Quinta-feira Jul 18, 2013

Clouds Privadas com Oracle Enterprise Manager

Clouds Públicas : Uma experiência de Usuário

Os provedores de nuvem pública trouxeram grandes lições para o mercado consumidor de tecnologia:

  • Criação de Máquinas Virtuais sob demanda
  • Aumento de Memória, Storage e Processamento automático
  • Templates de VMs
  • Cobrança por Tempo, tipo de recurso etc

Essas experiências nos fizeram aprender e identificar como transferi-las para nossos datacenters, ou seja, trazer as boas práticas da nuvem pública como pontos de partida para nossa núvem privada : Private Cloud

Como funcionam as Private Clouds hoje em dia?

Em visitas a vários clientes, ainda em 2013 observo o fenômeno da "personificação das máquinas vs produtos": Isto acontece quando dentro do Datacenter e alguém lhe mostra: "Essa é a máquina onde roda o BANCO! Nessa roda o ERP, E aqui está o MIDDLEWARE...". Num ambiente de nuvem, devemos ter a idéia de "Serviço", como se fosse um Utility (Energia por exemplo), para combater essa idéia de atrelar um Software ao Hardware especifico, pois o que vale pro usuário é ter a confiança no serviço, e essa é uma combinação que pode variar de acordo com as necessidades da TI. Então a primeira idéia é pensar em "Serviço".

Quando pensamos em serviço, é claro que nos vem a cabeça o Auto-Serviço ou portais Self-Service onde o próprio usuário solicita a criação de seus serviços de acordo com suas necessidades. Entretanto, a maioria das empresas, ainda tem em seus datacenters a experiência de solicitação dos serviços (VMs, Apps, Middleware, Banco) por e-mail! O tracking e qualidade da gestão de uma dita nuvem privada neste molde é no mínimo complexo.

Para solicitar serviço é preciso ter um Catálogo de Serviços, ou seja, um Menu e suas Ofertas! Quando esta necessidade é real, observamos que a camada de virtualização se torna um comodity, porque o real valor não está mais somente na máquina virtual, mas na riqueza de recursos que essa máquina pode oferecer, uma vez que a performance dos virtualizadores (hypervisors) é muito parelha, o que vai diferenciar a experiência será ter um catálogo repleto de infraestruturas completas e não somente Máquinas Virtuais.

Desenhando sua Cloud Privada : Primeiros Passos

O Oracle Enterprise Manager Cloud Control 12c - OEM , além de ferramenta universal de gerenciamento e monitoração do portfólio de produtos de hardware e software da Oracle, é também uma poderosa ferramenta para desenho de uma Private Cloud, que permite com que você leve a experiência de Clouds Publicas para o seu datacenter, revitalizando assim seu investimento em hardware (servidores, storages) e melhor consumo do seu software (Licenças e Subscrições).

Criando um Catálogo de Serviço

Dispomos de uma ferramenta chamada de Oracle Virtual Assembly Builder - OVAB, que permite que criemos num único recurso não somente um template de máquina virtual, e sim uma composição de templates de várias VMs. Veja Figura 1:

OVAB

Figura 1 - OVAB - Oracle Virtual Assembly Builder

Imagine então que você tem uma aplicação de Recursos Humanos que deve ser executada uma instância isolada por filial no seu datacenter compartilhado, vamos analisar o que você precisaria:

  • 1 Servidor Web (Balanceador de Carga)
  • 2 Servidores WebLogics para camada de Middleware de alta disponibilidade
  • 1 Servidor de Banco 

Você poderia agrupar todas estas necessidades em um único Assembly, que é o arquivo que pode ser instalado no ambiente de Cloud do OEM, e com o uso do Oracle Virtual Machine - OVM, criar uma instância deste assembly único que geraria 5 instâncias de servidores em seu ambiente de nuvem privada. 

Com base nisto, você poderia então criar um catálogo para aplicações e serviços completos, isto poderia lhe ajudar a criar não só sua IaaS Privada (Infraestrutura como Serviço) mas também sua PaaS privada (Plataforma como Serviço).

Utilizando um Portal de Auto-Serviço - Self-Service

 Uma vez que temos o catálogo, podemos oferecer um menu de escolha das ofertas de templates que melhor atende as demandas de clientes. Para esta função o EM oferece um portal de usuário pronto, para que os consumidores possam criar suas máquinas virtuais no modelo IaaS, ou plataformas completas : Requisitando a criação de uma instância de serviço que é baseada num assembly, o que vai originar uma possível série de instâncias de VMs no ambiente (zona) escolhido. 

