entre os valores reais e esperados aparecerão em destaque. Os dados são fundamentais, e o Catálogo integrado permite maximizar seu valor. A Linhagem de Dados e a Análise de Impacto estão agora ao seu alcance nesta ferramenta integrada. Você consegue se imaginar comprando um carro novo sem Bluetooth, airbag, vidro elétrico ou suporte para copo? Esses itens são alguns dos requisitos básicos da geração de carros modernos, mas, quando eu era criança, os carros nem tinham cinto de segurança! Com o Autonomous Data Warehouse, inauguramos uma nova geração de Database Cloud Services. E, com essa nova geração, assim como com as gerações anteriores de banco de dados, aumentamos o limite para a funcionalidade mínima necessária. As operações autônomas por si só representam um grande avanço geracional, mas acreditamos que é necessário ainda mais. Para esta nova geração de serviços de banco de dados em nuvem – a geração autônoma – todos os usuários do serviço exigem funcionalidade incorporada. Tudo isso deve ser integrado, sem nada mais para comprar e instalar. Esta foi apenas uma breve introdução, mas procure mais conteúdo para obter uma abordagem detalhada sobre esses vários novos recursos. Clique aqui para saber mais sobre o Autonomous Data Warehouse. *Patrick Wheeler é Vice-Presidente de Gerenciamento de Produtos na Oracle

Publicação reúne uma breve visão geral sobre os novos recursos do banco de dados autônomo. Por Patrick Wheeler* Nesta publicação, apresentamos alguns novos recursos importantes que agora estão...

Inovação

Oracle anuncia parceria com programa de inovação LIFT Lab

Empresa apoiará projetos da iniciativa que possui foco no setor financeiro e é coordenada pelo Banco Central do Brasil e pela FENASBAC. Inscrições podem ser feitas até 21 de maio. A Oracle será parceira tecnológica da edição 2021 do programa de inovação LIFT Lab (Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas). Criado em 2017, o projeto é coordenado pelo Banco Central do Brasil e pela FENASBAC, conta com apoio de empresas de tecnologia e tem como foco o desenvolvimento de propostas de inovação para o Sistema Financeiro Nacional. Pelo acordo, a Oracle vai apoiar alguns dos projetos acelerados ao longo do LIFT Lab 2021. As inscrições das propostas para o programa podem ser feitas entre hoje, 29 de março, e o próximo dia 21 de maio por meio do site liftlab.com.br. De acordo com a página da iniciativa, os projetos enviados são encaminhados para avaliação dos seus parceiros de tecnologia, levando em conta quesitos como a aderência a suas tecnologias. -Leia mais: Red Bull Racing Honda e Oracle se tornam parceiros e levam análise de dados à F1 Aproximadamente 20 projetos serão aprovados pelo ecossistema de inovação. Ao longo de três meses, os proponentes aceito recebem apoio e recursos técnicos para desenvolvimento de seus protótipos. Durante esse período, eles são acompanhados por um grupo de especialistas parceiros do LIFT Lab. Quer saber mais? Então acesse a página do LIFT Lab e saiba tudo sobre a edição 2021 da iniciativa. Vale lembrar que as inscrições podem ser feitas até 21 de maio.

Empresa apoiará projetos da iniciativa que possui foco no setor financeiro e é coordenada pelo Banco Central do Brasil e pela FENASBAC. Inscrições podem ser feitas até 21 de maio. A Oracle será...

Transformação na TI

Autonomous Data Warehouse: Novas inovações para analistas de dados, cientistas de dados cidadãos e desenvolvedores LOB

Neste blog post, apresentamos um novo foco para o Autonomous Data Warehouse: capacitar os analistas de dados de última geração com um data warehouse em nuvem de última geração. Por George Lumpkin* Após a apresentação do Autonomous Data Warehouse, organizações de todos os tamanhos reconheceram o quanto poderia ser simples provisionar um data warehouse. Como o Autonomous Data Warehouse não requer administração operacional (e, portanto, não requer um administrador de banco de dados), um data warehouse em nuvem está ao alcance de muito mais organizações do que antes. Para muitas organizações de TI, o Autonomous Data Warehouse era exatamente o que precisavam. O Autonomous Data Warehouse lidou com as tarefas operacionais do dia a dia, para que os especialistas de TI tivessem mais tempo e energia para se dedicar à adição de novos conjuntos de dados e ampliar o data warehouse para atender às necessidades da equipe de negócios. Embora o Autonomous Data Warehouse eliminasse a necessidade de um administrador operacional, ainda havia a necessidade de fortes habilidades de TI e desenvolvimento para construir um warehouse. Para começar, as organizações precisavam ser capazes de projetar seu esquema de banco de dados, criar tabelas de banco de dados usando SQL, carregar seus conjuntos de dados nas tabelas e limpar e transformar os dados. O Autonomous Data Warehouse (e basicamente todos os outros fornecedores de data warehouse em nuvem) era uma solução orientada por SQL, projetada para usuários técnicos que estavam acostumados com bancos de dados relacionais. -Leia mais: A chegada do Java 16 Evolução para um modelo de autosserviço para data warehouse Na Oracle, quando começamos a considerar a última geração de data warehouses em nuvem, reconhecemos que não havia razão para que a construção de um data warehouse em nuvem exigisse profundo conhecimento de TI. Os data warehouses são construídos para resolver problemas de negócios — fornecendo insights mais profundos sobre os dados de negócios de uma organização — e os principais usuários do data warehouse não são gurus de SQL, mas analistas de dados e outros profissionais de negócios nas organizações de linhas de negócios. Neste blog post, apresentamos um novo foco para o Autonomous Data Warehouse: capacitar os analistas de dados de última geração com um data warehouse em nuvem de última geração. O Autonomous Data Warehouse agora oferece um conjunto de ferramentas integradas de autosserviço, projetadas não para o usuário de SQL, mas para o usuário de negócios, o cientista de dados cidadão e o desenvolvedor cidadão. O Autonomous Data Warehouse adicionou uma paleta de novas ferramentas integradas (além das ferramentas integradas pré-existentes, como Planilha de SQL, Notebooks de Machine Learning e APEX): •    Carregamento de Dados •    Transformação de Dados •    Modelo de negócios •    Insights de Dados •    Catálogo •    AutoML •    Graph Studio Ferramentas de autosserviço do data warehouse: um exemplo Essas novas ferramentas foram projetadas para usuários de negócios, não para usuários técnicos. O ponto de partida de qualquer data warehouse é carregar dados. Anteriormente, a única técnica do Autonomous Data Warehouse para carregar dados do armazenamento de objetos em nuvem era via SQL: Se você for um usuário de SQL, os trechos de código acima são simples de usar. No entanto, se você é um analista de dados, provavelmente não sabe SQL e nem deve estar interessado em aprender esses detalhes do banco de dados. As novas ferramentas integradas do Autonomous Data Warehouse levam em conta o analista de dados, para que o carregamento de dados se torne muito mais simples através de uma interface do usuário (UI): Um analista de dados pode usar a interface do usuário para simplesmente carregar dados de um arquivo local em seu laptop. Basta que ele clique em "Avançar" na tela acima e, em seguida, arraste e solte o arquivo de dados na ferramenta Carregamento de Dados: O Autonomous Data Warehouse interpretará automaticamente os arquivos, configurará as definições da tabela SQL com os nomes das colunas e tipos de dados apropriados e carregará os dados. Opcionalmente, o usuário pode verificar as configurações antes de iniciar o carregamento de dados, e é possível ver os detalhes da definição da tabela e as opções para o carregamento de dados: Mas, no final, o carregamento de dados foi reduzido basicamente a um processo de uma única etapa: arrastar o arquivo de dados para a ferramenta de carregamento de dados. O Autonomous Data Warehouse cuida dos detalhes técnicos. Esse exemplo simples ilustra como o Autonomous Data Warehouse está estendendo sua visão para os analistas de dados, além dos usuários técnicos orientados por SQL. Com ferramentas simples semelhantes, o Autonomous Data Warehouse fornece ferramentas integradas para ajudar os analistas de dados a transformar os dados em seu data warehouse, organizar os dados em modelos de negócios (para fornecer uma visão dos dados centrada nos negócios) e pesquisar os dados com um catálogo (que fornece adicionalmente a linhagem de dados para que os usuários de negócios possam saber a origem dos dados). Cientistas de Dados Cidadãos - Apresentamos o AutoML O Autonomous Data Warehouse ajuda outros profissionais de negócios além dos analistas de dados – ele também introduz novos recursos para os "cientistas de dados cidadãos". Um cientista de dados cidadão é um usuário de negócios que possui profundo conhecimento dos dados e dos problemas do negócio que precisam ser resolvidos – mas não é um cientista de dados profissional com formação avançada em ciência da computação. O Autonomous Data Warehouse inclui mais de 30 algoritmos de máquina integrados, um avançado conjunto de recursos que foram incorporados ao banco de dados da Oracle nos últimos 20 anos. O desafio aqui é que esses algoritmos são usados por cientistas de dados capacitados, que entendem todas as nuances do machine learning. O novo recurso AutoML do Autonomous Data Warehouse agora preenche essa lacuna, permitindo que cientistas de dados cidadãos, não especialistas, criem seus próprios modelos de machine learning para resolver problemas de negócios, como identificar os clientes potenciais mais promissores para marketing ou vendas. O AutoML auxilia o cientista de dados cidadão, selecionando os algoritmos e parâmetros mais apropriados com base nos dados fornecidos – sem a necessidade de nenhum conhecimento especial sobre os próprios algoritmos. Aqui, o AutoML decide qual algoritmo é mais adequado ao problema específico do negócio – no exemplo acima, o AutoML testou vários algoritmos e, por fim, selecionou um Modelo Linear Geral como o melhor algoritmo para resolver esse requisito específico de atrito/rotatividade de clientes. Isso realmente proporciona o poder de trabalhar com machine learning a um público de negócios muito mais amplo. Desenvolvedores LOB - Apresentando o APEX para desenvolvimento de low-code O Oracle APEX, plataforma de desenvolvimento de low-code da Oracle, fornece todas as ferramentas necessárias para construir aplicativos em uma única plataforma extensível, executada como parte do Oracle Autonomous Data Warehouse. Usando o APEX, os desenvolvedores de LOB podem desenvolver rapidamente aplicativos atraentes, apenas combinando widgets pré-construídos e extensíveis. É incrivelmente fácil e rápido implementar aplicativos em HTML ricos, poderosos e compatíveis com dispositivos móveis que resolvem problemas reais e criam valor imediato. A vasta gama de tecnologias faz com que você não precise ser um desenvolvedor dedicado. Isso significa que você pode se concentrar em resolver o problema e deixar o APEX cuidar do resto. Para explorar como o APEX ajuda a eliminar a complexidade e fornecer resultados com mais rapidez, consulte a página inicial do APEX (apex.oracle.com), onde você encontrará tudo o que precisa para começar. Análise de Grafos O Autonomous Data Warehouse continua a expandir a amplitude de suas ofertas de análise, com novos recursos de análise de grafos que permitem que os usuários entendam e analisem as relações dentro dos dados. A análise gráfica pode ajudar os usuários de negócios a entender como seus clientes interagem e identificar os clientes mais importantes e influentes, ou pode ajudar a identificar fraudes com análises aprofundadas das cadeias de transações financeiras. O Autonomous Data Warehouse apresenta o Graph Studio, uma interface integrada de low-code que automatiza a modelagem de grafos e o gerenciamento de dados e simplifica a análise e visualização de grafos. É importante ressaltar que o Graph Studio orienta o analista de dados na criação do modelo gráfico. O data warehouse pode conter tabelas com dados do cliente, e o Graph Studio pode exemplificar os dados do cliente, entender as relações pré-existentes presentes no banco de dados e criar gráficos identificando os vértices e as bordas com base nessas relações. Depois que o gráfico é criado, o Graph Studio fornece um bloco de notas integrado com recursos de visualização gráfica: Conclusão O Autonomous Data Warehouse está conduzindo os data warehouses em nuvem a uma nova direção. O data warehouse não precisa ser um domínio exclusivo de especialistas em SQL e profissionais de TI, nem deve exigir a montagem de inúmeras peças e componentes. O Autonomous Data Warehouse expandiu o serviço de data warehouse em nuvem para abranger o carregamento e a transformação de dados, simplificar análises aprofundadas, como gráficos e machine learning, e oferecer rapidamente novos aplicativos de low-code – tudo com ferramentas de autosserviço integradas. Comece a usar essas novas ferramentas agora! Esta foi apenas uma breve introdução às novas ferramentas de autosserviço, mas fique atento a mais publicações no blog que abordarão esses vários novos recursos. Ou, melhor ainda, conecte-se ao seu próprio Autonomous Database e experimente você mesmo as novas ferramentas! Se você estava querendo saber: SIM, essas ferramentas estão inclusas na versão Always-Free do Autonomous Data Warehouse. Clique aqui para saber mais sobre o Autonomous Data Warehouse. *George Lumpkin é Vice-Presidente de Gestão de Produtos para Autonomous Data Warehouse

Neste blog post, apresentamos um novo foco para o Autonomous Data Warehouse: capacitar os analistas de dados de última geração com um data warehouse em nuvem de última geração. Por George Lumpkin* Após...

Inovação

Red Bull Racing Honda e Oracle se tornam parceiros e levam análise de dados à F1

Equipe líder da Fórmula 1 escolhe Oracle Cloud Infrastructure como plataforma oficial de nuvem com projetos voltados ao desempenho do carro, machine learning e análise de dados. A Red Bull Racing, equipe quatro vezes campeã mundial da Fórmula 1, escolheu a Oracle como seu parceiro oficial de infraestrutura em nuvem. A equipe aproveitará os recursos de machine learning (aprendizado de máquina) e análise de dados da Oracle Cloud Infrastructure (OCI) para otimizar como os dados são usados em seus negócios; desde atividades em andamento até disponibilizar mais informações nas mãos dos fãs globais do time. Os recursos da infraestrutura OCI ajudarão a equipe a aprimorar sua já formidável vantagem competitiva. A Fórmula 1 é um esporte frequentemente descrito como sendo conduzido por dados; as equipes têm uma obsessão por análises e detalhes minuciosos que podem lhes dar uma vantagem competitiva na pista. Este relacionamento, entre duas empresas de tecnologia de ponta, incluirá um trabalho para otimizar e elevar o uso de dados na melhoria do desempenho do carro para a Red Bull. Isso vem na forma de um roteiro de vários anos, abrangendo as operações de engenharia dentro e fora do percurso, aproveitando a inteligência artificial extensa e os recursos de aprendizado de máquina da Oracle Cloud Infrastructure. Dando as boas-vindas à nova parceria, o chefe da equipe Red Bull Racing Honda, Christian Horner, disse: “esta é uma parceria extremamente significativa para a Red Bull Racing Honda. A Oracle é uma grande organização que está na vanguarda da inovação técnica há mais de quatro décadas. Como um dos nomes mais reconhecidos e confiáveis do setor em gerenciamento de banco de dados e computação em nuvem, a Oracle oferece grande capacidade, inovação e experiência para muitas das maiores e mais bem-sucedidas empresas do mundo. Ser capaz de aproveitar esse poder e conhecimento excepcionais é um grande passo para nossa equipe. A experiência da Oracle atingirá muitas áreas do negócio, desde o desenvolvimento de importantes mecanismos de engajamento de fãs e construção de marca até o fornecimento de novos recursos valiosos para toda a equipe, incluindo os departamentos de engenharia e design. A Red Bull Racing Honda requer uma plataforma de infraestrutura em nuvem com os mais altos níveis de desempenho, escalabilidade e segurança. A Oracle Cloud Infrastructure traz recursos exclusivos que permitem à Red Bull expandir seu uso de ciência de dados e análise, de forma que possa acomodar o crescente e diversificado trabalho de engenharia realizado no Red Bull Technology Campus. “Esta é a aliança perfeita de duas organizações que compartilham uma paixão por design, desempenho e vitória”, disse Ariel Kelman, Diretor de Marketing da Oracle. “A Red Bull Racing não ganhou vários campeonatos de pilotos e campeonatos de Constructor’s em sua existência relativamente jovem, sem ultrapassar os limites. A Oracle está empenhada em trabalhar com a Red Bull Racing Honda para descobrir e criar as tecnologias e designs que permitirão superar as expectativas e definir novos padrões na Fórmula 1. ” A Red Bull também é conhecida nos círculos da Fórmula 1 por ser apaixonada por sua base global de fãs, produzindo conteúdo excepcional e oportunidades de envolvimento. A parceria aproveitará o amplo portfólio de aplicativos de Experiência do Cliente (CX) da Oracle, incluindo Oracle Unity Customer Data Platform, Oracle CrowdTwist Loyalty and Engagement e Oracle Responsys Campaign Management para oferecer aos fãs acesso fácil a estatísticas e métricas, para que possam se sentir mais próximos da ação na pista. Juntas, as duas empresas esperam fornecer a melhor experiência possível aos fãs, proporcionando maiores insights e oportunidades de envolvimento durante os fins de semana de corrida e abrindo o mundo da Fórmula 1 para novos fãs em todo o mundo. Oliver Hughes, diretor de marketing da Red Bull Racing, acrescentou: “Estamos empolgados em trazer um grande parceiro como a Oracle para a Fórmula 1 e com foco em ultrapassar os limites em tudo o que fazemos, encontrando o parceiro certo para nossa jornada para a nuvem foi absolutamente crucial. Combinar a experiência do CX Marketing Cloud da Oracle com a criatividade e a base de fãs global da Red Bull Racing Honda vai abrir o próximo capítulo em nossa jornada martech em evolução e, esperançosamente, entregar algo único e especial para nossos fãs. Do ponto de vista da tecnologia, nossa equipe de engenharia mal pode esperar para colocar as mãos na variedade de ferramentas que a Oracle tem a oferecer para fortalecer nossas equipes de ciência de dados e IA com experiência mundial ”.

Equipe líder da Fórmula 1 escolhe Oracle Cloud Infrastructure como plataforma oficial de nuvem com projetos voltados ao desempenho do carro, machine learning e análise de dados. A Red Bull Racing,...

Transformação nos Negócios

Quer um planejamento de cenário eficaz? Veja o que é preciso

A integração entre os sistemas de ERP e planejamento podem ajudar as equipes financeiras a lidar mais rápido com as condições em constante mudança. Por Jennifer Toomey * Os líderes empresariais estão cheios de dúvidas e contam com as equipes financeiras para indicar o caminho a seguir. Mas os indicadores típicos de liderança não são confiáveis, pois o mundo está lidando com a propagação de uma doença e medidas restritivas de prevenção. O que acontecerá? Ninguém tem certeza de nada. A única coisa que sabemos é que as empresas precisam de melhores ferramentas para planejar rapidamente os diferentes resultados à medida que as coisas mudam. Os aplicativos de planejamento de cenário estão assumindo o papel de ajudar as equipes de planejamento e análise financeira (FP&A) a definir diferentes cenários com segurança. E, além da crise atual (ou da próxima), o planejamento de cenário ajuda a reduzir as incertezas diárias que se tornaram parte das negociações, mesmo antes da pandemia. Definição dos padrões para o planejamento de cenário Muito antes de o mundo ter ouvido falar da COVID-19, muitas empresas precisaram fazer um planejamento de cenário, porque utilizavam planilhas personalizadas ou ferramentas inadequadas. Em uma pesquisa da Oracle com mais de 900 responsáveis pelas decisões financeiras, 70% destas pessoas afirmaram que queriam uma integração maior entre os sistemas de ERP e planejamento. Por quê? Porque quanto mais rápido e fácil for obter números atualizados em seus modelos, mais rápido podemos lidar com as condições em constante mudança. Leia mais: Como usar o planejamento de cenários para lidar com uma crise Tradicionalmente, os cenários foram criados utilizando planilhas, dados exportados de sistemas de ERP e outros sistemas. Assim que os dados são exportados, eles ficam congelados no tempo, e quando chegam ao seu laptop já estão desatualizados. E criar cenários em planilhas é um processo meticuloso, que exige cálculos e fórmulas complexas que podem ficar desatualizadas antes de serem compartilhadas com outro usuário. Não podemos ser lentos ou meticulosos no contexto atual de rápidas transformações. Precisamos atualizar nossos modelos frequentemente com as informações mais recentes. Nossos clientes de setores altamente afetados por isso (como o varejo) usam previsões dinâmicas, atualizadas semanalmente. Eles fazem a previsão e o planejamento do fluxo de caixa em um nível detalhado, com base em dados de transação reais dos seus sistemas operacionais e de ERP. Assim eles podem manter a competitividade, apesar das enormes mudanças nos mercados globais e nas cadeias de suprimentos. Estes clientes conseguem criar cenários em minutos, em vez de dias. A integração estimula a agilidade e a precisão Em períodos conturbados como estes, as organizações com soluções de ponto de planejamento percebem que não conseguem mudar rápido o suficiente para lidar com a necessidade urgente de números confiáveis e atualizados. Por quê? Porque a maioria das soluções de planejamento tem funcionalidades muito limitadas para a criação de cenários e não tem integração em tempo real com os outros sistemas. O resultado são falhas no fluxo de informações e processos manuais, levando a longos ciclos de preparação, a uma visão incompleta da empresa, informações desatualizadas e maior probabilidade de erros. Inteligência de planejamento interna e estruturas de planejamento de cenários com as melhores práticas Na pesquisa mencionada acima, os clientes da Oracle Fusion Cloud EPM disseram que gastam menos tempo coletando dados, têm mais tempo para análise, utilizam menos recursos administrativos para FP&A, com uma previsão mais precisa. Entre as funcionalidades do Oracle Cloud EPM, temos: A integração interna da Oracle Fusion Cloud ERP garante sempre números precisos e atualizados com base nas suas transações financeiras mais recentes Simulações Monte Carlo, que permitem testar a probabilidade de vários resultados e planejar as possíveis respostas. Funcionalidades integradas para “atingir metas”, ajudando você a executar verificações periódicas para decidir quais variáveis operacionais devem ser alteradas para gerenciar custos e otimizar a disponibilidade de caixa. Relatórios e análises simples e criteriosas ajudam a comunicar de maneira eficaz não apenas os números no modelo, mas a lógica por trás dos números Análise em tempo real e distribuição de relatórios usando uma variedade de formatos de relatório, disponíveis em um navegador da web e no SmartView para Microsoft Office Experimente grátis as funcionalidades de planejamento do Oracle Cloud Atualmente, um planejamento de cenário eficaz e uma modelagem estratégica são essenciais para equipes financeiras. Por isso, estamos oferecendo acesso gratuito ao Oracle Financial Statement Planning, incluindo modelagem estratégica, para todos os clientes da Oracle Planning Cloud nos próximos meses. Experimente estas ferramentas para saber como um aplicativo líder no mercado de planejamento de cenário pode ajudar sua empresa a permanecer competitiva durante períodos de crise e continuar se destacando neste período de incerteza do “novo normal”. Saiba como traçar um caminho para o crescimento com o planejamento de cenário com Oracle Fusion Cloud EPM. * Jennifer Toomey é diretora sênior de EPM Product Marketing na Oracle.

