X

Tecnologias emergentes e seu impacto em indústrias, mercados e na sociedade como um todo.

  • September 10, 2019

Como a IA está tornando o trabalho mais humano

Guest Author
This is a syndicated post, view the original post here

Amadurecimento da Inteligência Artificial nos permite ter mais tempo para focar em criatividade e estratégia, além de nos conectar uns com os outros

Por Emily He*

Quando pensamos a fundo, aquilo que chamamos de "trabalho" não evoluiu muito desde a Revolução Industrial. Embora a tecnologia tenha facilitado a maioria das tarefas, o xis da questão ainda é a produção em massa — codificar processos empresariais com o uso de tecnologia e escalar para toda a empresa. No entanto, a inteligência artificial (IA) mudou o cenário. Em vez de enquadrar as pessoas dentro de um processo repetitivo, a IA oferece a oportunidade de libertá-las completamente, liberando seu tempo e energia criativa para um trabalho mais estratégico e significativo. Pela primeira vez desde a Revolução Industrial, a tecnologia está sendo usada para trazer de volta a humanidade ao trabalho.

Na verdade, essa revolução começou em casa, graças à tecnologia inteligente por trás da Siri, da Apple, da Alexa, da Amazon, e do Google Assistente, que entraram em nossa vida diária. Podemos fazer perguntas e esperar respostas úteis e precisas. É uma forma humana muito mais fluente e intuitiva de interagir com a tecnologia do que estamos acostumados no trabalho. O software corporativo reflete um conjunto de processos de negócios predefinidos (contabilidade, RH, etc.) nos quais as pessoas inserem dados, permitindo que o sistema produza os resultados certos.

Leia mais: IA no trabalho: onde estamos agora e para onde vamos?

Agora, a tecnologia pode começar com o resultado. Pense em como você interage com o Google Maps: O resultado é chegar ao seu destino o mais rápido possível. Nos bastidores, o aplicativo sintetiza dados, como tráfego, lentidão no trânsito e obras, para recomendar a melhor rota. Quando as pessoas começam a trabalhar, esperam o mesmo tipo de experiência.

IA e experiência do funcionário: Exemplos de casos de uso
Há cerca de 10 anos, o RH das empresas iniciou a transição de uma função orientada pela conformidade para uma função orientada pela experiência do funcionário. Isso porque, cada vez mais, os funcionários querem se conectar com os valores da empresa e entender como estão contribuindo para a organização. Cabe ao RH oferecer esse tipo de experiência aos funcionários. Felizmente, a tecnologia de IA já está disponível para que isso aconteça. Veja como:

Para os funcionários: A IA já está transformando o suporte técnico do RH. No início deste ano, a Oracle lançou um assistente digital específico para RH que permite que os funcionários façam perguntas por voz ou por mensagens de texto no celular. Eles conseguem obter respostas rapidamente, como informações de diretório, saldo de férias, salários, relatórios de despesas e muito mais. A interface de usuário de conversa também pode ajudar a orientar os funcionários para os processos de negócios certos, como feedback do gerente, sem necessidade de saber com antecedência para onde navegar.

Para os candidatos: O processo de recrutamento e candidatura é a primeira experiência do candidato com a sua marca de empregador, por isso é muito importante oferecer uma experiência envolvente aos candidatos. Os chatbots podem orientar os candidatos ao longo do processo de recrutamento, respondendo perguntas sobre os requisitos ou detalhes do cargo, além de fornecer orientação sobre as próximas etapas do processo.

Para os recrutadores: Além de ajudar os recrutadores a encontrar o candidato certo com base nos requisitos do cargo, a IA também pode analisar os funcionários de maior destaque da sua empresa para identificar critérios que possivelmente você desconheça e usá-los para recomendar os candidatos com mais chance de sucesso nesses cargos. Além disso, a IA pode ser aproveitada para reduzir preconceitos inconscientes, ao ignorar fatores demográficos como gênero, raça e idade do candidato, cuja pesquisa mostrou afetar as decisões de contratação.

O que vem a seguir?
A relação entre humanos e máquinas será completamente redefinida nos próximos cinco ou dez anos. À medida que a IA e a robótica assumem tarefas rotineiras e repetitivas, os seres humanos que trabalham ao lado delas assumirão o que a Deloitte chama de "super empregos". Esses super empregos são aquelas tarefas que podem executadas somente por seres humanos, que reúnem tanto habilidades técnicas como habilidades "suaves” em áreas como comunicação, serviços e colaboração.

Digamos que sou responsável pelo suporte técnico do RH. No passado, meu trabalho era lidar com as perguntas dos funcionários e fornecer respostas o mais rápido possível. Agora, posso usar a IA para automatizar as respostas que já tenho. Meu trabalho imediatamente se torna mais estratégico, ao oferecer respostas mais rápidas a perguntas comuns e serviços adicionais personalizados aos funcionários que levarão a experiência a um novo patamar, permitindo um maior envolvimento e a redução da rotatividade.

Agora que a IA atingiu um nível em que é possível automatizar muitas coisas que não queremos fazer, temos mais tempo para nos concentrar em criatividade, estratégia e, mais importante, nos conectar uns com os outros, que é o que os seres humanos essencialmente querem fazer. Por fim, procurem refletir sobre isso: na pesquisa da Deloitte, 36% dos entrevistados disseram que estão “reinventando o trabalho.”  Agora que temos o poder da IA, como você imagina que será o trabalho?

*Emily He é vice-presidente sênior de marketing de produtos, HCM Cloud

Be the first to comment

Comments ( 0 )
Please enter your name.Please provide a valid email address.Please enter a comment.CAPTCHA challenge response provided was incorrect. Please try again.