EM Cloud 1

Figura 2 - Visão Geral do Dashboard de Portal de Usuário (Clique para ampliar)

Veja na Figura 3, a interface de criação da VM:

VM Creation

Figura 3 - Criação da VM e suas configurações 

E se fosse um Assembly (mais que uma VM única, e sim um conjunto de 1 ou mais VMs) :

Assembly

Figura 4 -  Criação de uma Instância baseada em Assembly (veja o item: Assembly Content)

 Além de uma Interface de Portal de Serviço, é possível customizarmos a interface, bem como usar a API do EM, para criarmos nosso próprio portal de Auto-Serviço.

Billing, Chargeback : EM Cloud Control  

Uma das atividades básicas na experiência de nuvem é a cobrança dos recursos! Mesmo num datacenter próprio é possível criarmos uma cultura de cobrança, isso pode proporcionar uma visão realistica de quanto TI gasta para executar e manter as aplicações da empresa, bem como, para observar para onde vão e são gastos os recursos do Datacenter, dentre seus inúmeros benefícios para TI .

Organizações diversas, e outros departamentos, fazem uso da Infraestrutura que reúne hardware e software, e se não medirmos de alguma maneira, como poderemos controlar o crescimento? Os investimentos ? etc! Com o Enterprise Manager Cloud Control é possível estimar e criar todo um plano de bilhetagem e cobrança, que pode ser interno ou externo, para movimentação financeira entre departamentos. 

É possível entrar criar Planos, como os dos provedores de hospedagem ou de cloud pública, mas com os recursos internos e privados, cobrar por exemplo:

  • Por tipo de servidor (X86, Sparc, AMD64 etc)  

Veja figura 5 abaixo:

http://docs.oracle.com/cd/E24628_01/doc.121/e28814/img/extended_plan_charges.png

Figura 5 - Criação dos Planos e Cobrança

  • Por Uptime (Tempo de Execução - Granularidade de Hora, dia etc) 
  • Storage
  • CPU
  • Exemplos:
    • Memória * valor * número de dias  (4 GB* $2 * 5)
    • 100$ por 1 dia de Storage (100 GB * $1)
    • 24h de uma VM (24 hours * $1)

Com estes princípios, trazemos realmente a experiência de núvem pública, para os datacenters privados!

Tendências de Uso: A riqueza desta funcionalidade, não está apenas na cobrança em si, mas também na visualização proveniente da coleta de vários dados do nosso ambiente de Datacenter, com nossa solução é possível observar exatamente o comportamento vivo do Datacenter,  veja por exemplo o gráfico na figura 6:

http://docs.oracle.com/cd/E24628_01/doc.121/e28814/img/cba_usage_trend.png

Figura 6 - Tendências de Utilização 

Visão de Consumo nas suas distribuições: Podemos observar como está distribuído o consumo em toda a empresa de nosso ambiente. (Figura 7)

http://docs.oracle.com/cd/E24628_01/doc.121/e28814/img/cba_summary_report.png

Figura 7 - Distribuição da Utilização do ambiente de Cloud Privada

Vamos pensar agora nos planos que você pode criar para sua empresa:

  • DBaaS - Banco de Dados como Serviço (Temos Cases em produção com esse recurso)
  • MWaaS - Middleware como Serviço (Oracle Cloud Público é um exemplo)
  • *aaS - Qualquer coisa como serviço : Crie, desenhe, disponibilize o que você quiser como serviço: BI, Reports, ERPs, Software etc.

Demos / Screencasts

Assista os vídeos abaixo que demonstram grande parte dos recursos mencionados neste post: 

Do zero ao Private Cloud com Enterprise Manager em 5 Minutos:

No vídeo acima, em 5 Minutos você verá na prática, muito do que foi falado neste post.

No vídeo abaixo, de cerca de 12 minutos, você verá em mais detalhes, um processo de gestão de criação de sua Private Cloud:

Veja no vídeo abaixo, um modelo de "Oracle Cloud Blueprint" para você organizar melhor seu datacenter, e obter os benefícios de uma Private Cloud:


Conclusão

Vimos neste post, uma breve visão que com o Enterprise Manager é possível construir sua Cloud Privada! Tivemos um "Getting Started", porém os recursos do Oracle Enteprise Manager, vão muito além dos mostrados aqui.

Revisado nossos passos, o que você aprendeu/viu neste post:

  • Criando os Catálogos de Serviços (Templates) com o OVAB - Oracle Virtual Assembly Builder
  • Utilizando o Portal de Usuário (Self-Service)
  • Billing e Chargeback

Com estes recursos, podemos dar início a sua Nuvem Privada (Private Cloud) ,  para maiores informações, contacte o nosso parceiro Oracle mais próximo, ou mesmo um de nossos Gerentes de contas, ou claro, no meu email: edgar.silva (+) oracle.com , até a próxima!