A integração entre os sistemas de ERP e planejamento podem ajudar as equipes financeiras a lidar mais rápido com as condições em constante mudança. Por Jennifer Toomey * Os líderes empresariais estão...

Desenvolvedores

A chegada do Java 16

Demonstrando ainda mais o caminho de inovação contínua do Java, a Oracle tem o orgulho de anunciar a disponibilidade geral do Java 16 representando o sétimo lançamento de recursos como parte da cadência de seis meses. Por Sharat Chander* 2020 provou ser um ano memorável para o Java uma vez que comemoramos seu 25º aniversário. Com mais de duas décadas de inovação, o Java continuou a ser: •    Flexível por se adaptar ao cenário tecnológico em constante mudança enquanto manteve-se independente de plataforma. •    Confiável por manter a compatibilidade com versões anteriores. •    Eficiente por acelerar a inovação sem sacrificar a segurança. Juntamente com a capacidade do Java de aumentar o desempenho, a estabilidade e a segurança da plataforma ao longo do caminho, ele continua a ser a linguagem de programação mais popular do mundo entre os desenvolvedores. De acordo com o último relatório da IDC "Java Turns 25”, mais de nove milhões de desenvolvedores representando 69% dos desenvolvedores em tempo integral em todo o mundo usam Java – mais do que qualquer outra linguagem. -Leia mais: Celebrando 25 Anos do Java Demonstrando ainda mais o caminho de inovação contínua do Java, a Oracle tem o orgulho de anunciar a disponibilidade geral do Java 16 representando o sétimo lançamento de recursos como parte da cadência de seis meses. Este nível de previsibilidade permite que os desenvolvedores gerenciem mais facilmente sua adoção de inovação graças a um fluxo constante de mudanças esperadas. O Java 16 já está disponível! A Oracle agora oferece o Java 16 para todos os desenvolvedores e empresas.  O Oracle JDK 16 receberá um mínimo de duas atualizações trimestrais, de acordo com o  cronograma do Oracle Critical Patch Update (CPU), antes do lançamento do Oracle JDK 17. O Java 17 atingirá a disponibilidade geral em setembro de 2021, mas as compilações de acesso antecipado já estão sendo oferecidas em jdk.java.net. Mais uma vez, a Oracle fornece o Java 16 como a versão do Oracle OpenJDK usando a GNU General Public License v2 de software livre, com o Classpath Exception (GPLv2+CPE), e também sob uma licença comercial para aqueles que usam a versão Oracle JDK como parte de um produto ou serviço Oracle, ou para aqueles que querem ser capazes de obter suporte comercial. Java 16, Juntos Semelhante aos lançamentos anteriores, continuamos a celebrar as contribuições feitas para o Java 16 de muitos indivíduos e organizações na Comunidade OpenJDK — todos nós construímos o Java, juntos! Taxa de correção do JDK 16 A taxa global de mudança ao longo do tempo no JDK permaneceu essencialmente constante por muitos anos, mas sob a cadência de seis meses, o ritmo no qual as inovações prontas para a produção são entregues melhorou muito. Em vez de disponibilizar dezenas de milhares de correções e cerca de cem JDK Enhancement Proposals (JEPs) em um grande lançamento a cada alguns anos, os aprimoramentos são entregues em versões menores de recurso em um cronograma de seis meses mais gerenciável e previsível. Essas alterações podem variar de um recurso significativo a pequenas melhorias, a manutenção de rotina, correções de bugs e melhorias na documentação. Cada alteração é representada em um único commit para um único problema no JDK Bug System. Dos 1.897 problemas marcados como corrigidos no Java 16, 1.397 foram concluídos por pessoas que trabalham para a Oracle, enquanto que500 foram contribuídos por desenvolvedores individuais e desenvolvedores que trabalham para outras organizações. Analisando os problemas e agrupando os dados da organização dos destinatários resulta no gráfico a seguir de organizações que patrocinam o desenvolvimento de correções no Java 16: A Oracle gostaria de agradecer aos desenvolvedores que trabalham para organizações como ARM, SAP, Red Hat e Tencent por suas contribuições notáveis.  Também somos gratos por ver contribuições de organizações menores, como Ampere Computing, Bellsoft, DataDog, Microdoc e desenvolvedores independentes que contribuíram coletivamente com 3% das correções no Java 16. Somos igualmente gratos aos muitos desenvolvedores experientes que analisaram as alterações propostas, aos usuários pioneiros que experimentaram compilações de acesso antecipado e relataram problemas, e aos profissionais dedicados que forneceram feedback nas as listas de endereçamento do OpenJDK. Os seguintes indivíduos forneceram feedback inestimável sobre a qualidade da compilação, registraram bugs de forma eficaz ou ofereceram atualizações frequentes: •    Jaikiran Pai (Formiga Apache) •    Gary Gregory (Apache Commons) •    Uwe Schindler (Apache Lucene) •    Robert Scholte (Apache Maven) •    Mark Thomas (Apache Tomcat) •    Enrico Olivelli (Zookeeper Apache) •    Rafale Winterhalter (Byte Buddy) •    Peter Karich (Graph Hopper) •    Evgeny Yavits (JaCoCo) •    Marc Hoffman (JaCoCo) •    Vincent Privat (JOSM) •    Christain Stein (JUnit 5) •    David Karnok (RxJava) Além disso, por meio do programa Quality Outreach, gostaríamos de agradecer aos seguintes projetos FOSS (software de código livre e aberto) e indivíduos que forneceram um excelente feedback ao testar as compilações de acesso antecipado do Java 16 para ajudar a melhorar a qualidade do lançamento. •    Apache Ant •    Apache Derby (Rich Hillegas) •    Apache Lucene •    Apache Maven •    Apache Tomcat •    Apache Wicket (Martin Grigorov) •    Apache ZooKeeper •    Colecções Eclipse (Nikhil Nanivadekar) •    eo-yaml (Mihai Andronache) •    FXGL (Almas Baimagambetov) •    FXyz (Sean Phillips) •    Java Katas (Chandra Guntur) •    GraphHopper •    Hibernate ORM •    Hibernate Validator •    Hibernate Search •    Hibernate Reactive (Sanne Grinovero & Yoann Rodiere) •    JobRunr (Ronald Dehuysser) •    jOOQ (Lukas Eder) •    MyBatis (Iwao Ave) •    Micrometer (Tommy Ludwig) •    RxJava •    Sejda •    PDFsam (Andrea Vacondio) Novidade no Java 16 Juntamente com milhares de atualizações de desempenho, estabilidade e segurança, o Java 16 oferece aos usuários dezessete melhorias/mudanças principais (conhecidas como JDK Enhancement Proposals - JEPs), incluindo três módulos de incubadora e um recurso de visualização. Algumas melhorias são introduzidas nos módulos da incubadora, um meio de colocar APIs e ferramentas não finais nas mãos dos desenvolvedores que permite que os usuários ofereçam feedback que pode melhorar a qualidade da plataforma Java. Da mesma forma, alguns aprimoramentos são introduzidos como recursos de visualização, linguagem ou recursos de VM da Java SE Platform que são completamente especificados, completamente implementados e, ainda assim, impermanentes. Eles são disponibilizados em versões de recursos do JDK para provocar o feedback do desenvolvedor com base no uso do mundo real, o que pode levá-los a se tornarem permanentes em uma versão futura.  Isso oferece aos usuários a oportunidade de fornecer feedback oportuno, além de permitir que os fornecedores de ferramentas tenham a oportunidade de criar suporte para o recurso antes que a maior parte dos desenvolvedores Java o usem na produção. Os 17 JEPs  entregues com o Java 16 foram agrupados em seis categorias diferentes: 1. Novos Recursos de linguagem JEP 394 Pattern Matching for instanceof Introduzido pela primeira vez como um recurso prévio no Java 14 e novamente no Java 15, o Pattern Matching aprimora a linguagem de programação Java com correspondência de padrões para a instanceof (instância do) operador. A correspondência de padrões permite que a lógica comum em um programa, ou seja, a extração condicional de componentes de objetos, seja expressa de forma mais concisa e segura. JEP 395 Records Também introduzido pela primeira vez como um recurso prévio no Java 14 e novamente no Java 15, o Records fornece uma sintaxe compacta para declarar classes que são titulares transparentes para dados superficialmente imutáveis. Isso reduzirá significativamente a verbosidade dessas classes e melhorará a legibilidade e a manutenção do código. 2. Melhorias JVM JEP 376 Processamento Simultâneo de Rosca ZGC O JEP 376 move o processamento de pilha de rosca ZGC de pontos de segurança para uma fase simultânea, permite pausas de sub-milissegundos dentro dos pontos de segurança GC, mesmo em grandes pilhas. A remoção da fonte final de latência no coletor de lixo ZGC melhorará muito o desempenho e a eficiência dos aplicativos neste e nos lançamentos subsequentes. JEP 387 Metaespaço Elástico Este recurso retorna memória de metadados de classe VM HotSpot não utilizada (ou seja, metaespaço) para o sistema operacional mais prontamente, reduzindo a presença de metaespaço. Aplicativos com atividade de carga e descarga de classe pesada podem acumular muito espaço não utilizado. O novo esquema aloca a memória de metaespaço em pedaços menores, reduz a sobrecarga do carregador de classe e  a fragmentação. Ele melhora a elasticidade ao retornar a memória metaespacial não utilizada para o sistema operacional, o que leva a um maior desempenho do aplicativo e diminui a utilização da memória. 3. Novas Ferramentas e Bibliotecas JEP 380 Canais de Soquete de Domínio Unix Os soquetes de domínio Unix são, há muito tempo, um recurso da maioria das plataformas Unix e agora são suportados no Windows 10 e no Windows Server 2019. Este recurso adiciona suporte de soquete de domínio Unix (AF_UNIX) ao canal de soquete e às APIs de canal de soquete de servidor no pacote java.nio.channels. Ele estende o mecanismo de canal herdado para suportar canais de soquete de domínio Unix e canais de soquete de servidor. Os Soquetes de domínio Unix são usados para comunicação entre processos (IPC) no mesmo host. Eles são semelhantes aos soquetes TCP/IP na maioria dos aspectos, exceto que eles são endereçados por nomes de caminhos do sistema de arquivos em vez de endereços IP (Internet Protocol) e números de porta. Para comunicação local entre processos, os soquetes de domínio Unix são mais seguros e mais eficientes do que as conexões de loopback TCP/IP. JEP 392 Ferramenta de Empacotamento Este recurso foi introduzido pela primeira vez como um módulo de incubadora no Java 14. Esta ferramenta permite empacotar aplicativos Java independentes. Ele suporta formatos de embalagem nativos para proporcionar aos usuários finais uma experiência de instalação natural. Esses formatos incluem msi e exe no Windows, pkg e dmg no macOS, e deb e rpm no Linux. Ele também permite que os parâmetros de tempo de lançamento sejam especificados no tempo de empacotamento e podem ser invocados diretamente, a partir da linha de comando ou programaticamente, através da API do ToolProvider. Observe que o nome do módulo jpackage muda de jdk.incubator.jpackage para jdk.jpackage. Isso melhorará a experiência do usuário final ao instalar aplicativos e simplificará as implementações usando o modelo de "loja de aplicativos”. 4. Garantindo a Permanência do Seu Trabalho JEP 390 Avisos para classes baseadas em valor Este recurso designa as classes wrapper primitivo (java.lang.Integer, java.lang.Double, etc.) como baseadas em valor (semelhante a java.util.Optional e java.time.LocalDateTime) e adiciona forRemoval aos seus construtores, que estão preteridos desde o JDK 9, solicitando novos avisos.  Ele fornece avisos sobre tentativas impróprias de sincronização em instâncias de quaisquer classes baseadas em valor na Plataforma Java. Muitos projetos populares de software livre já responderam aos avisos de reprovação do Java 9 removendo chamadas de construtor wrapper de suas fontes, e podemos esperar que muitos mais o façam, dada a crescente urgência de avisos "preteridos para remoção". JEP 396 Faça o Encapsulamento Forte dos JDK Internos por Padrão Esse recurso faz o encapsulamento forte de todos os elementos internos do JDK por padrão, exceto para as APIs internas críticas, como sun.misc.Unsafe. O código compilado com sucesso com versões anteriores que acessam APIs internas do JDK pode não funcionar mais por padrão. Esta mudança visa incentivar os desenvolvedores a migrar do uso de elementos internos para o uso de APIs padrão, para que eles e seus usuários possam atualizar sem complicações para futuras versões do Java. O encapsulamento forte é controlado pela opção do inicializador --acesso ilegal, para JDK 9 até JDK 15 padrão para warning, e começar com o JDK 16 padrão para deny. Ainda é possível (por enquanto) relaxar o encapsulamento de todos os pacotes com uma única opção de linha de comando, no futuro, apenas abrindo pacotes específicos com -add-opens funcionará. 5. Características de Incubadora e Visualização JEP 338 API Vector (Incubadora) Esta API de incubadora fornece uma iteração inicial de uma API para expressar cálculos vetoriais que compilam de forma confiável em tempo de execução para obter instruções de hardware vetorial ideais em arquiteturas de CPU suportadas e, assim, alcançar desempenho superior a cálculos escalares equivalentes. Ela permite tirar proveito das instruções SIMD (Single Instruction, Multiple Data) disponíveis na maioria das CPUs modernas. Embora o HotSpot ofereça suporte à vetorização automática, o conjunto de operações escalares transformáveis é limitado e frágil a mudanças no código. Esta API permitirá que os desenvolvedores escrevam facilmente algoritmos vetoriais portáteis e de desempenho em Java. JEP 389 API Foreign Linker (Incubadora) Esta API de incubadora oferece acesso de java pura e digitada estaticamente ao código nativo. Esta API simplificará consideravelmente o processo complicado e propenso a erros de vinculação a uma biblioteca nativa. O Java suporta chamadas de métodos nativos através da Java Native Interface (JNI) desde o Java 1.1, mas é duro e frágil. Os desenvolvedores Java devem ser capazes de (principalmente) apenas usar qualquer biblioteca nativa que seja considerada útil para uma tarefa específica. Também  fornece suporte de função estrangeira sem a necessidade de qualquer código de cola JNI interveniente. JEP 393 API de Acesso a Memória Estrangeira (3a Incubadora) Introduzida pela primeira vez como uma API incubadora no Java 14 e novamente no Java 15, esta API permite que programas Java operem com segurança e eficiência em vários tipos de memória estrangeira (por exemplo, memória nativa, memória persistente, memória heap gerenciada, etc.). Ela também fornece a base para a API Foreign Linker. JEP 397 Classes Seladas (2a Pré-visualização) Este recurso de visualização restringe quais outras classes ou interfaces podem estendê-las ou implementá-las. Permite ao autor de uma classe ou interface controlar qual código é responsável pela sua implementação. Além disso, fornece uma maneira mais declarativa do que os modificadores de acesso para restringir o uso de uma superclasse. E suporta direções futuras na correspondência de padrões ao sustentar a análise exaustiva de padrões. 6. Melhorando a Produtividade para Desenvolvedores OpenJDK O resto das alterações não são diretamente visíveis para os desenvolvedores Java (aqueles que usam Java para codificar e executar aplicativos), mas apenas para os desenvolvedores de Java (aqueles que trabalham no OpenJDK). JEP 347 Habilita recursos de linguagem C++14 (no código fonte JDK) Isso permite o uso de recursos de linguagem C++14 no código-fonte JDK C++ e fornece orientações específicas sobre quais desses recursos podem ser usados no código HotSpot. Através do JDK 15, os recursos de linguagem usados pelo código C++ no JDK foram limitados aos padrões de linguagem C++98/03. Isso requer a atualização da versão mínima aceitável de vários compiladores de plataforma. JEP 357 Migra do Mercurial para o Git JEP 369 Migra para o GitHub Esses JEPs migram os repositórios de códigos-fonte da Comunidade OpenJDK do Mercurial (hg) para o Git e os hospedam no GitHub para JDK 11 e posterior. A migração inclui a atualização de ferramentas como as ferramentas  jcheck, webrev, e defpath para o Git. O Git reduz o tamanho dos metadados (cerca de ¼ do tamanho) preservando o espaço em disco local e reduzindo o tempo de clonagem. Ferramentas modernas são melhor integradas ao Git do que ao Mercurial. Os repositórios OpenJDK Git estão agora em https://github.com/openjdk JEP 386 Porta Alpine Linux JEP 388 Porta Windows/AArch64 O foco destes JEPs não é o esforço de portabilidade em si, que já foi feito, mas integrá-los no repositório da linha principal da JDK. O JEP 386 porta o JDK para o Alpine Linux e outras distribuições que usam o musl como sua Biblioteca C primária em x64 e AArch64. Além disso, o JEP 388 porta o JDK para Windows AArch 64 (ARM64). Suporte de ferramentas O suporte de ferramentas atual ajuda a aumentar a produtividade do desenvolvedor.  Com o Java 16, continuamos a dar as boas-vindas aos esforços dos principais fornecedores de IDE cujas soluções de ferramentas oferecem suporte aos desenvolvedores para as versões atuais do Java.  Os desenvolvedores podem esperar receber suporte para o Java 16 com os seguintes IDEs: •    JetBrains IDEA •    Eclipse Marketplace O Java continua a ser a principal linguagem de programação escolhida pelos programadores de software. Como a entrega pontual de melhorias com o Java 16 demonstra, por meio do planejamento criterioso, contínuo além do envolvimento do ecossistema, a plataforma Java está bem-posicionada para o desenvolvimento moderno e crescimento na nuvem. Não deixe de se manter atualizado com as notícias e atualizações ao: •    Visitar Inside.Java (notícias e visualizações da Equipe Java na Oracle) •    Ouvir o Inside.Java podcasts (um programa para Desenvolvedores Java trazido diretamente das pessoas que fazem o Java na Oracle. Discutiremos a linguagem, a JVM, o OpenJDK, a segurança da plataforma, projetos de inovação como o Loom e o Panama e tudo mais). •    Inscreva-se no Listas de endereçamento do OpenJDK(o lugar para saber mais sobre o progresso dos seus projetos OpenJDK favoritos). *Sharat Chander é Diretor de Gestão de Produtos JAVA SE

Demonstrando ainda mais o caminho de inovação contínua do Java, a Oracle tem o orgulho de anunciar a disponibilidade geral do Java 16 representando o sétimo lançamento de recursos como parte da...

