X

Tecnologias emergentes e seu impacto em indústrias, mercados e na sociedade como um todo.

  • March 26, 2019

Por que seu próximo gerente de projetos pode ser um bot

Guest Author

A automação do gerenciamento de projetos permite que os gerentes de equipe sejam mais estratégicos. E a integração aos sistemas de gestão empresarial, como o ERP Cloud, ajuda a potencializar a eficiência dos bots.

Por David Werner *

Nos últimos anos, o gerenciamento de projetos tem estado em meio a uma revolução. Os ciclos de iteração são mais curtos, as equipes de projeto mais dispersas e a pressão para apresentar resultados é cada vez maior. Ao mesmo tempo, tecnologias emergentes estão criando novas oportunidades para organizações de gerenciamento de projetos (PMOs) para gerenciar esse trabalho que está mudando, de acordo com um estudo recente da ProjectManagement.com.

A automação e a visualização de dados proporcionadas por sistemas de gerenciamento de projetos de vanguarda dão aos gerentes as ferramentas de que eles precisam para tomar decisões informadas. Mas e se muitas dessas decisões pudessem ser tomadas pelo próprio software?

Leia mais: O toque humano da tecnologia

Essa é a promessa do aprendizado de máquina — uma promessa que mudará as equipes, o gerenciamento de projeto e os próprios projetos mais cedo do que você imagina.

Aí vêm os Bots

Os sistemas de gerenciamento de projetos de hoje normalmente dependem de entrada manual, como quadros de horários e atualizações de status, para informar as decisões de um gerente a respeito da atribuição de tarefas e da alocação de recursos. Sistemas mais sofisticados, como o Oracle Project Portfolio Management Cloud, podem extrair dados adicionais de outras partes da empresa, como o Departamento Financeiro, e apresentá-los com visualizações avançadas.

Daqui a alguns anos, entretanto, a IA e o aprendizado de máquina poderão estar tomando essas decisões de maneira independente e objetiva, sem intervenção humana. Robôs de software (comumente chamados de “bots”) poderiam criar planos de projeto, atribuir tarefas e alocar recursos. Esses bots seriam capazes de aprender com qualquer número de entradas de dentro e de fora da organização para refinar aquelas decisões, resultando em eficiência e velocidade ainda maiores.

Isso não significa que poderemos passar totalmente sem gerentes de projetos. Em vez disso, com os bots tomando essas decisões táticas, gerentes humanos de projetos podem assumir um foco mais estratégico, mantendo o portfólio de projetos da organização alinhado com suas prioridades estratégicas. O gerente de projetos também atuaria como um orientador da equipe, monitorando tendências amplas, identificando oportunidades imprevistas e levando pensamento inovador para lidar com os problemas iminentes.

A equipe de projeto evolui…

Equipes de projeto certamente não são mais o que costumavam ser. No lugar de estruturas hierárquicas rígidas, equipes ágeis e auto-organizadas estão criando um ambiente de entrega de projetos dinâmico. Os membros de equipe podem estar espalhados por todo o país ou pelo globo, colaborando via ferramentas sociais e concentrando-se em especialidades técnicas individuais em vez de em experiência mais geral.

Os bots se ajustam naturalmente ao modelo, cada vez mais difundido, de relação de trabalho sem vínculos empregatícios, quer seja um pool de prestadores de serviço externos, quer sejam equipes ad-hoc internas, quer sejam uma combinação dos dois. O sistema seria análogo a um serviço de carona, em que membros de equipe potenciais se disponibilizam quando (e onde) desejarem, e o sistema atribui tarefas com base na disponibilidade, na experiência e em outros critérios. O sistema de IA então garantiria que esses elementos distintos se reunissem como um todo coeso, dentro do prazo e do orçamento. Quando obstáculos surgissem, o bot de gerenciamento, de forma semelhante a um sistema de GPS, poderia encontrar caminhos alternativos ou enviar um operador humano para resolução.

…como os projetos também evoluem

À medida que os bots se tornarem mais sofisticados, a própria natureza dos projetos provavelmente evoluirá junto. De fato, os elementos fundamentais desse modelo de trabalho futuro já estão em ação. A influência do Agile gerou uma abordagem mais iterativa, as organizações estão encurtando as janelas de planejamento e aumentando a cadência de entregas para atender à demanda.

O resultado é um nível de complexidade e de velocidade que poderia ser difícil para um humano acompanhar — mas para o qual um bot é perfeitamente adequado. Automação inteligente poderia reduzir o intervalo entre a identificação de uma necessidade e a implementação da solução. Ao mesmo tempo, maximizaria os benefícios e o valor. Projetos empacotados de grande escala e potencialmente transformadores dariam lugar a entregas menores e incrementais que cumprem a promessa de melhoria contínua.

Procura-se: ERP fim a fim na nuvem

O aprendizado de máquina requer dados de alta qualidade — uma grande quantidade deles. É por isso que bots de gerenciamento de projetos contarão com sistemas de nuvem de ERP conectados para trocar informações com cada área funcional da empresa. O Departamento Financeiro, em particular, poderia se beneficiar imensamente dessa automação de última geração. Os bots manteriam os projetos dentro do orçamento e dos parâmetros de ROI, ao mesmo tempo em que forneceriam informações sobre o impacto no custo e na receita para a função financeira em tempo real.

Além dos dados estruturados fornecidos pelo sistema de ERP, os bots poderiam extrair big data da Internet das Coisas (IoT), Dados como um Serviço e outras fontes não estruturadas para aprender novas maneiras de otimizar o custo do projeto e o ROI projetado. Infraestrutura e softwares no local simplesmente não fornecem dados prontamente disponíveis suficientes para treinar as máquinas. O futuro da IA e do Aprendizado de Máquina está na nuvem.

Aonde tudo isso nos levará ainda é uma pergunta sem resposta. Para garantir que sua organização esteja pronta para o futuro, escolha soluções que já ofereçam análise preditiva e automação inteligente. A Oracle, por exemplo, tem Aprendizado de Máquina integrado em seus aplicativos de nuvem de finanças, recursos humanos, cadeia de fornecedores e experiência do cliente.

* David Werner é Diretor de Marketing de Produto para Oracle ERP Cloud.

Be the first to comment

Comments ( 0 )
Please enter your name.Please provide a valid email address.Please enter a comment.CAPTCHA challenge response provided was incorrect. Please try again.