Sexta-feira Abr 26, 2013

A diferença está em como Gerenciamos nossas Plataformas : Oracle Enteprise Manager

Desde os primórdios os seres-humanos procuram mecanismos de orientação, seja a posição do sol para definir o horário, a lua guiando as marés, a reação da caça que define o ataque. Observe então que com base em informações reais, uma ação é tomada, vemos o princípio de ação e reação presente em áreas primitivas de nossa convivência cotidiana. Mas quando o assunto é tecnologia, muitos de nós preferem andar no escuro, tatear, realizar “tentativa-e-erro”, ao ter que possuir uma ferramenta que lhe permita mostrar quais são os caminhos mais assertivos a seguir. Neste post, falaremos um pouco do Oracle Enterprise Manager , a ferramenta global de gerenciamento de todos os produtos da Oracle.

Visão Geral do Oracle Enterprise Manager

Nos dias de hoje é muito comum a prática da corrida, é saudável, é prazeroso, e não precisa você ser um semiprofissional para começar a investir num bom tênis e claro: Um medidor de frequência cardíaca, ou no jargão popular: Um polar. Através deste instrumento, praticantes do esporte podem acompanhar sua evolução, planejar seus treinos, verificar seu desgaste etc. Enquanto muitos fazem isso para uma corrida, vários correm totalmente no escuro quando o assunto é Gerenciamento de Ambientes e Aplicações em TI. O impacto desta negligência pode ser medido a todas as vezes que o sistema apresenta lentidão, ou simplesmente cai, ou resulta em prejuízos de ordem financeira e social (prestígio+credibilidade) para as empresas.

E como a TI adquire seus polares? Muitas das equipes criam seus próprios, criando um imenso número de Shell Scripts, de Cron Scripts, SED Scripts,System.out.Scripts etc, que nunca são consolidados, e geralmente só quem sabem utilizá-los é quem os fez.

Desde a camada de S.O, passando pelo Storage, Banco de Dados e Aplicações, cada uma das equipes responsáveis por esses assuntos muitas vezes tem seus scripts, ou mesmo ferramentas que auxiliam no trabalho da polar, mas ainda muito longe de serem integradas, colaborativas, assertivas e fáceis de serem utilizadas.

É exatamente para solucionar este GAP entre as diversas camadas de ambientes de aplicações que o Oracle Enteprise Manager se apresenta como uma solução universal para todos os produtos e suítes da Oracle.

Seja o Banco de Dados, o WebLogic, SOA Suite etc, Oracle Enterprise Linux, Exadata, Exalogic e todos os produtos da corporação possuem a mesma ferramenta: OEM – Oracle Enterprise Manager. O OEM também tem a capacidade de gerenciar outros produtos, sejam em nível de Banco de Dados, Servidores de Aplicações etc.

Em detalhes, veja onde o Enterprise Manager pode lhe ajudar com seus respectivos Packs:

Ops Center 

Gerencimaneto de DataCenters

Diagnostics and Tuning  & Database Lifecycle Management

Capturar problemas e apoiar no Tuning de Banco de Dados , Gerenciamento total da plataforma de Banco de Dados

Cloud Management Pack

Provisione seus Bancos de Dados numa nuvem privada, escale automáticamente com a ajuda do Oracle Enteprise Manager Cloud Control.  O OEM pode oferecer um ambiente de nuvem privada para seus clientes.

Real Application Testing, RUEI, Application Replay , Application Testing Suite

Completo conjunto de testes para suas aplicações, ambientes, plataformas e experiência do usuário totalmente centralizadas no OEM.

Weblogic Server Management Pack , SOA Management ,Management Pack for Identity Management

Gerência total dos ambientes WebLogic, Exalogic, Exadata, SOA, e Oracle IdM para sua empresa.

Suporte Móvel (IPhone)

Se você precisa de uma companhia nas suas corridas, além de ser polar, também pode levar uma versão do Oracle Enterprise Manager no seu bolso, assim, caso algum problema de gerenciamento, você terá a informação, alerta e até uma ação remediativa ao alcance das suas mãos.

Conclusão

Neste post, vimos uma rápida ideia de como o Oracle Enterprise Manager pode ajudar a sua empresa, e ir muito além de um polar das suas corridas, e sim, ser a plataforma completa para gerenciamanto total, nuvem privada, provisionamento, monitoração e testes para toda sua TI.

About

Edgar

Edgar Silva é Diretor de Negócios para Oracle Fusion Middleware na Oracle do Brasil. Este é um Blog que mistura negócios, tecnologias e idéias interessantes sobre o mercado de Middleware em geral.

Search

Categories
Archives
« Abril 2014
SegTerQuaQuiSexSábDom
 
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
    
       
Today