Histórias de Sucesso

TIM é 1ª operadora no Brasil a migrar para nuvem 100% dos data centers

Dando continuidade ao seu plano estratégico, operadora investe em um ambiente multicloud e anuncia já parceria com Oracle e Microsoft para apoio na sua jornada de transformação digital, fundamental em seu pilar de excelência e inovação para os clientes. Antecipando-se ao mercado, a TIM anuncia mais uma etapa na sua trajetória de transformação digital com foco nos seus clientes. A companhia passa ser a primeira operadora no Brasil a anunciar a migração para um ambiente multicloud de 100% de seus datacenters, localizados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Seguindo sua estratégia, a operadora acaba de fechar parceria com a Oracle e Microsoft, que permitirá à empresa aprimorar processos de atendimento ao cliente, operações internas, faturamento, arrecadação e gestão de plataformas digitais com rapidez, escalabilidade e segurança, em um projeto que combina inovação, sustentabilidade e eficiência. A expectativa é que o processo de migração seja feito nos próximos dois anos, contando com a transferência de todos os recursos da TIM para a nuvem. A migração faz parte de um plano estratégico da operadora, que envolve digitalizar todos os processos, inclusive nas plataformas de atendimento e relacionamento. Desde o ano passado, com as mudanças causadas pela Covid-19, a TIM entendeu a necessidade de acelerar seu processo de transformação digital, ao verificar as mudanças no comportamento do consumidor, ajustando fluxos e plataformas para manter seu padrão de atendimento ao cliente. -Leia mais: Oracle amplia portfólio de serviços Always Free da Oracle Cloud Microsoft e Oracle já possuem uma parceria global de interoperabilidade em nuvem que oferece uma abordagem simples, mas poderosa, para conectar suas duas nuvens - Microsoft Azure e Oracle Cloud. Nesse projeto está sendo usado o conceito de suporte integrado em que a conexão entre os datacenters das duas empresas gera uma experiência única para a TIM. Com o uso do Oracle Cloud Infrastructure (OCI), datacenter de segunda geração da Oracle, e a adoção da plataforma Microsoft Azure, a TIM terá a mais completa solução em certificações de segurança do mercado e escolhida por oferecer uma ampla disponibilidade de ferramentas para modernização das aplicações, a operadora levará os processos de missão crítica para a nuvem, otimizando e simplificando a gestão da sua infraestrutura de TI, além de oferecer escalabilidade de acordo com a demanda de evolução dos negócios. Outra vantagem do acordo é a aliança entre Oracle e Microsoft, firmada globalmente em 2019, e que permite a execução dos processos em ambos os ambientes com redundância. Com as duas nuvens, a TIM passará a ter conexão de ultra velocidade e disponibilidade para manter os sistemas da operadora com mais altos níveis de segurança. A mudança está ainda atrelada ao compromisso da TIM com melhores as práticas ambientais, sociais e de governança (sigla ESG, em inglês). A migração para a nuvem reduz automaticamente as emissões diretamente associadas ao armazenamento dos dados em espaços físicos, um importante passo para a meta da operadora de ser carbono neutro até 2030. “Nossa proposta é levar a experiência do cliente a um novo patamar, com mais eficiência e agilidade, sempre com os mais altos níveis de segurança. Somos a primeira operadora a promover uma mudança com essa dimensão, antecipando também iniciativas ligadas a governança e sustentabilidade, dentro de um projeto maior, relacionadas a uma agenda ESG que permeia toda a atuação da TIM. Estamos acompanhando o movimento de mercado e investindo em áreas como Analytics e Digital, fundamentais para a expansão dos negócios da empresa, e contamos com parceiros que atendem aos mais altos níveis de qualidade para destacar nosso pioneirismo e referência para o setor de Telecomunicações”, declara Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil. “Esse é um marco para o mercado. Movimentos como este serão cada vez mais frequentes nas grandes empresas. Estamos extremamente motivados de termos sido escolhidos, em conjunto com a Microsoft, para realizar esse projeto inovador de migração de 100% dos datacenters da TIM para a nuvem. Isso trará mais inovação, agilidade, segurança e, como consequência, serviços ainda melhores para seus clientes. Ter a Oracle ajudando a TIM a criar um mundo de inúmeras possiblidades nos enche de energia e orgulho”, destaca Rodrigo Galvão, presidente da Oracle do Brasil. “Ficamos muito honrados de termos sido escolhidos junto com a Oracle para conduzir um projeto tão ambicioso. A migração de todos os datacenters da TIM para a nuvem garantirá segurança, escalabilidade, simplificação da gestão de infraestrutura de TI e permitirá que a operadora foque na melhoria constante da experiência dos seus clientes. Também me dá muita satisfação ver a tecnologia da Microsoft sendo usada como vetor da sustentabilidade, ajudando a TIM na redução das emissões de carbono das suas operações”, reforça Tânia Cosentino, Presidente Microsoft Brasil.

Dando continuidade ao seu plano estratégico, operadora investe em um ambiente multicloud e anuncia já parceria com Oracle e Microsoft para apoio na sua jornada de transformação digital, fundamental em...

Histórias de Sucesso

Banco Original melhora performance em 70% com Oracle Exadata

Em busca de ganhos de desempenho e disponibilidade, instituição atualizou infraestrutura com soluções da Oracle. Tempo de virada de data do sistema bancário caiu de 7h para 2h. O sistema bancário brasileiro oferecia poucas alternativas à população até o começo dos anos 2010. Ao longo da década, no entanto, milhões de brasileiros passaram a ter acesso à Internet por meio de seus smartphones, uma revolução que permitiu a diversificação de opções para cidadãos que queriam abrir uma conta ou transferir dinheiro com maior facilidade e agilidade. Em 2016, o Banco Original trouxe uma solução inovadora para o mercado: a abertura de conta corrente 100% digital ou pelo celular. Em vez de agências “de cimento”, a empresa ofereceu uma modalidade moderna e conveniente de atendimento aos seus clientes no modelo apelidado de “figital” – unindo o mundo físico com os desafios da transformação digital. Mesmo com o sucesso em sua breve história, o Banco Original enfrenta a concorrência de bancos tradicionais e de fintechs que também surgiram recentemente. -Leia mais: SERPROS reduz custos em 90% com nuvem da Oracle Diante deste cenário e pela característica 100% digital de seus serviços, a empresa, que possui cerca de 4 milhões de clientes, aponta segurança e tecnologia como as áreas mais desafiadoras para que ela se mantenha competitiva e bem sucedida. “Todos os nossos produtos, nossos serviços, são focados e alavancados através da infraestrutura, tecnologia e segurança. Nós investimos muito nesses três pilares para que possamos entregar para nossos clientes inovação, segurança e qualidade em todos nossos serviços”, explica Everton Sims de Queiroz, gerente executivo de infraestrutura do Banco Original. O Banco Original é cliente da Oracle há aproximadamente sete anos, uma parceria renovada ao longo deste período com a aquisição de novas soluções em 2017, 2019 e 2020. A empresa brasileira exalta a credibilidade da Oracle no mercado de TI, tendo expandido gradativamente as ferramentas adotadas – inicialmente com o Oracle Database e seus recursos de segurança e desempenho, seguindo depois para a hospedagem de todo o core bancário em soluções da Oracle. No capítulo mais recente da parceria, o banco buscou modernizar a sua infraestrutura a fim de entregar escalabilidade, performance e 100% de disponibilidade em seus serviços. Para isso, o Banco Original recapacitou o Oracle Zero Data Loss e adquiriu cinco Oracle Exadatas, quatro X8M Half e um X8M Quarter – este para atender o ambiente não produtivo. Segundo o Original, a escolha pela Oracle aconteceu por conta da “competência e da segurança” oferecidas pelas soluções da empresa.

Em busca de ganhos de desempenho e disponibilidade, instituição atualizou infraestrutura com soluções da Oracle. Tempo de virada de data do sistema bancário caiu de 7h para 2h. O sistema bancário...

Desenvolvedores

Oracle anuncia o Java 16

A nova versão oferece 17 aprimoramentos, incluindo melhorias de linguagem Java, ferramentas, gerenciamento de memória e incubação; e novos recursos de visualização. A Oracle anunciou nesta semana a disponibilidade do Java 16 (Oracle JDK 16), incluindo 17 novos aprimoramentos para a plataforma que irão melhorar ainda mais a produtividade do desenvolvedor. O mais recente Java Development Kit (JDK) finalizou o Pattern Matching for instanceof (JEP 394) e Records (JEP 395), aprimoramentos de linguagem que foram visualizados pela primeira vez no Java 14. Além disso, os desenvolvedores podem usar o novo Packaging Tool (JEP 392) para enviar aplicativos Java autônomos, bem como explorar três recursos de incubação, o Vector API (JEP 338), o Foreign Linker API (JEP 389) e o Foreign-Memory Access API (JEP 389) e um recurso de visualização, Sealed Classes (JEP 397). A Oracle fornece atualizações Java a cada seis meses para fornecer aos desenvolvedores um cronograma de lançamento previsível. Isso oferece um fluxo constante de inovações, além de oferecer melhorias contínuas de desempenho, estabilidade e segurança, o que aumenta a presença do Java em todas as organizações e indústrias de todos os portes. -Leia mais: Celebrando 25 anos do Java “O poder da cadência do lançamento de seis meses estava em exibição completa com o lançamento mais recente", Georges Saab, vice-presidente de desenvolvimento, Java Platform Group da Oracle. “Pattern Matching e Records foram introduzidos há um ano como parte do JDK 14 e, desde então, passaram por várias sequências de feedback da comunidade com base em aplicativos do mundo real. Esse processo não só deu aos desenvolvedores Java a oportunidade de experimentar esses recursos antes de serem finalizados, mas também incorporou esse feedback crítico que resultou em dois JEPs sólidos que realmente atendem às necessidades da comunidade. ” A versão Java 16 é o resultado do desenvolvimento em todo o setor envolvendo revisão aberta, criações semanais e ampla colaboração entre engenheiros da Oracle e membros da comunidade mundial de desenvolvedores Java pela Comunidade OpenJDK e do Processo da Comunidade Java. Os novos recursos fornecidos no Java 16 são:   Aprimoramentos de linguagem introduzidos pela primeira vez no JDK 14, finalizados no JDK 16: •JEP 394: Pattern Matching for instance of – Melhora a linguagem de programação Java com correspondência de padrões para a instância do operador. •JEP 395: Records – Melhora a linguagem de programação Java com registros, que são classes que atuam como transportadoras transparentes para dados imutáveis. Os registos podem ser considerados como tuplas nominais.   Nova Ferramenta para Melhorar a Produtividade do Programador JEP 392: Packaging Tool – Fornece a ferramenta jpackage, para empacotar aplicativos Java autônomos.   Gestão de memória melhorada para melhorar o desempenho •JEP 387: Elastic Metaspace – Retorna memória de metadados de classe (ou seja, metaespaço)  HotSpot não utilizada para o sistema operacional mais rapidamente, reduz o volume de metaespaço e simplifica o código de metaespaço, a fim de reduzir os custos de manutenção. •JEP 376: ZGC: Processamento simultâneo de pilha de rosca – Move o processamento de pilha de rosca ZGC de pontos de segurança para uma fase simultânea. Este trabalho elimina o último gargalo significativo para permitir o processamento simultâneo de pilhas.   Rede Melhorada para Melhorar a Produtividade e Flexibilidade do Desenvolvedor •JEP 380: Canais de soquete de domínio UNIX – Adiciona suporte para todos os recursos de soquetes de domínio UNIX que são comuns nas principais plataformas UNIX e Windows às APIs de canal de soquete e canal de soquete do pacote java.nio.channels. Os Soquetes de domínio UNIX são usados para comunicação entre processos (IPC) no mesmo host. Eles são semelhantes aos soquetes TCP/IP na maioria dos aspectos, exceto que são endereçados por nomes de caminhos do sistema de arquivos em vez de endereços de protocolo de internet (IP) e números de porta.   Abordando o código incompatível com o futuro •JEP 396: Faça o Encapsulamento Forte dos JDK Internos por Padrão – No JDK 9 fizemos o encapsulamento forte de novos elementos API internos, limitando assim o acesso a eles. Como uma ajuda à migração, no entanto, o JDK 9 deliberadamente optou por não fazer o encapsulamento forte no tempo de execução do conteúdo dos pacotes que existiam no JDK 8. O JDK 16 aperta essa restrição encapsulando a maioria dos elementos internos do JDK por padrão, exceto para APIs internas críticas, como sun.misc.Unsafe. Os usuários finais ainda podem escolher o encapsulamento forte e relaxado que tem sido o padrão desde o JDK 9. Isso incentivará os desenvolvedores a migrar do uso de elementos internos para o uso de APIs padrão, para que eles e seus usuários possam atualizar sem complicações para futuras versões do Java. •JEP 390: Avisos para Classes Baseadas em Valor – Designa as classes de wrapper primitiv como baseadas em valor e substitui seus construtores para remoção, solicitando novos avisos de substituição. Fornece avisos sobre tentativas inadequadas de sincronização em instâncias de quaisquer classes baseadas em valor na Plataforma Java.   Incubação e pré-visualização de recursos •JEP 338: API Vector (Incubadora) – Fornece uma iteração inicial de um módulo incubador, jdk.incubator.vector, para expressar computações vetoriais que compilam de forma confiável em tempo de execução para instruções de hardware vetorial ideais em arquiteturas de CPU suportadas. •JEP 389: API Foreign Linker (Incubadora) – Introduz uma API que oferece acesso de Java puro digitado estaticamente ao código nativo. •JEP 393: API Foreign-Memory Access (Terceira Incubadora) – Introduz uma API para permitir que programas Java acessem memória estrangeira de forma segura e eficiente fora da pilha Java. •JEP 397: Sealed Classes (Segunda visualização) – Melhora a linguagem de programação Java com classes e interfaces seladas. Classes e interfaces seladas restringem quais outras classes ou interfaces podem estendê-las ou implementá-las.   Melhorias para os Colaboradores OpenJDK •JEP 347: Habilite recursos de linguagem C++14 (no código-fonte JDK) – Permite o uso de recursos de linguagem C++14 no código-fonte JDK C++ e fornece orientações específicas sobre quais desses recursos podem ser usados no código HotSpot. •JEP 357: Migre do Mercurial para o Git – Migra os repositórios de códigos-fonte da Comunidade OpenJDK do Mercurial (hg) para o Git. •JEP 369: Migre para o GitHub – Hospeda os repositórios Git da Comunidade OpenJDK no GitHub.   Novas portas fornecem suporte para Java em mais plataformas •JEP 386: Alpine Linux Port – Porta JDK para Alpine Linux, e para outras distribuições Linux que usam musl como sua biblioteca C primária, nas arquiteturas x64 e AArch64. •JEP 388: Porta Windows/Aarch64 – Porta JDK para Windows/AArch64.   Melhorando constantemente o Java O Java permanece entre as plataformas de desenvolvimento mais bem-sucedidas de todos os tempos, com base em inovação contínua para atender às necessidades em evolução dos desenvolvedores de aplicativos modernos. Para tornar o Oracle Java SE Subscription ainda mais valioso para os clientes, a Oracle acrescentou GraalVM Enterprise como um direito. O GraalVM pode ajudar a melhorar o desempenho e reduzir o consumo de recursos por aplicativos, especialmente em microsserviços e arquiteturas nativas em nuvem. Organizações que gerenciam suas propriedades Java aproveitando a assinatura do Oracle Java SE não só se beneficiam de ter as melhorias mais recentes e acesso direto a especialistas em Java na Oracle, mas também experimentam economias substanciais em relação a outras abordagens. "Em vez de me interessar a cada três ou quatro anos pelo que havia de novo no Java, essa cadência me mantém ativo como desenvolvedor, professor e treinador apaixonado", disse o professor assistente da José Paumard, da Universidade Sorbonne Paris Nord e co-organizador do Grupo de Usuários Paris Java. “Aguardo ansiosamente o uso do Records para melhorar o desempenho e a legibilidade do meu código de processamento de dados e, depois de poder usá-lo como um recurso de versão prévia, ele agora está ativo com a versão mais recente." Os desenvolvedores podem saber mais sobre o Java 16 e obter experiência prática no Oracle Developer Live: Java Innovations nos dias 23, 25 e 30 de março.

A nova versão oferece 17 aprimoramentos, incluindo melhorias de linguagem Java, ferramentas, gerenciamento de memória e incubação; e novos recursos de visualização. A Oracle anunciou nesta semana a...

Transformação na TI

Nova versão do Oracle Cloud Infrastructure Data Integration foca em conectividade e transformações

Atualização expande as opções de conectividade, os recursos de transformação e a integração com o OCI Data Flow. Por Sandrine Riley* Estamos empolgados em anunciar uma nova versão do Oracle Cloud Infrastructure (OCI) Data Integration. Esta versão expande as opções de conectividade, os recursos de transformação e a integração com o OCI Data Flow. Integração nativa da nuvem e serverless Recapitulando, o OCI Data Integration é uma solução de extração, transformação e carregamento (ETL) nativa da nuvem, totalmente gerenciada e serverless recém-lançada. Organizações que criam data lakes para Ciência de Dados na Oracle Cloud e departamentos que criam data lakes e data marts usando Bancos de Dados Autônomos podem obter grande valor de negócios com nossa solução que simplifica, automatiza e acelera a consolidação de dados para uso. A integração de dados é gráfica, fornecendo um designer no-code, preparação de dados interativa, opções de criação de perfil e proteção de evolução de esquema. Tudo é alimentado por Spark ETL ou por execução push-down de ELT. Caso não esteja familiarizado com esse novo serviço, confira este blog para saber mais: O que é o Oracle Cloud Infrastructure Data Integration? A integração de dados está disponível em todas as regiões comerciais da OCI. -Leia mais: Oracle Cloud Advisor: Correções massivas fáceis, segmentação e muito mais Novos recursos Expandimos a profundidade das opções de ETL para ajudá-lo a projetar fluxos de dados, tarefas e processos gerais de forma mais eficaz por meio de operadores e transformações recém-lançados. Os operadores entram em jogo na interface gráfica do usuário à medida que você cria um diagrama de fluxo de integração de dados personalizado. Eles o ajudam a selecionar, filtrar e moldar os dados. Esta versão inclui os seguintes novos operadores: •União: Combina vários fluxos de dados em um único. •Menos: Compara duas entidades de dados e retorna as linhas presentes em uma entidade, mas ausentes na outra. •Intersecção: Compara duas ou mais entidades de dados e retorna as linhas presentes nas entidades conectadas. Esses operadores permitem que você expresse transformações complexas de forma rápida e fácil. Confira a análise completa dos operadores do Data Integration. O Data Integration inclui um Data Xplorer interativo que exibe uma amostragem de dados atualizada automaticamente à medida que você aplica operações de transformação. O Data Xplorer ajuda você a validar o impacto dessas transformações, a descobrir problemas em dados e a depurar ou solucionar possíveis falhas antes que uma tarefa seja executada. O Data Xplorer inclui as seguintes novas transformações: •Criar ID única: Adiciona um atributo a um conjunto de dados. Os valores para este atributo são preenchidos com um identificador universal exclusivo (UUID) de 128 bits. •Substituir por Padrão: Permite inserir uma expressão regular para pesquisar e substituir valores de dados em um atributo e adiciona um atributo para reter os dados transformados. Para mais insights de como transformar dados com o Data Integration, consulte a página de documentação. Nova conectividade é sempre empolgante. Estamos felizes em ter o Amazon Web Services (AWS) Relational Data Store (RDS) para Oracle, MySQL e Microsoft SQL Server, Banco de Dados SQL do Microsoft Azure e o suporte para arquivos compactados para Armazenamento de Objetos na OCI. Veja a lista completa de ativos de dados com suporte. Também melhoramos a experiência do usuário. Agora você pode ver as atividades recentes em seu espaço de trabalho na guia Página Inicial, proporcionando melhor legibilidade, uma boa visão do que você tem feito e a capacidade de voltar rapidamente aos últimos itens em que esteve trabalhando! Integração com o Data Flow Por fim, queremos observar que aprimoramos a integração entre o OCI Data Integration e o OCI Data Flow. O Data Flow é um serviço Apache Spark totalmente gerenciado que executa tarefas de processamento em enormes conjuntos de dados sem a necessidade de implementar ou gerenciar infraestrutura. Esta entrega rápida de aplicativos permite que os desenvolvedores se concentrem no desenvolvimento de aplicativos, e não no gerenciamento de infraestrutura. Confira o artigo "Publique uma tarefa do Oracle Cloud Infrastructure Data Integration no Oracle Cloud Infrastructure Data Flow" (em inglês) para saber como os serviços se complementam. A integração entre Data Integraton e Data Flow agora dá suporte para que pontos de extremidade privados acessem a rede privada onde suas fontes de dados estão hospedadas. Esse acesso expande as opções para incluir e usar fontes de dados que são acessíveis somente de forma privada. Agora você tem mais opções para usar os dois serviços lado a lado à medida que trabalha com dados. Quer saber mais? As organizações estão embarcando em sua jornada de análise de última geração com data lakes, bancos de dados autônomos e análise avançada com inteligência artificial e machine learning na nuvem. Para que essa jornada seja bem-sucedida, eles precisam ingerir, preparar, transformar e carregar seus dados na Oracle Cloud Infrastructure de forma rápida e fácil. A jornada do Data Integration está apenas começando! Experimente hoje mesmo! *Sandrine Riley é Gerente Principal Sênior de Produto na Oracle

Atualização expande as opções de conectividade, os recursos de transformação e a integração com o OCI Data Flow. Por Sandrine Riley* Estamos empolgados em anunciar uma nova versão do Oracle...

Transformação na TI

Oracle Cloud Advisor: Correções massivas fáceis, segmentação e muito mais

As melhorias incluem um conjunto expandido de fluxos fix-it para implementar recomendações com facilidade, a capacidade de personalizar e substituir recomendações, e uma nova recomendação para encerrar instâncias de computação ociosas. Por Xingchi Cheng* Desde que lançamos o Cloud Advisor há três meses, temos trabalhado arduamente para entender como os clientes usam a ferramenta e o que querem dela a seguir. Hoje, compartilhamos notícias de nossa primeira onda de melhorias significativas até o momento, que entrou em operação em 23 de fevereiro de 2021. As melhorias incluem um conjunto expandido de fluxos fix-it para implementar recomendações com facilidade, a capacidade de personalizar e substituir recomendações, uma nova recomendação para encerrar instâncias de computação ociosas e ajustes à nossa recomendação para redimensionar instâncias de computação subutilizadas para simplificar e melhorar a precisão das recomendações. -Leia mais: Economia na nuvem: a resposta da Oracle Fluxos Fix-it expandidos Os fluxos Fix-it oferecem uma fácil resolução para cada recomendação por meio de um rápido fluxo de trabalho na interface do usuário. Os fluxos Fix-it facilitam a aplicação de uma recomendação em massa em todo um grupo de recursos. Com a nova versão, os fluxos Fix-it agora podem excluir volumes de inicialização ou bloco, redimensionar instâncias de computação ou banco de dados subutilizadas, interromper instâncias de computação ociosas e habilitar o gerenciamento do ciclo de vida de objetos em buckets. Com esses fluxos, fica ainda mais fácil limpar sua nuvem e garantir que você esteja operando sem desperdícios. Para detalhes sobre cada recomendação, visite Implementando recomendações do Cloud Advisor. Personalização e substituições de recomendações As cargas de trabalho não são de tamanho único, portanto, as recomendações também não devem ser. Com a personalização e substituições de recomendações, os clientes agora podem usar uma versão de uma recomendação para seus ambientes de produção e outra para ambientes de desenvolvimento e teste. Para saber mais sobre este tópico e como começar a aproveitar as substituições hoje mesmo, leia Customizando o Cloud Advisor. Interromper instâncias de computação ociosas Descobrimos que os clientes com frequência implementam máquinas virtuais (VMs) para um propósito pontual, executam uma tarefa e esquecem de encerrar as máquinas quando terminam. Com a recomendação "Interromper instâncias de computação ociosas", os clientes que se esquecem de VMs podem descobri-las rapidamente e encerrá-las facilmente em massa. Leia mais sobre esta recomendação. Diminuir instâncias de computação subutilizadas Tendo analisado os dados de nossos primeiros três meses de vida, nossa equipe descobriu que a recomendação era mais agressiva do que queríamos. Para melhorar as coisas, reduzimos o limite de utilização e agora estamos avaliando a taxa de transferência da rede, a utilização da CPU, a memória e as VNICs suportadas. Também corrigimos uma grande fonte de confusão para os clientes: recomendações que se mostram implementadas quando nenhuma alteração foi feita. Essa notificação ocorria quando as instâncias apresentavam padrões de consumo fora dos padrões. Modificamos a forma como a implementação é considerada e agora apenas as instâncias que foram reduzidas se qualificam para ser apresentadas como implementadas. Leia mais sobre esta recomendação. Conclusão Estamos orgulhosos em trazer essas melhorias para você e empolgados para ver como você as aproveita. Nos próximos meses, continuaremos a expandir o conjunto de recursos e a biblioteca de recomendações do Advisor. Nossas principais prioridades atuais incluem recomendações para melhorar o desempenho e a disponibilidade dos recursos e a capacidade de personalizar a janela de tempo durante a qual os recursos são avaliados. *Xingchi Cheng é Diretor de Desenvolvimento de Software da Oracle

As melhorias incluem um conjunto expandido de fluxos fix-it para implementar recomendações com facilidade, a capacidade de personalizar e substituir recomendações, e uma nova recomendação para...

