X

Tecnologias emergentes e seu impacto em indústrias, mercados e na sociedade como um todo.

  • March 22, 2019

O toque humano da tecnologia

Guest Author

Como os avanços em inteligência artificial e machine learning podem humanizar nossas vidas profissionais.

Por Emily He *

A proliferação de tecnologias está remodelando nossas vidas profissionais de diversas maneiras importantes. Ela está aumentando a produtividade, promovendo a colaboração entre colegas e forjando relacionamentos mais próximos com os clientes. Mas há também um aspecto negativo: às vezes nos sentimos subjugados por uma enxurrada de dados e interfaces de usuário (IUs) rígidas que não nos protegem da sobrecarga de informações.

Cada vez mais, os clientes nos dizem que querem maneiras simplificadas de interagir com as tecnologias corporativas. A boa notícia é que a inteligência artificial (IA), o machine learning e as IUs com linguagem natural estão proporcionando essas experiências simplificadas que todos estamos buscando. Em suma, a tecnologia está ajudando a tornar nosso trabalho mais humano.

Leia mais: Sete itens que líderes de RH devem conhecer sobre tecnologias emergentes

Falar em tecnologia como força humanizadora pode soar como um paradoxo, mas temos visto diversas maneiras pelas quais o uso de ferramentas digitais imita as interações humanas. Pense em como nós perguntamos aos nossos smartphones o valor de fechamento do índice Dow hoje e imediatamente ouvimos a notícia, boa ou ruim. Futuramente, é possível que nossos telefones nos informem proativamente que a autoestrada que normalmente pegamos está ficando congestionada e que precisamos de mais tempo para chegar na próxima reunião.

Agora, as empresas estão obtendo benefícios semelhantes. Ferramentas digitais interativas e habilitadas por IA, como as da solução Human Capital Management (HCM) Cloud da Oracle, aumentarão a produtividade e diminuirão os custos de mão de obra, de acordo com um estudo com funcionários e gerentes de RH realizado pela Oracle e pela empresa de pesquisas Future Workplace. Por exemplo, em vez de digitar instruções em formulários na tela para coletar dados sobre quais funcionários foram treinados em uma determinada habilidade, os gerentes e profissionais de RH podem simplesmente conversar com seus computadores para obter uma experiência mais eficiente e humana.

Isso pode liberar tempo para atividades mais estratégicas e mais criativas — o que, para líderes de negócios e equipes de RH, pode significar ajustar planos de carreira para os funcionários. Depois de sintetizar dados sobre as aspirações e as experiências passadas de um funcionário, eles podem usar a IA e machine learning para obter recomendações de cursos de desenvolvimento profissional e outros recursos, a fim de ajudar essa pessoa a conduzir sua carreira na direção certa.

O êxito na adoção de tecnologias humanizadoras tem outras implicações para as empresas. Os millennials preferem trabalhar em empresas conhecidas por adotarem novas tecnologias. As organizações capazes de se promover como locais de trabalho digitalmente inovadores, que agilizam o acesso às informações, têm uma vantagem sobre as retardatárias em tecnologia na hora da contratação.

Tendo em mente essas oportunidades, qual a melhor maneira de as organizações usarem a IA, machine learning e novos projetos de IU como força humanizadora? Elas terão que explorar uma ampla variedade de fontes de dados internas e externas, para obter insights sobre o comportamento e as preferências dos usuários que aprimorem a experiência dos funcionários. Sendo assim, é importante tirar proveito da experiência de um parceiro de tecnologia que tenha uma profunda compreensão de como gerenciar dados e desenvolver estratégias de dados bem-sucedidas.

As tecnologias emergentes oferecem oportunidades interessantes para melhorar e humanizar nosso trabalho, mas devemos estar atentos também aos riscos. Uma preocupação comum a todos os departamentos de RH é não se deixar influenciar por tendências inconscientes que podem infiltrar-se no atendimento a grupos diversificados de pessoas. É preciso estender essa preocupação ao nosso uso da tecnologia. Afinal, é monitorando nosso comportamento que o machine learning funciona, de forma que precisamos garantir que nossas ferramentas digitais não estejam perpetuando falhas nas atividades de contratação ou de gerenciamento.

Para fazer isso, temos que nos lembrar de algo que sempre soubemos: a tecnologia é uma ferramenta que funciona melhor quando aprimora as percepções e ações humanas, não quando as substitui.

* Emily He é vice-presidente sênior do Grupo de Negócios de Gerenciamento do Capital Humano em Nuvem da Oracle.

Be the first to comment

Comments ( 0 )
Please enter your name.Please provide a valid email address.Please enter a comment.CAPTCHA challenge response provided was incorrect. Please try again.