Transformação nos Negócios

Tendências de email marketing para 2021: princípios comprovados

Especialistas do Oracle Marketing Consulting avaliaram a adoção de múltiplas tecnologias e táticas de marketing digital e comentam o impacto previsto para 2021. Por Chad S. White * No universo em constante mudança do email marketing, é um desafio saber onde investir seu tempo e sua energia. Isso pode revelar-se um desafio extra em tempos turbulentos como esses quando o comportamento e objetivos empresariais dos consumidores estão mudando. Para ajudá-lo a priorizar seus esforços em email marketing este ano, pedimos para mais de 500 experts em marketing digital do Oracle Marketing Consulting que avaliassem a adoção atual de múltiplas tecnologias e táticas, assim como seu impacto previsto durante 2021. Então mapeamos em quadrantes os resultados que tivemos com os impactos da adoção. Leia mais: Santander melhora jornada do cliente com Oracle Cloud CX Este post irá se debruçar sobre os princípios comprovados, que são essas táticas e tecnologias com quadrante de implementação alta - de alto impacto. As tecnologias e táticas nesse quadrante já estão maduras mas ainda geram tremendos resultados. Nossos princípios comprovados contrastam fortemente com nossas oportunidades não comprovadas, que ainda têm riscos associados a eles e benefícios que não foram concretizados totalmente. Nossos princípios comprovados têm também um perfil de risco que é o inverso dos nossos diferenciais competitivos. Onde nossos diferenciais competitivos oferecem uma vantagem competitiva aos primeiros adotantes, nossos princípios comprovados colocam os últimos em desvantagem. Perguntamos aos nossos consultores de marketing digital sobre 26 tendências, e eles classificaram 11 delas como dentro do quadrante de alta adoção–de alto impacto para 2021. Vamos falar sobre um de cada vez. P. Marketing baseado em contas (Account-based marketing, ou ABM) Ao invés de se concentrar em indústrias ou mercados, o marketing baseado em contas se concentra em, vamos dizer, contas. Isso ajuda os negócios a focarem no desenvolvimento e manutenção de oportunidades restringindo-se a contas de alto valor ao invés de abarcar muitas contas de pequeno valor. Para as organizações que o consideram adequado, ele pode ter um impacto significativo. Nossos clientes recorrem a ferramentas de anexar dados, como o Oracle DataFox e as ferramentas de identificação via web, como o Oracle Infinity e o Oracle Unity para potencializar os esforços do ABM. Q. Otimização do tempo de envio Qual é o melhor momento para enviar um e-mail? Esta é uma das perguntas de email marketing mais comuns. Tornou-se também uma questão um tanto ultrapassada. Os profissionais de marketing de e-mail deveriam se perguntar:  Qual é a melhor hora para enviar um e-mail a cada um dos meus assinantes? Responder a essa questão requer um machine learning, que examine o histórico de tempo de abertura dos assinantes para cada dia da semana. À medida que os assinantes se engajam com os envios seguintes, a machine learning ajusta o tempo ideal de envio, e por isso é que ela está constantemente se adaptando às mudanças de comportamento dos clientes — que tem se modificado rapidamente durante a pandemia. Com milhões tendo que viver no desemprego e uma quantidade considerável da força de trabalho agora trabalhando de casa, as mudanças nos tempos de abertura se encontram como uma das formas mais evidentes de mudança de comportamento do email causada pelo coronavírus. E à medida que gradualmente estabelecemos um novo normal do outro lado da pandemia, a otimização do tempo de envio traz grandes frutos já que ela se adapta automaticamente sem precisar de um monte de testes A/B. No entanto, a otimização do tempo de envio (send time optimization, ou STO) não é adequada para todo tipo de campanha ou mesmo todo tipo de marca, diz Myles Libby, Diretora de Contas do Oracle Marketing Consulting. ''Algumas marcas lançam mais de uma promoção urgente em que o STO simplesmente não é adequado'', ele diz. R. Análise avançada de desempenho Análises básicas fornecem insights básicos. E à medida que as empresas trocam o simples marketing de campanha por um marketing de relacionamento e um público mais sofisticado, esses insights básicos não estarão nem perto do suficiente. A pandemia só tornou isso mais claro, diz Bryan Moreci, Diretor de Contas do Oracle Marketing Consulting. ''Devido ao tumulto econômico atual, as marcas terão que se empenhar mais do que nunca com menos do que o de costume'', ele diz. ''Alavancar dados e modelagem de análise permitirá que os profissionais de marketing entendam melhor como o ano passado foi afetado tanto pelo valor do e-mail quanto pelo valor do cliente. Essa visão atualizada será indispensável conforme as empresas decidam como vão evoluir suas estratégias e programas para obter o maior valor com os esforços do marketing. Enquanto as empresas elevam o nível das análises de desempenho, elas se concentram em métricas que: Estão mais embaixo no funil Contabilizam o desempenho através dos canais São mais centrados no cliente do que na campanha Para garantir que você esteja fazendo as perguntas corretas sobre desempenho, confira nossas séries de ‘‘Quais perguntas fazer no lugar dessas’‘ em medida de desempenho de email, desenvolvimento de lista e frequência e retorno no investimento. S. GIFs animados e animação CSS Junto com seus primos de base CSS mais técnicos e, de forma geral, menos estimulados, os GIFs animados estão em crescente uso por três razões principais: O vídeo é fantástico, e a animação é uma maneira natural de promover o conteúdo e apresentar trechos de vídeo. Mais marcas B2B estão percebendo que a animação tem uso em casos reais de negócios e não é só para marcas B2C se divertirem. O amor das mídias sociais pelo GIF tem acelerado sua popularidade entre os Millennials e a Geração Z. Para ir mais a fundo, confira nossas sugestões de melhores usos e melhores práticas com GIFs animados. T. Arquiteturas modulares de email A implementação de uma arquitetura modular de e-mail para reduzir o tempo de produção tem subido para o topo das listas de afazeres dos nossos clientes por dois motivos: Devido à turbulência econômica, eles tiveram que reduzir o tamanho da equipe de email marketing e fazer mais com menos. Com a turbulência do ano passado, eles querem adaptar mais rapidamente suas mensagens para mudar as condições do mercado e os sentimentos dos consumidores. Ao invés de ter modelos tradicionais diferentes para diferentes tipos de e-mails, os sistemas modulares desenvolvidos permitem que você crie vários blocos de conteúdo que você junta para criar um e-mail particular. Quando implementamos com nossos clientes, eles reduziram o tempo de elaboração do e-mail em cerca de 25%, em média. Também fizeram atualizações e mantiveram o código fonte de e-mail muito mais eficazes, especialmente para equipes menores. No entanto, poupar tempo é realmente o benefício mais atraente que as arquiteturas de e-mail oferecem, diz Patrick Colalillo, Diretor de Criação Associado para os Serviços de Criação do Oracle Marketing Consulting. "Ter uma arquitetura de e-mail modular é ainda o mais importante passo para começar as muitas outras tendências dessa lista'', ele diz. ''Logo que isso for aplicado, os testes A/B, a automação e o conteúdo potencializado por IA serão muito mais fáceis de implementar". Para aprender mais, leia sobre como arquiteturas modulares de email são feitas para fluxos de trabalho mais eficazes e são a base para a personalização ou assista ao nosso webinar sobre como arquiteturas modulares de email serão o modelo da próxima geração. U. Gestão da inatividade Você quer que os assinantes façam mais do que tolerar o recebimento dos seus e-mails de marketing. Se você está procurando evitar problemas sérios de entregabilidade, você deve se engajar com eles. ''O aumento do volume de e-mails e a contínua ameaça à segurança ao e-mail irão levar a um endurecimento adicional dos filtros do spam'', diz Daniel Deneweth, Líder de Serviços de Entregabilidade de E-mail do Oracle Marketing Consulting. ''Para atravessar os próximos desafios de entregabilidade, os profissionais de marketing que atuam por e-mail devem re-avaliar as suas práticas de envio com foco em melhorar o gerenciamento de inatividade. No nível mais simples, isso significa que os profissionais de marketing param de enviar e-mails a assinantes que não abrem os e-mails ou não clicam neles há muito tempo. Contudo, profissionais de marketing experientes estão usando níveis de engajamento para segmentar seus envios, reduzindo a frequência de assinantes menos ativos para minimizar seus impactos nas taxas de engajamento e de opt-out de e-mail até que, assim esperamos, eles se tornem ativos novamente. Além da segmentação inteligente, muitos profissionais de marketing também usam campanhas de reengajamento para reduzir o número de assinantes cronicamente inativos dado que é mais barato reter um assinante do que achar um novo. Mas se esses esforços falharem, os profissionais de marketing irão tentar ainda mais conceder a permissão para seus últimos assinantes engajados antes de suprimir os envios de e-mails a eles. Tanto quanto possível, tente automatizar o seu gerenciamento de inatividade com filtros de segmentação predefinidos e disparo de e-mails, diz Jessica Stamer, Consultante Principal de B2B do Oracle Marketing Consulting. ''Coisas como campanhas de reengajamento parecem mais funções administrativas do que funções de marketing, por isso eu não vejo profissionais de marketing dedicando mais tempo do que o necessário a elas." Proteja a reputação do seu remetente aprendendo como gerenciar tanto os inativos de longo prazo quanto os nunca ativos. V. Conformidade legal com CCPA, GDPR, etc. A onda de regras mais fortes de privacidade é certa e provavelmente continuará enquanto os legisladores lutam para entender como seus constituintes se sentem com relação aos efeitos que a tecnologia têm sobre eles. Primeiro, foi o CASL em 2014 e a GDPR em 2018. Já forte, a legislação de privacidade como o GDPR chegou nos EUA com o California Consumer Privacy Act (CCPA) no início de 2020 e foi reforçada com a aprovação do California Privacy Rights Act (CPRA) no final do último ano. E mesmo as mudanças mais significativas estão no horizonte, diz Brian Sullivan, Diretor de Estratégia de Serviços de Entregabilidade de E-mail do Oracle Marketing Consulting. ''Com a antecipação crescente da legislação de privacidade em nível federal, além das ações legais contra a escalada dos tech titans, as pressões em cima da conformidade com a lei estão determinadas mais do que nunca a sofrer aumento com a mudança mais rápida das leis de privacidade nos EUA e no exterior.'' Com novas leis exigindo consentimento informado sobre a coleta de dados e dando aos consumidores o direito de serem esquecidos e a capacidade de optarem por não terem seus dados pessoais vendidos, os dados primários se tornaram mais importantes do que nunca, diz Kaiti Gary, Diretora de Análise e Serviços Estratégicos do Oracle Marketing Consulting. "No geral, isso é uma boa notícia para o email marketing e para o valor de um endereço de e-mail, que tem se tornado um identificador ainda mais crítico da condução da publicidade e da atividade de marketing.'' W. Personalização do email Assim como muitos outros dos nossos princípios comprovados, o conteúdo dinâmico nos e-mails nem de longe é novidade. No entanto, a capacidade de personalizar textos de e-mail tem se tornado progressivamente mais sofisticada e mais fácil de se executar e gerenciar. Durante a pandemia, a personalização tem se tornado ainda mais urgente à medida que os profissionais de marketing lutam para manterem-se relevantes enquanto os comportamentos e desejos dos consumidores mudam rapidamente. "No ano passado, tivemos clientes que redesenharam todo o seu wireframe para incorporar uma personalização de textos vivos'', diz Lauren Castady, Diretora de Criação Associada para Serviços de Criação do Oracle Marketing Consulting. ''A personalização está no topo da lista para muitos clientes.'' Como parte da evolução da personalização de e-mail, as marcas estão usando um conjunto ainda mais amplo de dados para customizar seus textos, diz Suzanne Felter, Diretora Senior de Contas do Oracle Marketing Consulting. ''Conhecer o comportamento de seus clientes da web, o engajamento no e-mail, os atributos de perfil, as afinidades de estilo de vida, e mais—junto com uma modelagem parecida—as marcas podem criar textos altamente relevantes e ofertas que trazem de volta os clientes. X. Segmentação do e-mail A segmentação e a personalização são dois lados da mesma moeda, diz Mindy Kowalski, Designer Senior de Serviços de Criação do Oracle Marketing Consulting. ''Mais de ambos", ela diz, "ajuda a criar uma experiência pessoal e focada no assinante, pois ajuda os profissionais de marketing a terem mais do conteúdo certo diante das pessoas certas.'' Entretanto, apesar de ambos ajudarem na estratégia de conteúdo, a segmentação ainda é fundamental, já que permite que os profissionais de marketing enviem o número certo de e-mails para assinantes individuais a fim de maximizar conversões e minimizar a fatiga e os opt-outs. Em particular, a segmentação e a supressão ajuda a manter boas taxas de engajamento, que é um dos fatores principais que afetam a entregabilidade do email. Y. Design responsivo de e-mail Design responsivo é o status quo no design do e-mail. Apesar de não ser amplamente suportado, é amplamente aprovado e é uma maneira graciosa de criar experiências adequadas para telas de tamanhos muito diferentes. Isso tem se tornado o padrão-ouro tanto para o e-mail quanto para a web, onde o Google penaliza a autoridade de pesquisa de empresas cujos websites não são responsivos. Dito isso, o design responsivo requer mais trabalho, tanto em termos de codificação quanto de resolução de problemas. Algumas marcas que veem a grande maioria de emails abertos em dispositivos móveis estão considerando o design de email somente para esses tipos de dispositivos. De certa forma, é um retorno aos tempos mais simples quando os profissionais de marketing projetam uma única renderização de e-mail—mas desta vez, ele é otimizado para dispositivos móveis, não para desktops. O responsivo continuará dominando, mas como a internet móvel acaba se tornando a única internet para muitas pessoas,  e os tamanhos das telas de dispositivos móveis continuam aumentando—Olá, biombo—provavelmente veremos crescer uma adoção marginal de e-mails somente para mobile. Z. Emails automatizados ou disparo de emails Se eles forem disparados por uma ação, inação, dados ou por uma máquina de IoT conectada à internet, os e-mails automatizados entregarão somente mensagens corretas a clientes e a assinantes na hora certa. E assim como a personalização e a segmentação, a automação está se tornando mais poderosa graças ao IA, a machine learning e a visão cada vez mais 360 dos clientes. Isso ajudará os profissionais de marketing a irem além do simples retargeting para enviar mensagens de vida útil baseadas em dados de atividade, diz Jeff Dean, Engenheiro Sênior de Solução para o Oracle Marketing Consulting. ''Por exemplo, depois de eu comprar um carro, eles deveriam parar de me enviar mensagens promocionais com 'compre um carro'. Ao invés disso, eles deveriam começar a me enviar conteúdo educacional do tipo 'como usar', promoções de acessórios para o meu modelo, informações de serviços que garantam a satisfação do cliente até que chegue a hora de eu comprar um outro veículo. Ser capaz de coletar e agir sobre dados pessoais e interesses por meio da automação e da IA é o futuro do marketing e da lealdade''. Além de configurar novos, certifique-se de otimizar os textos automatizados já existentes. Não se contente com esse tipo de campanha com alto ROI. Para ver de forma mais completa as 26 tendências de email marketing que vamos observar em 2021, confira nossos posts que examinam nossas: Oportunidades não comprovadas (tendências de baixo impacto com baixa adoção) Vantagens competitivas (tendências de alto impacto com baixa adoção) Precisa de ajuda para explorar essas tendências? O Oracle Marketing Consulting tem mais de 500 das principais mentes do marketing para te ajudar a atingir mais com o marketing cloud líder do setor, incluindo equipes dedicadas a Serviços Estratégicos, Serviços de Entregabilidade de Email e Serviços de Criação. Entre em contato: CXMconsulting_ww@oracle.com. Para obter mais informações sobre e-mail marketing e marketing digital, visite Oracle Marketing. * Chad S. White é líder de pesquisa estratégica para Oracle Marketing Cloud Consulting.

Especialistas do Oracle Marketing Consulting avaliaram a adoção de múltiplas tecnologias e táticas de marketing digital e comentam o impacto previsto para 2021. Por Chad S. White * No universo em...

Histórias de Sucesso

Companhia Mineira do Açúcar e Álcool investe em agilidade com Oracle EPM

Empresa brasileira abandonou processos manuais e reduziu o tempo de fechamento contábil em 40% com Oracle Fusion Cloud EPM. A Companhia Mineira do Açúcar e Álcool (CMAA) é uma das maiores produtoras de etanol, açúcar e bioeletricidade do estado de Minas Gerais, no Brasil. A empresa, que tem entre seus valores a busca por resultados e uma atitude arrojada, conta com um estilo de produção flutuante, que a ajuda a se adaptar às condições variáveis do mercado e seguir o ritmo de crescimento esperado. E com isso vem o desafio da gestão: consolidar dados com qualidade e agilidade de um negócio que não para de crescer. Leia mais: Estapar reduz tempo de fechamento contábil para minutos com Oracle EPM Com sete empresas dentro do software de gestão empresarial, Alexandre Antonio da Silva, CIO da CMAA, conta que os colaboradores do departamento contábil precisavam dedicar muitas horas aos longos processos de fechamento, que eram feitos de forma manual, por meio de planilhas. A solução veio por meio do Oracle Fusion Cloud Enterprise Performance Management (EPM), que já trouxe agilidade logo nos primeiros momentos, desde a aquisição à implantação do projeto, que contou com apoio da EBS-IT. “A facilidade de comercialização do produto em nuvem fez toda a diferença. A licença é minha e eu não tenho a necessidade de um hardware pensado para sustentar a solução, o que ajudou a viabilizar o projeto. E a implantação durou cerca de dois meses, com muita agilidade também na disponibilização do ambiente”, ele conta.

Empresa brasileira abandonou processos manuais e reduziu o tempo de fechamento contábil em 40% com Oracle Fusion Cloud EPM. A Companhia Mineira do Açúcar e Álcool (CMAA) é uma das maiores produtoras de...

Transformação na TI

Economia na nuvem: a resposta da Oracle

O custo é um ponto muito importante para os clientes de cloud. Conheça as ofertas da Oracle, que unem economia, alto desempenho e qualidade. Por Ricardo Urresti* Embora a maioria dos clientes esteja confortável em mover suas cargas de trabalho de data centers para a nuvem, especialmente ao discutir a economia desse movimento, a disponibilidade atual de serviços empresariais na nuvem está ficando cada vez maior e melhor, e há mais opções para implementar essas cargas de trabalho, inclusive de uma forma mais econômica. Em se tratando de conceitos simples como oversubscription – a forma como um provedor de nuvem vende mais infraestrutura do que a disponível (contando que nem todos os clientes usarão a capacidade total ao mesmo tempo) ou até serviços comparáveis mais baratos e modelos de faturamento mais simples, não podemos comparar apenas um aspecto, pois os departamentos de TI combinam todos os aspectos, o tempo todo, e a realidade é que os clientes precisam adotar todos os critérios para garantir a máxima economia na nuvem. -Saiba mais: Podcast: Alta disponibilidade ou redução de custo? Leve os dois para sua empresa A Oracle está ajudando os clientes a preencher, se não todos, a maioria desses critérios de economia. Vamos rever alguns e entender o que a Oracle oferece: -Oversubscription: esta é uma prática proibida na Oracle. Quando um cliente implementa um conjunto de VMs, os OCPUs que foram solicitados são disponibilizados para ele – e mais ninguém utilizará esses OCPUs, garantindo que quando o cliente precisar de 100% da capacidade, ele a obterá integralmente, mesmo em uma “vizinhança barulhenta” como a infraestrutura compartilhada. Outros fornecedores não podem garantir isso, a menos que seja numa infraestrutura dedicada, que geralmente custa muito mais. -Serviços de infraestrutura que entregam mais em comparação com outras nuvens: um OCPU do mesmo tipo pode ser comparado com vCPUs em outras nuvens, mas quando medimos sua capacidade de processamento (como SPECInt), as ofertas da Oracle são claramente mais rápidas. O mesmo acontece com a taxa de transferência de acesso de armazenamento em bloco e com a memória, permitindo que os clientes necessitem menos infraestrutura para a mesma carga de trabalho, gerando economia. -Infraestrutura que custa menos, em comparação com equivalentes em outras nuvens: este é o mais fácil desses três aspectos, pois você pode comparar imediatamente com os demais. Os serviços Oracle Cloud são os mais baratos em toda a linha (com poucas exceções), e as grandes empresas reconhecem os baixos custos de rede que a Oracle oferece. -A simplicidade do modelo de faturamento da Oracle (um grande benefício da infraestrutura de nuvem de segunda geração adotada) permite ao cliente prever com grande detalhe quanto custaria para manter a carga de trabalho em execução – sem custos surpreendentes, com modelos de fácil compreensão, grandes subsídios para serviços como tráfego de dados de saída e sem duplicidade de pagamento, como contratar uma porta de conexão rápida para a nuvem e faturar o tráfego na mesma porta. -Finalmente, um modelo de consumo chamado Universal Credits (Créditos Universais), que com um contrato simples permite que os clientes consumam livremente qualquer recurso disponível da Oracle Cloud Infrastructure em determinado momento, com experiência de compra simplificada e possibilidade de trazer suas próprias licenças (BYOL, Bring Your Own License) para a Oracle Cloud e economizar ainda mais. Lembre-se de que o desempenho e o excesso de assinaturas impactam indiretamente no orçamento do cliente – mas é uma parte importante da economia percebida. Para descobrir quanto pode custar uma implementação de carga de trabalho, experimente o Oracle Cloud Cost Estimator. E se não tiver a certeza do que a Oracle entrega, experimente! *Ricardo Urresti é Business Development Director – Cloud Plataform na Oracle

O custo é um ponto muito importante para os clientes de cloud. Conheça as ofertas da Oracle, que unem economia, alto desempenho e qualidade. Por Ricardo Urresti* Embora a maioria dos clientes esteja...

Transformação nos Negócios

5 maneiras de melhorar seus resultados de email marketing

Tópicos como conteúdo, público-alvo e testes estão entre as dicas para otimizar a performance do seu email marketing. Por Angela Stringfellow * Está se perguntando como melhorar os seus resultados inexpressivos de email marketing? Pode ser difícil saber por onde começar quando você sente que suas possibilidades já se esgotaram. Mas o poder do email marketing é inegável, então embora seja preciso um pouco de esforço, a recompensa vale muito a pena. Se você está pronto para criar textos matadores para email marketing, dê uma olhada nestas cinco dicas expert para melhorar os resultados de seu email marketing. 1. Afie seu texto de email Lembre-se da última vez que abriu um email marketing. O que fez você decidir continuar lendo ou fechá-lo? Há grandes chances de que tenha sido a qualidade do texto do email. Se você quiser ver melhoras expressivas nos seus resultados de email marketing, aprimorar seu texto de e-mail é um dever. Leia mais: Tendências de email marketing para 2021: princípios comprovados Tente seguir estas dicas práticas para escrever e-mails de marketing convincentes: Escolha o layout certo do seu email marketing para atingir seus objetivos de marketing Altere o lead para que combine com o assunto do seu email Mantenha sua linguagem personalizada Use linguagem cativante Escreva CTAs claros Recomendo usar a chamada “Regra 80/20 de Conteúdo de Email'. Isto é, garanta que 80% dos seus emails forneçam valor e os 20% restantes sejam responsáveis por tentar vender seus produtos e serviços. 2. Crie linhas de assunto inteligentes Por falar em texto, não se esqueça da sua linha de assunto! Uma linha de assunto de email bem escrita é um dos elementos mais importantes de qualquer campanha de email marketing bem-sucedida. No final das contas, se seus assinantes não estiverem suficientemente intrigados, eles simplesmente irão deixar seus emails sem abrir. Então, quais são os recursos que assuntos de email excelentes exibem? Se você quer incitar um maior engajamento, tente aderir a estas regras para criar assuntos de e-mail mais eficazes: Mantenha as linhas de assunto curtas Personalize a mensagem Incentive ações Adapte seu texto à personalidade da sua marca Como você pode ver, não é preciso muito para fazer com que os assuntos dos seus emails sejam intrigantes e, por fim, fazer com que seus clientes queiram clicar neles. Então se você quer ver melhoras rápidas nos resultados do seu email marketing, esse é um bom lugar para começar. 3. Limpe e segmente sua lista de emails Mesmo o email mais elaborado não vai fornecer resultados significativos se ele for enviado para a pessoa errada ou na hora errada. É por isso que é fundamental limpar e segmentar continuamente as listas de emails. Vamos começar com a limpeza da sua lista de email. Esse processo envolve reduzir as listas de emails removendo os assinantes inativos. Existem muitos benefícios, incluindo: Melhora nas taxas de clique e de abertura Redução das queixas de spam Diminuição de cancelamentos Possibilidade de destinar seu tempo e recursos a assinantes que realmente ouvem você. Agora vamos nos concentrar em como segmentar as suas listas de emails. Semelhante à limpeza, segmentar suas listas melhora as taxas de clique e de abertura ao mesmo tempo em que diminui os cancelamentos. Isso ajuda também a alavancar as suas taxas de conversão. Segmentar consiste em refinar e agrupar as listas de emails para que você possa enviar emails mais personalizados a grupos diferentes de assinantes. Por exemplo, você pode enviar a novos assinantes um email de boas-vindas, a assinantes que quase fizeram uma compra ou que abandonaram uma compra no carrinho, e àqueles que não têm visitado o seu site há um tempo uma promoção especializada para reengajá-los. 4. Verifique se seus emails são compatíveis com dispositivos móveis Você já ouviu falar sobre a importância de tornar o seu site compatível com dispositivos móveis. Mas você sabia que é igualmente importante garantir que as campanhas de email marketing sejam otimizadas para dispositivos móveis também? Segundo uma pesquisa recente, as pessoas abrem mais e-mails em dispositivos móveis do que em desktops. Então se seus e-mails não são otimizados para dispositivos móveis, é possível que você esteja perdendo oportunidades de se conectar tanto com potenciais clientes quanto com clientes já existentes. A boa notícia é que fazer com que suas campanhas de email marketing sejam compatíveis com dispositivos móveis não é um bicho de sete cabeças. Trata-se simplesmente de fazer alguns ajustes, tais como: Reduzir os tamanhos dos arquivos de imagem para melhorar o tempo de carregamento Formatar seus emails para que eles sejam lidos de forma clara e intuitiva pelo celular Otimizar os seus botões CTA para uso do touchscreen 5. Faça testes A/B em suas campanhas de email marketing Um dos melhores truques para alavancar os resultados de email marketing é fazer testes A/B nas suas campanhas de email. Também conhecido como Split Testing, o teste A/B é uma forma metódica de identificar quais campanhas se conectam com seus assinantes — e quais caem por terra. A graça do teste A/B é que ele pode testar praticamente todos os componentes do seu email para determinar o que manter, ajustar ou banir completamente. Mesmo a mudança mais simples, tais como as imagens que você usa ou o tamanho do texto, pode levar a um aumento no engajamento. Por exemplo, você pode testar assuntos de email, texto (incluindo ordem de palavras, tom e personalização), CTAs, formatação, o tamanho do email, imagens, links, elementos de estilo como botões versus texto e assim por diante. Como fazer o teste A/B em suas campanhas de email marketing? O método mais fácil é usar as ferramentas de teste A/B encontradas em seu software de campanha por email. Para melhores resultados, certifique-se de ter em mente as melhores práticas de teste A/B e procure evitar as armadilhas que são comuns em testes A/B. Como destacam as dicas acima, melhorar seus resultados de email marketing não é uma coisa de outro mundo. No entanto, requer tempo, esforço e um pouco de criatividade para fazer tudo corretamente. Se você está pronto para colher os frutos de um email marketing efetivo, tenha certeza de colocá-los em ação hoje. * Angela Stringfellow escreve sobre estratégia de marketing, tendências de marketing digital e experiência do cliente para diversos veículos.

Tópicos como conteúdo, público-alvo e testes estão entre as dicas para otimizar a performance do seu email marketing. Por Angela Stringfellow * Está se perguntando como melhorar os seus...

Histórias de Sucesso

Ecommerce do Zema nasce e dá resultados com Oracle Cloud CX

Grupo mineiro quase desistiu de lançar serviço, mas credibilidade e performance da Oracle fizeram projeto se concretizar e causar impacto. O ano de 2019 significou um marco para o Zema, grupo varejista do interior do estado de Minas Gerais que conta com 420 lojas espalhadas por seis estados brasileiros. Durante seus mais de 90 anos, a empresa sempre buscou entender o ambiente e se transformar, antenada com as tendências de mercado. Perto do centenário, o grupo Zema inaugurou em 2019 sua plataforma ecommerce. O salto para o comércio digital foi marcado por dificuldades. O grupo buscou algumas implementações da operação no ambiente online, porém, após investimentos e parcerias não otimizados e alinhados, a ideia quase foi abandonada. Em um possível último suspiro na tentativa de transformação digital, a Oracle foi a empresa escolhida para atender à demanda. Leia mais: Osklen se alia à tecnologia Oracle e promove atendimento diferenciado aos clientes Deu certo. Ao adotar o Oracle Fusion Cloud Commerce, o Zema lançou seu ecommerce, o que por si só já era um desafio. Ao longo de 2020, as vendas realizadas pela internet foram de 1% do faturamento da rede para 10%.

Grupo mineiro quase desistiu de lançar serviço, mas credibilidade e performance da Oracle fizeram projeto se concretizar e causar impacto. O ano de 2019 significou um marco para o Zema, grupo...

Desenvolvedores

Celebrando 25 anos do Java

A Oracle University tem o prazer de oferecer uma assinatura gratuita de aprendizagem de Java e o Exame de Certificação Java SE 11 Developer por apenas US$ 25 – um desconto de 90% no preço de lista. Damien Carey* Vinte e cinco anos após sua estreia, o Java ainda é a linguagem de desenvolvimento mais utilizada no mundo. Ele continua sendo uma tecnologia favorita na comunidade de desenvolvedores em virtude de sua confiabilidade e flexibilidade. E embora seu lançamento inicial tenha ocorrido há 25 anos, o Java continua a ser uma das linguagens de programação mais procuradas para o desenvolvimento de aplicativos modernos. De fato, segundo a VDC Research, é a linguagem de programação número 1 do mundo. Com mais de um milhão de desenvolvedores certificados em Java no mundo hoje, tornar-se um desenvolvedor em Java também provou ser um ótimo passo de carreira com a função classificada em segundo lugar na lista de Melhores Empregos nos EUA da Glassdoor para 2020. O Java não é apenas vantajoso para o desenvolvedor individual, mas também para a organização como um todo. Segundo o IDC, com o treinamento em Java da Oracle University, as organizações descobriram que os desenvolvedores de aplicativos eram 29% mais produtivos, as atualizações de segurança ocorriam 21% mais rápido e as empresas tiveram uma redução de 84% no tempo de inatividade não planejado. Como o Java continua a ganhar popularidade 25 anos após sua criação, estamos empolgados por celebrar este marco significativo oferecendo uma promoção exclusiva para comemorar a ocasião e ajudar qualquer usuário, inclusive desenvolvedores, profissionais técnicos, arquitetos, estudantes e professores a adquirir mais proficiência. A Oracle University tem o prazer de oferecer uma assinatura gratuita de aprendizagem de Java e o Exame de Certificação Java SE 11 Developer por apenas US$ 25 – um desconto de 90% no preço de lista. Estamos animados para ver o que pode ser criado com o Java nos próximos 25 anos – e felizes em dar o primeiro passo com esta oferta por tempo limitado. Analise os detalhes abaixo e aproveite esta oferta hoje mesmo. Vamos comemorar! ____ Detalhes da Promoção de 25o Aniversário do Java A assinatura de aprendizagem gratuita inclui: •    O roteiro de aprendizagem do Java Explorer para habilidades básicas em Java •    O roteiro de aprendizagem do Java SE 11 Developer OCP – Java 25 Anos para habilidades de programação avançadas •    Perguntas de treino para os clientes revisarem enquanto se preparam para o exame Comece com estes dois passos fáceis: 1.    Aprenda: Ative a assinatura de aprendizagem gratuita O roteiro de aprendizagem do Java Explorer ensina habilidades básicas em Java. O roteiro de aprendizagem Java SE 11 Developer OCP – Java 25 Anos ensina habilidades de programação avançadas. Também estão incluídas perguntas práticas para aumentar as chances de aprovação dos usuários no exame. 2.    Certifique-se: Inscreva-se para o exame Na assinatura de aprendizagem gratuita, os clientes podem se inscrever para o exame Java SE 11 Developer com 90% de desconto no preço de lista.  Note que esse desconto está disponível apenas dentro da assinatura de aprendizagem gratuita. Os clientes podem prestar o exame por US$ 25 a qualquer momento entre 25 de fevereiro e 25 de abril de 2021; as inscrições começaram em 25 de fevereiro de 2021. Informações adicionais e detalhes sobre a comemoração do 25o aniversário do Java e a oferta promocional estão disponíveis aqui. *Damien Carey é Vice-Presidente Sênior da Oracle University e lidera o principal provedor global de educação e certificação de TI para soluções Oracle

A Oracle University tem o prazer de oferecer uma assinatura gratuita de aprendizagem de Java e o Exame de Certificação Java SE 11 Developer por apenas US$ 25 – um desconto de 90% no preço de lista. Dami...

Transformação na TI

Podcast: a nuvem como ferramenta para competitividade

Último episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Weligton Pinto, Diretor Sênior de Engenharia e Arquitetura para Soluções em Nuvem da Oracle. Em um mundo hiperconectado, contar com uma arquitetura em nuvem resiliente, capaz de atender a toda e qualquer demanda de negócio é um ponto cada vez mais importante para a competitividade e crescimento das empresas. Esse foi o tema principal abordado no quarto e último episódio da minissérie de podcasts “Papo Oracle Cloud”, produzida em parceria pela Oracle coma plataforma de conteúdo Papo Cloud . Intitulado “Move to Cloud: Desafios e Oportunidades”, o programa de número 4 da série “Papo Oracle Cloud”, que é composta por um total de quatro programas, traz uma entrevista especial com Weligton Pinto, Diretor Sênior de Engenharia e Arquitetura para Soluções em Nuvem da Oracle. -Veja também: Podcast: as oportunidades e os desafios de migrar para a nuvem “Se eu estou on-premises totalmente hoje, estou chegando perto de renovar o meu parque, eu posso falar: ‘Olha, deixa eu entender se parte disso eu já posso pensar em nuvem e esquecer essa complexidade, esquecer que daqui três ou cinco anos eu tenho que fazer essa mesma renovação’. Então você de novo ganhou competitividade em cima do teu colega, da empresa que é concorrente que pode não estar vendo isso, que tem uma miopia nesse sentido. Cloud hoje é muito mais segura, é muito mais disponível do que qualquer estrutura on-premises que possa se conhecer. E estou falando estruturas de altíssimo nível, grandes bancos, grandes empresas estatais”, afirma o executivo da Oracle na entrevista. Quer ouvir mais? Então clique no player abaixo para escutar a entrevista completa!

Último episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Weligton Pinto, Diretor Sênior de Engenharia e Arquitetura para Soluções em Nuvem da Oracle. Em um mundo hiperconectado, contar...

Transformação na TI

Disrupção nos serviços financeiros: 5 maneiras de se beneficiar com o Oracle Autonomous Database

As tecnologias modernas permitem que tanto as instituições estabelecidas quanto os novos concorrentes lidem com os desafios que estão enfrentando, bem como aproveitem novas oportunidades. Por Bertrand Matthelie* Numa postagem anterior no blog, vimos as 4 maneiras pelas quais os varejistas podem aproveitar a ruptura com o Oracle Autonomous Database. Vamos agora voltar nossa atenção para o setor de serviços financeiros. O tempo está se esgotando para os bancos tradicionais. Na última década, o fenômeno das fintechs, como um pool de inovação ágil, mudou o sistema bancário para sempre. Os gigantes da tecnologia também têm trabalhado para segmentar os serviços financeiros, e tendem a ser muito eficazes no gerenciamento de perfis de clientes, bem como na previsão de preferências e padrões de gastos. Forças poderosas estão remodelando o setor bancário Os efeitos da pandemia global irão impactar o setor de serviços financeiros nos próximos anos. Alguns adotarão tecnologias emergentes e, com o tempo, se tornarão mais fortes, enquanto novos participantes no mercado com modelos de negócios inovadores expulsarão instituições tradicionais menos ágeis. O aumento exponencial de dados disponíveis vem servindo como combustível para novos produtos e criando novas oportunidades. A capacidade de gerenciar e aproveitar todos esses dados é fundamental para o sucesso. Embora seja essencial extrair insights para crescer, as instituições financeiras também estão extraindo insights para se protegerem contra prejuízos. Criminosos digitalmente nativos estão mais sofisticados do que nunca, e eliminá-los requer sistemas no mínimo igualmente sofisticados. -Leia mais: 4 maneiras pelas quais os varejistas podem aproveitar a disrupção com o Oracle Autonomous Database Um relatório recente da Omdia mostra que a modernização de sistemas herdados é a principal prioridade de TI das instituições financeiras para aumentar sua capacidade de inovação. De fato, as tecnologias modernas permitem que tanto as instituições estabelecidas quanto os novos concorrentes lidem com os desafios que estão enfrentando, bem como aproveitem novas oportunidades. Como? Vamos examinar algumas histórias de clientes que mostram 5 maneiras pelas quais você pode se beneficiar com o Oracle Autonomous Database. 1. Aumenta a eficácia de marketing e vendas – melhorando as taxas de conversão em 40% e reduzindo o churn em até três vezes A Up Sí Vale é uma provedora líder de pagamentos e outros serviços financeiros para 16.000 empresas e 5 milhões de consumidores em todo o México. Seus serviços incluem vales para alimentação, viagem e combustível, bem como cartões pré-pagos, carteiras digitais e programas de fidelidade. A Up Sí Vale precisava centralizar as informações e simplificar a análise de dados para saber mais sobre seus diversos conjuntos de clientes, mas queria fazer isso de forma rápida e com o mínimo de interrupção em suas operações. A organização escolheu o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud porque eram fáceis de configurar, implementar e integrar com outros aplicativos e de operar sem administração do banco de dados. A Up Sí Vale constatou que a combinação do Oracle Autonomous Data Warehouse com o Oracle Analytics proporcionou mais flexibilidade, maior desempenho e melhor integração com seus aplicativos. Quais foram os resultados alcançados pela Up Sí Vale? •    Gerenciamento de dados consolidados de 240 milhões de transações de 10 fontes •    Eliminou 90% do tempo gasto na administração do banco de dados •    Implementação do Autonomous Data Warehouse em toda a organização em três meses, configurando novas instâncias em menos de 5 minutos •    Eliminou 75% do tempo necessário para reunir os dados em planilhas, permitindo segmentação mais estratégica dos clientes e marketing personalizado •    A equipe de vendas agora pode adotar uma abordagem mais proativa com os clientes, ajudando a reduzir o churn de 15% para 5% O Autonomous Data Warehouse automatiza de forma inteligente o provisionamento, a configuração, a segurança, o ajuste e a escalabilidade de um data warehouse. Isso elimina quase todas as tarefas manuais e complexas que podem causar erros humanos. Os DBAs podem deslocar seu tempo da administração de banco de dados de rotina para a inovação e, assim, ajudar os departamentos da organização a atingirem seus objetivos. O Autonomous Data Warehouse proporciona escalabilidade automática conforme a demanda, que comportou o crescimento de 40% do ecommerce da Up Sí Vale desde o início da pandemia de COVID-19. A Aon era outra organização com extrema necessidade de melhorar o gerenciamento de dados para aumentar a eficácia de marketing e vendas. Com sede em Londres, a Aon é uma empresa global de serviços profissionais que fornece uma ampla gama de soluções para riscos, previdência e saúde. Tendo crescido ao longo dos anos por meio de várias aquisições, a Aon precisava consolidar seus silos de dados de vendas e marketing para obter uma visão única de seus clientes e clientes potenciais. Precisava também de uma plataforma de análise mais robusta. Ao transferir sua capacidade de relatórios e análises de dados de várias fontes para o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud, a Aon aumentou o desempenho de 50 a 60 vezes. Os tempos de resposta a consultas de vendas complexas de 500 usuários avançados são agora muito mais rápidos, e a organização estima que seus custos de análise sejam significativamente menores do que com suas ferramentas de business intelligence on-premises. O Autonomous Data Warehouse está fazendo com que os analistas de operações de vendas da Aon economizem 15 horas por semana, agora que não precisam mais extrair dados manualmente, e isso aumentou a segurança das informações confidenciais de vendas. Ao eliminar silos de dados e adicionar análises e relatórios robustos, a Aon obteve visibilidade das atividades voltadas para o cliente dentro e entre departamentos, bem como insights aprofundados para melhor segmentação e vendas cruzadas. As equipes de vendas agora podem visualizar facilmente tendências de mercado, discrepâncias, opiniões de clientes e desempenho de vendas. “Podemos fornecer insights com o apertar de um botão em todas as nossas regiões, todas as nossas linhas de solução, algo que nunca, jamais fomos capazes de fazer antes.” (Teffani Zadeh, CIO, Capacitação de Crescimento e TI América do Norte da Aon) Vamos avaliar um último exemplo nesta seção. De acordo com o relatório da Omdia já mencionado, as instituições financeiras estão implementando Machine Learning com mais rapidez do que outros setores. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) é uma das maiores instituições financeiras do mundo. O banco colaborou com o Oracle Consulting para desenvolver um novo Algoritmo de Aprendizagem de Economia Comportamental, um sistema baseado no Oracle Machine Learning com o Oracle Transaction Processing, para identificar os mecanismos cognitivos mais relevantes ao gerar uma campanha de marketing para diferentes alvos. O BBVA obteve os seguintes resultados: •    Na Colômbia, por exemplo, o excesso de informações online estava provocando sobrecarga cognitiva e abandono da navegação. Ao retificar o texto e os recursos visuais da oferta, o BBVA Colômbia observou uma grande aceitação nos pedidos de cartões de crédito e contas bancárias online. •    Em todas as regiões geográficas, campanhas de marketing geradas por meio de machine learning produziram uma melhoria de 30% a 40% nas taxas de cliques e de conversão •    Criativos que levavam dias ou semanas para serem trabalhados em agências agora são finalizados em questão de minutos •    Ao usar a programação de linguagem natural, o próprio sistema sugere agora o conteúdo ideal da campanha por segmento-alvo e dispositivo móvel e avalia automaticamente os resultados prováveis. Esse recurso substituiu o pré-teste baseado em avaliações ou pesquisas de opinião aleatórias e demoradas. O Autonomous Database acelera a criação de modelos de machine learning, eliminando a necessidade de mover dados para sistemas dedicados de machine learning. O Oracle Machine Learning fornece uma interface colaborativa para cientistas e analistas de dados, com acesso a mais de 30 algoritmos de machine learning escalonáveis e paralelos no banco de dados. 2. Melhora a detecção de fraudes O gateway de pagamento digital da AsiaPay processa pagamentos em várias moedas, idiomas, canais e dispositivos em 15 países. Graças a essa força em transações internacionais, a empresa sediada em Hong Kong atende a muitos varejistas internacionais que preferem padronizar em um único fornecedor de fluxo de pagamentos. A AsiaPay está vivenciando um enorme crescimento. Com essa demanda, surge uma infinidade de dados da Internet das Coisas, inclusive de dispositivos móveis e touchscreen. Uma única transação pode oferecer mais de 100 pontos de dados com detalhes sobre localização, saldo bancário, biometria e outros, que podem ser analisados para detecção de fraude. Por exemplo, o mapa de análise de detecção de fraude da AsiaPay pode mostrar o pagamento de um pedido com endereço IP em Taiwan, banco emissor nas Filipinas e endereço de entrega na Malásia. O machine learning incorporado ao Oracle Autonomous Database pode classificar essa transação como de risco e alertar o comerciante.   “Com o Oracle Autonomous Data Warehouse, podemos utilizar IA para identificar um risco comercial em tempo real.” (Joseph Chan, CEO e fundador da AsiaPay) Melhorar a detecção de fraudes também era fundamental para a Ripley. Varejista líder e também banco com cartão de crédito, a Ripley conta com 10 milhões de clientes e 60 lojas no Chile e no Peru. Para melhorar a prevenção contra fraudes, a Ripley consolidou 10 sistemas de dados diferentes em um sistema unificado e centralizado com o Oracle Autonomous Data Warehouse, representando uma única fonte de verdade para obter inteligência acionável. Sem nenhuma manutenção do banco de dados e menos treinamento para desenvolvedores e usuários de negócios, a Ripley pode dedicar mais tempo à inovação.   “A inovação autônoma é uma vantagem competitiva para atrair talentos para a ciência de dados e engenheiros analíticos, e isso é ótimo para a Ripley.” (Andres Peralta, Gerente de Dados e Análise da Ripley)   3. Possibilita as operações de fintechs – acelerando o tempo de colocação no mercado e reduzindo os custos em 15% A Strands permite que os bancos processem grandes quantidades de informações para construir modelos para cada cliente, com base em transações, saldos e informações de clientes. Esses modelos fornecem insights para ajudar as pessoas a tomar melhores decisões sobre seu dinheiro e sobre o uso dos produtos financeiros certos. A chave para a expansão é o uso agressivo da nuvem pela Strands para executar sua plataforma baseada em inteligência artificial, que agora é oferecida como Software como um Serviço, além de seus sistemas tradicionais no local executados no próprio data center dos bancos. Um elemento essencial da plataforma SaaS da organização com sede em Barcelona é o Oracle Autonomous Transaction Processing executado na Oracle Cloud Infrastructure. O banco de dados armazena a imensa quantidade de dados necessários para construir, ajustar e implementar modelos de machine learning. A solução SaaS da Strands exige menos esforço de seus clientes para implementar e se integrar com o banco digital do que seu software on-premises anterior. Isso significa que os bancos podem lançar o serviço e apresentar a capacidade aos clientes muito mais rápido. Os custos operacionais da Strands diminuíram 15% com o uso do Oracle Autonomous Database. Outra fintech líder é a Veritrans, do Japão, que fornece sistemas de pagamento seguros em lojas e online. A organização conta com o Autonomous Transaction Processing para garantir o alto desempenho e a alta disponibilidade e segurança de sua solução. As operações autônomas permitiram à Veritrans aumentar a eficiência operacional e reduzir os custos. O Autonomous Database usa otimização contínua de consultas, indexação de tabelas, resumos de dados e ajuste automático para garantir um alto desempenho consistente, mesmo com o aumento do volume de dados e do número de usuários. A escalabilidade autônoma pode temporariamente aumentar três vezes a computação e a E/S para manter o desempenho. Ao contrário de outros serviços em nuvem que exigem um tempo de inatividade para escalar, o Autonomous Database é escalado enquanto o serviço continua em execução. 4. Preenche as lacunas financeiras – reduzindo o tempo de consulta de horas para minutos e duplicando as taxas de conversão No setor bancário ultracompetitivo da Índia, o Federal Bank se destaca com um mix de opções de serviços bancários em agências e aplicativos móveis ricos em recursos que atraem clientes em constante movimento. Seu sucesso também resulta da compreensão das necessidades específicas do cliente bancário indiano, desde a oferta de empréstimos por penhor de ouro a pessoas físicas, pacotes de baixo custo para pequenas e médias empresas, até pacotes financeiros complexos para clientes corporativos. Saber exatamente o que oferecer exige insights. Com o Oracle Autonomous Database e o Oracle Analytics Cloud, o Federal Bank agora conta com um banco de dados autônomo com maior desempenho e estabilidade, além da segurança exigida dos sistemas financeiros. O machine learning no Oracle Autonomous Data Warehouse conseguiu reduzir pela metade o tempo necessário para executar determinadas consultas aos dados de clientes, capacitando os gerentes com inteligência acionável para uma tomada de decisão mais rápida.   “Para nós, analisar e entender os dados dos clientes é a base de tudo que fazemos quando examinamos decisões futuras. O Oracle Autonomous Database está no centro disso.” (Shalini Warrier, Diretora Executiva do Federal Bank) Outra organização que atua para preencher as lacunas financeiras é a Forth Smart. Na Tailândia rural, o dinheiro é tudo. Salários e aluguéis são pagos com cédulas e moedas. Mercados, restaurantes, táxis e ônibus esperam pagamento em dinheiro. No entanto, quase todos também possuem um celular, e a Forth Smart oferece quiosques que conectam a economia digital com o dinheiro vivo. Seus 120.000 quiosques permitem que as pessoas usem dinheiro para recarregar celulares pré-pagos e transferir fundos para amigos e parentes. Além disso, oferecem um número muito maior de serviços e funções de ebanking. E com mais de 15 milhões de usuários, os quiosques se tornaram imóveis privilegiados para anúncios e ofertas de pacotes de internet. A Forth Smart precisa de insights em tempo real sobre o comportamento dos clientes em sua rede de quiosques, que lida com mais de 2 milhões de transações por dia. Para obter esses insights e também proteger os dados, a Forth Smart usa o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud sem um administrador de banco de dados. Eles aplicam algoritmos de machine learning para entender os segmentos de clientes e prever o sucesso de uma oferta, resultando na duplicação da taxa de conversão de anúncios. “Usando o Autonomous Database com o Oracle Machine Learning, conseguimos reduzir o tempo de consulta de três horas para alguns minutos e aumentar nossas taxas de conversão de anúncios de 2 a 3 vezes. Isso nos permite utilizar melhor nosso orçamento e esforço de marketing.” (Pawarit Ruengsuksilp, Analista de Desenvolvimento de Negócios da Forth Smart)   5. Promove uma cultura orientada por dados – fornecendo insights importantes de várias fontes de dados em menos de 2 segundos A Generali é uma das maiores companhias de seguros do mundo. Seus departamentos de RH compilavam dados manualmente em modelos e enviavam esses modelos para a equipe da matriz para fins de relatório e análise. Essa abordagem era demorada e suscetível a erros. A Generali precisava de um processo mais eficiente, confiável e automatizado. O objetivo era encontrar uma solução que aumentasse um mindset orientado por dados em toda a comunidade de RH da Generali, uma mudança que, a longo prazo, produzisse um efeito cascata de aumento de eficiência, correlacionando padrões de RH para uma melhor tomada de decisão, fornecendo suporte para diversidade e inclusão e automatizando relatórios e análises das principais métricas com foco na melhoria de toda a área de RH e do envolvimento dos funcionários. A Generali escolheu o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud como a melhor opção para melhorar o desempenho dos relatórios, para escalar facilmente a solução em caso de aumento da área de cobertura ou aumento da capacidade necessária durante o pico de uso e para a integração com a solução Oracle HCM existente da Generali. O Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud transformaram o processo de geração de relatórios da Generali, capacitando o RH com acesso direto a informações mais precisas. O processo simplificado e automatizado de geração de relatórios permitiu à equipe de RH ser mais produtiva e focar em atividades que agregam valor, em vez de se sobrecarregar com tarefas de relatórios. O RH e os executivos da Generali obtêm insights e indicadores importantes sobre a gestão de funcionários, integrando dados de diversas fontes. A Generali também criou um dashboard executivo para monitorar e medir KPIs estratégicos de RH, com a conveniência de acessar informações importantes em dispositivos móveis. O machine learning no Oracle Autonomous Data Warehouse se ajusta para aumentar a velocidade dos relatórios, mesmo quando a Generali aumenta os volumes de dados. Agora, os usuários de RH têm um tempo de resposta mais rápido de relatórios, de menos de 2 segundos, devido à melhoria de desempenho. A Generali também se beneficia da escalabilidade automática do banco de dados autônomo conforme a demanda, aumentando a capacidade para um melhor desempenho durante os períodos de pico de relatórios e diminuindo a capacidade para economizar custos. No geral, a comunidade de RH da Generali adotou uma cultura mais analítica, fornecendo suporte para o processo de tomada de decisão com análises significativas e fáceis de usar da força de trabalho. Para concluir Forças poderosas, incluindo a pandemia global, estão remodelando o setor de serviços financeiros. Os clientes estão aproveitando o Oracle Autonomous Database para: •    Aumentar a eficácia de marketing e vendas – melhorando as taxas de conversão em 40% e reduzindo o churn em até três vezes •    Melhorar a detecção de fraudes – com custos mais baixos e melhor desempenho •    Possibilitar as operações de fintechs – acelerando o tempo de colocação no mercado e reduzindo os custos em 15% •    Preencher as lacunas financeiras – reduzindo o tempo de consulta de horas para minutos e duplicando as taxas de conversão •    Promover uma cultura orientada por dados – fornecendo insights importantes de várias fontes de dados em menos de 2 segundos Com o Autonomous Database, tanto as instituições estabelecidas quanto os novos participantes aceleram a inovação enquanto reduzem custos e riscos. De fato, de acordo com a KuppingerCole, organização líder em pesquisa de analistas do setor com foco em segurança, a Oracle é líder global em segurança de banco de dados e big data. Como observado em sua bússola de liderança de 2021: “O Oracle Autonomous Database, que automatiza completamente os processos de provisionamento, gerenciamento, ajuste e atualização de instâncias de banco de dados sem qualquer tempo de inatividade, não apenas aumenta substancialmente a segurança e a conformidade de dados confidenciais armazenados em bancos de dados Oracle, como também se torna um argumento convincente para mover esses dados para a nuvem da Oracle.” Leia o relatório. *Bertrand Matthelie é Diretor Sênior de Marketing de Produto da Oracle

As tecnologias modernas permitem que tanto as instituições estabelecidas quanto os novos concorrentes lidem com os desafios que estão enfrentando, bem como aproveitem novas oportunidades. Por Bertrand...

Histórias de Sucesso

Algar Telecom reduz custos em 50% com migração para Oracle Cloud

Empresa brasileira de telecomunicações também registrou ganho de desempenho de 60% após mover infraestrutura para nuvem. Fundada em Minas Gerais em 1954 com foco na oferta de serviços de telefonia fixa, a Algar Telecom tem hoje 1,3 milhão de clientes em 16 estados brasileiros, mais o Distrito Federal. A empresa de telecomunicações se reinventou ao longo das últimas décadas, adotando as diferentes inovações que revolucionaram o setor, responsável por entregar uma infraestrutura crítica para pessoas e companhias. Em um mercado concorrido e em constante evolução, no  qual a necessidade de redução de custos é chave para oferecer produtos atrativos, a Algar se viu diante da necessidade de digitalização, com maior aderência em apps, tecnologias da informação, nuvem e padrões abertos -- tudo com agilidade  de entrega. Fernando Américo, Arquiteto de Soluções da Algar Telecom, é o encarregado de mantê-la atualizada com as tecnologias mais recentes. Entre os desafios da empresa estava diminuir as despesas operacionais e de capital em 50% -- tarefa alcançada com ajuda da Oracle. “Houve redução de despesas de capital, um dos motivadores. Passamos dos 50%, conseguimos um ganho a mais. Fomos até premiados dentro da organização em cima disso, foi um projeto reconhecido aqui.” -Leia mais: SERPROS reduz custos em 90% com nuvem da Oracle Com a intenção de “partir para o mundo digital”, a Algar acertou com a Oracle um contrato do tipo Unlimited License Agreement (ULA), que dá ao cliente liberdade total de licenciamento das soluções da Oracle. Diante de um universo amplo de novidades a serem implementadas, Américo destaca o suporte dado pela Oracle para a transição desejada pela Algar Telecom -- que, desde 2017, toca um projeto de transformação digital chamado Move to Cloud.

Empresa brasileira de telecomunicações também registrou ganho de desempenho de 60% após mover infraestrutura para nuvem. Fundada em Minas Gerais em 1954 com foco na oferta de serviços de telefonia...

Transformação na TI

4 maneiras pelas quais os varejistas podem aproveitar a disrupção com o Oracle Autonomous Database

Como é possível sobreviver à disrupção e aproveitá-la para o crescimento? Por meio de histórias de clientes, demonstraremos as quatro maneiras pelas quais os varejistas estão aproveitando o Oracle Autonomous Database para fazer isso. Por Bertrand Matthelie* Uma disrupção rápida e profunda está afetando o setor varejista. A incerteza, a velocidade e a frequência de eventos imprevisíveis, como o surto de COVID-19, estão fazendo com que os varejistas reavaliem seu ambiente operacional, tenham de arcar com custos mais altos devido ao reforço das precauções de segurança relacionadas a funcionários e clientes, aumentem a frequência dos serviços de entrega em domicílio e melhorem a agilidade em resposta às exigências do mercado. Embora os varejistas possam ter adotado plataformas digitais para possibilitar o comércio eletrônico, os motivos e a necessidade de uma verdadeira experiência omnichannel para o cliente nunca foram tão evidentes. Questões, como novas tecnologias, agilidade dos concorrentes, além de expectativas novas e exigentes por parte dos compradores, estão transformando o mercado. Agora, mais do que nunca, os varejistas precisam saber mais sobre as necessidades do consumidor e ter disposição para reconhecer, adotar e tornar-se um catalisador para a mudança. -Leia mais: Anúncio do Oracle Database 21c e do APEX Application Development Service (IDC) Então, como é possível sobreviver à disrupção e aproveitá-la para o crescimento? Por meio de histórias de clientes, demonstraremos as quatro maneiras pelas quais os varejistas estão aproveitando o Oracle Autonomous Database para fazer isso. 1. Monitorar os resultados em tempo real para superar a concorrência Nos 30 restaurantes da marca Dou Yue em toda a China, são servidos pratos tradicionais da cozinha chinesa para consumo no local e para viagem. Diante da intensa concorrência, principalmente de fornecedores de catering e de restaurantes com serviços pela Internet, era fundamental melhorar sua capacidade de analisar os dados para ajudar no marketing, nas vendas, nas finanças, nas compras e no atendimento ao cliente. No entanto, as várias plataformas isoladas de dados preexistentes do Dou Yue impediam que a empresa obtivesse os insights abrangentes e em tempo real de que precisava. Ao implementar o Oracle Autonomous Data Warehouse e o Oracle Analytics Cloud na Oracle Cloud Infrastructure, o Dou Yue integrou os dados de vários sistemas empresariais em uma única plataforma baseada em nuvem. A equipe financeira agora consegue obter os dados de cada restaurante sobre a receita, o inventário e sobre outras questões, possibilitando ações por parte dos executivos da empresa. Por exemplo, quando um restaurante registra uma queda de receita, os executivos do Dou Yue conseguem analisar as condições ambientais (tráfego, clima), o modelo de vendas (consumo no local ou para viagem), bem como o cardápio e os preços na região onde o restaurante está localizado para determinar as principais causas e ajustar a estratégia.  Ao analisar tendências históricas, o consumo repetido e outros dados, o Dou Yue agora é capaz de entender de quais pratos os clientes gostam, fazer as mudanças necessárias neles ou até mesmo criar novos pratos, tudo em tempo hábil. Além disso, eles conseguem determinar quais prédios comerciais tendem a fazer mais pedidos de refeições para viagem para que seja possível divulgar campanhas de marketing direcionadas e saber onde estabelecer futuros restaurantes. O Autonomous Data Warehouse é a única solução completa que usa um banco de dados convergente que fornece suporte integrado para dados de vários modelos e várias cargas de trabalho, tais como SQL analítico, machine learning, gráficos e cargas de trabalho espaciais. Ele não requer integração com outros serviços, o que facilita o carregamento de dados, a execução de consultas complexas em vários tipos de dados, a criação de modelos analíticos sofisticados, a visualização de informações, o fornecimento de dashboards e o desenvolvimento de aplicativos orientados a dados. Certamente, o Dou Yue não é um caso isolado. Por exemplo, a Maxim 's, com sede em Hong-Kong, é uma empresa líder em alimentos e bebidas que opera 1.700 estabelecimentos em toda a Ásia, incluindo restaurantes de serviço rápido, padarias e muito mais. É também uma licenciada de marcas conhecidas, incluindo Starbucks Coffee, Genki Sushi e The Cheesecake Factory. O grupo conta com o Oracle Autonomous Data Warehouse e a Oracle Analytics Cloud para coletar e analisar 600.000 transações por dia, combinadas com dados de ERP, dados demográficos externos e de mídias sociais. Usando essa solução, eles obtiveram insights em tempo real sobre os hábitos e o comportamento de compra dos clientes para alterar cardápios e pratos de acordo com a mudança de preferências. Os resultados melhoraram as promoções de marketing, a eficiência operacional e a escolha de locais para ampliar a expansão. O Autonomous Data Warehouse elimina praticamente todas as complexidades de operar um data warehouse, automatizando o provisionamento, a configuração, a segurança, o ajuste, o escalonamento, a aplicação de patches, os backups e muito mais, o que permite que a Maxim 's acelere o tempo para a obtenção de insights, reduza os custos e melhore a segurança. "Nosso grupo de catering gerencia mais de 70 marcas com o auxílio do Oracle Autonomous Data Warehouse para garantir a análise eficiente dos dados de vendas e das preferências dos clientes, o que acaba melhorando nossa competitividade geral. Os recursos de autonomia e aplicação automática de patches proporcionaram economia nos custos e aumentaram a segurança dos dados", afirmou Keith Siu, Diretor financeiro da Maxim 's Caterers Ltd. 2. Impulsionar a expansão além do principal negócio para áreas adjacentes A ADNOC Distribution (Abu Dhabi National Oil Company for Distribution) é o principal distribuidor de combustível nos Emirados Árabes Unidos. Além da venda de combustível, em cada um de seus 360 postos de serviço, há lojas de varejo "'Oasis", estações de inspeção de veículos e serviço de lavagem de carros. Aproveitar os 3,5 milhões de transações mensais processadas dos pontos de venda possibilitaria a compreensão de como atender melhor aos clientes e aumentar as receitas. Com o Oracle Autonomous Data Warehouse, o ADNOC Distribution consegue aproveitar os dados em tempo real. Ele traz uma visão detalhada dos comportamentos e das preferências do cliente por meio da análise de produtos por faixa, categoria e loja, em conjunto com os dados de compra e resposta promocional que aparecem nos cartões de fidelidade do cliente. Como resultado, a empresa consegue aumentar a precisão em suas iniciativas de marketing, inovar com novos produtos e aumentar ainda mais a fidelidade do cliente; sempre com o produto certo no lugar certo e no momento certo. Também é possível planejar ofertas na loja em conjunto com parceiros locais, tais como fast food e pontos de venda de café, com uma visão mais clara dos resultados prováveis e do consumo, possibilitando a previsão de ROI antecipada e a análise das realizações em relação aos objetivos promocionais após qualquer atividade. Além disso, contar com o Autonomous Data Warehouse permitiu que a ADNOC reduzisse os custos em 50% em relação a sua solução on-premises e diminuísse a carga de trabalho do DBA em 60% com a criação automatizada de índices em relação a 650 milhões de transações, alcançando um desempenho de consulta até 100 vezes melhor. Da mesma forma, a PTG Energy, na Tailândia, opera 1.800 postos de serviço de combustível e mais de 200 lojas de conveniência. Utilizar o Autonomous Data Warehouse ajudou na redução do tempo para a obtenção de insights, de horas ou dias para minutos, capacitando os gerentes de negócios de varejo a melhorarem os resultados. 3. Melhorar a gestão de inventário É necessário muito esforço para colocar uma fruta perfeitamente madura nas mãos de um cliente. Com seus produtos perecíveis e seus negócios em rápido crescimento, a o Shenzhen Pagoda utiliza dados para levar suas frutas até a loja certa e no momento certo, considerando as preferências e os padrões de consumo de cada loja. Gerenciar e analisar todos esses dados é uma tarefa intensa, e a empresa precisava de uma solução de data warehouse respaldada por automação e gerenciamento inteligente de dados que a ajudasse a tomar decisões rápidas. Além disso, a empresa precisava de uma solução que reduzisse consideravelmente os custos e o envolvimento de sua equipe de TI. "Para manter o alto nível de satisfação, queremos fornecer, continuamente, frutas diferenciadas e personalizadas para os clientes em diferentes lojas", afirmou Shen Xin, CMO da Shenzhen Pagoda. O Oracle Autonomous Data Warehouse usa recursos de machine learning que permitem que a Shenzhen Pagoda carregue e integre dados de várias fontes a partir de informações de associação, padrões históricos de consumo, marketing, inventário e clima para traçar os perfis de suas lojas e seus clientes. O machine learning também os ajuda a executar relatórios de conjuntos de dados maiores mais rapidamente para determinar as melhores estratégias para a cadeia de suprimentos e a gestão de inventário, com menos administração de banco de dados, para 20 centros de distribuição e 4.000 lojas de varejo em toda a China. Agora, a Shenzhen Pagoda consegue prever os níveis de venda para a próxima semana com uma taxa de sucesso de 84%, garantindo lucros e frescor. A previsão precisa das vendas permite que cada loja decida sobre o inventário e as promoções. Isso melhora a experiência do consumidor e reduz o acúmulo de inventário, algo fundamental para a entrega de produtos frescos que atendam a seus padrões. O Autonomous Database acelera a criação de modelos de machine learning, acabando com a necessidade de mover dados para sistemas dedicados de machine learning. O Oracle Machine Learning fornece uma interface colaborativa para analistas e cientistas de dados, com acesso a mais de 30 algoritmos de machine learning escaláveis e paralelos no banco de dados. A ImpulseLogic é um ISV com o mesmo objetivo de ajudar os varejistas a aumentar as receitas, minimizando o desperdício. Sua solução StoreLogIQ, viabilizada pelo Oracle Autonomous Transaction Processing, permite que seus clientes garantam a disponibilidade do produto na área de vendas, e não apenas na área de carregamento da loja. Desse modo, os varejistas conseguem eliminar a distorção de inventário e beneficiar-se do machine learning e do reconhecimento de padrões, além de reduzir os custos. 4. Implementar programas de fidelidade A Drop Tank usa a Oracle Cloud Infrastructure e o Oracle Autonomous Data Warehouse para criar programas de recompensas de combustível, vinculando os postos de gasolina dos EUA administrados e operados por dezenas de empresas regionais independentes. Os programas de fidelidade da Drop Tank vão além do posto de gasolina e contam com a parceria com outros grandes programas de fidelidade de terceiros, como o Southwest Rapid Rewards® e o Wyndham Rewards®. "Precisamos estar prontos para lidar com um milhão de transações por dia. Por esse motivo, a escalabilidade e a tecnologia de nível empresarial disponíveis para nós na Oracle Cloud são muito importantes”, disse David VanWiggeren, CEO da Drop Tank. O Autonomous Data Warehouse usa otimização contínua de consultas, indexação de tabelas, resumos de dados e ajuste automático para garantir alto desempenho consistente, mesmo quando o volume de dados e o número de usuários aumentam. O escalonamento autônomo pode chegar a triplicar temporariamente a computação e a E/S para manter o desempenho. Ao contrário de outros serviços em nuvem que exigem tempo de inatividade para escalar, o escalonamento do Autonomous Data Warehouse ocorre enquanto o serviço continua sendo executado. *Bertrand Matthelie é Diretor Sênior Principal de Marketing de Produtos na Oracle

Como é possível sobreviver à disrupção e aproveitá-la para o crescimento? Por meio de histórias de clientes, demonstraremos as quatro maneiras pelas quais os varejistas estão aproveitando o Oracle...

Transformação na TI

Podcast: as oportunidades e os desafios de migrar para a nuvem

Terceiro episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Guilherme Godoy, diretor-sênior de vendas para grandes empresas da Oracle. Migrar para a nuvem habilita novos benefícios e oportunidades para as empresas e seus profissionais, mas também podem surgir alguns desafios no caminho por desconhecimento dos processos e fases envolvidas. Esses foram alguns dos principais assuntos abordados no terceiro episódio da minissérie de podcasts “Papo Oracle Cloud”, produzida em parceria pela Oracle coma plataforma de conteúdo Papo Cloud . Intitulado “Move to Cloud: Desafios e Oportunidades”, o programa de número 3 da série “Papo Oracle Cloud”, que é composta por um total de quatro programas, traz uma entrevista especial com Guilherme Godoy, diretor-sênior de vendas para grandes empresas da Oracle. -Saiba mais: Podcast: Alta disponibilidade ou redução de custo? Leve os dois para sua empresa “Quando a gente fala de nuvem, não necessariamente a gente está só olhando para tecnologias do futuro, pensando em tecnologias emergentes. A gente está, sim, falando de simplificar o dia a dia da empresa, mas também de trazer os legados. Então hoje existem approaches para levar, para movimentar os legados da forma como eles estão para nuvem”, afirma o executivo da Oracle na entrevista. Quer ouvir mais? Então clique no player abaixo para escutar a entrevista completa!

Terceiro episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Guilherme Godoy, diretor-sênior de vendas para grandes empresas da Oracle. Migrar para a nuvem habilita novos benefícios e...

Transformação na TI

Por que considerar a Oracle Cloud Infrastructure para sua infraestrutura de computação de alto desempenho?

A Oracle oferece valores excelentes para cargas de trabalho de HPC na nuvem, ajudando organizações de grande e pequeno porte a executar seus casos de uso de HPC essenciais sem ter de se preocupar com investimentos iniciais consideráveis. Por Savita Raina* Sempre quando estou olhando para o céu à noite me pergunto quantas galáxias, estrelas e planetas existem por aí. Este é um dilema que intrigou não só me intrigou, mas desafiou a humanidade durante séculos. Nas últimas décadas, cientistas e engenheiros da área da cosmologia e outras ciências, como dinâmica dos fluidos, descoberta de remédios, genômica e previsão do tempo, conseguiram encontrar respostas para algumas das perguntas mais desafiadoras usando o poder computacional dos supercomputadores. Com a inovação contínua em hardware de computador, acesso a mais dados e softwares de simulação sofisticados, cientistas e engenheiros conseguiram criar cenários complexos para teorizar possíveis resultados. Para encontrar respostas mais rapidamente, pesquisadores, comunidades científicas e empresas têm investido na criação de funcionalidades de computação de alto desempenho (HPC) internamente, o que significa gerenciamento de data centers de HPC. E não há dúvidas de que esses investimentos pagaram dividendos. De acordo com a Hyperion Research, um investimento em HPC resulta em uma receita média de $ 463 por dólar investido em HPC e um lucro médio de $ 44 por dólar a cada dólar de investimento em HPC. -Leia mais: Redefinindo os limites da flexibilidade e do controle na nuvem híbrida A maioria das cargas de trabalho de HPC são executadas on-premises para alcançar um alto desempenho, uma baixa latência e uma alta taxa de transferência. As organizações querem maximizar o retorno sobre os investimentos e, portanto, é fundamental otimizar as cargas de trabalho de HPC porque essas máquinas têm um valor bem alto. A execução on-premises de cargas de trabalho de HPC vem com os seguintes desafios: • Planejamento de capacidade: um dos maiores desafios que os clientes de HPC enfrentam é o planejamento de capacidade. As organizações acabam pecando pelo excesso ou pela falta de provisionamento, o que leva a longos períodos de espera em fila que afetam a produtividade. • Hardware legado: a atualização de infraestrutura geralmente acontece a cada 3/5 anos, o que significa que os usuários do sistema de HPC precisam esperar para ter acesso à infraestrutura HPC mais recente, retardando a inovação e a produtividade. • Custo com o gerenciamento de data centers: inclui gastos com energia, resfriamento, rede, armazenamento, hardware e software. O gerenciamento de mecanismos e hardwares não é a principal competência da maioria das organizações que executam cargas de trabalho de HPC. • Requisitos de segurança e conformidade: os sistemas legados precisam de manutenção regular para garantir que cumpram com os requisitos de segurança e conformidade. Computação de alto desempenho na nuvem As cargas de trabalho de HPC na nuvem foram se tornando cada vez mais uma realidade. De acordo com um relatório de 2020 da Intersect360 Research, a nuvem teve um crescimento de dois dígitos nos últimos 5/6 anos, com uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 22,0% e um segmento de nuvem projetado para ultrapassar $ 3,8 bilhões até 2024. Com a migração das suas cargas de trabalho de HPC para a nuvem, você garante os seguintes benefícios: • Melhor desempenho: obtenha acesso à última geração de infraestrutura e capacidade sob demanda para atender às necessidades do seu negócio. Os clientes de HPC podem implementar máquinas virtuais (VMs) bare metal, GPU e formas de computação, conforme necessário. • Otimização de custos: com a nuvem, você não precisa se preocupar com os custos iniciais de capital. Use o modelo de preço “pague conforme usar” durante a execução sem interrupções. • Flexibilidade para escalar: a nuvem oferece às organizações a flexibilidade para aumentar e diminuir o número dos requisitos de TI para atender às necessidades do negócio. • Foco no seu principal negócio: com a HPC na nuvem, você não precisa se preocupar em criar e gerenciar seus data centers, o que lhe permite focar nas suas prioridades estratégicas de negócios. Por que a Oracle Cloud Infrastructure para HPC? A Oracle oferece valores excelentes para cargas de trabalho de HPC na nuvem, ajudando organizações de grande e pequeno porte a executar seus casos de uso de HPC essenciais sem ter de se preocupar com investimentos iniciais consideráveis. • Última geração de hardware de computador: a Oracle fez uma parceria com a AMD e a Intel para oferecer aos seus clientes a mais recente geração de capacidade de computação, que inclui várias formas de VM e bare metal. Para ajudar a acelerar a visualização e a executar modelos de dados complexos para cargas de trabalho de HPC e IA, a Oracle fez uma parceria com a NVIDIA e está oferecendo GPUs Tesla P100, V100 e A100. Confira o que o nosso VPE, Clay Magouyrk, tem a dizer sobre as parcerias estratégicas da Oracle com a Intel, NVIDIA e AMD. • Alta largura de banda e rede de baixa latência: a Oracle oferece redes de baixa latência e alta taxa de transferência para executar casos de uso de HPC na nuvem. A rede Oracle Cloud Infrastructure (OCI) é uma rede altamente escalável e sem excesso de assinaturas com aproximadamente 1 milhão de portas de rede em cada domínio de disponibilidade, com interconexões de alta velocidade e latência < 100μs entre os hosts em um domínio de disponibilidade. Além disso, o tráfego entre os domínios de disponibilidade é criptografado. No caso das cargas de trabalho de HPC, a Oracle oferece rede RDMA de alta largura de banda e baixa latência de 1,5 microssegundos. • Sistemas de arquivo de fácil implementação: a Oracle oferece aos clientes de HPC uma variedade de sistemas de arquivos paralelos que eles podem escolher: escala IBM Spectrum, BeeGFS, Lustre e muitos outros. Os clientes podem implementar sistemas de arquivos de HPC na OCI com poucos cliques. • Contratos de nível de serviço de disponibilidade (SLAs) concedidos: a Oracle é o único fornecedor de nuvem que oferece SLAs de ponta a ponta em termos de disponibilidade, gerenciamento e desempenho. Para saber mais, consulte a documentação. • Desempenho de preços líder do setor que corresponde ou ultrapassa as implementações on-premises. Confira o blog post da minha colega Kristen Yang a respeito de Otimização de cargas de trabalho de HPC com a Oracle Cloud Infrastructure na Intel. • Preços globais consistentes: você pode gerenciar melhor seus gastos com tecnologia em nuvem com os preços globais consistentes da Oracle. • Implementação rápida de cargas de trabalho de HPC: a Oracle facilita a implementação e escala de cargas de trabalho de HPC na nuvem. Os clientes podem automatizar a implementação de clusters de HPC através do Oracle Cloud Marketplace. Para saber como, assista ao vídeo (em inglês). • Elaborada pensando na segurança: a OCI oferece uma arquitetura de segurança de confiança zero com controles de segurança fáceis de implementar. • Ecossistema de parceiros de HPC: um amplo ecossistema de parceiros de tecnologia de HPC que ajudam a fornecer soluções aprimoradas e personalizadas que atendem aos requisitos do cliente de HPC. Muitos de nossos clientes, como Nissan, YellowDog, DeepZen, GridMarkets e Altair, fizeram a transição para a nuvem normalmente e estão usufruindo dos benefícios e de um desempenho/preço superior. Para conferir mais histórias e saber mais sobre as soluções de HPC da Oracle, visite-nos em Soluções de computação de alto desempenho na Oracle Cloud Infrastructure. *Savita Raina é Diretora de Marketing de Conteúdo da Oracle Cloud

A Oracle oferece valores excelentes para cargas de trabalho de HPC na nuvem, ajudando organizações de grande e pequeno porte a executar seus casos de uso de HPC essenciais sem ter de se preocupar com...

Transformação nos Negócios

Principais tendências para 2021: digitalização da força de trabalho da linha de frente

"Ter uma força de trabalho distribuída é um desafio, mas os avanços na tecnologia tornam mais fácil do que nunca manter-se conectado." Saiba mais no artigo de Jason Richmond, presidente e diretor de cultura da Ideal Outcomes, Inc. Por Jason Richmond * Oitenta por cento dos funcionários do mundo inteiro - cerca de 2,7 bilhões de pessoas - são “funcionários sem mesa” e lidam com trabalhos que não exigem (ou permitem) que eles fiquem sentados. Se esse número surpreender você, pense em todos os setores, incluindo varejo e comércio, saúde, hotelaria e serviços de alimentação, construção civil, manufatura, logística e serviços públicos. Apesar desses números, a indústria de tecnologia investiu muito pouco no fornecimento de soluções online acessíveis para melhorar a produtividade e o engajamento dessa força de trabalho. Na verdade, apenas 1% dos US $ 300 bilhões gastos anualmente em investimentos em software vai para tecnologias voltadas para esse público, de acordo com um relatório da Emergence Capital, uma empresa de private equity cujos investimentos incluem Salesforce, Box, Yammer e Zoom. Quando consideramos que 96% dos jovens que trabalham possuem um smartphone e que 22% dos jovens adultos dependem exclusivamente de smartphones para acesso à internet, é óbvio que as organizações não estão apenas perdendo uma oportunidade significativa de se recuperar do impacto econômico da COVID-19, mas também uma oportunidade de aumentar sua competitividade no mercado. Leia mais: Como o RH pode tornar o trabalho mais humano em 2021 Tornar-se digital na linha de frente não é novidade. A UPS, por exemplo, está na sua quinta geração de computadores portáteis, que vêm aumentando a eficiência de entrega desde 2012. Em 2021, tornar-se digital é mais vital do que nunca. Mais recentemente, de acordo com um artigo do New York Times, os funcionários da Old Navy usavam sete aplicativos diferentes em seus dispositivos móveis fornecidos pela loja para localizar, estocar, enviar e encomendar mercadorias para os clientes, o que ajudou a empresa a registrar um crescimento - e superar todas as suas cadeias irmãs - antes da pandemia, quando os empregos no setor de vestuário diminuíram 9% de 2013 a 2018. Como resultado, sua matriz, Gap, Inc., abriu uma subsidiária e planejou abrir 800 novas lojas e, apesar dos contratempos da COVID-19, a Old Navy continua atuante. A empresa reequipou rapidamente suas lojas físicas como centros de distribuição para atender pedidos on-line e ampliou o sistema de retirada na porta em apenas duas semanas. Simultaneamente, eles remodelaram suas lojas para eventual reabertura com protetores de espirro Plexiglass, novos protocolos de limpeza e sinalização para reforçar o distanciamento social e o uso de máscaras. O resultado: eles foram capazes de reter uma incrível quantia de 95% de suas vendas. Em uma pesquisa recente da Harvard Business Review, 86% dos entrevistados disseram que a força de trabalho da linha de frente precisava de uma melhor tecnologia para tomar decisões informadas imediatamente. Ser capaz de tomar tais decisões capacita os funcionários, e é um dos principais fatores que geram engajamento e produtividade. Claramente, a tecnologia sem mesa é essencial para todas as indústrias. Os principais ganhos são produtividade, segurança e conformidade e agilidade, o que se traduz em uma cultura mais centrada no cliente. Quando as empresas utilizam aplicativos móveis, elas podem se redirecionar rapidamente em caso de crise, independentemente de sua localização. Elas podem medir e aprimorar melhor a produtividade do funcionário e se comunicar de maneiras que melhorem a experiência e a satisfação do funcionário. Essa tecnologia também melhora a capacidade das empresas de recrutar, treinar e reter funcionários da linha de frente, funções que têm taxas de rotatividade significativas. Agora existem plataformas que podem fornecer, triar, contratar e integrar funcionários com maior eficiência. Ao encurtar as sessões de treinamento e distribuí-las através de plataformas móveis, os funcionários podem aprender no trabalho em menores partes, sem interromper seu fluxo de trabalho. Ter uma força de trabalho distribuída é um desafio, mas os avanços na tecnologia tornam mais fácil do que nunca manter-se conectado. Uma pesquisa da Speakap descobriu que no mundo inteiro, 53% dos funcionários de linha de frente no varejo, hotelaria e entretenimento já usam aplicativos de mensagens como o WhatsApp para trabalhar sem o conhecimento da área de Recursos Humanos. Tal uso pode estar colocando as organizações em risco relacionado a segurança de dados, mas também demonstra a necessidade de tais ferramentas. A mesma pesquisa mostrou que uma rede social em escala de empresa lhes permitiria acessar facilmente conteúdos interativos de treinamento e desenvolvimento.   Está na hora das empresas estrategicamente fazerem a mudança de cultura da comunicação tradicional no local de trabalho e do compartilhamento de informações para uma baseada digitalmente. Aqui estão alguns pontos de partida importantes para mover a sua organização nesta direção crítica. Procure maneiras de mudar suas práticas de contratação para enfatizar uma variedade de canais digitais. Adote uma abordagem proativa através da criação de comités de comunicações digitais que possam acompanhar as tendências tecnológicas e criar políticas tecnológicas. Alinhe iniciativas como engajamento dos funcionários com soluções tecnológicas. Investigue como integrar a tecnologia móvel em todas as suas operações. Fique à frente da curva pensando na próxima geração de empregos em sua organização e nas habilidades que eles exigirão. À medida que a geração baby boomers continua a sair da força de trabalho, as próximas gerações de funcionários serão um ativo crítico para o seu crescimento e sucesso contínuo. Eles estão prontos para a tecnologia dos funcionários e vão querer trabalhar para os empregadores que também estão prontos. Saiba mais sobre o Oracle Fusion Cloud HCM e seus recursos de gerenciamento da força de trabalho. * Jason Richmond é presidente/CEO e diretor de cultura da Ideal Outcomes, Inc., uma empresa que desenvolveu programas de aprendizagem remota para empresas de todos os tamanhos. Jason também é o autor de Culture Spark: 5 Steps to Ignite and Sustain Organizational Growth.

"Ter uma força de trabalho distribuída é um desafio, mas os avanços na tecnologia tornam mais fácil do que nunca manter-se conectado." Saiba mais no artigo de Jason Richmond, presidente e diretor de...

Transformação nos Negócios

O que procurar em uma solução de gerenciamento de riscos em nuvem

Conheça as capacidades funcionais e técnicas que devem ser levadas em conta no momento da escolha da solução e saiba porque o Oracle Fusion Cloud Risk Management é a melhor opção. Por Sriram Chandran * As soluções de gerenciamento integrado de riscos (IRM) estão se tornando cada vez mais importantes em organizações de todos os setores e tamanhos. As organizações precisam ser proativas, ágeis e ter uma abordagem coordenada com relação à segurança, ao risco e à conformidade para lidar com o rápido desenvolvimento de riscos no ambiente empresarial e na força de trabalho. Nesse contexto, o IRM oferece uma visão completa dos riscos dentro das organizações, para que elas possam integrar o gerenciamento de riscos aos processos e à cultura empresarial. Vamos conhecer as capacidades funcionais e técnicas do Oracle Fusion Cloud Risk Management que fazem com que seja a solução de IRM ideal para clientes do Oracle Fusion Cloud Applications. Capacidade funcional Uma solução de IRM deve aumentar a conscientização e a capacidade de lidar com os riscos em todas as unidades de negócios. Para isso, um requisito funcional mínimo é facilitar uma visão única e abrangente em toda a empresa, com a colaboração necessária para tomar decisões baseadas em risco, resposta eficiente e conformidade adequada. Além disso, é fundamental ter uma funcionalidade que forneça análises profundas compatíveis com a detecção de riscos em tempo real, prevenção de fraudes ou violações de segurança e tomada de decisões baseadas em riscos. Leia mais: Quatro grandes mudanças que você deve fazer agora para garantir o crescimento Controles de acesso, separação de tarefas (SOD), avaliações periódicas Ter acesso a dados em tempo real é crucial para uma análise completa do acesso do usuário, a separação de tarefas e outros controles. Esta análise profunda, seguida de monitoramento contínuo ou automatizado do acesso do usuário, avaliações periódicas ou certificação, pode ter um impacto significativo na capacidade da organização para se manter segura. Configuração e monitoramento de transações A solução de IRM visa aumentar a conscientização sobre os riscos dentro de uma organização. Assim, é importante esperar mais do que apenas o gerenciamento de controles de acesso. Em vez disso, vamos falar sobre a análise da atividade do usuário. Oferecer aos proprietários de processos empresariais a capacidade de identificar, deter ou responder rapidamente a violações ou atividades fraudulentas quando elas ocorrem e onde são originadas ajuda a aumentar a vigilância em todos os níveis. Uma solução de IRM com configuração e monitoramento de transações contínuos pode reduzir significativamente o esforço e o tempo necessários para identificar esses riscos. Muitas soluções fornecem apenas parte da funcionalidade necessária para uma solução de IRM consistente, oferecendo uma visão limitada dos dados sobre os riscos da empresa necessários para decisões baseadas em risco. Soluções como o Gerenciamento de riscos do Oracle Cloud para clientes de aplicativos da Oracle fornecem colaboração, acesso aos dados em tempo real e monitoramento contínuo como suporte ao IRM. Capacidade técnica Uma solução nativa e integrada, por definição, tem uma única fonte de dados, compartilha a mesma aparência e tem os mesmos controles de segurança. Os aplicativos nativos da Oracle foram criados com os padrões do Oracle Cloud e codificados na mesma linguagem de programação da solução de do Oracle Fusion Cloud ERP. Vejamos agora as capacidades técnicas importantes para avaliar se as vantagens de uma solução nativa ou incorporada são significativas. Dados em tempo real Os aplicativos nativos funcionam em tempo real, permitindo que a solução use dados em tempo real e opere com 100% de precisão. Isso significa que o acesso do usuário ou as atualizações para segurança de acesso em aplicativos de ERP aparecem imediatamente na solução de gerenciamento de riscos da Oracle. Graças à arquitetura consistente e à integração nativa, os usuários encontram poucos ou nenhum problema de integração ou sincronização de dados. Isso garante a comunicação adequada e sem conflito de registros. Segurança Vejamos um exemplo contextual. Como a solução de gerenciamento de riscos da Oracle está no Oracle Cloud ERP, os dados empresariais mais importantes permanecem dentro da solução e não são armazenados em servidores externos ou data centers potencialmente vulneráveis. Quanto menos locais hospedarem os dados, menor o risco e a vulnerabilidade relacionados a ameaças à segurança. Além disso, o Oracle Risk Management usa os mesmos padrões de segurança que o Oracle Cloud ERP. Assim como o ERP em nuvem da Oracle, o Oracle Risk Management possui controles granulares para cada privilégio funcional, por meio de uma arquitetura sofisticada baseada em funções. Simplicidade: Experiência e interface comuns do usuário Os aplicativos devem ser fáceis de usar, intuitivos e fornecer uma interface de usuário consistente. Um aplicativo nativo, como o Oracle Risk Management, oferece a mesma experiência de IU/UX que o Oracle Cloud ERP, essencial para os negócios. Como é um aplicativo nativo que usa um login de usuário semelhante, a adoção e o treinamento para usuários empresariais serão mais fáceis e rápidos. Custo reduzido: Fácil implantação e facilidade de gerenciamento A solução Oracle Fusion Cloud Risk Management é uma oferta de Software como um Serviço (SaaS), como a solução de ERP em nuvem da Oracle. Como é SaaS, não há necessidade de implementação, instalação de software ou configuração de integração. Como o Oracle Risk Management oferece controles pré-criados para acesso e gestão de transações, o tempo de implantação é consideravelmente menor do que o de outras soluções. Como o Oracle Risk Management não precisa de programação, tem integração flexível com o Oracle Analytics e inteligência de transação empresarial para gerar excelentes painéis e relatórios. Experiência e confiança Como este aplicativo nativo é projetado e criado pela Oracle, ele adere às práticas recomendadas e às políticas de segurança da Oracle. Portanto, a confiança depositada em um aplicativo essencial para os negócios, como o Oracle Cloud ERP, também pode ser encontrada no aplicativo de gerenciamento de riscos. Para concluir, se uma empresa usa os principais aplicativos da Oracle Cloud (como Oracle Fusion Cloud ERP, SCM e HCM), a boa notícia é que temos uma solução integrada e nativa de IRM. O Oracle Risk Management está integrado ao aplicativo de ERP, do pilar Oracle Cloud ERP, e é o aplicativo nativo de escolha da Oracle Cloud. Saiba mais sobre o Oracle Fusion Cloud Risk Management. * Sriram Chandran é gerente sênior de soluções de aplicativos empresariais na Protiviti.

Conheça as capacidades funcionais e técnicas que devem ser levadas em conta no momento da escolha da solução e saiba porque o Oracle Fusion Cloud Risk Management é a melhor opção. Por Sriram Chandran * A...

Transformação na TI

Podcast: Alta disponibilidade ou redução de custo? Leve os dois para sua empresa

Segundo episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Leandro Vieira, Líder de Novos Negócios para PMEs na Oracle. Como ter custos menores e contar com um ambiente de alta disponibilidade em nuvem ao mesmo tempo? Esses foram alguns dos principais assuntos abordados no segundo episódio da minissérie de podcasts “Papo Oracle Cloud”, produzida em parceria pela Oracle com a plataforma de conteúdo Papo Cloud e composta por um total de quatro programas. -Saiba mais: Podcast: o que é open cloud e como ela habilita a inovação? Intitulado “Alta disponibilidade ou redução de custos? Leve os dois para o seu negócio”, o programa de número 2 da série “Papo Oracle Cloud” traz uma entrevista especial com Leandro Vieira, Líder de Novos Negócios para Pequenas e Médias Empresas na Oracle. “A computação em nuvem, para mim, traz muito essa visão de diminuir a barreira de entrada para pessoas e empresas de fato inovarem e tirarem aquelas ideias do papel que, de fato, podem ser as próximas ideias que, de fato, vão transformar o mundo”, afirma o executivo da Oracle na entrevista. Quer ouvir mais? Então clique no player abaixo para escutar a entrevista completa!

Segundo episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Leandro Vieira, Líder de Novos Negócios para PMEs na Oracle. Como ter custos menores e contar com um ambiente de...

Transformação na TI

Anúncio do Oracle Database 21c e do APEX Application Development Service (IDC)

Comentário sobre os recentes lançamentos do Oracle Database 21c e APEX Service de Carl Olofson, Vice-presidente de Pesquisa, software de gestão de dados, IDC. Postagem do autor convidado Carl Olofson, Vice-presidente de Pesquisa, Software de Gestão de Dados, IDC* Em 13 de janeiro de 2021, a Oracle fez dois anúncios que servem para solidificar a posição da empresa como líder na área de gerenciamento de banco de dados em nuvem. Os anúncios, feitos pelo vice-presidente executivo Andy Mendelsohn, incluem o lançamento do Oracle Database 21c e do novo APEX Application Development Service baseado em nuvem. Oracle Database 21c O Oracle Database 21c apresenta vários aprimoramentos essenciais, incluindo tabelas de blockchain imutáveis (a imutabilidade é fundamental para garantir a validade dos dados contábeis para fins de segurança e conformidade regulatória), suporte nativo JSON, AutoML, JavaScript no banco de dados (JavaScript otimizado em tempo de execução sendo executado dentro do servidor do banco de dados para eliminar viagens de ida e volta da rede), suporte de memória persistente, suporte aprimorado ao modelo gráfico, automação da determinação do armazenamento de colunas in-memory e automação de fragmentação. Vejamos somente algumas dessas melhorias. Suporte nativo JSON. O Oracle Database agora conta com otimizações internas, incluindo otimizações de armazenamento, que permitem que o produto gerencie documentos JSON nativamente, assim como os DBMSs exclusivos de documentos, mas explorando todo o poder de aprimoramento de desempenho do Oracle Database. Isso é significativo porque antes era necessário escolher entre um gerenciamento JSON mais eficiente em um DBMS exclusivo ou a capacidade de integrar dados JSON com outros dados, como dados relacionais, na Oracle. Agora não é mais necessário que essa escolha seja feita, pois o Oracle Database apresenta tanto a eficiência JSON quanto o gerenciamento integrado de dados. AutoML. Configurar modelos de machine learning, executá-los, aprimorá-los e executar novamente as operações de ML costuma ser uma tarefa que requer conhecimentos específicos. O AutoML automatiza a maior parte desse esforço, permitindo que pessoas não especializadas configurem e executem machine learning no banco de dados. Nele, também estão incluídos algoritmos para detecção de anomalias, regressão e análise de aprendizado profundo, entre outros recursos. Suporte de Memória Persistente. O Oracle Exadata oferece otimização operacional de banco de dados usando a tecnologia Intel Optane Persistent Memory (PMEM) há mais de um ano no local e, mais recentemente, como parte da oferta do Exadata Cloud Service X8M. Hoje, o suporte de memória persistente está disponível para outras plataformas de computação com a tecnologia Intel PMEM, tanto na nuvem quanto no local.  Isso significa redução de latência de E/S, o que leva a um processamento de transações mais rápido (usando PMEM em vez de armazenamento flash para dados e refazer registros), acesso mais rápido aos dados usados com frequência, bem como tempos de reinicialização mais rápidos. Um benefício extra é a redução de custos decorrente da redução da dependência de DRAM. Automação de Fragmentação. Os bancos de dados Fragmentação tornaram-se um método comum de gerenciamento de dados distribuídos geograficamente de forma a permitir que os fragmentos (ou fragmentos de banco de dados) funcionem de forma independente, apresentando um melhor desempenho e mais robustez do que os servidores de banco de dados interdependentes operacionalmente. No entanto, configurar fragmentos de base de dados pode ser arriscado; se eles forem projetados de forma errada, você corre o risco de expor os usuários a inconsistências de dados ou problemas de desempenho. O Native Database Sharding otimiza as operações de fragmentos e inclui uma ferramenta Sharding Advisor que acaba com as suposições do design de banco de dados fragmentados. Para sua Plataforma de Gerenciamento de Dados BlueKai, por exemplo, os fragmentos do Oracle Database são implantados em vários domínios de disponibilidade na Oracle Cloud Infrastructure (OCI), suportam 1 milhão de transações por segundo, 30 bilhões de chamadas de API por dia e uma taxa de geração de “Refazer” de 180 terabytes por hora. Oracle APEX Application Development Service Há muito tempo a Oracle oferece aos usuários a capacidade de criar aplicativos para o Oracle Database sem grandes dificuldades através de uma ferramenta conhecida como APEX (originalmente, Application Express). O APEX incluiu um mecanismo para armazenamento de estruturas de metadados no banco de dados que pode ser utilizado como um aplicativo seguindo a forma e a função definidas pelo usuário. Como o aplicativo é executado pelo servidor de banco de dados, ele desfruta de um excelente desempenho de banco de dados. Agora, a Oracle oferece o APEX como um serviço de desenvolvimento de aplicativos nativo da nuvem executado no Oracle Database em OCI. O ambiente de desenvolvimento integrado inclui um banco de dados de 1 terabyte em execução em um único OCPU por 360 dólares por mês, e escalonável para até 128 OCPUs e 500 terabytes. Como ele é executado como um recurso padrão do Oracle Autonomous Database, não há cobrança por tempo de execução ao executar o aplicativo. A maior parte dos aplicativos pode ser desenvolvida usando o ambiente de desenvolvimento gráfico sem nenhum código, embora aplicativos mais exigentes possam demandar o uso de código aqui e ali. Essa oferta faz parte de um movimento no mundo do banco de dados conhecido como desenvolvimento low-code. Notavelmente, a maioria dos bancos de dados low-code é bastante simples e geralmente utilizada para tarefas operacionais simples ou para gerar relatórios. Por outro lado, o APEX é integrado a um poderoso DBMS de funções completas e usado hoje por dezenas de milhares de usuários em todo o mundo, incluindo os Aplicativos de Gestão de Saúde Pública da Oracle recentemente divulgados, projetados para ajudar as agências de saúde pública dos EUA e os provedores de serviços de saúde a coletar e analisar dados relacionados à COVID-19. O intuito do low-code é tirar das costas dos desenvolvedores profissionais e DBAs o fardo de ter que projetar e construir um banco de dados e codificar um aplicativo para cada exigência dos usuários que está fora do domínio dos aplicativos e bancos de dados de missão crítica. Usuários relativamente não técnicos podem fazer as duas coisas com o APEX, geralmente sem precisar do auxílio de qualquer pessoa especializada. Isso não só liberará os profissionais de TI desse tipo trabalho, mas também capacitará os usuários, permitindo-lhes fazer o trabalho por conta própria. Isso deverá atrair aqueles que buscam uma extensão de aplicativo personalizada, LoBs em busca de aplicativos locais para necessidades específicas e profissionais de dados que sabem como destrinchar dados, mas não necessariamente como desenvolver bancos de dados e aplicativos de código. Resumo A Oracle chegou a um nível em que a excelência técnica precisa caminhar com a abrangência de visão. Isso inclui melhor servir a empresa em geral e os usuários individualmente. Esses anúncios dão continuidade à expansão do banco de dados convergente da Oracle para estabelecer uma clara distinção das várias bases de dados especializadas oferecidas hoje no mercado, e representam toda uma realização de uma meta da Oracle: entregar o recurso de gerenciamento de dados mais abrangente disponível na nuvem. *Carl Olofson é responsável pelas pesquisas e análises da IDC desde 1997, gerencia o serviço de Software de Gerenciamento de Banco de Dados da empresa e oferece suporte ao serviço de Software de Integração de Dados. A pesquisa de Olofson envolve acompanhar as vendas e os desenvolvimentos técnicos nos mercados de gerenciamento de dados estruturados (SDM), incluindo sistemas de gerenciamento de banco de dados (DBMS), sistemas de gerenciamento de dados dinâmicos, software de desenvolvimento e gerenciamento de banco de dados e gerentes de grade de dados dinâmicos, incluindo os fornecedores de ferramentas e sistemas de software relacionados. Olofson também contribui para pesquisas de Big Data e fornece cobertura especializada do Hadoop e de outras tecnologias de Big Data. Ele aconselha clientes nas direções de mercado e tecnologia, além de fazer pesquisas primárias de oferta e procura para dimensionar, prever e segmentar o banco de dados e os mercados de software relacionados.

Comentário sobre os recentes lançamentos do Oracle Database 21c e APEX Service de Carl Olofson, Vice-presidente de Pesquisa, software de gestão de dados, IDC. Postagem do autor convidado Carl...

Transformação na TI

Previsões de cibersegurança para 2021

Em muitos aspectos, existem paralelos interessantes que podem ser traçados entre as defesas da segurança cibernética e o que aprendemos com a pandemia. É preciso tomar as medidas adequadas de avaliação, detecção e prevenção. Por Vipin Samar* Vivemos agora em um novo mundo com muitos requisitos novos, incluindo máscaras com várias camadas, distanciamento social, filtragem de ar, teste de vírus e rastreamento de contatos. Essas táticas empregadas para combater um vírus invisível me lembram o mundo da segurança cibernética, em que os ataques cibernéticos também não podem ser vistos.  Podemos não saber quem nos atacou ou como fomos atacados. Podemos não saber qual conexão específica da rede foi violada ou qual servidor foi comprometido, talvez sem apresentar nenhum sintoma. Da mesma forma que a COVID-19, há muitas incógnitas quando se trata de segurança cibernética. Tanto o vírus quanto o hacker precisam encontrar apenas um ponto fraco, enquanto nós precisamos nos proteger contra todos os possíveis fatores de risco adversos e vetores de ameaça.  Sim, essa assimetria pode parecer injusta, mas esse é o mundo em que vivemos, e precisamos tomar as medidas adequadas para nos proteger e proteger nossos dados. -Leia também: 4 usos para aproveitar o Modo Gratuito da Oracle Cloud Vimos a pandemia desacelerar o mundo em 2020, mas não houve uma desaceleração correspondente nas violações. Na verdade, vimos os ataques continuarem implacáveis contra corporações e governos, enquanto os adversários se aproveitavam de funcionários e prestadores de serviços cada vez mais distraídos. Neste ambiente em constante mudança, aqui estão minhas duas principais previsões de segurança cibernética para 2021, emprestadas da minha palestra no mês passado no evento anual All India Oracle Users Group (AIOUG), intitulada "Polindo a bola de cristal – segurança de banco de dados para a próxima década." Ataques à cadeia de suprimentos de software No mês passado, tomamos conhecimento da violação sustentada supostamente perpetrada por um estado-nação à SolarWinds, empresa fornecedora de software de gerenciamento de infraestrutura de TI. O patch assinado digitalmente infectou aproximadamente 18.000 clientes da SolarWinds, incluindo várias agências federais dos Estados Unidos, empresas de segurança e fornecedores de software. O malware então aproveitou um convite aberto para pesquisar, alterar e extrair dados das redes. É interessante observar que a violação de 2017 na Equifax, uma importante agência norte-americana de relatórios de crédito, explorou o Apache STRUTS sem patch, enquanto o ataque à SolarWinds explorou o próprio processo de aplicação de patches. A cadeia de suprimentos de software de hoje é complexa e geograficamente distribuída. O comprometimento de qualquer uma dessas conexões pode levar a uma violação de dados, e, de certa forma, esse tipo de ataque não deveria ter sido uma surpresa. Com base no sucesso de uma violação no estilo da SolarWinds, prevejo que veremos pequenos grupos de hackers e até mesmo pequenas nações entrando no jogo. Sem uma Convenção de Genebra para a guerra cibernética, os atores patrocinados pelo Estado terão como alvo setores de infraestrutura crítica, como serviços públicos, telecomunicações e até mesmo sistemas de saúde. Quaisquer empresas que operam com software herdado e sem suporte podem ser consideradas alvos fáceis. Um impulso global por exigências de segurança Prevejo também que veremos governos de todo o mundo darem maior ênfase à proteção dos setores de infraestrutura crítica mencionados acima por meio de exigências de conformidade e diretrizes de segurança explícitas. Cada regulamento pode ser um pouco diferente na parte administrativa e de aplicação, mas essencialmente semelhante nas medidas de segurança de gerenciamento de configuração, aplicação de patches, criptografia, auditoria, anonimização e separação adequada de funções. A maioria das organizações tem algumas soluções de segurança implementadas, mas é um desafio preencher todas as lacunas sem ferramentas e pessoal adequados. Acredito que uma única solução de segurança em nuvem, robusta e abrangente, seja a maneira mais fácil para todas as organizações, pequenas e grandes, alcançarem a segurança adequada. Por exemplo, os bancos de dados Oracle, on-premises ou na nuvem, agora podem ser protegidos de forma rápida e fácil com o Oracle Data Safe. Os clientes podem ajudar imediatamente a reduzir os riscos associados a dados confidenciais, configurações e usuários privilegiados e aproveitar o mascaramento de dados e a auditoria de atividades, tudo isso sem a necessidade de implementações complexas, POCs ou recursos adicionais de sistema on-premises para gerenciar. Então, o que podemos fazer a curto prazo? Consulte nosso novo e-book Colocando a segurança e a proteção de dados em primeiro lugar (em inglês) para ter uma visão geral de alto nível sobre a estratégia de segurança cibernética da Oracle e saber como executamos essa estratégia em nossas ofertas de nuvem, banco de dados e SaaS. Seus bancos de dados contêm  seus itens mais valiosos, e é crucial protegê-los. Os clientes devem criptografar os dados para ajudar a impedir o acesso não autorizado a dados, auditar e monitorar todas as atividades críticas do banco de dados e aplicar privilégios mínimos e separação de funções com rigor. Avalie a possibilidade de acelerar seus projetos de migração para a nuvem em 2021 para aproveitar a segurança aprimorada da nuvem, seja com o Oracle Autonomous Database ou o Oracle Data Safe.   Em muitos aspectos, existem paralelos interessantes que podem ser traçados entre as defesas da segurança cibernética e o que aprendemos com a pandemia. É preciso tomar as medidas adequadas de avaliação, detecção e prevenção. Não existe uma solução mágica, mas cada passo na direção certa aumenta sua chance de se manter protegido, e também seus dados. Um brinde a um ótimo 2021, seguro e protegido. *Vipin Samar é Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento para Segurança de Bancos de Dados na Oracle

Em muitos aspectos, existem paralelos interessantes que podem ser traçados entre as defesas da segurança cibernética e o que aprendemos com a pandemia. É preciso tomar as medidas adequadas de...

Transformação na TI

Podcast: o que é open cloud e como ela habilita a inovação?

Primeiro episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Tennessee Howard, Diretor de Vendas para Mercado Enterprise da Oracle. O que significa open cloud e como ela pode habilitar a inovação nas empresas, e qual o papel dos ambientes on-premises no processo de modernização com a nuvem. Esses foram alguns dos assuntos abordados no primeiro episódio da minissérie de podcasts “Papo Oracle Cloud”, produzida em parceria pela Oracle com a plataforma de conteúdo Papo Cloud e composta por um total de quatro programas. Intitulado “Open Cloud: Assim Fala o Idioma da Inovação”, o episódio de estreia traz uma entrevista especial com Tennessee Howard, Diretor de Vendas para Mercado Enterprise da Oracle. Segundo o executivo da Oracle do Brasil, open cloud significa garantir que existam padrões abertos que suportem quaisquer decisões que o cliente venha a tomar, de forma que não existam travas. “Então open cloud nada mais é do que facilitar inovação, mas facilitar de forma aberta, sem deixar nenhum cliente refém de nenhuma tecnologia”, destaca. -Leia mais: 4 usos para aproveitar o Modo Gratuito da Oracle Cloud Na entrevista, Howard também aponta que o ambiente on-premises nunca vai deixar de existir, “exceção de empresas 100% digitais, startups que surgiram já na era da cloud total”. De acordo com o diretor da Oracle, “a modernização que precisa acontecer na nuvem tem que acontecer de madeira híbrida que não deixe de haver comunicação com o ambiente on-premises”. Quer ouvir mais? Então clique no player abaixo para escutar a entrevista completa!

Primeiro episódio da série Papo Oracle Cloud traz entrevista especial com Tennessee Howard, Diretor de Vendas para Mercado Enterprise da Oracle. O que significa open cloud e como ela pode habilitar a...